História Entre livros e cafés (Yoonmin) - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Yoonmin
Visualizações 212
Palavras 1.846
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi bebês

Vê se eu tenho psicológico para uma fanart dessas 💞💞💞💞💞

Capítulo 2 - O primeiro frio na barriga


Fanfic / Fanfiction Entre livros e cafés (Yoonmin) - Capítulo 2 - O primeiro frio na barriga

- Yoongi, você tem noção que só viu esse menino uma vez na vida certo? - Jungkook encarou o melhor amigo, melhor amigo esse que julgava ter ficado louco pelo simples motivo de: toda vez que falava de um certo Jimin seus olhos brilhavam e sua boca se curvava sozinha.

- Jungkook, cara você tinha que ver aquelas bochechas vermelhas por conta do frio, e aquele cabelo loirinho, ele parecia tão frágil, meu instinto de proteção apita só de lembrar, e o sorriso dele quando a gente começou a falar sobre as histórias que minha vó contava, ele tem um dente tortinho Jungkook! Pelos céus tão adorável! - Yoongi gesticulou as mãos como se estivesse apertando algum bicho de pelúcia, depois deixou o corpo cair para o lado, Jungkook riu anasalado e devolveu a xícara de café na mesa da cafeteira que eles estavam naquele fim de domingo nublado.

- Yoongi, você só viu ele uma vez, seu coração não pode disparar assim não. Isso é muito estranho. - Yoongi revirou os olhos.

- Fala isso por que nunca gostou de ninguém, e eu já meio que conheço... - deu de ombros e olhou pro colo - Minha vó amava falar dele, e se minha vó gostava dele é porque ele é um garoto legal, minha vó nunca erra, você por exemplo, ela olhou e disse 'veado', e ela tinha razão. - Yoongi tentou segurar, mas a gargalhada que saiu dele fez pessoas de outras mesas olharem.

- Uma senhora como ela não diria isso Yoongi, seu imbecil! - Jungkook tentou em vão socar o amigo do outro lado da mesa.

- Disse, e coisas bem piores, coisas essas que não posso dizer por conta do horário. - Jungkook fez um bico, cruzou os braços e olhou para a janela embaçada do seu lado. - Que saudade dela. - Yoongi falou enquanto passava os dedos pela borda da xícara azul bebê, Jungkook o olhou e deixou os ombros caírem.

- Eu também sinto. - os dois se olharam e sorriram sentindo a nostalgia tomar conta.

Já alguns quilômetros dali, Yeontan estava pulando freneticamente sobre Jimin e Taehyung que estavam na cama do loiro, de barriga para cima, ambos com a cabeça para o lado de fora da cama, seus rostos já estavam vermelhos mas, eles não ligavam, gostavam de assistir anime assim, até a tia de Jimin aparecer e brigar com os dois, dizendo que iriam morrer e que se morressem seriam jogados em um rio pois ela não ia gastar dinheiro com funeral nenhum.

Jimin virou de bruços e apoiou o queixo nos braços, agora o spitz alemão de Taehyung pulava em sua bunda.

- Tae, fala pro Yeontan parar de pular na minha bunda! - Taehyung ergueu o corpo se sentado na cama olhou pra cena, depois se virou e na mesma posição que Jimin o encarou.

- Que você me perdoe, mas eu não posso privar esse pobre animal dos prazeres da vida. - Jimin tentou o empurrar da cama, mas foi em vão, Taehyung era bem pesado para um magrelo como ele era - Que foi? Olha essa bunda, se eu pudesse quem estaria pulando ai era eu.

- Tae, isso não soou muito legal. - Taehyung desviou o olhar e fez uma careta.

- Cara, que mente suja! - Jimin o encarou rindo, foi quando Taehyung deu seu maravilhoso olhar satânico - Falando em mente suja, quando você vai devolver o casaco do garoto da biblioteca hein? - Jimin forçou a língua na bochecha, encarou o casaco verde pendurado em uma cadeira e afundou o rosto no colchão.

- Eu vou devolver, só não sei quando. - Taehyung revirou os olhos.

- Jimin, porra cara, já faz uma semana! UMA SEMANA!

- Eu sei, eu sei disso. - Jimin se ajeitou e sentou na cama pegando Yeontan no colo para ele parar de roer a cabeceira de sua cama - É que... Eu me lembro daquele sorriso dele e me sinto estranho.

- Ah que nojo cara, você ta apaixonado.

- Não estou! - Yeontan rosnou para o aperto que recebeu e Jimin o soltou assustado, ele era pequeno mas, metia um medo danado - Eu, eu só achei ele bonito, aquele cabelo bagunçadinho, o cheiro dele, aquela pele, Taehyung você tinha que ver aquela pele! - Jimin suspirou e Taehyung se sentiu derrotado.

- Você vai levar esse casaco amanhã mesmo, esta me ouvindo? Se passar de amanhã você terá que marcar um encontro com ele.

- O que? - os olhos de Jimin quase saíram da órbita.

- E eu vou saber Jimin. - Taehyung cerrou os olhos e Jimin já estava pronto para rebater se não fosse por sua tia batendo na porta e a abrindo em seguida.

- Todo mundo descendo para comer, você também Yeontan. - o cachorrinho ao ouvir seu nome correu pela cama, mas ela era alta, então ele caiu, capotou, rodou umas duas vezes e parou nos pés de Soyeon, e se você acha que ele ficou se fazendo de coitado, esta muito enganado, ele passou por entre as pernas dela e correu até a mesa onde o jantar estava servido.

Quando os três chegaram na mesa ele estava parado ao lado de uma vasilhinha de ração com estampa de onça comprada especialmente para ele, afinal para onde Taehyung ia, ele ia junto, e bem, Taehyung não saia da casa dos Park.

Jimin e Taehyung se conheceram na faculdade. O moreno cursava moda, conhecia todo mundo e quando viu Jimin em um canto isolado com aqueles óculos de armação ridícula logo tratou de entrar na vida do mesmo para mudar aquilo, só que no fim ele foi mudado, deixou de ser um garoto que queria todos os holofotes sobre si e passou a não ligar para a opinião dos outros, ele havia encontrado a sua pessoa.

Depois do jantar, quando Taehyung já estava dentro de seu carro, ele fez um gesto para Jimin dizendo que estava de olho nele e gritou um AMANHÃ! Jimin apenas riu e voltou para dentro de casa, seus tios já tinham ido dormir, então depois que escovou os dentes ele foi para o seu quarto. Apagou a luz e bateu a canela na cadeira que estava em seu caminho, xingou mentalmente o objeto inanimado, até porque se fosse xingar da forma que queria, sua tia seria capaz de atravessar um chinelo pela parede só para acertar sua boca.

Então se jogou na cama bufando de ódio com a mão na canela, com raiva se cobriu e totalmente chateado deitou sua cabeça no travesseiro que já tinha a curva do seu pescoço. Sua tia já tinha implorado para ele trocar, mas assim como sua coberta branca com desenhos de caveiras mexicanas, ele dizia que era de estimação e que nunca iria encontrar outro igual.

Depois de uns bons minutos e de muito se remexer na cama, Jimin chegou a conclusão de que o sono havia o abandonado, já tava prestes a levantar para ir roubar comida na geladeira quando se lembrou do que Taehyung havia ordenado, e do casaco em sua cadeira. Pelas estrelas, Jimin sentiu a boca do estomago gelar. Como chegaria depois de uma semana na biblioteca para devolver um casaco? Era muita cara de pau. E bem, cara de pau Jimin era mesmo, por que mesmo com esses pensamentos lhe rondando a mente, ele se ergueu e tateando no escuro achou o casaco e o vestiu. Não demorou muito e Jimin dormiu agarrado a roupa alheia com um sorrisinho no rosto.

Naquela manhã Jimin acordou antes da hora completamente ansioso. Se levantou de uma vez e se enfiou embaixo do chuveiro, estava na hora de enfrentar as coisas e precisava agir antes que perdesse a pouca coragem que tinha. Já vestido foi até a cozinha onde sua tia preparava o café usando uma regata branca e um macacão jeans sujo de tinta, ela balançava os quadris ao som de uma música não conhecida por Jimin, estava adorável com seus cabelos rosas presos em um coque com um pincel amarelo usado como suporte.

Ela tinha um ateliê e seus quadros e esculturas eram muitos famosos na região, inclusive foi em uma exposição que conheceu Kyung-ho o arquiteto que roubou seu coração com um único sorriso. Eles não podiam ter filhos e quando o souberam da ida de Jimin para morar com eles e sobre o curso que desejava fazer acabaram por dormir na sala bêbados demais por conta da comemoração.

A mãe de Jimin era irmã de Kyung-ho, e o pai de Jimin irmão de Soyeon, sim confuso eu sei, e louco também, a vida tem dessas coisas, então para o casal Jimin era mais que um sobrinho, era o filho que eles não poderiam ter.

- Tia vou sair. - Soyeon deu um sobressalto com uma panela em mãos.

- Garoto não brote do chão assim. - Jimin riu.

- Desculpa tia.

- Não vai sair sem comer. - Jimin abriu a boca para retrucar mas, um garfo foi apontado em sua direção.

Manda quem pode, obedece quem tem juízo.

Depois de quase ter que abrir o botão da calça, Jimin foi liberado, e depois de luvas e touca, ele começou a caminhar com as mãos nos bolsos do moletom até a biblioteca. Ele sentia a bochechas geladas. O estomago e as mãos também, mas por outro motivo.

O sininho da porta tocou indicando que alguém havia chegado e Yoongi foi até a recepção ver quem era. Quando seus olhos avistaram Jimin, seu rosto sorriu de forma involuntária. Já o loiro quando o viu sorrindo meio bobo daquela jeito desviou o olhar e passou a observar o cadarço dos tênis.

- Jimin quanto tempo. - o loiro ergueu o rosto rápido percebendo como a voz do outro estava próxima.

- Pois é. - sorriu sem graça e agradecimento por não ter gaguejado e mexeu na toca preta de sua cabeça - Semana agitada, mas finalmente consegui trazer isso. - balançou o casaco verde no ar, Yoongi sorriu, no fundo ele nem se lembrava, não quando tinha o sorriso do Jimin ocupando boa parte da sua mente. - Eu só não lavei ele por quê... - como o garoto de olhos pequenininhos iriam explicar que não lavou a peça pelos simples motivo de que não queria perder o cheiro que havia ali, cheiro esse que o fazia dormir melhor todos os dias?

- Esta tudo bem não precisava disso. - Jimin estendeu o casaco e Yoongi o pegou.

Eles se olharam por alguns segundos e Jimin se viu sem graça com aquilo, então tratou logo de disfarçar.

- Vou procurar um livro ta?

- Fique a vontade. - Jimin sorriu depois de morder a boca rapidamente, ato esse que não passou despercebido por Yoongi.

Depois que perdeu Jimin de vista, Yoongi foi guardar o casaco e nesse percurso, - sem motivo aparente - ele levou a peça até o rosto. Sorriu ao ver que havia outro cheiro ali, sorriu mais ainda ao perceber que o cheiro estava bem nítido, indicando que não foi só naquela vez à uma semana atrás que aquele amontoado de tecido aqueceu Jimin. 


Notas Finais


Perdoa os erros!

Sobre os tios e pais de Jimin, talvez tenha ficado confuso, mas é basicamente irmãos que se casaram com pessoas que eram irmãs, acho que ficou mais confuso ainda UAJAUAJA bem eu tenho isso na família e acho muito massa, enfim

Obrigada por lerem


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...