1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Mundos Diferentes - Parte 2 >
  3. Sempre juntos.

História Entre Mundos Diferentes - Parte 2 - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Quem é vivo sempre aparece kk oiiii gente, como vocês estão? Eu espero que bem. Porque hoje é dia de capítulo novo!! Eeeee. Sei que demorei, as aulas estão acabando comigo, sério .
Mas óbvio que não desisti e fui escrevendo aos poucos. Modeste a parte, gostei. Espero que pensem o mesmo.

Boa leitura! ❤

Capítulo 2 - Sempre juntos.


Fanfic / Fanfiction Entre Mundos Diferentes - Parte 2 - Capítulo 2 - Sempre juntos.


Hoje de manhã, vi um reflexo no espelho que pensei jamais ver em toda a minha vida. Meus olhos brilhavam, eu não conseguia parar de sorrir , minhas bochechas eram como verdadeiras maçãs maduras e meus olhos possuíam um brilho que só havia visto em minha mãe quando olhava para meu pai, ou em Brenda em todas as vezes que estava conversando com Alex, era o brilho do amor verdadeiro. Aquele que nos dá um ar de saúde, eu não me sentia tão bem assim a dias...Leon era a arma secreta contra todos os meus problemas, ela sorria e puft! Tudo de ruim vai embora, enfim... a magia do amor.

Lavei o rosto cantarolando uma música que a muito tempo não escutava, mas ainda sabia a letra de cor.

" So wake me up when this all over ...

"Life is a game made for everyone and love is the price... " 

- Wake me up - Avicii


Eu poderia ter tido um pesadelo, mas acordei em um sonho!


Por Leon:

Quando Violetta cantava era como se o mundo todo parasse para escutar, poderia a ouvir cantarolar para sempre, aquela música da qual não sabia o nome, mas em sua voz já se tornava perfeita.

Quando sai a deixando sozinha , Lara ainda estava lá, com os pés apoiados na mesinha de centro assistindo TV.

- Tá com medo Leon? - Ela disse ainda olhando para a frente. - Não precisa ficar aí em pé. Eu não mordo. - Virou o rosto para trás e piscou.

- Estou bem aqui. - Não entrei na brincadeira . Eu realmente estava bem a uma distância segura dela.

- Como quiser. - Deu de ombros e voltou a assistir, ela mudou de canal algumas vezes até parar em um desenho , mas não era qualquer desenho. Scooby - doo e a máquina de mistérios! Eu poderia ser considerado velho demais para isso , mas nunca se é velho demais para ver mistérios sendo solucionados. A ilustração dos criadores era impecável, sempre imaginei o tempo que levava para trazerem desenhos a vida.

O narrador apresentou o nome do episódio,  a voz desse cara tem uma vibe fantasmagórica até hoje

O filme começou, como sempre dando entrada com personagens que nunca mais irão aparecer, que gritam e saem correndo indicando o mistério que terão que resolver. Lara sempre fingia estar com medo tampando os olhos quando começavam os gritos, eu a abraçava pelo ombro e dizia  "pronto, já passou passou . Olha " , quando a cena mudava para um dia ensolarado com a turma, sempre com Scooby e Salsicha comendo alguma coisa, ela sempre ria e se aconchegava mais , se encolhendo como uma concha, no final que finalmente descobriam quem era o monstro, eu berrava em um " EU SABIA EU SABIA!" e ela abria os olhos para a TV " desconfiei desde o começo",  dizia com uma voz de sono.

Afastei essas lembranças quando começaram a ficar perigosas demais, só então percebi que já estava perto do sofá. Lara deu uma olhada para mim com certeza pulando por dentro, dei um passo para trás, território proibido Leon.

- Ah qual é? Eu não vou fazer nada.

- Violetta já deve tá vindo.

- Mas enquanto ela não vem... - apontou com a cabeça para a TV. - Vamos resolver o mistério.

" Vamos resolver o mistério" , ela sempre dizia aquela frase. Dizia.

- Ok, sem menções ao passado. Vamos... assistir , pode ser ? - tentou sorrir, a ver desconcertada era novidade. Então não foi de propósito, só aconteceu, as memórias eram uma perseguição constante para mim, e para Lara também.

- Senta aí. - Apontou com o controle para uma poltrona que não me lembrava da existência.

- É nova, caso esteja se perguntando. - Eu e essa mania de deixar estampado na minha testa " OLHA SÓ, VEJA O QUE EU ESTOU PENSANDO ".

Por um tempo só prestei atenção no filme , riamos nas mesmas partes , em outras só eu achava graça de algo bobo e ela revirava os olhos . Relaxei com o tempo , parando de montar guarda como se ela fosse me atacar a qualquer momento.

- Eai? Quem você acha que é?

O mistério já se seguia a um tempo e eu não fazia ideia de quem era o tal monstro.

- Não sei. Esse tá bem difícil.

- ummm , parece que alguém aqui perdeu a prática.

- Tá Sherlock Holmes, quem você acha que é então?

Lara inclinou a cabeça analisando a situação.

- A proprietária da pousada.

- O quê?! Por quê?

Ela era minha última suspeita.

- Simples. O lugar é velho, uma herança de família que ela não queria ganhar, perto de um bosque sinistro. Seria muito fácil para ela fingir que fantasmas do pântano assombram as redondezas, para expulsar todo e qualquer turista.

- Assim o negócio da família iria a falência! - Não fazia sentido.

- Era aí que eu queria chegar. - Ela sorriu triunfante e deu continuidade ao monólogo:

- Ela odeia essa lugar, agora teria um bom motivo para abandonar tudo e seguir com a carrera de bailarina , ela tem diversos troféus espalhados pelo quarto. - Apontou para a TV que mostrava Velma investigando os troféus. " competições de dança , por que uma proprietária de uma velha pousada no meio do mato seria uma dançarina renomada?", Velma se perguntou. Lara olhou para mim com uma expressão de " eu não disse !" .

- Assim se livraria da responsabilidade que tinha e viveria seu verdadeiro sonho?

- Isso mesmo. - Assentiu triunfante. - Ela não me parece tão má assim.

- É, não é mesmo. Mas seria mais fácil contar a verdade.

- Era uma herança de família, ela não podia dizer não.

- Ela também não podia assustar as pessoas . - Rebati.

Lara murmurou se rendendo. Sorri.

- Você é muito certinho. - Se levantou e foi até a cozinha.

- Cadê sua namorada? - Indagou tirando um pacote de batatinhas do armário .

- também não sei. Estamos bem atrasados. - Chequei o relógio no pulso.

- Aonde vocês vão? - Me estendeu o pacote que segurava , neguei com a cabeça, então ela se sentou novamente colocando um punhado na boca.

- A biblioteca.

- A do centro da cidade?

- Não . É em uma escola na verdade. A biblioteca do colégio dispensou todos os livros " Não didáticos " - Fiz aspas no ar. - Mas eles irão para um bom lugar agora.

- Para crianças carentes?

Fiz uma cara de desdém a seu comentário.

- Tá desculpa. Eu só...gostava daqueles livros.

- Eu nunca mais te vi com um.

- Eu não leio na escola desde o primeiro ano.

Assenti. Ela realmente parou de carregar um livro para tudo que era lado, depois de levar tanta brincadeira Lara desistiu de ser assim, de ser aquela garota que eu desejava conhecer.

- Ainda gosta de fantasia?

Ela deixou um sorriso escapar.

- A realidade não basta.

Nos voltamos juntos ao final da trama quando a mascara sinistra de fantasma dava lugar ao rosto de madame Filicia. A boazinha da história. Todos ficaram surpresos , incluindo quem trabalhava na pousada a anos.

" Como pôde fazer isso conosco ?!"

" esse lugar era um ponto de paz para sei bisavô ".

" Como pôde..."

As exclamações a fizeram explodir.

" Eu nunca gostei desse lugar ! Desse pântano... minha vida estava em Paris, se não fossem esses adolescentes intrometidos e esse cachorro bobo ! "

Rimos. Essa frase era um clássico.

- É, no final os monstros sempre são as pessoas. - Lara disse mais para si mesma do que para mim.

- Eu que o diga. - Falei.

- Isso foi uma indireta?

Talvez um pouco alto demais...

- Não , eu só ...pensei alto. Foi isso. - Me levantei antes que ela comecasse a atacar.

- Ah claro , pensou alto demais no monstro que quebrou seu coração.

- Você não quebrou meu coração.

- Eu disse que era eu ?

Ah mas não é possível...

- Bem, você é a única aqui...

- Eu o quê? Continua Leon.

Neguei com a cabeça, eu não devia ter atacado de volta.

- Eu sou a única aqui capaz de vestir uma máscara para todo mundo?

- Lara eu não quero...

- E Violetta? Acha que ela não faria isso?

- Ei , espera aí. Agora você exagerou.

- Os monstros são sempre aqueles que menos imagina. - A essa altura seus olhos brilhavam como nunca havia visto.

- Os bonzinhos, aqueles que conquistam sua confiança para depois a destroçar completamente.

- Igual você fez comigo ? Igual o dia em que praticamente me expulsou daqui? Igual o dia em que disse que me amava só para esconder seu segredo sujo?

Finalmente eu a havia deixado sem palavras . As cenas voltavam e voltavam em sua cabeça,ela também lembrava daquele dia.

- Leon você não entende.

- Entendo sim. Você se afastou de mim e da turma para andar com Caroline e aquelas duas.

- Jéssica e Britanny.

- O quê?

- Jéssica e Britanny, é assim que elas se chamam.

- Não importa. Você deixou pessoas que te defendiam para ficar do lado de quem te humilhava.

- Elas não me humilham mais.

- Ah não? E as roupas que elas te obrigam a usar? Você nunca gostou de rosa , sua cor preferida é azul. - Suas sobrancelhas se levantaram. - É, eu ainda lembro.

- Você deixou de ler seus livros , deixou de ser gentil. Você deixou de ser aquela garota. Tudo para ser popular , e você conseguiu Lara.

- Eu paguei um preço alto Leon.

Não a escutei.

- Diego foi a última gota d' água. Se queria tanto ser admirada ao seu lado , porque ficou comigo? Por que me enganou por dois anos?

- Por que você era quem eu amava! Eu não te enganei por tanto tempo, no começo era só você, até o dia em que...

- Diego pegou o cargo de capitão do time. - respondi por ela. Nós dois sabíamos aquela história de cor.

- Mas Diego... Diego era uma peça. Eu precisei o usar para chegar onde queria Leon! Ele nunca se importou com isso .

- Você não presta... - Murmurei, mas ela pareceu não escutar

- Ele nunca me fez sentir o que sinto quando você tá perto , até hoje Leon meu coração acelera , as borboletas no estômago voltam. Seus beijos nunca fizeram meu coração explodir como ... como os seus fa...

- Não posso lhe culpar  por suas escolhas.

Lara escolheu me enganar pela vida que desejava, escolheu abandonar a pousada pela vida em Paris.

- Quando eu disse que te amava, foi de verdade.

Meu sangue ferveu, como ela podia dizer aquilo?

- Leon me escuta. - Ela tentou me segurar pelos ombros , me esquivei e a olhei nos olhos:

- Você. É. Um. Monstro.

As palavras deslizaram por minha garganta sem eu me dá conta do peso que possuíam. Lara continuou no mesmo lugar , olhos vidrados nos meus , mais abertos do que nunca foram, cobertos por uma sombra acinzentada, como tinta levando o castanho embora. Olhos cor de prata.


Por Lara: 


Alguns podem dizer que não ser correspondido doe , mas não há nada pior do que ser odiado por aquele que você ama.

Eu era um monstro para ele , um ser asqueroso que ele jamais suportaria. Mas Leon não sabe, não conhece nem 1 % da namoradinha querida. No final das contas , ela não é melhor do que eu. É igualzinha.

Não estava em meus planos voltar naquele assunto novamente , mas era uma ferida aberta, só o fato de eu estar perto de Leon a fazia sangrar, não pude evitar, estávamos como antes, pelo menos quase , ele riu comigo. Algo que não acontecia a muito tempo .

Toda aquela raiva me atingiu como nunca, todas as mentiras... eu queria poder voltar atrás...

Dois anos atrás:


- Diego , ei, já pode sair.

- A barra tá limpa?!

- Não seja idiota, anda sai.

Então o motivo de metade de meus problemas apareceu saindo de meu quarto , ele e Jade juntos acabariam com minha vida. Mas ela eu não escolhi conhecer , já ele...

- Eu não sabia que seu namoradinho vinha aqui .

- Foi a primeira vez que Leon subiu . Você sabe que eu não gosto desse lugar .

Diego olhou ao redor .

- Não é de se surpreender.

- Ah não enche. Eu quase morri de vergonha. E você, o que tá fazendo aqui?!

- Eu vim te ver. - Segurou uma mecha de meu cabelo.

- Conta outra . Solta o meu cabelo.

- Então quer dizer que o Lion pode e eu não? - Brincou com uma das mechas a jogando de um lado para o outro.

- É Leon, para com isso. - Me afastei deixando meu cabelo longe dele .

- O que aconteceu? - Cruzei os braços. - Você sabe que eu te dei uma cópia da chave só para emergências.

- Te ver é uma emergência.

- Somente em uma emergência. - Repeti. - A do tipo " SOS estávamos fritos " , " a casa caiu", " estamos encrencados " , deu para entender? - Apontei com o indicador para seu cérebro.

Diego riu. Como ele amava me estressar.

- Definiu bem o significado de emergência. Mas que tal mais esse :" Caroline ameaçou contar para Leon sobre nossa relação..."

- "Re" o quê? - Tive que rir. Diego me repreendeu com o olhar. Fiz sinal com a mão para ele prosseguir.

- Você sabe, nosso plano. Ela vai contar tudo se você não acabar logo com essa história com o Vargas e namorar oficialmente com o mestre , líder, capitão do time aqui. - Apontou para si mesmo orgulhoso.

- Aquela cobra! Mas por quê?

- Você sabe que ela nunca gostou de Leon. Só aguentou o namoro de vocês porque ele estava indo bem no time e era um dos preferidos. Lara entenda , Leon não é mais destaque desde que perdeu para mim. - Desde que o pai dele o escolheu, mas prosseguimos:

- Antes você está com ele era mais popularidade igual a grupo de Caroline o mais desejado da escola. Agora, você e Leon juntos depois do fracasso igual a grupo de fracassados. Deu para entender? - Apontou para minha cabeça. Me senti uma boba , era óbvio, a boa e velha...não, na verdade, a terrível e velha hierarquia.

- Nós estamos no topo...e precisamos continuar no topo.

Diego me acompanhou.

- É, eu já entendi. - Bufei. Aqueles joguinhos de Caroline já estavam passando dos limites.

Foi ela que me disse para investir em Diego quando ele foi anunciado capitão em um dos jogos da temporada. Leon estava entre os jogadores, ninguém mais lembrava dele a não ser como O Artista.

Nós torcemos por eles como em todos os jogos e no final, quando Leon veio até mim, ela entrou em minha frente, o impedindo de me abraçar.

Lembro até hoje de suas palavras : " eu não posso falar com minha namorada?" Caroline respondeu: " você é o capitão do time? Umm acho que não. " Ele me olhou esperando que eu dissesse alguma coisa, mas quando Caroline virou aquele olhar de fúria para mim, não tive coragem de dizer mais uma palavra, era iria me destruir socialmente por isso.

" Ok,como quiser " , Leon respondeu, me olhou com mágoa nos olhos antes de virar as costas. Era assim que ele costumava me olhar quando eu estava errada , triste, machucado, mas nunca com ódio. Por isso ver aqueles olhos verdes tão sombrios para mim, me fez querer os transformar em pedra.



Por Violetta :


Quando sai pronta do banheiro Leon já não estava mais , arrumei minha cama em segundos e escondi o jornal em uma das gavetas do criado- mudo, não podia sonhar em Lara com ele , ela faria questão de arruinar todos meus planos. Me perguntei se ela sabia da chegada de Jade em Buenos Aires.

Estava devidamente pronta quando meu celular tocou, uma chamada internacional. Só podia ser uma pessoa :

- FRAN!

- Bom diaa dorminhoca. Quase não atende meus telefonemas, meu pai vai me matar quando a conta do telefone chegar.

Ri. Essa Fran.

- Não é minha culpa se você mora na Itália agora .

- Na verdade ...

- Tá, um pouquinho. - Ela ficou em silêncio esperando eu ser sincera. - É totalmente minha culpa, eu sei.

Francesca nunca jogava isso em minha cara , pelo contrário, dizia que foi um bom pretexto para ver a família. Foi sua vez de rir .

- Por que está acordada tão cedo? É hora do almoço aqui. Mi mamma sta facendo la pizza, davvero deliziosa! ( minha mãe está fazendo pizza, muitíssimo deliciosa! )

Amava quando ela falava em italiano, era como se nunca tivesse perdido o sotaque,suas origens ainda estavam ali.

- Gosto quando fala italiano . Fala mais.

- vaabene.

Rimos juntas.

- Então... sabe o quê que é...

- Ai meu Deusss, tem haver com Leon?

Senti sua vibração de longe , como ela conseguia? Enfiei meu rosto no travesseiro.

- A gente vai sair hoje . - Disse entre gritinhos e risadas abafadas , dizer isso em alto e bom som parecia arriscado demais, poderia quebrar o encanto desse dia.

- UM SEGUNDO ENCONTRO? como vocês estão innamorato ( apaixonados) .

Virei meu rosto para o teto ainda anestesiada .

- É, muito.

- Onde vai ser ?

- Só vou dá uma dica : tem tudo haver comigo.

- Er...fácil. Livros!

- Como você sabia?! - A zuei.

- Porque eu sou sua melhor amiga, dãr...

- É uma doação de livros para a biblioteca de uma escola. Acho que as crianças vão amar.

- Não tanto quanto você , claro. Nunca vi alguém tratar livros como pessoas.

- Shiu! Há pessoas morando dentro deles.

- Unhum... Com certeza. - Fran murmurou. Escutei barulho de gavetas sendo abertas e fechadas.

- Quero te mostrar uma coisa. Foi exatamente por isso que liguei.

- O que é? - A mudança de tom em minha voz já entregava minha ansiedade .

- Coloca em chamada de vídeo. - Fran pediu . Obedeci e virei o celular para mim. Depois de segundos ela apareceu com um sorriso que tomava quase a tela toda.

- Tenho uma surpresa para você ! - Falou quase gritando , mas pareceu nem perceber.

- Tô pronta.

- Um , dois, três e... Tcharam! - Francesca levantou um papel que cobriu toda a tela. Mas não era um papel qualquer, ele iria a trazer de volta.

Uma passassem para Buenos Aires.

Lugar de onde ela nunca deveria ter saído.

- Então...- Ela cantarolou voltando a mostrar o rosto. - Vi , você não vai dizer nada?Eu vou voltar !

- I-isso é s-sério ? - Meus olhos se encheram de água. Minhas mãos começaram a tremer. Não era possível! Francesca tentava convencer o pai a tempos e nunca funcionava. Era um milagre.

- Acha que eu mentiria para você? Nunca ! E detalhe ... - Levantou a passagem ao lado do rosto. - Sem data de volta.

Isso só melhorava tudo, mas não pude deixar de notar o " acha que mentiria para você?" , Fran realmente não faria isso.

- Que foi? Você tá triste?

- Não! Claro que não. Francesca essa foi a melhor notícia que recebi a meses. Quando você vem ?

- Daqui a duas semanas.

Daqui a duas semanas seria o aniversário da Ben. 12 de Outubro.

- Doze de Outubro. - Disse ela. - Você vai ir me buscar no aeroporto não é ?

Arregalei os olhos, minhas duas melhores amigas juntas comigo. Não podia ser notícia melhor.

- Por que? Você tem planos?

- Não não, na verdade 12 de Outubro é dia de festa.

Francesca abriu um sorriso. Ela amava festas tanto quanto eu amava hambúrguer.

Escutei um sotaque italiano ao fundo.

- Opa , minha família tá chamando.

- Aproveite a pizza.

- Aproveite seu encontro. - Ela disse andando até a porta de seu quarto , quando a abriu uma música muito animada tomou conta do ambiente. Fran fechou a porta atrás de si , estava no corredor agora.

- Dia de festa. - Explicou. - Ah sabe como se diz " eu te amo eternamente " em italiano ?

- Como?

- ti. amerò. per .sempre. - Gesticulou palavra por palavra , mas ainda era difícil de falar.

- Ti amer... o quê?

Francesca revirou os olhos.

- Depois que Leon te beijar você diz , vamos repete comigo :

- ti amerò per sempre. - Repeti meio fora do tom com ela.

- Melhorou. Só precisa praticar mais um pouco . - Assenti. Praticar muito ela queria dizer.

- Pera, como você sabe que ele vai me beijar assim , do nada.

- Porque ele é seu na-mo-ra-do .

Suspirei esperançosa.

- Isso mesmo.

Ainda era difícil de acreditar.

Havia perdido tempo demais falando com Francesca, se eu não saísse logo iria acabar com o dia que Leon planejou para nós dois. Ele iria amar a nova notícia. Sai do quarto saltitante , até me dá conta da guerra de olhares que ambos travavam. Lara e Leon, em uma guerra silenciosa que eu não seria capaz de compreender.

- O que está acontecendo aqui? - Quebrei a tensão. Os dois tomaram um susto e viraram para mim, mas Lara foi quem me chamou atenção , seus olhos. Aqueles olhos que quase acabaram comigo uma vez, sendo dirigidos segundos atrás para Leon. Como ela se atreveu a...

- Sai de perto dele. - Falei entre os dentes avançando para a mesma , fiquei no meio dos dois.

- Leon me espera lá fora.

Ele me olhou mais perdido do que nunca, depois para Lara e de volta para mim. Supliquei com o olhar para que fosse, ele assentiu.

- Obrigada. - Foi o que disse antes dele bater a porta.

- O que você pensa que estava fazendo?! - Me virei para Lara , ela sacudiu a cabeça e me olhou, agora com seus olhos castanhos.

- Fugiu de meu controle eu...

- Você tem ideia do que poderia ter acontecido? Você quase o transformou em pedra , era questão de segundos para despejar toda sua raiva nele. Você sabe que nossos sentimentos...

- Aumentam nossos poderes. - Me interrompeu. - É, eu sei Violetta.

Não conseguia entender o que se passava dentro de mim, ao mesmo tempo que queria soca- la no rosto, entendia como era difícil se controlar, todas as vezes que meu coração acelerava, minhas mãos queimavam , até ficar praticamente impossível controlar as chamas. Eu o amava muito, e isso despertava o que eu era, até as partes que mais tento esconder. Mas Lara, teria que o ter odiado para chegar a isso.

- O que aconteceu? - Perguntei.

- A gente só... tava conversando. - Ela passou a mão pelo cabelo desconcertada. - Estava tudo bem, era quase como antes, até que eu comecei uma briga e ...

- O que você disse a ele ? - Falei firme, o medo percorrendo minhas veias, ela ficou tão vulnerável, e se tivesse dito a verdade?

- Eu não contei seus segredinhos se é o que tá pensando. - A Lara culpada deu lugar a antiga. - Pelo contrário, eu que contei os meus. Caramba, por que todo mundo acha que eu quis fazer isso ? Eu nunca , escuta bem - Ela chegou mais perto de mim. - Nunca beijei Diego enquanto estava com Leon, era tudo mentira! Se eu não inventasse que gostava dele, Caroline ia acabar comigo. Por isso terminei com Leon, para fingir amar alguém que eu odiava.

Seus olhos falavam a verdade, eu não podia negar isso , era o mesmo olhar que vi no dia que chegou bêbada , no dia em que Leon disse que amava outra pessoa. Eu.

- E você o conhece muito bem. - tentei evitar a cara de desdém ao me lembrar de Diego.

- Diego sempre vai pensar em si mesmo em primeiro lugar. E um jogador com uma das melhores líderes de torcida era um prato cheio para ele. Mas você... - Inclinou a cabeça me analisando. - Não sei o ele viu. O amor é cego mesmo.

- O-o quê?

- Qual é Violetta, você sabe que ele gosta de você.

Recuei para trás. Era do mesmo Diego que estávamos falando? O mesmo cara que inferniza minha vida, gosta de mim?

- Peraí, você não sabia? - Lara deixou um sorriso travesso escapar. - Você não sabia? Acha que ele iria querer que você fosse uma namorada , mesmo de mentira, só para te fazer sofrer ? Diego é terrível mas não perde tempo atoa. Ele queria te conquistar.

Mas nem que ele fosse o último garoto da terra... Eu teria outros planetas para explorar.

- No final das contas nós não somos tão diferentes.

- É óbvio - Cheguei mais perto. - Que somos. - Recuei de novo.

- Nos sujeitamos ao mesmo papel , vejo que você também desistiu, por ele. Leon... o pior inimigo de Diego. Seu nome vai estar marcado com ele para sempre, não vai deixar barato. Até hoje eu não paguei a minha.

Nós quebramos uma aposta com a pessoa mais trapasseira que existe.

- Tudo que eu fiz foi por quem eu amava. E não para ser melhor do que ninguém. - Lara engoliu em seco, obviamente atingida. - Eu precisava protege- lo.

- Não vai durar por muito tempo. Uma hora ou outra ele irá descobrir, eu conheço Leon, ele é correto demais para achar que somos inofensivos.

- Ele me conhece. - A essa altura o medo já tomava conta de mim.

- Não. Ele se apaixonou por uma mentira, monstros não podem ser amados.

Seus olhos voltaram a escurecer.

- Tenha um bom encontro.

Quando sai Leon estava encostado na parede, os olhos fixos nos pés.

- Você tá bem ? - Toquei seu ombro. Seu corpo tremeu com o susto , ele levantou o rosto para mim, nunca o havia visto tão apavorado, exatamente com o mesmo olhar do pesadelo.

- Por favor me diga que eu estou imaginando coisas. Não é possível.

- O quê? Do que você tá falando Leon?

- Os olhos dela.

Como eu iria explicar isso?

- Eles mudaram de cor. Mas não foi só isso... eram sombrios, cheios de fúria.

- Leon vocês estavam no meio de uma discussão, os nervos à flor da pele, é normal você ter imaginado... coisas.

Seu peito subiu e desceu em uma respiração profunda.

- É, tem razão. - Assentiu várias vezes como se repetisse para si mesmo de que aquilo fazia sentido.

- Eu tô tão confuso...

- Ei. - Segurei seu rosto com as duas mãos. - Tá tudo bem. Foi uma conversa difícil.

Toquei nossos narizes.

- Tá legal? - Beijei sua bochecha direita, depois a esquerda, fiquei na ponta de meus dedos e beijei sua testa, logo depois o queixo e parei ali quando seu sorriso apareceu.

Leon puxou meu rosto e beijou minha boca.

- Você sempre melhora tudo.

Eu tentava. Por você Vargas.

Quando subimos no elevador ele me explicou como faríamos a surpresa para as crianças, era tão empolgante o ver daquela maneira.

A conversa foi cortada quando um moço entrou no elevador e ficou no meio de nós, apertou o botão do quarto andar e verificou o relógio. Leon inclinou o corpo para trás, eu também, e fez uma careta engraçada. Segurei a risada tampando minha boca. " idiota " gesticulei. Ele fez beicinho.

Encaramos os andares descendo aos poucos, quando finalmente as portas se abriram no quarto . Suspiramos juntos quando o cara saiu.

- Finalmente. - Leon me puxou pela cintura em um abraço.

- Quanto tempo você consegue sobreviver sem mim? - Disse aconchegando minha cabeça em seu ombro. Ah aquele perfume...

- Não muito. - Riu.

- Violetta. - Chamou.

- Hum. - Murmurei.

- Obrigada por ser tão honesta comigo. Você não mente.

- Leon - Tentei falar.

- Shiu. - Riu de novo. - Eu não terminei. - Meu coração se apertou ainda mais.

- Hoje Lara me contou a verdade. Ela não me traiu , não como eu pensava.

Lembrei de suas palavras: " eu nunca beijei Diego enquanto estava com Leon ".

- Mas ela mentiu Vi . Assim como meus pais.

- Ela teve seus motivos Leon, não eram certos mas ...- Ele voltou o rosto para mim.

- Eu sei que ela é sua irmã. Mas ela mentiu.

Assenti.

- Nada de bom pode vim de uma mentira. - Voltou a me abraçar, agora mais apertado.

- Mas você sempre conta a verdade. - Beijou o topo da minha cabeça. - Te amo tanto.

Leon estava de costas para o espelho do elevador, agora trincado pela gente louca desse prédio. Enquanto o abraçava fitei meu rosto no espelho, a culpa me invadindo, o amor que sentia por ele , a raiva por eu ser... assim. As labaredas saíram sem que pudesse evitar , se formaram em volta de minha íris agora avermelhada. Espelhos não mentem. Aquilo era o que eu era. Leon estava de costas para a verdade.


Por Brenda:

A cada pessoa que entrava por aquela porta eu esperava ver Violetta, e aquela senhorinha com um cachorrinho na mão com certeza não era ela . A senhora percebeu meu interesse quando virei rápido assim que ela entrou, fiz uma cara de desânimo, não era a Vi.

- Ah você quer pegar nele? - Ela chegou mais perto. Tinha olhos grandes cor de outono. Demorei para entender que se referia ao cachorro.

- Hã... pegar nele ? - Apontei para a bola de pelo branca.

- Isso, você ficou olhando, pode pegar, ele não morde. - Me estendeu o bichinho. Tomás tirou os olhos da panqueca que atacava e me olhou com um olhar que dizia: " pega logo no cachorro e pronto ". Ian estava do meu lado, sem muito interesse , com seus i- pods. Alex ainda não havia voltado do banheiro.

- C- claro , por que não ? - Sorri e passei a mão pelo pêlo , era muito macio.

- Acho que ele gostou de você . - A senhorinha me disse . Sorri ainda mais, a quanto tempo não brincava com um cachorro? Eu sempre quis um mas minha mãe dizia que eram perigosos. Aquela bola peluda não me parecia nada disso.

- Cachorros gostam de todo mundo. - Tomás se intrometeu falando de boca cheia. O olhei torto.

- Ai é? Pega nele então. - A senhora o olhou de olhos cerrados . Era como se prevesse o que ia acontecer. Tomás deu de ombros.

- Ele tá dormindo, nem vai se dá conta . - Falou encostando a mão no bichinho. Assim que Tomás encostou ele levantou a cabeça, revelando uma coleira de prata com o nome escrito: " Snupe " , sorri por dentro.

- Oi cachorrinho bonitinho , esse é meu garoto. - Ele primeiro colocou a língua para fora.

- Olha que engraçadinho , ele gostou de mim.- Tomás continuava babando , até o cachorro quase abocanhar seu dedo.

- Ai! - Ele afastou a mão. Snupe começou a grunir e querer avançar em Tomás. A senhorinha o segurou mais forte rindo.

- Eu avisei.

Também comecei a rir. Até Ian tentou enganar uma tocida , mas estava rindo. Tomás pegou o garfo com um pedaço de panqueca na ponta.

- Eu estou armado! Vou logo avisando. - Balançou o garfo no ar .

- Calma Snupe, não é nada. - Só a dona o fez se aconchegar em seu colo e dormir novamente.

Tomás soltou a respiração.

- Foi um prazer. - Eu disse. Foi a melhor coisa que havia acontecido em toda a manhã.

- O prazer foi todo meu. E quanto ao seu amigo - Virou - se para Tomás. - Não subestime o sexto sentido canino.

E saiu em direção ao balcão da lanchonete.

- O que você quis dizer?! - Tomás gritou. Recebemos vários " Shiu " das mesas ao lado.

- Que cachorros não gostam de garotos rabugentos. - Alfinetei e bebi um gole do meu café.

- Eu. Não . Sou . Rabugento . - Resmungou cortando o bacon, enfiou um pedaço na boca ainda olhando para mim, mastigando de boca aberta de propósito.

- Er, para com isso. - Ele piorou mastigando mais rápido.

- Tomás ! Para . Com. Isso! - Disse entre risos pegando um bacon de seu prato , joguei todo dentro da boca.

- Eu faço melhor. - O imitei.

- Vocês são nojentos. - Ian murmurou. Eu e Tomás nos olhamos pensando a mesma coisa . Ele não estava ouvindo direito.

Tirei um de seus fones e mastiguei perto do seu ouvido.

- Er Brenda ! Para com isso. - Tampou os ouvidos com as mãos. Ri pegando um guarda - napo.

- Vocês são malvados.

- Eu não, Tomás que é ! Nem os cachorrinhos gostam dele .

- Ele que tem medo . - Ian brincou.

- Eu não tenho medo de nada. - Tomás se defendeu.

- Todo mundo tem medo de alguma coisa. - Disse.

- Eu não. Vocês têm?

Eu e Ian nos olhamos. Eu tinha muitos medos , mas nunca parei para pensar no pior. Alex chegou bem na hora . Jogou um jornal por trás de mim na mesa.



     - más notícias.




Notas Finais


Eu AMO capítulos grandes. Espero ter me redimido, Fran vai voltarrrr , Violetta cada vez mais enrolada nessas mentiras. Parece que Lara não é tão ruim assim. E Scooby - Doo gente , como não amar? Infância 😭

Até o próximo capítulo, amo vocês!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...