1. Spirit Fanfics >
  2. Entre mim e você >
  3. Um gato no navio

História Entre mim e você - Capítulo 1


Escrita por: Neruko_Namizake

Notas do Autor


⚠Se não gosta do ship não leia⚠, não sou obrigada a ficar lendo comentários desnecessários e homofóbicos. Dito isso, boa leitura.

Capítulo 1 - Um gato no navio



Na escuridão da noite, a luz da lua atravessava a água e iluminava encantadoramente o ambiente ao redor do navio. As pequenas ondas formavam sons agradáveis e aconchegantes, aos poucos se misturando a melodia tocada pelos dedos suaves e experientes do azulado. Em contraste a tudo isso estava Luka, completamente mergulhado em uma confusão de sentimentos. 


Seus pensamentos conflituosos não passavam despercebido para quem ouvisse com atenção, ou para quem o conhecesse bem o suficiente, como era o caso de um certo herói...


-Uau, você é realmente bom nisso- a voz bonita quebrou o silêncio assustando o garoto.


-Cat Noir!- exclamou surpreso, não sabia se estava preparado para que alguém lhe ouvisse naquele estado.


-Eae, Viperion, ou devo chamar só de Luka?-o sorriso tão característico enfeitava o rosto bonito, enquanto ele se sentava de frente ao outro rapaz na borda do navio.


Por algum motivo, um alerta foi ligado na mente do outro herói, como um aviso que a leve provocação não era como as outras habituais do herói de preto. De alguma forma, Luka já conhecia Cat o suficiente pra saber que algo estava diferente.


-Oi...- decidiu ignorar no momento, embora ainda fosse perigoso dizer em voz alta sua identidade como herói, sabia que Cat não falaria aquilo se eles realmente não estivessem sozinhos, além de que, sua cota para brigas já havia se esgotado aquele dia(e para sempre se possível).


Tudo que menos precisava agora era discutir com outro amigo, já não bastasse o que aconteceu mais cedo, pensou.


- E o que aconteceu mais cedo pra te abalar tanto?- se surpreendeu ao perceber que externou algo que não deveria em voz alta.


- N-nada, eu não tô abalado, tá tudo bem- ele esperava de verdade que tivesse soado mais convincente do que tinha impressão. 


Um longo silêncio se estendeu, e os olhos azuis fugiam de qualquer contato visual com o par de olhos verdes. Um suspiro triste foi ouvido antes de Luka ser surpreendido por um puxão forte, sendo rodeado carinhosamente por braços quentes e confortáveis. 


Foi tão repentino que o azulado só despertou depois de ouvir a voz do herói:


-Eu não sei o que aconteceu, e nem vou te obrigar a me contar. Mas a sua música não engana Luka, eu sei que você não está bem. Infelizmente por ora, não tem muito o que eu possa fazer, além de oferecer o que você sempre ofereceu pra mim, um ombro amigo pra chorar.


Demorou algum tempo até os braços fortes rodearem a cintura do herói. Ficaram assim em silêncio, até um soluço forte ser ouvido e o corpo de Luka começar a tremer em um choro compulsivo.


A quanto tempo não estava aguentando aquilo? Segurando  todas as lágrimas? Fingindo que não havia problemas...


O aperto sob o corpo do outro se intensificou, este que puxou o azulado ainda mais contra si, o aconchegando da melhor forma possível, enquanto começava um leve carinho nos fios morenos.


- Eu comecei um relacionamento um tempo atrás, mas ele acabou muito rápido. E eu nem sei explicar direito o motivo. E sabe o pior? Eu realmente amava ela... na verdade eu ainda acho que amo ela...


Sua voz saiu mais fragilizada do que ele esperava.


-Luka...


- Mas não é só isso sabe?- Continuou, parecia que a verdade saía sem a sua permissão.-Eu descobri recentemente quem é o meu pai, mas... mas, parece que ele lida melhor com um crocodilo idiota do que comigo, e eu não duvido que ele se importa mais com o bicho de estimação dele do que eu...


Dessa vez não houve interrupções, então o choro ficou mais forte.


- E o que eu esperava mesmo? Uma relação normal de pai e filho? Eu não sei como agir com ele, e ele muito menos comigo. Eu esperava o que? Recuperar o tempo perdido? Ele não tava lá pra me ensinar a andar de bicicleta, nem a fletar com garotas, nem pra assistir minhas apresentações na escola. Ele nunca esteve na minha vida antes, então o que eu esperava?! Um pedido de desculpas?! Reconhecimento?! Amor paterno?! Faça-me o favor, isso é patético. Eu sou patêtico! Sim, sim, é isso. Eu sou uma segunda opção, eu perco até pra um crocodilo. E a garota que eu amo é apaixonada por outro cara! Dá pra acreditar?! E todo mundo diz isso na minha cara, até ela! E sabe também o que?! Eu mesmo me coloquei nisso! Eu falei pra ela que não me importava, que eu entendia, que tava tudo bem! E quer saber também?! NÃO! NÃO TÁ TUDO BEM! EU ME IMPORTO COMO NÃO PODERIA ME IMPORTAR?! NÃO TÁ TUDO BEM, NUNCA ESTEVE! MAS EU CONTINUEI FINGINDO QUE SIM, PORQUE EU QUERIA QUE TODO MUNDO FICASSE BEM, ENTÃO EU PODERIA CONVENCER A MIM MESMO DISSO!


- E SABE O QUE É PIOR AINDA? EU ENTENDO SABE? O ADRIEN É PERFEITO! LITERALMENTE! ELE É RICO,FAMOSO,BEM SUCEDIDO,CARISMÁTICO,ATENCIOSO,COMPANHEIRO,FOFO... E CONTINUA. E ELE É MEU AMIGO SABE? ELE JÁ ATÉ FEZ ENSAIO COM A NOSSA BANDA! EU ENTENDO, ELE É MELHOR QUE EU! ELE É MAIS INTERESSANTE, MAIS TALENTOSO,MAIS CHAMATIVO,MAIS ESTILOSO!


Um soluço violento interrompeu o desabafo e só então o garoto teve noção do tom desesperado e quebrado que ele falava, e do quão alto também. E isso o envergonhou de certa forma. Respirou fundo antes de continuar em voz baixa:


- Fala sério, olha pra mim... Nem eu estou me reconhecendo. Eu nunca fui assim, de sentir ciúmes, inveja, ódio. E sabe gatinho, eu descontei tudo isso em cima da pessoa que menos merecia... 


- O Adrien deve me odiar, eu fui um péssimo amigo pra ele. Cat, ele também percebeu que eu não estava bem, hoje a tarde no ensaio ele veio conversar comigo.


- Me disse que se eu quisesse conversar, desabafar com alguém, ele estaria disposto a me ouvir... E eu? Eu descontei tudo nele, culpei ele de coisas que não deveria e até falei sobre o relacionamento dele com o pai- Uma risada amarga foi ouvida.- Eu me sinto um monstro agora, porque ele tinha confiado em mim pra conversar de algo que fazia tanto mal a ele, e Cat eu joguei na cara dele tudo isso, e ainda falei que ele mal conseguia ajudar a si mesmo, quem dirá conseguiria me ajudar... Meu Deus...


O azulado levou as mãos ao redor da cabeça dolorida de tanto chorar, circulada de pensamentos horríveis. 


- E eu ainda preciso me preocupar com akumas sobrevoando a cidade, que podem se apoderar da minha mente a qualquer momento! 


- Eu sei o quanto a relação tóxica do Adrien com o pai dele prejudicou a saúde mental dele, e mesmo assim... Se você tivesse visto Cat Noir, eu preferiria que ele tivesse me batido, me espancado até, ou que apenas gritasse comigo, mas ele só foi embora, calado. Mas o olhar que ele me lançou, eu nunca pensei que poderia existir um olhar tão quebrado como aquele. E...


Os soluços eram tão violentos que chegavam a doer, e Luka fazia de tudo pra focar sua mente apenas na mão que acariciava suas costas com carinho.


- E tudo começou a desandar sabe? Eu briguei com todo mundo, e a minha relação com minha mãe já tava meio conturbada a um tempo, e agora minha irmã ficou distante. Não é mais o suficiente entende? Não dá mais pra ninguém fingir que tá tudo bem. 


- Eu cheguei no meu limite...- fechou os olhos com força sentindo sua exaustão mental atingindo seu corpo.- eu...cheguei no limite.


O silêncio durou por um longo tempo, até o choro cessar e as respirações serem as únicas a acompanhar as ondas da água. Luka não poderia definir o que estava sentindo além de alívio, parecia que havia tirado um peso extra das costas. E isso o fez se apoiar melhor contra o outro, aproveitando finalmente na incrível sensação de estar nos braços do herói.


Quando quase estava pegando no sono, a voz suave foi ouvida:


- Eu tenho certeza que ele não te odeia. Eu já vi vocês dois juntos, qualquer um enxerga o quanto a amizade dos dois é linda. E tenho certeza que assim como você, ele tá louco pra resolver essa situação.


- Além disso, o Jagged Stone é realmente bem complexo, mas isso não quer dizer que vocês não podem entrar na mesma sincronia. E vocês até estão compondo juntos certo? A melhor forma de se unir a ele é pela música. E nisso eu te garanto que você é bem melhor que o Adrien, mas não conta pra ele ok?- Uma risada fraca foi ouvida, o que arrancou do loiro um leve sorriso.- Você é humano como qualquer outro Luka, tem todo direito de errar e ter sentimentos conflituosos, você só precisa reconhecer isso.


- Você sempre foi tão maduro e compreensível que me surpreende você não saber que assim como seus amigos desabafam com você, você também pode fazer com eles. Todos te amam, e querem seu bem. E eu sei, é muito mais fácil resolver quando não é com você, mas você não pode carregar o peso do mundo sozinho, por mais que tente. É quase impossível ser feliz nessa vida sem ninguém. Deixa as pessoas cuidarem de você um pouco, é sempre bom receber carinho e palavras de conforto. Poxa, vocé é Luka Couffaine, sempre foi conhecido como alguém inteligente,forte,bonito,charmoso,romântico. Desde quando você fica se comparando com modelinhos famosos? Cara, eu ouvi dizer que ele cheira a queijo fedido!


Dessa vez a risada foi mais alta, e o moreno se soltou do abraço para encarar o loiro nos olhos. A luz da lua refletia o tom bonito de esmeralda, e eles o encaravam com uma intensidade que quase o fez tremer, embora Cat Noir sustentasse um sorriso acolhedor.


- Em relação a Marinette e a akumatização, é um pouco mais complicado mas olha... Não é segredo pra ninguém que eu sou apaixonado pela Ladybog, mas ela já deixou claro que não é recíproco. E por mais que eu saiba que ela confia em mim, nós dois temos muitos segredos um com o outro, principalmente ela. E sério, isso já me fez tão mal que você não faz ideia. Por isso que eu digo que eu te entendo, mas se tem algo que nós dois aprendemos com tudo isso é que mesmo que possamos dá nossa vida por aquela pessoa existem coisas que não poderão ser ditas até o tempo certo. E que não adianta tentar mudar isso ou espernear, mesmo que machuque. Eu tive que passar por bastante coisa pra pensar assim,e sei que você também.


- Não tô dizendo que tudo vai se resolver depois dessa conversar porque não vai, é tudo uma questão de crescimento e tempo. Porém, o que você pode fazer agora, é conversa com as pessoa que você ama. Elas vão te apoiar e te fazer se reconstruir no meio dessa bagunça. Todo mundo tá sofrendo agora, mas não quer dizer que precisa aguentar tudo sozinho. Não importa o quanto maduro você seja, existem circuntâncias que nos levam ao limite. Somos humanos e jovens. Temos muito que evoluir ainda Luka.


- Promete pra mim que você ao menos vai tentar?


O garoto ainda estava surpreso pelas palavras do herói. Não o culpe, Cat Noir sempre foi o mais crianção do grupo, não esperava que eles pudesse falar tanta coisa bonita, ainda mais com aquele olhar tão significativo. De certa forma ficou curioso em desvendar os mistérios que passaram a rodear o garoto aquela noite, mas por agora:


-Eu prometo sim- Sorriu com o pensamento que passou por sua mente.-Espera... Você acabou de admitir que me acha bonito e charmoso?


- Ah ok. Deu minha hora, tenho que voltar pra patrulha.


-Uhum claro- Teve que morder o lábio para evitar outro sorriso.- E Cat! 


O herói parou um segundo antes de pular sobre o prédio.


- Obrigado , e essa conversa fica entre mim e você gatinho.


- Ao seu dispor Lulu, vai ser um segredinho nosso. Até mais.


Aquela piscadinha de olho travessa seria a ruína do azulado. Isso era uma certeza. Mas o sorriso não saia do seu rosto mesmo assim.








 




Notas Finais


Espero que tenham gostado, e pensei em outra história que continuaria essa, mas não sei se vou postar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...