1. Spirit Fanfics >
  2. Entre o amor e o ódio >
  3. Capítulo 3 Pág. 22

História Entre o amor e o ódio - Capítulo 22


Escrita por:


Notas do Autor


Este capítulo está bem legal. Deixando claro que passa uma mensagem importante. Espero que gostem!

Boa leitura. 😘✨

Capítulo 22 - Capítulo 3 Pág. 22


Fanfic / Fanfiction Entre o amor e o ódio - Capítulo 22 - Capítulo 3 Pág. 22



Terça-feira, 12 de março.



Mais um dia começou, mas uma vez o céu estava nublado, faziam cinco dias que não havia mais visto o Noah, Ashley se fez mais presente esses dias, acho que ela se sentia na obrigação de ser a melhor amiga possível enquanto eu só conseguia ser a amiga deprimida de coração partido. Eu já havia levantado mesmo que estivesse mais cedo, a exatos cinco dias eu não havia dormido nada que fosse considerado tempo de sono saudável pra alguém. A conversa com a Ashley foi capaz de me deixar totalmente sem reação alguma. Hoje as inscrições da faculdade começam a serem abertas e eu estou fazendo o máximo pra que meu pai não saiba disso. Eu vou ter até metade do ano para decidir em qual me inscrever, só não quero ser pressionada por ele, acreditem, ele pode ser chato quando quer.


Mas um dia me olho no espelho e me convenço de que não tem como melhorar minha aparência de manhã cedo, desço como de costume a caminho da cozinha já avistando meu pai se servindo então aproveito o embalo e entendo minha caneca para que ele sirva o café. -" Bom dia.. "- Eu odeio café.

-" Bom dia, filha. Café? Você odeia café.."- Disse me servindo com seus olhos estreitos. E de novo, eu odeio café.


-" Eu odeio mesmo, mas.. preciso me manter acordada de alguma forma, então, que venha o café.."- Disse me sentando junto dele a mesa e pegando um donuts o dando uma generosa mordida. Meu pai estava supreso por eu finalmente estar me juntando a ele no café da manhã, então ele simplesmente parou e me encarou por quatro segundos antes me julgar com seu olhar como se quisesse dizer que com certeza eu não estava em um dia normal.


-" Tomando café, literalmente.. se juntando a mesa, comendo donuts de manhã cedo.. o que há, Madisson? Porque quer se manter acordada? Pesadelos? Se quiser posso comprar seus calmantes novamente, sabe? Aqueles que te ajudam a dormir.. "-


-" Não, por favor, não pai. Eu não quero voltar pra aqueles remédios, eu quero me manter acordada porque tenho aula agora e não dormi bem a noite, só isso.. "-


-" Okay só.. "- Disse ele pausando e pegando no armário o frasco de remédios para dor de cabeça -" Leva isso com você, caso as dores de cabeça voltem.."- Ele disse me estendendo a mão com o frasco..


-" Se vai te deixar mais calmo, eu levo.. mas já aviso que não vou precisar.. preciso ir agora. "- Disse pegando o frasco enquanto levantava.


-" Espero que não precise mesmo.. tenha um bom dia de aula querida. Te amo. "-


-" Também te amo, pai. Tenha um bom dia de trabalho e se cuida. "- Me despedi dando um breve beijo na bochecha do meu pai e saí enquanto ainda lutava contra a mochila pra colocá-la em minhas costas..




ALGUM TEMPO DEPOIS...




Caminhar até a escola funcionou quase como uma terapia, minha mente se mantia entre meus fones de ouvido e eu. Minha respiração em alguns momentos chegava até a ficar mais leve do que eu pensei que podia. Meu peito estava mais tranquilo do que havia estado todas essas noites, até sentir um nó se formar novamente ao ver que logo na escadaria da entrada se encontrava o Noah, com seus amigos de sempre, as garotas fogosas de sempre, tirando a que ele abraçava, ele parecia querer mesmo estar ali. Eu não podia ficar mal ao vê-lo querer seguir sua vida, eu o pedi pra fazer isso. Mas não posso negar que a vontade de arranca-lo dali e tentar convencer o mesmo do contrário ainda estava presente em mim.


Caminhei tentando ao máximo parecer forte, não podia impedi-lo da felicidade, então eu pedia em mente que ele não voltasse a ser um babaca.. -" Não fale comigo, Noah. Me deixe quieta e eu não me meterei, me deixe quieta e eu não me meterei.. "- Sussurrava pra mim mesma por fim prendendo o máximo de ar que eu podia e o soltando da forma mais profunda possível. Enquanto passava por eles parecia uma vitoria alcançada, mesmo que eu sentisse os olhares de seus amigos sobre mim.


-" Hey, Madisson.. tudo bem? "- Meu peito, meu coração disparou, minhas pernas travaram e eu não conseguia dar mais nenhum passo sequer, então apenas me conti, virei e tentei ser o mais calma e educada possível, não podia deixar transparecer nada do que se passava na minha cabeça naquele instante.


-" Oi.. Noah.. tudo seguindo. "- Disse tentando não deixar perceptível o tremor em minha voz.


-" Conhece a Natasha? Ela veio de londres., sabia?"- Sério Noah?? Você queria mesmo me deixar com ciúmes da sua nova amiga íntima? Conseguiu..


-" É, eu já a conhecia, temos aula de francês juntas... Oi Natasha.. "- Disse mantendo a minha postura mais educada possível.


-" Oi, Madisson, não é ?? "-


-" Sim.. vou indo agora, tchau.. "- Disse me virando e entrando na escola o mais rápido que podia antes que eu surtasse.


Estava a caminho dos armários e no caminho pude ver o Henry falando ao telefone. Me pergunto se seria uma boa cumprimenta-lo, mas achei melhor não, a cara dele entregava que talvez tivesse discutindo com Ashley.


Pouco tempo depois destranco o meu armário ouvindo passos de alguém que estaria correndo e ao olhar percebi que era Ashley, nem a maternidade conseguia parar de deixar a propria tão desajeitada. Eu nem evitava rir ao vê-la correndo com uma mão segurando sua mochila e a outra sua pequena barriga que começava a aparecer.


-" O que foi aquilo.. que eu vi ali fora?"- Ela disse ao chegar perto posicionando suas mãos nos joelhos para tomar ar enquanto eu fechava meu armário.


-" Você viu aquilo?? Ele quis me tratar como se fossemos melhores amigos de novo.. o que ele tem na cabeça? "- Disse a ajudando com a mochila e começando a caminhar para a sala com ela.


-" A intenção dele claramente era outra e com certeza não era querer voltar a ser seu melhor amigo. Ele quer te deixar enciumada pra ver se te faz mudar de idéia em relação a vocês... "- Ela disse com um pequeno sorriso brotando em seus lábios enquanto direcionava um pequeno cultucão em minha cintura.


-" Ele não vai conseguir se for isso mesmo que ele tá querendo.. vai ser perca de tempo.. "-


-" Vai mesmo? Olha, toma cuidado com as palavras elas tem ... fome.. "- Ela disse me fazendo solta um riso nasal.


-" Força.. "-


-" Hã?? "-


-" Força, você quis dizer força, não fome.. "- Disse dando outro riso nasal.


-" Aah, é.. eu que tô com fome "- Ela completou fazendo ambas riem e logo me veio o extinto de perguntar como andavam as coisas com Henry..


-" Mudando completamente de assunto.. como está o seu relacionamento com o Sr. Corredor de rali ?? "- Ashley sorriu quase que instantaneamente ao ouvir falar do seu namorado..


-" Está tudo maravilhoso, ele está tão presente sempre, Mads.. nos últimos dias ele não saiu de perto de mim, me senti tão importante quanto o baby aqui "- Ela disse passando a mão em sua barriga. Mas isso me trazia outra questão em mente, se Ashley dizia estar tudo as mil maravilhas com o Hanry, com quem ele discutia mais cedo??


-" Que bom que pelo menos um relacionamento está dando certo.."- Disse tentando evitar voltar a pensar na possibilidade do Henry estar falando com outra garota..


-" Eu sei que você queria que fosse diferente com o Noah.. "- Ash disse parando na porta da sala mas antes de terminar de falar ela olha para o lado -" Shhh.. o protagonista da conversa vem aí.."- Ela disse apontando com a cabeça para o lado o que me fez ter o extinto de olhar e ver o Noah dando aquele sorriso de canto inegavelmente fofo. 'Que droga, Madisson, porque não se apaixonar por alguém menos complicado?? Ou eu que compliquei tudo?'



Entrei junto com Ashley a procura de um lugar para sentar e logo achamos duas carteiras uma ao lado da outra bem próximas a uma das janelas da sala. Devolvi sua mochila e me sentei em seguida me ajeitando na cadeira e pondo os livro na mesinha.


-" Psi... psi... psiiii.. Madisson"- Disse Ash se esforçando ao máximo para chamar minha atenção aos cochichos


-" Quêee? O que houve? "- Perguntei a olhando enquanto a mesma apontava para a porta da sala. Nesse instante meus olhos focaram apenas no Noah com o braço envolvido no pescoço de Natasha. Um confronto dentro de mim começara a acontecer. Minha cabeça dizia para parar de olhar, ignora-los.. mas meu coração dizia o oposto, desista da distância, desista de esquece-lo, apenas o ame com toda força possível. Mas não, eu não podia fazer isso..


-" Deixa eles.. se não for comigo, que seja feliz com quem ele achar melhor.."-


-" Mads, você está querendo dizer isso pra mim, ou pra si mesma? Porque até onde você me disse, você que falou que não queria arriscar pra não se machucar na tentativa.. "- Ash cochichou..


-" Tá.. tá bem.. talvez eu esteja falando pra mim mesma.. que merda eu fiz Ashley.. "- Cochichei deitando frustrada com a cabeça sob meus braços na mesinha.


-" Não.. não fique assim.. você só não queria se machucar e tudo bem por isso. "- Ashley fastou sua carteira para mais perto de mim e passou sua mão na minha cabeça em forma de consolo. -" Conversa com ele, Mads.. se arrisca pelo menos uma vez pra ter ao menos uma história para contar para seus netos.. "- Ela disse dando um involuntário riso nasal o que me fez soltar um também.


-" Obrigada.. mesmo. Eu não sei o que seria de mim sem você.. "- Disse a olhando enquanto depositava um grato sorriso em meus lábios.


-" Eu sei, eu sou a própria perfeição.. "- Ela disse convencida o que fez ambas rirem baixo.. -" Agora é sério.. vocês precisam se resolver. Madisson, não vou aguentar vocês dois um em cada canto. "-


-" Não.. não tenho mais nada pra resolver com ele. Ele quis estar com ela, deixa ele lá então.. "- Disse levantando meu rosto e a vendo balançar a cabeça negativamente expressando sua visível decepção.


-" Não é assim que funciona, você disse pra ele que não queria mais arriscar nada. Não pode esperar que ele desista de viver a vida dele quando foi você que desistiu de tudo entre vocês.. "-


-" Tá.. Tá bom, eu já entendi. Você não minha amiga? Deveria estar me apoiando e não fazendo o completo oposto.. "- Sussurrei um pouco mais alto. E nesse instante o professor olhava para a gente esperando apenas o momento do flagra, mas logo desistiu ao ver que voltávamos aos nossos lugares.


-" Eu sou sua amiga. Quer amiga melhor que eu? Estou te mostrando seu erro e te ajudando a concerta-lo. Que outra pessoa faria isso por você? Mas é você quem tem que saber o que quer, não posso fazer muito mais que isso.. "- Ela sussurrou de volta dando um fim para a nossa conversa. Nesse momento eu queria mesmo ter certeza do que eu queria. Queria que fosse fácil. Virei meu rosto para trás e pude ver o Noah me encarar e fazendo pequenos gestos de mãos. O que ele queria agora? Deixar claro que estava com a Natasha?. Me concentrei novamente ao quadro e tentei manter minha cabeça completamente focada na aula e em mais nada, pelo menos durante aquele horário.


Tentar me manter acordada e focada durante as aulas estavam quase impossíveis, mas em apenas uma eu precisava dar o meu máximo. Quarto período, aula de redação com o professor de mais fases que já conheci, Sr. Eliot Jhonson, ele era o ponto exato do encontro entre o céu e o inferno.


-" Acho que depois dessa aula bem produtiva, nada melhor do que um trabalho pra casa feito em torno dela, não é mesmo, Srta. Granger? "- Ele disse me fazendo perceber que eu havia dormido novamente na aula.


-" Hã?? O que ?? "- Despertei um pouco atordoada e Ashley se preocupou em me acalmar e me alertar do que vinha a seguir.


-" O professor.. Madisson.. "-


-" Srta. Madisson Granger.. não preferia ter ficado em casa dormindo? "- Disse o mesmo me fazendo espremer os olhos sentindo uma punição fria vindo do olhar do sr. Jhonson. -" Quero falar com a srta depois da aula. Mas por agora, quero um estudo completo sobre as características de redações que estudamos hoje. E quero tudo escrito, não digitado, escrito... "- Ele dizia se afastando da minha mesa me fazendo olhar para Ashley e ambas revirarmos os olhos. -"E devo dize-los que quero que formem duplas. Mas não se empolguem, eu formarei as duplas."- Ele ns olhava novamente tirando qualquer esperança de que eu e Ash faríamos o trabalh juntas.


O alarme toca logo em seguida anunciando o fim do horário. Levantei guardando minhas coisas e logo indo em direção a mesa do professor que pediu que eu sentasse. Ashley me olhava de canto e logo saía da sala.


-" Te espero na entrada. Parece que não vamos ter o último horário.."- Ela disse na saída


-" Tá bom.. me espera lá.. "- Respondi de volta sentando e esperando por minha punição.


-" Bom... Srta. Granger.. eu pretendo ser bem breve com você.."-


-" Tudo bem.. seja, professor. "- Disse o encarando enquanto o próprio fazia o mesmo a meu respeito.


-" Pois bem. Não preciso lhe dizer que é uma ótima aluna, mas ultimamente, está tão desligada. Queria te perguntar se estar tudo bem. Você está passando por algo? Está dormindo bem? "- Ele perguntou sentando em sua cadeira.


-" Tô.. T-tô ótima. Super bem.. "-


-" Está mesmo? Se quiser conversar posso ser mais que seu professor.. posso ser seu amigo.. "- Ele levantara começando a se aproximar a medida que cada palavra saía de sua boca.


-" NÃO! "- Disse me afastando da mesa e logo tentando voltar ao normal.. pensar algo do meu professor seria a coisa mais neurótica que poderia acontecer. 'Só se acalme Madisson.. se ele tentar algo, chute o saco dele, é simples..' -" Quero dizer.. não, a verdade é que não tenho dormido nada bem. Mas vou ficar bem."- Disse me preparando para levantar, porém sendo impedida pelo sr. Jhonson.


-" Bom.. muito bom. Mas seria melhor ainda se eu pudesse te ajudar em algo. Me deixa te ajudar e você vai se sentir muito melhor, eu prometo.. "- Ele dizia manso começando a colocar uma de suas mãos em mim. Seus dedos iam vagarosamente em direção a gola da minha blusa o qual tirara o primeiro botão. Meus pulmões se fechavam e até o momento eu não fazia idéia do que seria capaz se ele ousasse prosseguir.


-" Você é tão linda, Madisson. Tão.. centrada e isso se torna muito excitante quando se tem contato com você todos os dias. A forma que mordisca a ponta do lápis. Quando coloca a mecha do seu cabelo atrás orelha enquanto escreve.. "- Ele continuava a se aproximar e a esse ponto eu já estava levantando e andando em direção a porta sem ao menos me preocupar em dar satisfações, até ouvir passos com certa força atrás de mim e logo em o vi passar por e se pôr contra a porta. -" Madisson.. eu tô dizendo que reparo em você... Vamos lá, pra quê isso? Me agrada um pouquinho, eu posso te poupar do trabalho de redação.. "- Ele disse direcionando suas mãos nojentas a fivela do seu cinto e abrindo o mesmo rapidamente.


-" Me deixa sair, por favor.."- Disse ao máximo tentando manter a calma pra não voar no pescoço daquele assediador.


Ele saiu de frente a porta segurando minha mão se direcionando a mesa. -" Você quer tanto quanto eu.. eu sei. Você parece quieta o suficiente pra ser danadinha entre quatro paredes. Então me mostra o quanto.. "- Ele abria sua calça sentando na mesa. Me aproximei um pouco apoiando minhas mãos em seus ombros.


-" Pra falar a verdade.. eu quero fazer uma coisa sim.. "-


-" Ah é.. faz, tudo, e eu te deixo sair ilesa daqui. "- Ele mordia os lábios claramente excitado.


Aproximei meus lábios de sua orelha e já podia ouvir o mesmo arfar ao ponto de se banhar de prazer e eu nem tinha feito nada, mas faria. -" Usa as mãos, abusador de merda. "- Forcei um pouco minhas mãos tomando impulso o suficiente para que meu joelho o acertasse em cheio em suas parte íntimas. Ver o mesmo se contorcer de dor se tornava até prazeroso em meio a tudo o que havia acontecido naquela sala em menos de quarenta minutos.


Depois daquilo, minhas forças pareciam ter se esgotado. Após apreciar o momento dos sonhos com aquele professor, saí o mais rápido que podia da sala e nem ao menos me esforçava em segurar as lágrimas que começavam a cair. Passei por todos os tipos de olhares nos corredores e por hoje parecia que já era o suficiente para ser o assunto principal da escola. Corri o máximo que as lágrimas me permitiam, não me importei com nada e nem mesmo com a Ashley que havia ficado me esperando.


Saí da escola aos prantos e tudo o que eu buscava agora era o meu quarto, minha cama, meu pai.. eu precisava dele mais do que nunca agora. Parei um pouco para tomar um ar e resolvi entrar no café que eu costumava ir com o Noah quando iamos juntos pro colégio. Ouvir os pequenos sinos tocarem novamente parecia me levar para o passado. Apenas sentei junto a uma mesa no canto, e deitei a cabeça em meus braços e desabei. Lembrar daquele toque, das palavras fúteis, me faziam me sentir o próprio lixo. Nenhuma garota deveria passar por isso...



Notas Finais


Gente, é isso! Espero que tenham gostado, se sim, comentem para continuar incentivando e se não, comentem também, críticas construtivas são sempre bem vindas. AVISO IMPORTANTE: SE ALGUMA GAROTA OU MULHER PASSAR POR ALGO PARECIDO OU PIOR.. NÃO SE CALE. TEMOS A FORÇA DO NOSSO LADO. DENÚNCIE! 180 - Delegacia da mulher
190 - Policia Militar
197 - Policia Civil.

NÃO SE CALE! A LEI MARIA DA PENHA EXISTE PARA DE PROTEGER. DENUNCIE!

Tenham uma boa noite, fiquem com Deus e beijos de luzes. 😘✨


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...