1. Spirit Fanfics >
  2. Entre livros e atrasos >
  3. Seis

História Entre livros e atrasos - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Seis


Zitao se encontrava extremamente entediado naquela manhã. Isso porquê o ômega estava sozinho na livraria, afinal era comum o movimento aumentar após o horário de almoço, mas isso não impedia o ômega antigamente, pois estava sempre com algum livro novo para ler.

O problema é que nesse exato momento, o Huang estava com a famosa ressaca literária, e não estava nem um pouco a fim de ler alguma coisa. Contudo, não era somente isso que abalava o garoto.

A falta de comunicação com Yifan também estava o incomodando.

O alfa tinha viajado para o Canadá após o Natal, onde iria ficar até após a virada do ano. 

Na última mensagem que havia trocado com o lúpus na tarde anterior ele o informava que estava indo para o aeroporto, voltar para a China. Desde então, ele e Zitao não conversaram mais. 

E isso estava matando o pobre Huang.

Não era segredo para si que estava gostando do Wu, já havia aceitado isso — mesmo que tenha tido uma discussão muito séria entre si contra si mesmo.

Respirou fundo saindo de trás do balcão. Já chegando a hora de retirar a decoração natalina e resolveu fazer isso logo para ver se o tempo passava mais rápido.

 

Tao se perdeu no tempo enquanto desmontava a árvore de Natal e guardava os enfeites com cuidado para não quebrar. Nem mesmo notou quando a porta da livraria foi aberta e um lúpus ansioso para revê-lo passou por ela. 

Yifan estava cansado da viagem, mas não podia deixar de sentir saudades do ômega, então assim que chegou na China resolveu ir até a livraria. Sorriu ao ver o mais novo distraído retirando alguns enfeites da árvore que montaram e teve uma ideia.

Com todo o cuidado do mundo para não fazer barulho, caminhou até Zitao que estava de costas para si. Quando se aproximou o suficiente, levou as mãos até a cintura do ômega, que se assustou e deu um pulo. O Wu começou a rir enquanto Tao se virava pra ele com a mão no peito.

— Você tá querendo me matar, Yifan?

— Jamais! Se você morrer, quem vai me indicar livros?! — respondeu, ainda rindo. — Senti sua falta, Taozi…

— Também senti sua falta, Fan! — Zitao o abraçou. — Como foi no Canadá? Me conta tudo! — pediu.

— Foi legal… — começou, indo ajudar o ômega com cheiro de lavanda a retirar os enfeites da árvore. — Eu estava com saudades da minha família! 

Tao sorriu. Yifan já havia o mostrado foto da família dele e ficou surpreso em ver o quão parecido com a mãe o lúpus era. Dava para perceber o carinho que o Wu tinha com sua família, pois a cada foto que ele mostrava seu sorriso aumentava e ele falava de um por um.

— Minha mãe disse que queria te conhecer… — disse.

— Você falou de mim pra ela? — Tao questionou, surpreso.

— Sim! Disse que você era um ômega muito fofo e muito curioso que sai se intrometendo nas leituras alheias. — falou rindo.

— Yifan! — o mais novo o repreendeu.

— To brincando! — sorriu. — Bom, pelo menos na parte da intromissão. — deu de ombros.

— E… — Zitao começou, sem jeito de perguntar. — Você conheceu alguém novo lá? — perguntou, timidamente.

Por mais que estivesse morrendo de vergonha por perguntar algo do tipo, sua curiosidade era muito maior. Esse pensamento de Yifan conhecendo algum ômega ou beta no Canadá e resolvendo ficar lá para o resto da vida rondou muito a cabeça do mais novo desde que ele anunciou a viagem. Tao tinha compartilhado sua insegurança com sua mãe, que riu e disse que ele estava apenas imaginando coisas, e que Yifan não o trocaria por outra pessoa.

Claro que Zitao não deu ouvidos à sua mãe e continuou formando paranóias na sua mente, e agora que tinha a chance de sanar suas dúvidas, ele não ia deixar a vergonha o dominar.

— Bem, a amiga da minha prima passou o ano novo com a gente. — não pareceu reparar na feição desapontada do ômega. — Ela era bem inteligente!  — elogiou.

— Hum… — deu de ombros, fingindo não se importar.

— Descobri que ela também mora aqui. — nessa hora Zitao sentiu seu coração errar uma batida. — Eu deveria apresentar vocês, tenho certeza que você iria amar ela!

— Não vai ser preciso, obrigado. — falou rapidamente, saindo mais grosso do que gostaria.

Não sabia se Yifan era muito lerdo ou se ele fingia não ver o bico enorme que o ômega tinha nos lábios naquele instante. Claro que Zitao não estava odiando a menina apenas porque Yifan pareceu demonstrar interesse nela. Na verdade, ele estava mais irritado com Yifan do que com a garota.

O ômega terminou de guardar os enfeites e pegou a caixa, saindo de perto do lúpus que o olhava com um grande ponto de interrogação na cara pela mudança de comportamento do mesmo.

— Taozi? — chamou, sendo ignorado por Zitao que andou até o outro lado da livraria. Não demorou em ir atrás do mesmo. — Aconteceu alguma coisa? — questionou.

— Não sei. — disse irônico. — Por que não pergunta pra sua nova amiga? Ela deve saber já que ela é inteligente. — resmungou. Yifan riu.

— Tá com ciúmes, ômega? — perguntou rindo.

— Não tô’ com ciúmes de ninguém. — cruzou os braços e mostrou a língua para o Wu em um gesto extremamente infantil.

— Então o que é isso? — se aproximou do ômega.

— Não é ciúmes. — tentou se justificar. Yifan arqueou a sobrancelha. — É que agora você tem uma nova amiga e não vai mais precisar de mim, então você vai me substituir! — falou,chateado. Na sua cabecinha isso fazia o maior sentido.

Ah se ele soubesse que Yifan passou o tempo inteiro falando sobre ele para todos que chegassem perto do Wu...

— Eu não vou te substituir, Tao. — sorriu.

— Não?

— Não. — assegurou.

— Promete? — o mais novo o olhou desconfiado.

— Prometo. — Zitao suavizou a expressão e sorriu.

— Ótimo! Agora que já deixamos isso claro, me fala: que tipo de livro ela gosta de ler? — perguntou animado.

— Você vai poder perguntar isso pra ela quando se conhecerem. — deu de ombros.

Zitao desatou a lhe perguntar coisas sobre a ômega, animado com a possibilidade de fazer uma nova amiga. Yifan ria com a empolgação do menor, até reparar em um pequeno detalhe que finalmente o deu coragem para fazer algo que já queria fazer há muito tempo.

— Taozi… — chamou, interrompendo o ômega. — Tradições natalinas ainda devem ser seguidas mesmo se o Natal já tiver terminado? — perguntou, incerto.

— Como assim? — franziu as sobrancelhas sem entender o porquê do mais velho o perguntar aquilo.

O alfa olhou para cima, indicando algo. Zitao seguiu o olhar do lúpus, entendendo finalmente o que ele queria saber. 

Estavam embaixo de um visco.

Voltou seu olhar para o Wu, que o observava com certa expectativa.

— Sim, Yifan… — umedeceu os lábios. — Elas devem ser seguidas.

Yifan sorriu, antes de levar uma mão até a cintura do ômega o puxando para mais perto e a outra para a nuca do mesmo. Juntaram seus lábios em um selar calmo, antes de Zitao adentrar sua língua na boca do Wu, sendo prontamente retribuído. Tao levou suas mãos até a nuca do maior. Ambos exploravam com tranquilidade a boca alheia, descobrindo novos lugares e sabores que ansiavam há muito para o fazer.

Não estavam com a menor pressa que aquele beijo terminasse, porém se fez necessário ao que o ar em seus pulmões começou a ficar escasso.

Se entreolharam, respirando fundo. Seus corações batiam mais forte do que deveriam.

Zitao sorriu, e aproveitando que suas mãos ainda estavam na nuca do lúpus, o puxou de encontro ao seus lábios novamente, começando um novo beijo.

Afinal, ainda estavam embaixo do visco, e tradições natalinas nunca devem ser quebradas.


Notas Finais


Zitao com ciúmes, Yifan boiolinha pelo Zitao e FINALMENTE BEIJO TAORIS!!
Não vou mentir que por muito tempo eu pensei em não colocar o beijo deles, mas a ideia do visco se encaixou tão perfeitamente que não me contive hahaha
O próximo capítulo será o último.
Enfim, para quem não acompanha meu perfil, eu postei duas novas taoris, aqui está o link para quem se interessar:
KRIS: https://www.spiritfanfiction.com/historia/kris-18709609
Erros e arremessos: https://www.spiritfanfiction.com/historia/erros-e-arremessos-18791596
Kissus

Twitter: https://twitter.com/MrsLoser2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...