1. Spirit Fanfics >
  2. Entre o Céu e o Inferno (Dramione) >
  3. O Duelo

História Entre o Céu e o Inferno (Dramione) - Capítulo 8


Escrita por: MadameLestrange20

Notas do Autor


Boa leitura, mores! :)♡

Capítulo 8 - O Duelo


Narradora On

A semana passava rápida, cada vez mais próxima de sexta feira, o dia da próxima aula de Defesa Contra as Artes das Trevas.

Hermione treinava todos os dias depois do jantar, em uma das salas desocupadas. Agora já não era mais apenas uma questão de aprendizado e ensino, era uma questão de honra, era como se houvesse uma aposta subentendida entre os dois, da qual não tornavam verbal, mas houvesse consequências para o derrotado.

Alguns sonserinos e grifinórios faziam burburinhos, cada qual em suas respectivas casas, a notícia do duelo entre Granger e Malfoy se espalhando entre as comunais.

Pelo visto não era só os dois que achavam que aquilo iria além dos fins escolares.

O que Granger não sabia é que a mesma era espionada piamente durante seus pequenos treinos de feitiços complexos por ninguém menos que seu oponente.

Sua sorte é que tinha cartas na manga e não havia planejado nenhuma sequência específica de feitiços, resolvera agir de acordo com o que o momento exigia.

Por outro lado, Malfoy não tirava de sua cabeça a cena da biblioteca. Ver como ela ficou sensível ao seu toque o deixou anestesiado. Seu intuito era apenas provocá-la e irritá-la, porém o feitiço virou contra o feiticeiro, pois toda vez que se lembrava do suspiro de rendição e dos pêlos eriçados da castanha, era sua própria vez de se arrepiar.

Precisava tirar aquilo de sua cabeça o quanto antes. Já tinha o colar de opalas amaldiçoado, Snape o ajudara a entrar na escola com ele, a dificuldade era saber como fazê-lo chegar ao diretor.

Treinou algumas vezes durante a semana, feitiços defensivos e complexos, mas não muito pois não conseguia se concentrar devidamente em nada.

O peso de sua tarefa começara a pesar, pouco a pouco, em suas costas. Cada dia que passava se sentia mais pesado mentalmente, pois fisicamente continuava a mesma coisa, não conseguira ganhar os três quilos que perdera.

Apesar de não ter feito muita diferença, aquilo estava também passando a mexer lentamente com sua mente, com sua auto-estima.

Sempre fora o mais desejado se Hogwarts, o causador dos suspiros e desejo nas garotas em sua grande maioria, era tão amado quanto era odiado nos corredores do Castelo.

Tinha medo de que isso mudasse, sempre se sentira bonito, porém a insegurança já dava seus primeiros sinais de vida em seu ser.

Ainda se mantinha calmo, buscava agir com perspicácia e astúcia, mas temia que isso logo mudasse. Seus suspiros de cansaço aumentavam a cada dia que se se passava e em menos de quatro dias já se perguntava o porquê de merecer aquilo.

Sua vida estava em risco e a de sua mãe também. Por Narcisa, era capaz de se tornar qualquer coisa...até mesmo um assassino.

Virou de lado em sua confortável cama de colchas verde metálico, soltando um longo suspiro e abrindo os olhos. Apesar de precisar, não conseguiria dormir direito.

Lá se ia mais uma noite de insônia...

Sexta feira, 5 de Setembro.
Aula de Defesa Contra as Artes das Trevas, Salão Principal.

O dia chegara e todos já se reuniam no Salão Principal.

Os duelos já haviam começado, algumas duplas de oponentes formadas pelos alunos mais talentosos e independentes subiam nas mesas compridas das casas, enquanto outros que necessitavam de mais auxílio duelaram no chão, seis duplas de cada vez, enquanto o restante esperava sua vez.

O barulho de feitiços eram medianos e se misturavam com os gritos de guerra dos duelantes e a voz irritada de Snape cada vez que um aluno errava um feitiço ou não conseguisse se defender dos mesmos.

Hermione esperava ao lado de Draco, os adversários se mantinham lado a lado pela sua vez de subir a mesa.
Como os dois eram bruxos extremamente poderosos e talentosos para sua idade, provavelmente subiriam à mesa principal do Salão.

Hermione contorcia suas mãos uma na outra, eventualmente estalando os dedos, nervosa pelo conhecimento de que logo os holofotes estariam sobre ela.

Tentou tirar aquele pensamento insistente de sua cabeça, afinal ninguém parava para ver o duelo de ninguém, porque parariam para assistir ao deles?

O duelo entre Pansy Parkinson e Neville Longbottom encerrou, o menino com suas roupas e sobrancelhas chamuscadas por alguma azaração que a garota usara no mesmo.

Enquanto Hermione fechava seus olhos, buscando toda a sua concentração dentro de sua alma, Draco nada demonstrava, a expressão fria e dura, os olhos sempre nublados não permitindo que se enxergarsse além de sua alma, ver seus sentimentos.

Mas no fundo, a ansiedade que pouco a pouco desenvolvia dentro de si devido aos últimos acontecimentos, tomava conta de seu ser.

Mesmo que não dissesse isso em palavras, mesmo que houvesse menos de uma semana que voltara à Hogwarts, o medo o dominava mais a cada dia, tomando um pedacinho seu de cada vez, sem que o próprio percebesse.

Toda a vontade insana de vencer Granger sumia a cada minuto que passava, algo bem mais sério o preocupando.

Cada dia,cada hora, cada minuto que se passava era um precioso tempo à menos para se dedicar a sua missão. Cada mísero segundo poderia ser usado para proteger a sua vida e a de Narcisa. Tinha pavor em pensar que...Não!

Quando chegasse a hora ele teria que conseguir.

Se tornaria um assassino para que mais vidas fossem salvas.
No fundo sempre soube, sempre sentiu que não passava de um covarde, uma insegurança velada por sua arrogância e caráter duvidoso.

Malfoy esfregou os olhos e balançou quase que imperceptivelmente a cabeça, tentando afastar aqueles pensamentos. Não era hora para isso.

-Srta. Granger, Sr. Malfoy. -ouviram a voz sempre dura e indiferente de Snape.

Os dois se entreolharam rapidamente, quase que no modo automático, apenas para se certificarem de que estavam de prontidão.

-Já podem subir à mesa principal. - finalizou o professor, lançando um olhar a Draco como se dissesse "ganhe!"

Suspirando fundo, caminharam até a mesa, subindo a mesma, Hermione primeiro erguendo-se no banco para apenas depois passar para a comprida mesa de madeira.

Draco apoiou a mão direita na mesma, projetando o corpo para a frente em um movimento lateral, parando agachado em cima da estrutura, logo levantando-se e aprumando-se, esguio e imponente, de uma forma que outras pessoas julgariam intimidante e exigente de respeito, mas não Hermione.

A mesma ergueu o queixo, como que em desafio para que ele se aproximasse mais, e foi o que o garoto fez.

Aproximou-se lentamente, gingando com ombros retos, balançando o corpo, como um leão aproximando-se vagamente da presa.

Seus olhos frios e tempestuosos focavam o fogo do desafio das íris âmbar, a mandíbula tensa, os dentes se apertando com força, o que deixava seu belo rosto pálido ainda mais anguloso e atraente, no olhar das pessoas.

A garota ergueu levemente uma das sobrancelhas, como quem queria dizer "chegue mais perto, quero ver até onde sua coragem vai", um leve biquinho de determinação aparecendo em seus lábios em formato de coração, apenas com hidratante labial.

O loiro parou a poucos centímetros da castanha, seus olhos ainda fitando-a e vice versa.

Os dois ficaram alguns poucos segundos se encarando, mas o suficiente para se perderem na água e no fogo misteriosos que eram os olhos de ambos.

Em um movimento brusco, levaram as próprias varinhas em frente ao rosto, exatamente ao meio, como se medissem o centro do mesmo, logo, com outro movimento duro, levando as varinhas, ambas em mãos destras, para o lado direito do corpo, o braço um pouco afastado.

-Lembrem-se das regras, nada de trapaças - Snape lançou um olhar significativo a Hermione, como se entre os dois, ela fosse a mais propícia a sabotagens, e não ao contrário

-E podem começar. - de uma hora para a outra, em um tempo máximo de cinco segundos, todo o salão se calou, como se soubessem que estavam prestes a presenciar uma batalha que seria lembrada por séculos à fio.

Porém, nenhum dos dois perceberam isso. Agora não existia mais ninguém, a não ser eles mesmos. Nada poderia tirar o foco de ambos e todo o resto desaparecera, nem mesmo o silêncio perturbador e ansioso ou toda a atenção disponibilizada totalmente a eles no momento, os faria desviar o foco de sua concentração.

-Espero que esteja pronta para uma humilhação pública, Granger. Sabe, realmente começo a me arrepender de não ter apostado algo com você, eu poderia ganhar muitas coisas interessantes, já que o resultado desse duelo ridículo é tão óbvio. -sussurrou, o tom mergulhado em sarcasmo.

-Claro que está óbvio, desde quando inventaram isso. Você irá perder, e é muito masoquista de sua parte que pense ao contrário, você deve gostar muito mesmo de se machucar. Mas pode ficar tranquilo, mesmo que você não mereça, tentarei pegar leve. -respondeu a garota à altura.O estômago de Draco se remexeu desconfortavelmente ao pegar a clara referência subentendida da castanha.

Deveria ter imaginado que ela não deixaria passar tão fácil aquela cena tão patética e digna de pena no pátio. Tentou não se deixar abalar, ela não sabia pelo o que ele passava, pelo o que estava passando e o que seria obrigado a passar naquele maldito ano. Ela não fazia ideia.

Viraram-se de costas e deram cinco passos para lados opostos.
Num repente, novamente estavam de frente um para o outro, já lançando seus feitiços.

-Estupefaça!

-Protego!

Disseram em uníssono, Hermione atacando e Draco protegendo.

Uma enxurrada de feitiços de ambos os lados foram lançados após esses, fazendo do SalãoPrincipal um palco para fogos de artifício de origem duvidosa, e em pouco tempo mal se sabia quem lançava qual, os feixes de luz se misturando sempre que novos ataques e defesas eram feitas.

Hermione lhe lançara um "Avis oppugnus", fazendo com que pássaros com bicos afiados o atacassem em uma linha direta, mas antes que chegassem até seu alvo, Draco lançara um feitiço locomotor sobre uma armadura do lugar, fazendo-a ficar em sua frente como um escudo, que foi justamente onde os pássaros ilusórios,mas que faziam grande estrago, fincaram seus bicos que aparentavam serem de bronze.

Mais algumas explosões e estampidos altos, ambos conjuraram seus "Protector perigus", um feitiço parecido com o Patrono, porém para realizá-lo, era necessário pensar em uma lembrança onde o bruxo estivesse em grande perigo.

Sendo assim, um grande animal dourado, com forma de acordo com a personalidade do autor do feitiço, tomava a frente do bruxo para brigar por ele, dando tempo para que o duelante pensasse no que faria.

Foi como telepatia que tivessem escolhido usar o feitiço ao mesmo tempo. Em poucos segundos, uma grande serpente, com enormes presas, tomou a frente de Malfoy, enquanto um majestoso leão dourado fazia o mesmo com a garota.

Um sibilo alto acompanhado de um rugido, o réptil armando seu bote, o que a deixava com pelo menos dois metros e meio de altura, o leão flexionando as patas traseiras, pronto para contra-atacar.

Todos no salão soltaram uma exclamação em uníssono, e até mesmo Snape mostrou-se levemente intrigado e surpreso, já que aquele era um feitiço de defesa extremamente complexo, o qual poucos bruxos realizavam com perfeição, que era o que acontecia agora.

O vento que as projeções animalescas produziam com seus movimentos chegavam até os duelantes, fazendo com que seus cabelos, loiros e castanhos, voassem levemente para trás.

Os animais dispararam um contra o outro, em velocidade total,a serpente deslizando, o leão sobre suas quatro patas enormes.

O choque ocorreria em menos de cinco segundos, estavam cada vez mais próximos, sibilos e rugidos, estava perto, muito perto, cada vez mais, e...

-PROTEGO!

Um grito, vindo de um dos dois foi ouvido, e então, tudo ficou confuso e escuro, ao menos na visão de um deles...


Notas Finais


E então, o que acharam?
Quem será que levou a melhor nesse duelo??
Saberemos na próxima quarta👀👀👀

Um beijo,
Isa💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...