1. Spirit Fanfics >
  2. Entre o Céu e o Inferno >
  3. Será ?

História Entre o Céu e o Inferno - Capítulo 13


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura meus nobres ;-;

Capítulo 13 - Será ?


Fanfic / Fanfiction Entre o Céu e o Inferno - Capítulo 13 - Será ?

Eijirou lutava pra se manter acordado , mais de meia hora já havia se passado desde que o jantar acabou e Mitsuki os levou até a luxuosa sala de estar , onde serviu uma xícara de chá para todos e então começou a enche-lo de perguntas.

"Qual sua idade?" 

"Como se conheceram?" 

"Foi você quem atendeu o celular do Katsuki aquele dia , não é ?"

Ele seguiu as ordens do loiro de não responder as perguntas, até porque cada vez que Mitsuki questionava algo , era Bakugou quem respondia , ou melhor xingava a própria mãe. Mas mesmo com todo esse esforço da parte de ambos, a loira acabou ligando os pontos e descobrindo que estavam morando juntos.

Caso contrário porque seu filho ingrato  que não aparecia em casa há cinco anos viria acompanhado de um garoto e trazendo até um animal de estimação? 

Kirishima lutou com todas as forças para manter seus olhos abertos , mas aquele maldito chá fez todo seu corpo amolecer mais do que já estava antes , sem perceber o ruivo caiu no sono , encostado no ombro de Katsuki. 

A loira ao perceber a situação chamou a atenção do filho , se esforçando ao máximo para não gritar e acordar aquele garoto gentil.

- Leva ele pra cama e depois venha aqui , quero conversar com você. - pediu no tom de voz mais baixo que consegui. 

Normalmente ele recusaria qualquer ordem vinda daquela velha doida , mas não estava nem pensando nela agora , estava pensando em Eijirou. Na verdade ele nem precisava ter vindo consigo, podia ter ficado em casa, mas o ruivo insistiu para vir junto confessando que estava com medo de ficar sozinho , Katsuki tinha que admitir que ficou feliz por tê-lo ao seu lado durante todas aquelas horas de viagem, era como se Kirishima fosse um transmissor de energia positiva; Quando estava perto dele , o loiro sorria mais , se sentia mais tranquilo e livre de todos os pensamentos negativos que costumava ter sobre si mesmo.

Katsuki se levantou e cuidadosamente pegou Eijirou no colo, ele dormia feito pedra , assim o loiro subiu as escadas até seu quarto e o largou na sua antiga cama. Logo a bolinha de pelos branca e amarela subiu em cima do ruivo e se aconchego ao seu lado. 

Bakugou riu baixinho , não só pelo felino, mas também ao analisar melhor Kirishima , ele já era fofo naturalmente, mas quando estava dormindo ficava ainda mais adorável. Podia passar a noite toda o observando , mas então lembrou que sua mãe disse que queria conversar , o que o deixou curioso e ao mesmo tempo indignado, Mitsuki tinha o péssimo hábito de ficar se metendo em sua vida. 

- Cuida dele... - Susurrou para o filhote antes de sair do seu antigo quarto. Enquanto retornava para a sala passou por seu pai , ele já estava devidamente pronto para ir dormir , os dois se despediram brevemente como sempre faziam e então o mais novo retornou para aquele espaço aquecido por uma lareira , onde sua querida mãe o aguardava com uma garrafa de whisky. 

Se recordava perfeitamente que ela sempre teve essa mania de beber durante, ou após do jantar. Mitsuki dizia que álcool a ajudava a pensar. 

Assim que colocou os olhos no filho a loira deu alguns tapinhas no sofá, chamando-o para sentar ao seu lado. Milagrosamente ele obedeceu. 

- Bebe comigo? - Katsuki concordou, ele não era o maior fã desse tipo de bebida , mas por alguma motivo queria  deixar o ambiente confortável para os dois e curtir um pouco a companhia da mãe. Por mais que eles dois vivessem brigando, ela sempre estava ao seu lado nos momentos difíceis. 

Escutou ela suspirar pesado enquanto lhe entregava um copo cheio daquele líquido de cor estranha. E então ambas as orbes rubis se encararam.

- Não importa o quanto eu insistia você não vai me falar nada sobre o Kirishima ,  não é? - Katsuki não disse nada , ele nem precisava, visto que a resposta era óbvia. 

A mais velha sorriu , eles eram tão parecidos... 

- Eu não faço ideia do que vocês tem um com o outro, mas Katsuki vamos ser sinceros, você claramente sente algo a mais por aquele garoto. 

Bakugou engasgou , levando as mãos ao peito para tentar fazer aquele negócio descer. " CÉUS, onde essa maldita queria chegar ? "

- QUE POHA VOCÊ TÁ FALANDO? - Viu a loira  revirar os olhos, o que era estranho, normalmente era nessa hora que ela começaria a gritar consigo ; Mitsuki apenas respirou fundo e segurou a mão do filho. 

- Katsuki eu não sou boba , te carreguei por nove meses e te aturo à vinte e três anos. Acha mesmo que eu não ia perceber quando você olha diferente pra alguém ? 

Ele se sentiu derrotado, realmente , aquela mulher o conhecia melhor do que ninguém , talvez até melhor do que ele mesmo. 

-D-do que você tá falando velha ? 

Pela primeira vez no dia Mitsuki sorriu doce , aquele sorriso reconfortante que ela sempre dava quando ele era pequeno e se machucada ou ficava triste ;  A mais velha puxou o filho pra mais perto , afagando aqueles fios loiros iguais aos seus , como sempre fazia quando seu pequeno estava com problemas. 

- Eu tô falando que a cada vez que você olha pra aquele garoto , os seus olhos brilham, sem falar pela forma que você protege ele , e mais... Não pense que eu não percebi o quanto Kirishima te deixa feliz.

Katsuki sentiu um nó se formar em sua garganta , a velha  tinha razão , Eijirou realmente era muito importante pra ele , só nunca pensou que se tratava desse tipo de sentimento...Quer dizer , TALVEZ se tratasse, ele nem sabia mais o que pensar agora. 

Sem perceber ele já se encontrava abraçado a sua mãe, que ainda acariciava seus cabelos. CÉUS, como ele queria poder conversar com ela e explicar a confusão crescente em sua mente  , mas isso sempre parecia ser tão difícil. Desde que se conhece por gente ele nunca conseguia se expressar com as palavras certas. 

Nesse momento Katsuki se sentia exatamente igual a alguns anos atrás, quando tinha uns doze anos e teve sua declaração  de amor recusada pelo menino que gostava , e então sua mãe veio consola-lo , dizendo que tudo iria ficar bem. 

Mas agora ele não era mais um garotinho chorão, não podia depender da velha pra lidar com seus problemas , ainda mais que foi ela quem coloco essa confusão toda em sua cabeça. Katsuki se afastou daquele abraço, olhando feio pra loira. 

- Nem pense em tocar nesse assunto de novo, e para de ficar perguntado coisas pro Eijirou. 

Dito isso ele saiu apressado , correndo para o escritório onde havia um sofá cama preparado com travesseiros e cobertores , se jogou naquele estofado macio , puxando as cobertas até a cabeça. Tinha vontade de arrancar os próprios cabelos, ainda mais porque agora a imagem de Kirishima não sabia da sua cabeça.

CÉUS, e se ela estiver mesmo certa ? E se ele estiver mesmo apaixonado por aquele garoto ? 

*** 

Eijirou acordou sentindo cócegas no nariz , ao abrir os olhos se deparou com um focinho rosado , sorriu , fazendo carinho atrás das orelhas do felino. Sentou na cama se espreguiçando, céus , nem lembrava de ter vindo pro quarto, aquele chá lhe deu tanto sono... 

Ouviu seu celular vibrar várias vezes seguidas, já tinha uma ideia de quem poderia ser. 

" Bom dia Kiriiii , tudo bem com você?" 

" Então... Eu estava pensando aqui e queria te convidar para sair comigo e  uns amigos qualquer dia. O que acha?" 

"(Carinha maliciosa) Quero te apresentar alguém ! "

Nejire Hado , desde aquele dia no shopping eles passaram a trocar mensagens ,  e a azulada até mesmo foi visita-lo em alguns  final de tarde depois do trabalho. Não é como se não amasse a companhia de Katsuki, mas aquela garota doidinha  tinha uma animação eletrizante , sem falar que ela era uma ótima  amiga. 

Kirishima não soube como responder, fazia tempos que ela o convidava pra sair , mas ele sempre recusava educadamente, não achava ser uma boa ideia, até porque teria que pedir pra Katsuki e não queria incomoda-lo. Decidiu responder a azulada mais tarde , apenas digitando um : "Bom dia , estou bem e você?" 

Assim o ruivo deixou aquela cama quentinha e foi fazer sua higiene matinal , trocou de roupa e depois reabasteceu os potinhos de Hero antes de descer ao encontro dos Bakugou.

Se sentiu constrangido ao extremo ao ver que todos já estavam sentados a mesa , com o café da manhã servido. Céus , que vergonha , deveria ter acordado mais cedo pra vir ajudar.

- Bom dia Kiri , sente-se , nós estavamos te esperando. - Ao ouvir aquilo ele ficou vermelho igual ao próprio cabelo , se juntou a eles em silêncio.

Enquanto se servia ,  Eijirou notou um clima estranho se instalar da parte dos dois loiros. Katsuki estava quieto demais , parecia distante , já sua mãe , não tirava os olhos do filho nem por um segundo, isso quando não parava o olhar em si também. Masaru era o único indiferente aquela estranheza toda.  

Kirishima estava se perguntado se havia acontecido alguma coisa entre eles na noite passada, visto que o loiro havia comentado que tinham uma relação complicada ; O ruivo  pode presenciar com seus próprios olhos o quanto aqueles dois tinham uma personalidade semelhante , agressivos mas ao mesmo tempo carinhosos.

Deveriam ter discutido mesmo... Igual aquela cena antes do jantar , mas não deveria ser nada muito sério. Pelo menos ele esperava que não fosse , odiaria ficar em meio de uma briga de família.

Kirishima decidiu que durante aqueles próximos dias na casa dos Bakugou iria tentar se manter distante deles e dar espaço , não queria atrapalhar aquele reencontro de família. 

Logo ele e Katsuki voltariam pra casa e tudo voltaria ao normal...


Notas Finais


Aiai...

Até o próximo capítulo ;-;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...