História Entre o Bem e o Mal - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Albafica de Peixes, Asmita de Virgem, Dégel de Aquário, Hades, Hypnos, Kardia de Escorpião, Thanatos
Tags Albafica, Asmita, Dégel, Drama, Hypnos, Romance, Thanatos, The Lost Canvas
Visualizações 159
Palavras 1.843
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Terror e Horror, Violência
Avisos: Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Gente, tenho algumas coisas importantes para lhes dizer nas notas finais, então não deixem de dar uma lidinha.

Boa Leitura!

Capítulo 18 - Oneiros


Fanfic / Fanfiction Entre o Bem e o Mal - Capítulo 18 - Oneiros

 

 

 

 

No dia seguinte, Asmita como sempre, muito reservado, não contou o que vivenciou a ninguém, nem mesmo para sua amada Deusa.

Jade também dedicou ficar em silencio, até porque se encontrava confusa, sem saber ao certo o que aconteceu, para dar-lhes uma explicação digna. 

Lana, Margaret e Ariane lhes visitaram logo cedo, haviam adotado a Herborista como uma amiga muito querida, e estavam preocupadas.

Lana levou um vestido limpo, de tecido cinza e com uma modelagem na cintura. Enquanto Ariane e Margaret, levaram um café da manhã bastante reforçado, sabendo que o corpo da jovem necessitava de bastante nutrientes.

 

-Bom dia, Jade. -Cumprimentou as três em coral, fazendo uma leve reverencia.

-Vocês... -Sorriu ao vê-las. -Por que estão se reverenciando a mim? Estamos na mesma posição!

-Nada disso, você é uma Herborista incrível, que está cuidando muito bem do Santuário... Sua força e conhecimento são superiores aos nossos, pois viveu livremente até pouco tempo, conheceu um pouco do mundo, diferente de nós. Mesmo que todas nós servirmos a mesma pessoa... Você está vários passos a nossa frente -Responde Lana, a mais formal entre elas.

-Não diga isso, apenas levamos vidas diferentes... -Jade corou, nunca havia sido tão respeitada e elogiada.

-Se alimente bem. -Pediu Ariane.

-Não se preocupem! Ariane. -Chama a ruiva. -Deveria estar descansando! Está se alimentando bem?

-Eu estou ótima! A doente aqui hoje é você, então não venha me dar sermões. Cuidou de todos, mas esqueceu de sua própria saúde... Fique forte logo, precisa ser um exemplo á nós. -Piscou divertida.

-Você tem razão... -Sorriu sem graça, realmente não estava em posição.

-Jade. -Chama a amante de Escorpiano. -Mais tarde, se estiver bem, será que poderíamos caminhar pelo Santuário? Você que é próxima dos Cavaleiros, saberás me ajudar...

-Claro Ariane, tenho certeza que estarei ótima! -Piscou disfarçadamente.

-Preciso voltar aos meus afazeres! Melhore logo, e qualquer coisa me chame, Jade. -Se despede Lana, deixando o quarto.

-Vamos Ariane, também temos bastante coisas a serem feitas. Torno as palavras de Lana minhas... Licença, Jade.

 

As outras duas servas se retiraram, tinham muitas coisas a serem feitas.

Ela se alimentou, e logo depois fez sua higiene de costume. Colocou o vestido cinza, que deixou sua cintura belamente modelada.

Já sentindo-se bem, deixou o quarto com calma, em passos estreitos e cuidadosos, não queria abusar, já que não sabia ao certo seu estado. Mesmo sendo um tanto distante, decidiu ir à casa de Virgem, tinhas assuntos importantes a serem tratados com o protetor da mesma.

 

Por onde passava, os Cavaleiros lhe paravam para perguntar sobre sua saúde, sempre muito atenciosos e preocupados. Foi assim, até finalmente chegar à casa de Virgem. Adentrou a mesma, não encontrando seu guardião. Passou a caminhar pelo templo, o procurando educadamente, quando sentiu uma respiração próxima ao seu pescoço. Não virou-se, pelo contrário, continuou daquele mesmo jeito, de costas e indefesa ao loiro, que aproximou seus lábios do ouvido feminino.

 

-Sabia que viria, Jade!

 

Ela sentiu o quente da fala de Asmita, tocar sua orelha e fechou os olhos com a sensação.

 

-Quer conversar sobre ontem, não é mesmo?! Eu também quero, e quero ainda mais saber o interesse de Hypnos em você! Serás que é apenas uma vítima, ou um vilão escondido no Santuário?

-Asmita... -Está desconfiando de mim?

 

Irritada com aquela desconfiança, virou-se de pressa para encara-lo, mas teve seus dois braços segurados. Ele a colocou contra um pilar da casa, aproximando-se ainda mais de seu corpo pequeno e delicado. Sem machuca-la ou sendo grosseiro, apenas queria conte-la.

 

-Não estou afirmando nada, mas tem algo muito estranho! O que aconteceu entre vocês? Não escutei nada, pois quando cheguei, Hypnos sentiu minha presença de imediato... Digno das habilidades de um Deus como ele.

-Você tem todo direito de desconfiar, até porque estou fazendo o mesmo de mim mesma. Não sei o que está acontecendo, não sei quem eu sou... Não sei o que Hypnos está tentando extrair de mim, eu realmente estou confusa e não sei de nada!

-Jade, espero que esteja falando a verdade! Se ameaçar o Santuário, não hesitarei.

-Tudo bem... Se eu fizer algo suspeito contra o Santuário ou ameaçar a segurança de Atena, você tem toda liberdade de tirar minha vida.

-Eu farei isso, não duvide! -Ele parecia decidido.

-Eu quero muito saber o que realmente sou para Hypnos...

 

Quando percebeu que ela havia se acalmado, a soltou aos poucos, dando as costas, caminhando ao altar de Virgem.

 

*** *** ***

 

Ariane e Jade se encontraram durante a noite, assim como haviam combinado. Desceram as doze casas, para ficarem mais à-vontades lá em baixo, em campo aberto.

 

-Ariane, como vocês estão? -Pergunta acariciando sua barriga, que nem mesmo estava visível ainda.

-Estou ótima! Espero que ele ou ela também esteja, pois estou me cuidando bastante, para essa criança nascer forte e bonito(a), assim como o pai e saudável como a mãe! -Corou dizendo aquelas palavras, tão estranhas para mãe de primeira viagem.

-Assim sua gestação será tranquila, continue assim! Ariane, você gostaria de ter uma menina ou um menino? -Pergunta curiosa, já que nunca havia gerado uma criança.

-Gostaria muito de um menininho, bonito, forte divertido como o pai... Mas se vir uma menina, eu a amarei do mesmo jeito! Jade, quando você tiver o seu... Você gostaria de ter qual?

-Eu... -Ela corou, desviando o olhar. -Provavelmente eu não casarei, muito menos terei filho, mas se acontecesse, gostaria bastante de ter um menino, pois não levo muito jeito com meninas, por ser bastante relaxada.

-Entendo... -Riu da face corada da amiga. -Sabe, eu tenho muito medo de perder o Kardia nessa guerra santa, e quero dar a notícia o quanto antes... Mas estou sem jeito.

-Honestamente, não sei como o Kardia é, quando está sozinho com você, mas se tem vergonha de falar diretamente, faça algo que ele perceba. Pegue a mão dele e a leve até sua barriga, ou algo do gênero... Ele percebera, tenho certeza!

-Acho que tenho medo de lhe falar, pois não sei como será sua reação... Kardia não parece desejar ser pai!

-Ele mudará quando souber que será pai, mas no começo será difícil para os dois.

 

Caminhavam enquanto conversavam sobre diversos assuntos, principalmente sobre Kardia. Cada história fez com que a ruiva criasse uma outra imagem do azulado, e aquilo se tornou bastante divertido.

 

-Foi fácil encontra-la, Herborista.

 

Uma voz masculina deixa Ariane assustada, pois era desconhecida. Jade fica com medo, pois sabia muito bem a quem pertencia. Logo afrente, estava um belo homem, de cabelos grisalhos e olhos azuis, trajando uma Sapuris negra, com um brilho azulado intenso, extremamente bonita e com um formato elegante.

 

-É um... Espectro. -Disse Ariane com dificuldade, reconhecendo aquela armadura negra.

-Não é um simples Espectro, é um Deus! Oneiros, um dos Deuses dos Sonhos, filho de Hypnos o deus do Sono. -Por viver um tempo com os Gêmeos, conheceu bastante servos das trevas.

-Um Deus... -Ariane paralisou, pois ao escutar aquelas palavras, praticamente desistiu de sua vida. -Kardia... -Sussurrou o nome de seu amado, como se quisesse chama-lo.

-O que você quer aqui, Oneiros? Hypnos o mandou, não é mesmo? -Jade mesmo perante um Deus, não abaixou sua cabeça. -Tenho certeza que está aqui por minha causa, então deixe essa serva ir, ela está grávida!

 

Oneiros observava tudo muito sério, sem expressões que lhes dessem uma pista, de qual seria sua decisão. Sua personalidade lembrava muito a de seu pai em alguns momentos, sendo o filho mais parecido.

O Deus simplesmente estendeu a mão, mas Jade pensou que fosse um ataque e entrou na frente de Ariane, sem temer, dizendo:

 

-Eu jurei que cuidaria de vocês, Ariane! Suba, vá para um lugar seguro.

-Jade, e você? Não posso deixa-la! -Se encontrava perdida, não sabia o que fazer.

-Esqueça... Ele não fará nada de ruim, pois Hypnos tem interesse em mim. Eu estou sendo protegida pelo Deus do Sono, mas você não... Estão fuja, a única que corre perigo aqui, é você! Se algo acontecer com a criança, por teimosia sua... Kardia nunca lhe perdoará, então vá!

 

Ela virou sua cabeça, oferecendo um sorriso a desesperada. Sua paz durou pouco, nem mesmo fez tudo que queria, mas salvar uma amiga e o filho de um amigo, era o suficiente para satisfaze-la.

 

-Se cuida, Ariane.

 

Deu um passo à frente, se aproximando cada vez mais de Oneiros, que lhe aguardava com o braço estendido, esperando que ela tocasse sua mão.

 

-Nem mais um passo, Jade!

 

Aquela linda voz, imponente e grossa, ao mesmo tempo preocupada e gentil. Olhou na direção das casas, e avistou o Santo de Peixes se aproximando, com seu cabelo azul claro, voando juntamente com sua capa longa e branca, naquele cenário noturno.

 

-Uma pessoa tão teimosa como você, cedendo dessa maneira á um inimigo, só porque é um deus? -Debochou de um jeito elegante, soltando um sorriso provocativo.

-Albafica... -Ela sussurrou aliviada, mas ao mesmo tempo temendo, pois se tratava de um Deus. -Como sabes de sua presença?

-É muito fácil sentir a presença de um

 intruso, pois o Santuário é o nosso território! -Lhe respondeu confiante, ficando em sua frente, na intenção de protege-la.

-Droga. -Sussurra o grisalho irritado. -Hypnos não me deu permissão para entrar em combate, disse que ainda não chegou a hora de teus filhos agirem... Vocês possuem sorte, recuarei por hora.

 

Albafica não tentou detê-lo, afinal, se tratava de uma divindade, não podia provoca-lo ou subestima-lo, então a deixou partir.

 

-Vocês estão bem? -Pergunta o Santo de Peixes, virando-se para as damas.

-Sim, graças a você! Pensei que seria levada, mas parece que ainda tenho um tempo no Santuário. -Respirou aliviada e muito agradecida. -Ariane, você está bem?

-Sim. Obrigada Senhor Albafica e Jade. -Fez uma leve reverencia aos dois. -Não reclamando, mas não seria o primeiro guardião a vir?

-Sim, mas pedi permissão ao Patriarca! -Respondeu um tanto “seco”, dando as costas e caminhando em direção as doze casas.

 

Pouco tempo depois, outro Dourado apareceu. Kardia ficou sabendo que Ariane estava junto com Jade, quando o Santuário foi invadido e preocupado, correu para encontrá-la.

 

-Ariana. -Chegou imponente, observando a situação. -Aconteceu algo com vocês? Os ratinhos invadiram o Santuário... Estão querendo antecipar suas mortes. -Brincou o azulado, sendo extremamente ousado com um sorriso debochado.

-Eu estou bem, graças a Jade que nos protegeu... Depois o Senhor Albafica chegou, e protegeu nós três de Oneiros. -Respondeu Ariane, corando e desviando seu olhar.

-Nós três? Cadê a terceira pessoa? -Arqueou a sobrancelha.

-Aqui. -Levou a mão a barriga, e acariciou cuidadosamente, voltando a encara-lo, curiosa com sua reação.

-Você... Está grávida, Ariane? -Kardia parecia surpreso.

-Sim... Você será pai, Kardia de Escorpião!

 

Ele ficou sem reação e sem saber como agir, mas recebeu a jovem que pulou em seus braços.

Jade se afastou, dando privacidade ao casal, que finalmente havia se assumido, deixando aquele romance escondido no passado.

Albafica caminhava lentamente, então acabou escutando a conversa. Não olhou nenhum momento, mas imaginava o que estava acontecendo, e então deixou um sorriso escapar. Mesmo em Guerra, ainda tinha muitos motivos para os guerreiros sorrirem. 


Notas Finais


Antes de mais nada, desculpa pela demora, mas estou desanimada com a fic!

Indo ao assunto principal... Gostaria que vocês me dissessem qual o casal que vocês mais aprovam, pois preciso começar tomar um rumo na fic, e quero que vocês escolham também! Participem dessa escolha, assim vejo se o que estou pensando ficará bom, ou terei que mudar um pouco. Não gosto de escolher sozinha, até porque quem está lendo são vocês *-*

Espero suas opiniões se possível nos comentários *-* Se tiverem alguma duvida, ideia ou sugestão, por favor me falem.

Beijos e até o próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...