História Entre milhares um infinito - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Visualizações 3
Palavras 794
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 20 - Caminhos estranhos


Na manhã seguinte, Lunna estava a caminho da casa de Tony, quando de uma fumaça misteriosa se fez Hector, fato que espantou a garota, logo fechou a cara e perguntou:

— O que você quer?

Hector respondeu:

— Quanta grosseria, eu jurava que as primeiras palavras que sairia de sua boca fosse um doce 'bom dia".

— Quanta indelicadeza, não combina com a imagem de bela moça que você transmite.

Ela de forma grosseira respondeu:

— Sabe que eu não me importo com a imagem que eu passo as pessoas.

— mas, ainda não me respondeu, o que você quer comigo?

Hector, riu e disse:

— Sua mãe é mais graciosa, bem mais educada.

Lunna exclamou:

— Deixe minha família em paz, imundo!

Hector riu novamente e disse:

— Mas eu apenas admiro a beleza das mulheres de sua família, uma ótima genética.

Lunna, respondeu:

— Que desculpa mais ridícula, esperava mais criatividade de um homem que se diz tão poderoso.

Hector, gargalhou e disse:

— Direto ao que me interessa, diga-me nunca se interessou pelo ramo da magia ?

— Sinto que tem grande potencial!

Lunna retrucou:

— Por acaso você está treinando para alguma espécie de teatro?

— Se a resposta for sim, lamento te dizer que precisa se esforçar um pouco mais, não está bom o suficiente para me enganar!

— Eu não possuo tanto poder como meu pai, qual o seu interesse em mim, senhor imbecil?

Hector disse:

— Nada demais, apenas fazer companhia a uma bela moça em sua caminhada.

— A propósito, para onde a moça de cabelos de fogo pretende ir?

Lunna respondeu rapidamente:

— Algum lugar distante de sua presença!

Hector disse:

— Sua habilidades com as palavras é surpreendente, será que é tão boa com magia?

Então Lunna, disse:

— Por que tanto interesse, quer absorver meus poderes também?

— Você não se cansa de tanto poder?

Hector, respondeu:

— O poder é o combustível para a vida, minha querida eu posso ensinar você a desenvolver o seu.

— Se temos condições, por que não podemos ser superiores.

— Podemos dominar tudo e a todos, estou te convidando a se juntar a nova ordem da magia.

Lunna logou retrucou:

— Eu nunca me juntaria a um estúpido, como você, afinal você tirou a vida de meu pai.

Hector disse:

Aquele clã não podia mais governar a magia!

Lunna então disse:

— Ah e você sozinho pode governar muito bem, não é mesmo.

Hector respondeu:

— minha querida, o poder é bem mais fácil de dominar quando poucos tem acesso a ele.

Lunna disse:

— Prefiro dizer que isso é ambição, apenas um desejo imundo que toma conta de Você.

Hector:

— Ao meu ver trata-se de inteligência e estratégia.

— Até o momento sou o maior mago de toda a região, posso e consigo tudo que eu quero.

— posso te oferecer este poder.

Lunna, respondeu:

— Não lembro de ter pedido nada a um ser imbecil como você e não quero nada de você exceto distância.

— Ou a sua morte !

Hector ironicamente, não dando muita atenção, disse:

— Vejo que a bela senhorita está próxima ao seu destino, sinto em me despedir, até mais ver, pense em minha proposta.

Lunna, respondeu:

— Já te dei minha resposta e adeus ser repugnante.

E em fumaça se foi Hector, Lunna entrou na casa de Tony, lá estavam eles a espera dela.

Suzie perguntou:

— Por que a demora senhorita?

Tony em seguida exclamou:

— Parace que nossa amiga não é tão pontual como pensei !

Lunna:

— Parem de reclamar, não tenho culpa das pedras que aparecem no meu caminho, Hector me acompanhou até próximo daqui.

Suzie:

— Como assim?

Tony:

— O que ele queria com você?

Lunna:

— Eu não sei o que ele queria, veio com uma conversa estranha, me oferecendo poder.

— Com certeza tem algo maior por trás dessa conversa duvidosa.

— O homem que tirou a vida de meu pai me oferecer poder.

— Nunca em minha miserável vida, vi algo tão irônico e falso.

Tony disse:

— Realmente, é um ato irônico vindo de um ser tão podre quanto Hector, mas vamos ao que interessa, vamos ao estudo da magia.

Lunna interrompeu e disse:

— Acho que algumas pessoas que podem nos ajudar.

E ambos perguntaram:

— Quem ?

Ela respondeu:

— Alguns bruxos e bruxas que atuam de forma sigilosa na cidade.

— alguns deles são família, minha mãe e irmã.

— Mas não quero atrair o olhar de Hector para nenhum destes.

Tony disse:

— Então vamos !

E assim seguiram para o centro da cidade, a primeira a encontrar foi Sr.Aurora, mãe Lunna, que logo de início se recusou a passar informações a vampiros, mas concordou em ensinar Lunna a desenvolver o seu dom.

Junto a ela estava sua irmã Esther, uma feiticeira um pouco experiente, que se dedica muito a este ramo.

Tudo estava em progresso até Tony, perguntar como se dar um fim em um mago muito poderoso, o silêncio tomou conta do local.

Então Aurora disse:

— Se está falando de Hector, trata-se de um caso complicado, não quero me envolver, mas sei quem pode lhe dar resposta.

— O chaveiro da rua principal ele é um poderoso feiticeiro, procure ele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...