1. Spirit Fanfics >
  2. Entre estações e devaneios >
  3. Capítulo Único.

História Entre estações e devaneios - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


olá, esse é meu primeiro trabalho postado e minha primeira vez participando da sope week
boa leitura :)

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Final de tarde, mais um dia de inverno. O clima, apesar da época do ano, está ameno e o céu está num tom maravilhoso de azul, com apenas algumas pinceladas de laranja. e, novamente, estou pensando em você, hyung. recordando todos os nossos momentos, todas as quase aventuras que passamos juntos.

 

Sabe, ultimamente flagro-me lembrando de ti a cada mínima coisa que acontece na minha rotina. Certo dia eu saí com Jiwoo-noona para comprar o material dela, e fomos em uma loja de eletrônicos. A noona faz faculdade de fotografia, e será o segundo diploma dela. Logo ao chegar já estávamos rodeados de câmeras fotográficas e mais uma vez pensei em você, hyung. Seus olhos brilhavam conforme você falava aquelas palavras difíceis apontando para sua própria câmera enquanto trocava a lente desta, que era enorme. eu apenas sorria sem entender nada de artes visuais e o admirava, pois o jeito que você sorria ao explicar seus hobbies e o que gostava era maravilhoso.

 

A primeira neve caiu anteontem, tingindo de brancos as ruas e o telhado dos prédios. Agora é rotineiro as crianças saírem a qualquer momento para brincar com os pequenos flocos, fazendo bolas e acertando-as uns nos outros, enquanto as mais quietas ocupam-se em construírem bonecos de neve de diferentes tamanhos. Sorrio com a imagem de um garoto empurrando um maior naquela imensidão branca, de um jeito brincalhão. Você detestava a neve e o frio, e eu nunca soube o porquê — agora penso que talvez não houvesse um motivo específico.

 

Eu achava isso totalmente irônico, pois, para mim, o inverno combinava perfeitamente contigo. Sua pele pálida quase desaparecia quando caminhávamos no meu quintal, levemente inclinado e que acumulava muita, mais muita neve. você usava vários casacos, e na maioria das vezes eu mal podia ver seu rosto. Eu achava adorável sua cara irritada e suas bochechas e nariz vermelhinhos por conta do frio e fazia questão de te dizer isto, mesmo recebendo alguns socos leves de agradecimento.

 

Daqui a algumas semanas o inverno dará lugar à minha época favorita: a primavera. As plantas e flores voltarão a vida e isso é algo que me fascina desde criança, e você sabe muito bem disso, não é hyung? Esse foi o período do ano em que nos conhecemos, inclusive o primeiro presente que eu lhe dei foi um buquê de flores, e você me criticou bastante por ter comprado seres vivos arrancados de seus "lares" para satisfazer o desejo humano de apreciar beleza. Eu apenas ri, pois sabia que essa era sua maneira de ser, e que era grato pelas flores. Eu lembro que você corou antes de começar aquele discurso, hyung.

 

Logo em seguida, o verão. O céu fica ainda mais claro com a presença ainda mais brilhante do sol. Durante as estações mais amenas você costumava dizer que eu era seu sol, como um mini-verão particular, e eu me sentia muito feliz, hyung. Eram raras as vezes que você criava apelidos fofos e me elogiava sem motivo, e eu fazia questão de mostrar para ti o quanto eu amava isso.

 

As noites de verão, em sua grande maioria, eram chuvosas e úmidas. A natureza responsabilizava-se em amenizar o calor e o ar. Lembra de quando você dormia em minha casa, pois dizia estar cansado demais para voltar à sua? Acredito que você usava isso como desculpa, pois seu orgulho não o deixava dizer que sentia falta de dormir comigo, não é? Era adorável admirá-lo vestido com aquele pijama leve, que te deixava menor do que já é. Você nunca gostou de sua altura, mas, como sempre, eu dizia que era mais uma característica que eu gostava em você. Você é muito fofo, hyung. Completamente fofo.

 

Gostava do jeito que sua bochecha fica mais cheia durante seu sono, meio amassada em cima dos travesseiros, e inúmeras vezes eu as apertei levemente, sorrindo. Você sempre se mexia e virava para o outro lado, mas não despertava. E então, eu me aproximava ainda mais, aproveitando para enterrar meu rosto em seus cabelos. 

 

Apesar das milhares de vezes em que descoloria e pintava suas madeixas, estas estavam sempre impecavelmente cuidadas e com cheiro de morango. Não apenas seu cabelo hyung, mas você como um todo tinha cheirinho de morango. Eu o achava parecido com um pequeno cupcake.

 

As folhas, então, começavam a possuir um tom avermelhado e desprenderem-se das árvores. Os ventos eram mais frequentes. Essas, e outras características, anunciavam a chegada do outono. Apesar desta ser sua estação do ano favorita, não podia deixar que o deixava melancólico. E eu achava isso totalmente contraditório.

 

Lembro que, inúmeras vezes, você simplesmente aparecia na porta de minha casa, tentando reter a todo custo as lágrimas que rolavam pelo seu rosto. Não nego, hyung, vê-lo daquela maneira quebrava meu coração em mil pedaços. Eu queria protegê-lo de tudo que te deixava mal, mas não podia. Então, apenas tomava-o em meus braços, lhe abraçando mais forte que podia. Confesso também que me sentia impotente, hyung. Mas esses pensamentos logo se esvaíam ao ouvir sua doce voz me agradecendo, dizer o quanto eu era importante em sua vida. Nesses momentos — e em outros também — eu queria apenas ver sorrisos em sua face. Queria vê-lo bem e feliz.

 

Eu gostava de te lembrar o quanto eu amava seu sorriso, hyung. Seus olhos se tornavam pequenas crescentes, e seus lábios cerrados tomavam forma de um maravilhoso sorriso gengival, mostrando os dentes superiores perfeitamente brilhantes. Era impossível te ver sorrir sem sorrir junto, era contagiante.

 

Logo após, o inverno retornava, e com ele, nossas sessões de filmes acompanhados com todo tipo de comida quente — na maioria das vezes — e trocentos cobertores no chão da minha sala. As coisas fora do lugar me incomodavam bastante, o que ocasionava em gritos e reclamações da minha parte, mas você ignorava, e vez ou outra, me mostrava a língua de um jeito infantil, ou o dedo do meio, com alguns palavrões e me mandando “relaxar”. Minha paciência se esgotava várias e várias vezes, causando uma guerra de travesseiros que começava agressiva e terminava com risos e abraços.

 

Já passa das dez horas da noite, e percebo que fiquei preso em meus pensamentos por tempo demais. Suspiro. Quando se trata de memórias e de você, yoongi-hyung, eu sempre falo muito. Ou penso, nesse caso. Me pergunto como você está atualmente, e o que faz. Sinto muita falta de ti, e me arrependo profundamente por não revelar os meus sentimentos à você. Acontece que eu sempre te amei, hyung. De todas as maneiras e formas. Você foi meu primeiro amor, e, agora, o remorso me consome, juntamente com os “e se”. Noona sempre me diz que devo esquecer, para seguir em frente, mas eu simplesmente não consigo.

Se eu pudesse lhe dizer algo nesse exato momento, diria que o amo. Muito. Eu amo você, hyung, onde quer que esteja, saiba que nunca deixarei de amá-lo. Nunca.

 


Notas Finais


olá de novo rs, desculpe se houver algum erro ortográfico ou de concordância, pois essa história não foi betada por motivos de pressa para postar no dia certo do projeto.
o tema do dia um é estações do ano (primavera, verão, outono e inverno) e, como não consegui decidir, acabei por usar todas
esta é a primeira de muitas fanfics que ainda irei postar :D obrigada por ler!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...