1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Irmãos - The Originals >
  3. Dois

História Entre Irmãos - The Originals - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Eu ia fazer apenas a one shot entre o Kol e Elijah, porém me surgiu uma ideia na cabeça dias atrás e para aproveitar que um capítulo já estava pronto, dei continuidade a one shot que virou uma fanfic pequena.

Boa leitura.

Capítulo 2 - Dois


Uma semana desde que Kol e Elijah transaram, o original mais velho havia se ausentado de New Orleans por algum motivo no qual recusaria a dizer, e também, não deu data alguma de retorno. Deixando Kol e Klaus completamente sozinhos.

Kol já não tinha mais seus ataques de fúria enciumados, já tinha o amor de Elijah, isso era bom para ele, mas agora queria o amor de Klaus também.

Klaus estava no andar debaixo pintando alguma coisa nova, enquanto Kol caminhava pela área de cima, debruçou sobre a pequena cerca e encarou o irmão, metros abaixo.


- Você está em alguma passarela?


- Está me achando bonito, Nik?


- Desavergonhado, eu diria. Por andar sem camisa para cima e para baixo.


Kol riu, passou o dedo em torno de sua barba ralinha e desceu as escadas, apoiando sua mão esquerda no corrimão. Parou atrás do irmão e olhou com atenção para os movimentos de seu pincel, a cor marrom indo perfeitamente em linha reta, dando contraste com o azul marinho, quase negro no canto superior.

Klaus mantinha-se concentrado em pintar, tomando cuidado para a tinta marrom não se fundir a um avermelhado que estava próximo e ainda bastante fresco.


- Vilarejos?


Kol questionou baixinho, se parecia bastante com um que ele, Klaus, Rebekah e Elijah visitaram quando eram praticamente nômades.

Niklaus afirmou apenas uma vez, em seguida finalizou a estrutura da casa e soltou o pincel próximo a uma mesinha, virou novamente para o irmão mais novo e deu uma olhada de cima até em baixo.


- Você deveria vestir uma camisa, Kol. 


Com uma risada abafada, Kol passou seus dedos um no outro antes de colocarem em cima do cinto que prendia seus jeans.


- Está com medo de se apaixonar se ficar olhando demais?


Desta vez foi Klaus quem deu uma risada abafada, o caçula o conhecia bem, sabia que aquilo não seria nada se acontecesse, vampiros não se prendiam a ligações sanguíneas.


- Um belo corpo, eu diria.


Kol queria um pouco mais do que os elogios de Klaus, o outro irmão o amaria tanto quanto Elijah?

Deu um pequeno passo a frente, tornando ainda mais próximo  do irmão.


- Não se acanhe! Lijah não estará aqui pelos próximos dois dias.


Kol parecia desinibido desde que transava com Elijah, retirou desta vez sua calça e a deixou escorregar pelas coxas até que chegasse no chão, cuidadosamente retirou a mesma e a chutou para o lado, levou a própria mão até o pênis e começou a massagear.


- Na verdade não sabemos quando ele irá voltar.


Klaus mantinha seu olhar fixo sobre a virilha do irmão, a marca do pênis crescia absurdamente rápido e fez com que o seu próprio despertasse quase que ao mesmo tempo.

Pomposamente, o caçula se aproximou dos dois e caminhou em direção ao híbrido, apoiou ambas das mãos sobre o peitoral e passou os dedos percorrendo pela tatuagem até chegar no mamilo, depositando um beijo no canto dos lábios. 


- Vai me dizer que está com medo?


- Medo do que, exatamente, Kol?


Os dois tons estavam provocativos o suficiente, Kol sabia que o irmão não recusaria um desafio, seja ele qual fosse. 


- Medo de Elijah chegar e pegar nós dois.


- Como se eu não soubesse que vocês dois transaram.


Por um momento, Kol pareceu chocado em saber que ele tinha conhecimento disso. Klaus agarrou a cintura do irmão mais novo e empurrou a mesma contra a parede da cozinha.

Lentamente, Klaus foi em direção a orelha do mais novo e mordeu levemente o lóbulo, rindo baixinho em seu tom um tanto quanto maléfico. 


- Eu também já transei com Elijah, Kol.


- Que bom que ambos conhecemos os corpos uns dos outros, mas ainda não tive a oportunidade de conhecer o seu, Nik.


Kol desta vez segurava a gola da camisa do outro, em um passe de mágica ela estava completamente desfiada e rasgada, os farrapos caíram ao lado do irmão, o deixando somente com a jeans e os sapatos, e nem este último Kol se dava o trabalho de usar.

O híbrido gargalhou baixinho e se ajoelhou de vez, passou seu nariz em torno da virilha do mais novo e despejou um beijo em alguma região, levou a mão até a barra da cueca e brincou com o elástico duas ou três vezes antes de abaixar, o pênis de Kol saltou diretamente em seu rosto.


- Já está duro assim, irmão?


Riu novamente de frente para a carne e abocanhou de uma vez só, o de cima surpreendeu-se com a velocidade e o jeito como Klaus levava seu comprimento dentro da boca, deveria ter feito aquilo diversas vezes. Niklaus deixava rastros de saliva a cada vez que acidentalmente o pênis escapolia de dentro da boca, porém logo o tratava de colocar novamente e voltar a iniciar os movimentos rápidos e absolutamente nada delicados.

Kol apoiou a mão sob a bancada de pedra gelada, a outra acariciou os cabelos loiros do híbrido e ajudava aos poucos sua cabeça ir, embora as vezes Kol nem precisasse auxiliar ele com as mãos.

Sem que ele gozasse, Klaus se colocou de pé novamente e passou a retirar seus jeans de maneira desesperada, seu pênis duro estava latejando sobre tantos tecidos e causava no mínimo um desconforto.

Klaus se viu livre do restante das roupas em poucos instantes, puxou Kol em uma brutalidade surpreendente, sua língua foi em direção a boca do mais novo antes mesmo que ele pudesse se encostar totalmente e se beijaram da maneira mais bruta e áspera possível, a mão de Klaus ficava no queixo de Kol enquanto o original mais novo alinhava suas duas intimidades e as masturbava juntas.

Klaus acabou o beijo e marcou o pescoço e ombro de Kol com um chupão e uma mordida, respectivamente. O caçula dos Mikaelsons estava adorando ver que o híbrido era tão diferente do outro irmão. 

Elijah era calmo, Klaus era agitado.

Kol por um momento pensou em como os dois já haviam transado sendo que eram tão diferentes, será que Elijah ficava no comando do ritmo?! Ele conseguiria ser acelerado pelo irmão mais velho? Ou o próprio que acalmava Niklaus?


- Venha, Kol. Vamos foder aqui na cozinha.


Niklaus passou sua mão na bancada e arrastou todos os objetos que ali se encontravam, lógico que alguns foram para o chão e outros no mínimo sopro de vento iriam também. Klaus apoiou suas duas mãos sobre a bancada e deixou a bunda exposta para o irmão caçula. 


- Venha, Kol! Não é toda a primeira vez que eu me deixo ser fodido.


Aquilo tornava Kol especial.

O caçula chegou próximo ao mais velho e com um aperto em sua bunda, se colocou ajoelhado, encontrando a altura perfeita para sugar os testículos do irmão enquanto seu dedo passava pela extensão, encontrou com uma quantidade abundante de pré gozo e levou com cautela para a entrada, os dois dedos entraram facilmente enquanto sua língua agora encarregava de passar pela extensão e pelos testículos do irmão. 

Klaus apertou tão forte a bancada que o granito arrancou um pedaço, empurrou para frente e voltou a se apoiar na bancada, rebolando os quadris para que os dedos de Kol entrassem mais fundo.


- Chega, Kol! Me foda logo. 


- Eu mal te preparei, Nik.


- E quem disse que eu queria ser?


Curto e grosso.

Kol riu ironicamente e retirou os dedos, levantou e juntou saliva entre as bochechas, cuspiu sobre o início da bunda e um pouco da glande, passou o dedo para se certificar de que estava junto e forçou para dentro, passando pelos anéis interiores do mais velho, que soltou um simples gemido enquanto o caçula já tinha soltado vários. 


- Eu deveria lhe apertar um pouco, Kol.


Contraiu sua entrada assim que Kol entrou pela metade, apertando propositalmente o pênis do irmão mais novo, o arrancando um gemido arrastado e sentiu um aperto forte na cintura.


- Eu odiei quando soube que você e Elijah transaram... Sem mim. 


Mordeu o lábio e olhou para trás, Kol sorria maliciosamente e Klaus da mesma maneira, talvez aquilo rendesse um à três em um futuro próximo.

Kol levou seu quadril para trás e para frente bruscamente, fazendo Klaus soltar o mesmo gemido que ele havia dado.


- Vocês sempre me excluíram, o que eu deveria fazer, uh?!


Klaus e ele riram ao mesmo tempo.

Em poucos instantes Kol se mexeu lentamente para fora e dentro do irmão, sua carne escapou do interior e ele tratou de colocar de volta, indo novamente da maneira mais lenta possível. 

Ele e Nik gemeram juntos agora.

Kol pensou por um momento que esrivesse indo devagar demais, afinal, o irmão lhe fez um boquete rápido e também o beijava rápido, além de tudo isso, não era delicado em momento algum.

Segurou na cintura do irmão e desta vez foi fundo, podia jurar que havia visto o irmão sorrir, continuou a ir nesta mesma velocidade. Klaus agarrou a divisória de granito e empurrou com força para frente, restando agora apenas uma bancada lisa. Klaus deitou sua cabeça sobre a mesma e olhou para trás, vendo Kol indo e voltando rapidamente, o barulho da cozinha era preenchido somente pelo contato da pele de ambos.


- Assim... Kol.


Mordeu o lábio com força, fechou os olhos e apenas deixou que os gemidos escapassem livremente pela sua boca assim como a do caçula, Kol o fodia gostoso por trás, indo rápido e fundo do jeito que ele gostava, por um momento Klaus amaldiçoou si próprio por não ter feito aquilo com o caçula mais vezes.

A mão de Kol subiu pelas costas e agarrou com força os cabelos loiros, Klaus gemeu e sorriu ao mesmo tempo, poderia gozar apenas com Kol o fodendo assim por poucos minutos, sua glande latejava como nunca e a qualquer momento chegaria forte como sempre, porém queria mais de Kol. 

Queria que ele o fodesse mais.

Queria sentir mais o pênis de Kol entrando e saindo forte de dentro de si mesmo.

Queria o beijar novamente. 

Queria ele por inteiro.


- Um instante


Kol parou, receoso de que estivesse machucando ele. Era a última coisa que ele queria.


- Quero que me foda olhando nos meus olhos.


Kol se retirou de dentro, podia ver o pré gozo e um pouco do sêmen saindo de dentro de Klaus e escorrendo pelas suas coxas, sorriu vendo a cena e logo Klaus virou.

Se beijaram assim que seus olhos se toparam, aquele beijo quente e ardido que somente eles dois conseguiram fazer juntos, Klaus e Kol quentes como o inferno.

O caçula levantou a pena do mais velho e admirou-se em ver que a perna foi tranquilamente até seu ombro, se aproximou mais um pouco e encaixou novamente sua carne dentro do irmão. 

Desta vez se enrolaram nos braços um do outro e voltaram a se beijar enquanto o mais novo dos Mikaelson voltava a se mexer no mesmo ritmo anterior dentro do irmão.

Tanto Kol quanto Klaus estavam com marcas de dedos passando por suas costas, as unhas pouco curtas deixavam no mínimo vermelho por onde passavam durante o beijo. Desta vez nenhum queria se soltar do outro, davam ligeiras pausas para o ar voltar aos pulmões e então trocavam mais beijos, pelo menos abafavam os gemidos.

Kol empurrou o corpo para cima e levou ambos para cima da bancada, Klaus gemeu alto pelo atrito a bancada e Kol apoiou o joelho sobre a mesma.

Como se não pudesse ir mais rápido, Kol conseguiu o feito. Passou a se mexer em uma velocidade absurda, a todo instante mordiam os lábios para evitarem de gemer alto demais, e sempre trocavam beijos entre si.

Kol levantou seu próprio tronco e levou a mão sobre o pênis de Klaus, espalhou o pré gozo por todo o membro e começou a masturba-lo. Em um gemido alto e rouco, Klaus chegou ao seu orgasmo e despejou o líquido em uma quantidade absurda sobre a mão e peitoral, Kol veio logo em seguida e engatou o final do gemido do irmão. 

Desceu da bancada e Klaus foi junto, o caçula passou os dedos pelo seu lábio provando do gosto do irmão, Klaus tomou a oportunidade e o beijou novamente, tão caloroso e agressivo quanto da primeira vez, mas ao mesmo tempo, tão bom.


- Foi delicioso, Kol. 


Klaus sorriu. 

Trocaram mais alguns beijos ali na cozinha mesmo.


- Acredito ter tempo até Elijah voltar, continuamos no quarto?!


O sorriso se transformou em uma risada, a sorte de ser vampiro era que diferente dos humanos, não sentia cansaço como eles.


-  Se você me foder assim de novo, pode apostar que nem se Elijah aparecer iremos parar.


Notas Finais


Espero vocês no próximo. Não deixem de comentar e dar o favorito.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...