História Entre livros - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Park Jimin (Jimin)
Tags Fluffy, Hopemin, Jihope, Romance
Visualizações 34
Palavras 2.025
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Slash
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demoro mas sempre volto. Adoro escrever essa fic <3

Capítulo 11 - Segredo


Jimin continuou deitado no peito do mais velho recebendo pequenos beijos nos cabelos enquanto respirava fundo. Experimentou a melhor sensação que tivera na vida. O coração batia forte e pulsava tanto que era possível ver no seu rosto as veias saltando em sincronia com a pulsação. 

— A gente precisa de um banho — disse o mais velho depositando um selar leve na testa molhada do outro — te arrumo uma toalha — sorriu.

Jimin apenas concordou com a cabeça sorrindo tímido. Estava tomado pela vergonha. Hoseok levantou-se indo até o banheiro, levou uns 3 minutos e voltou carregando uma toalha, um sabonete  fechado e um pedaço de papel higiênico para que ele pudesse limpar as mãos. Entregou ao mais novo sorrindo.

— O banheiro é ali… fica a vontade! — piscou um olho.

Jimin levantou ainda sorrindo, vestindo apenas sua cueca fazendo com que o mais velho o fitasse de cima a baixo. Seguiu caminho para o banheiro que não se parecia nada com o seu. Era extremamente limpo e cheirava a lavanda. Havia um vasinho de flores na pia, além de ser bem iluminado. Sentiu-se um porco vivendo em um chiqueiro. 

Tomou um banho bem rápido, secou-se e saiu carregando a toalha nos braços.

— Onde posso pendurar a toalha? — os fios grossos do cabelo molhado caíam sob seus olhos.

— Pode me dar aqui, eu penduro — saiu em direção a uma pequena lavanderia e estendeu a toalha em cima da máquina — você fica lindo assim…

— Assim como? — indagou o mais jovem.

— Com o cabelo molhado — aproximou-se passando o dorso da mão pelo rosto branquinho e respirando bem pertinho.

A respiração dos dois já parecia ter a mesma sincronia automaticamente e juntos iniciaram outro beijo cheio de sentimentos. 

— Agora eu que vou tomar banho — Hoseok disse dando vários beijos na bochecha do jovem tímido — você me espera aqui? Pode ficar a vontade, se sente em casa ok?

— Pode deixar… — encostou o nariz pequeno no pescoço alheio sentindo uma última vez os feromônios do outro.

Hoseok seguiu para o banho e Jimin cautelosamente cuidou de olhar cada detalhe daquele apartamento. Haviam fotos no móvel da sala, muitas com uma garota muito parecida com ele que deveria ser sua irmã. De longe viu o quarto que tinha uma roupa de cama bonita e bem esticada diferente da sua. Tudo estava perfeitamente no devido lugar. Questionava-se o que será que ele pensou quando entrou em seu apartamento imundo. 

Sentou-se no sofá e começou a assistir a série colocada antes e sorriu quando percebeu que a série estava em inglês sem legendas. Parecia que ele realmente estava mal intencionado. Enquanto tentava encontrar uma maneira de por legendas, Hoseok saiu do banheiro igualmente lindo ao que entrou, só que dessa vez de cabelos molhados. Sentou-se ao seu lado completamente a vontade.

— O que está passando? — os dois começaram a rir.

— Não sei… na verdade estava ainda sem legendas — sorriu.

— Hum… como nem percebi isso? — fez uma cara de malicioso e deitou-se em cima de Jimin dando-lhe vários beijos — adorei que você veio… 

— Também gostei muito de estar aqui. — sorriu forte fazendo os olhos se fecharem.

— Por que me sinto tão bem com você? 

— Se conseguir descobrir me conta?

— Me abraça? — Hoseok disse mansinho

    Os dois se abraçaram como se já se pertencessem há tempos. Parecia que aquele abraço servia perfeitamente tal como duas peças de quebra cabeça que se encaixam. A sintonia daquele abraço poderia durar para sempre. Assistiram a um filme escolhido por Hoseok que terminou tarde da noite indicando que aquele dia tão bom deveria terminar.

— Eu deveria te levar em casa! — Hoseok disse indignado depois do mais jovem dizer não ser necessário.

— Eu conheço o caminho de olhos fechados! Moro aqui faz tempo já… e eu te aviso quando chegar!

— Eu posso pedir um táxi?

— Eu falei que não precisa se preocupar…

— Por favor…? — fez um beicinho fofo.

    Jimin sorriu. Não podia dizer não. Pelo menos não depois daquele beicinho.  Concordou com a cabeça fazendo o outro sorrir em resposta. Saíram do apartamento juntos com Jimin vestindo uma blusa de frio do mais velho pois o tempo havia esfriado muito. Esperaram o táxi juntos e antes que o carro pudesse virar a esquina — era possível ver sua localização pelo aplicativo — se abraçaram e deram um beijo apertado. O carro chegou e Jimin entrou deixando o amado na porta do prédio sorrindo pequeno. Saiu dali com o coração em combustão. Não podia estar mais feliz. Suas bochechas ardiam de tanto que sorria. Entrou no prédio contente e assim que entrou no apartamento jogou-se na cama suspirando fundo. Sacou o celular que já guardava algumas notificações do amigo e avisou Hoseok que havia chegado bem.

    Tae: Oii, já cheguei!

    Tae: Como tá ai?

Tae: Alooo? Meu amigo foi abduzido!

Tae: Manda mensagem quando terminar aí hahaha

Jimin: Taeee que bom que chegou! Tenho que te contar tanta coisa!

Não recebeu resposta imaginando que dessa vez deveria ser o amigo que estivesse com o namorado e por isso não achou tão ruim. Embora o frenesi estivesse alto, precisava se aprontar para a semana que estava prestes a começar. E que desgraça aquela semana. A carruagem viraria abóbora. Levantou-se devagar e começou a arrumar a mochila que levaria para o trabalho no dia seguinte. Abriu a geladeira, não encontrou nenhum alimento que estivesse próprio para consumo na sua marmita do dia seguinte, então decidiu pegar um lámen picante no armário. Já passavam das 21:00 então decidiu dormir para não se atrasar no dia seguinte.

 

O despertador tocou para o ódio de Jimin que arremessou o  telefone longe da cama. Cinco minutos depois o modo soneca disparou, porém longe de seu alcance, foi obrigado a levantar. Levantou-se com a certeza de que precisaria de um tônico do pica pau para aquele dia. Arrastando os pés no chão, entrou no banheiro bagunçado, tirou o pijama e entrou no chuveiro sem muita cerimônia. Odiava tomar banho de manhã, mas era o único jeito de despertar quando não estava atrasado, já que a adrenalina era o melhor despertador. 

Vestiu-se a mesma maneira de todos os dias, sentou-se no balcão da cozinha e pegou o celular.

Tae: Ahhhhhhh me conta agora!

Tae: Ei??? Dormiu??? Tô em chamas pra saber o que aconteceu!

Tae: Park Jimin...onde é que você está???

Hobi: Que bom que chegou bem :) boa noite!

Hobi: Bom dia!! Já estou com saudade! =*

Jimin sorriu com a última mensagem que leu. Não imaginava que iria encontrar uma mensagem de bom dia fofa logo de manhã. Pelo visto Hoseok acordava cedo e acordava de bom humor porque dificilmente Jimin respondia alguma mensagem antes do almoço. Mas naquele dia decidiu responder.

Jimin: Bom dia!! Também estou! Bom trabalho!

Hobi: Pra você também!

O jovem saiu de casa com tempo para passar numa cafeteria. O sono lhe fazia companhia como todas as manhã então comprou um café médio e seguiu o caminho conhecido até o trabalho. Depois de um fim de semana tão perfeito, ver a cara dos colegas de trabalho e ainda pior do chefe seria de matar. Entrou na livraria que ainda não estava aberta, depositou os pertences no lugar de costume e ainda de costas ouviu a voz de Min-cho atrás de si.

    — Bom dia Jimin… — disse num tom sério.

    — Bom dia Cho — respondeu em um tom igualmente seco.

    — Hum… eu te vi ontem. — falou diretamente.

    — Ah é? Onde?

    — Passei de carro e te vi com aquele cara lá da aula a noite… — o encarava séria fazendo um gelo subir pela espinha.

    — Tá doida? — exclamou.

    — Tenho certeza que era você Jimin! Você tá bem amigo dele né…

    —  Ué, deu pra me vigiar agora? Controlar quem são meus amigos?

    — Não eu só… achei estranho você ir na casa de um… bom você sabe…

    — Um o que?? — encarou a garota com raiva.

    — Bom ele é gay… você vai ficar mal visto!

    — Min-Cho, preocupe-se com as suas questões ok? E pára de me vigiar! Que saco — disse revoltado. O dia mal tinha começado e já estava estressado.

    — Eu só me preocupo com você… vão achar que você também é…

    — E se eu fosse? Qual o problema? — falou bufando — Porque todo mundo quer cuidar da minha vida? — saiu de trás do balcão e foi bater o ponto na sala dos fundos.

    — Jimin desculpa eu não quis te ofender!! 

    — Apenas para de me perseguir por favor! Que desagradável! Eu mal chego e você já vem me questionar.

    Jimin saiu batendo os pés no assoalho revoltado. Pela primeira vez havia sido grosso com a garota que ficou pra trás com os olhos cheios de lágrimas. Estava cansado das perseguições dela, cansado de ser questionado de sua vida pessoal. Finalmente estava feliz e agora era julgado por andar com alguém que poderia sujar sua reputação. Era a gota d’água. Passou a manhã sendo observado por Min-Cho que o olhava com um olhar triste e desconfiado. Àquela altura ele não estava se importando com o que ela estava pensando, queria apenas terminar aquele dia e ir pra casa logo. 

    Teve outro dia corrido quase sem tempo para fazer sua pausa. A garota tentara contato outras vezes mas não teve sucesso em suas investidas. Aquele dia, Jimin estava completamente estressado e para seu profundo ódio, ainda era segunda feira. Quando finalmente deu seu horário de ir embora, saiu às pressas, mas fora seguido por seu maior pesadelo: ela.

    — Jimin!!! Espera!! — ele seguiu andando dando reviradas infinitas nos olhos — Jimin, por que está tão estranho hoje?

    — Min… apenas estou cansado ok?

    — Jimin… você ficou muito amigo daquele cara… Jimin, você também é gay?

    Aquela pergunta lhe causou um amargor na boca que não soube diferenciar se era de medo, raiva ou uma mistura dos dois. Se ela estava lhe fazendo aquela pergunta, significava que estava tão na cara assim? Continuou andando calado sem responder a garota que continuava a caminhar rapidinho ao seu lado ofegante.

    — Cho… por favor, esse assunto de novo?

    — Jimin! Você sabe que eu sempre fui apaixonada por você e você nunca me deu bola! Agora está todo amigo de um estranho que é gay! O que você quer que eu pense?? Olha pra mim!! — disse alto com os olhos cheios de lágrimas fazendo o garoto arregalar os olhos.

    — Escuta, eu não ser apaixonado por você não quer dizer nada ok?? Parte pra outra Min, por favor! E por favor, mais uma vez, pára de me perseguir e cuidar da minha vida!!

    — Eu sabia!! Fui trocada por outro cara!! — a garota miúda começou a chorar deixando Jimin em um cenário embaraçoso.

    — Não te troquei por ninguém! Apenas… apenas… você não faz meu tipo ok? Gosto de outro estilo de mulher — engoliu seco — agora pára de chorar por favor… vá pra casa!

    A garota saiu correndo à sua frente em direção a sua própria casa deixando o rapaz enfurecido. Ela já havia descoberto e não faltava muito para que outros também soubessem. O cenho franzido de repente relaxou quando o telefone tocou e o visor mostrava o nome de Hoseok.

    — Alô? — perguntou Jimin.

    — Oii! Como está?

    — Meio estressado… e você?

    — Estou na cafeteria, pensei que você pudesse querer tomar um café gelado  comigo!

    — Eu ia adorar tomar um café gelado com você!!

    — Estou te esperando! — o mais velho disse e desligou o telefone.

    Uma sensação de alívio tomou conta de si o fazendo esquecer completamente do dia estressante que teve. Dirigiu-se a cafeteria e encontrou Hoseok vestindo uma calça e uma camisa social que o deixaram ainda mais bonito do que já era.

    — Não posso demorar muito, ainda tenho que aprontar a aula de sábado!

    — Cinco minutos com você é melhor do que zero! — sorriu simpático.

    Os dois compartilharam risadas e os cafés. O mais novo mal podia lembrar-se do dia que teve. Era incrível como a energia de Hoseok o contagiava de forma tão agradável e transformasse totalmente o seu humor. Como alguém poderia ser julgado apenas pela orientação sexual? Por que ele seria mal visto ao andar com Hoseok que era uma pessoa tão alegre, cativante e com o espírito tão bom? Aquilo era muito injusto. Ignorou seus devaneios e aproveitou a noite na companhia daquele que tomava conta de seus pensamentos e sentimentos.

 


Notas Finais


Crítica? Sugestão? Quer falar alguma coisa? Me conta aqui *-*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...