1. Spirit Fanfics >
  2. Entre o Luar >
  3. Um dia na cachoeira

História Entre o Luar - Capítulo 3


Escrita por: FatalFeelings

Notas do Autor


Gente eu preciso que vocês tenham duas frases em mentes para entender esse capitulo e o porque de ser citada a existência do celular no 1 cap. e da nossa querida Valentina poder ser comandante da tropa, seno que praticamente a historia se passa durante a Era Medieval.

“Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus.” (Albert Einstein)

"Aqueles que não conseguem lembrar o passado, estão condenados a repeti-lo" (George Santayana)

Bom era apenas isso mesmo, espero que gostem e que não fiquem tão confusos assim.

Capítulo 3 - Um dia na cachoeira


Fanfic / Fanfiction Entre o Luar - Capítulo 3 - Um dia na cachoeira

 

-Mana!! (grito correndo na direção da minha irmã que me recebeu de braços abertos. Pulo no mesmos e ela me abraça fortemente, correspondendo o meu na mesma intensidade.)

-Evelly! que saudade de você pequena.(sua fala sai abafada em meu pescoço, logo ela me solta, colocando-me novamente no chão e distribui milhões de beijinhos em minha face, antes de se afastar um pouco para me olhar de cima em baixo.) Está se alimentando direito?? Você está mais magra que da última vez...Evelly Pendragon por acaso você está pulando refeição novamente mocinha??? (pergunta pronta para me dar um sermão, colocando as mãos na própria cintura, fazendo-me rir.) 

-Calma mãe. Eu estou comendo direito e não estou pulando refeição. Agora, será que posso ter minha irmã novamente? Aquela que é apenas 7 anos mais velha?? (digo fazendo a mesma revirar os olhos antes de rir comigo)

 

Logo a Val se aproxima de nós, trazendo junto Ventania, Cintilante e mais um cavalo, pela as rédeas. 

 

-É bom revela novamente princesa Celeste. ( ela diz sorrindo grandemente para minha irmã que retribuiu na mesma intensidade e logo a puxa para um abraço, pegando a comandante de surpresa) 

-Sem essa de princesa, Valentina! (fala para a Val que logo retribui o abraço da minha irmã e a ergueu do chão, deixando a mesma surpresa por um instantes antes de começar a rir, enquanto era girada no ar) 

-Desculpa, é que eu estava com saudades Cielo. (ela disse colocando-a novamente no chão e sorrindo sem jeito, coçando a nuca.) Como foi a viagem?

-Tudo bem meu pôr do sol, eu também estava com saudades de você. (diz dando um beijo na bochecha da Val, que ficou mais sem jeito ainda e sorriu tímida. Sinto meu peito apertar ao ver a intimidade que ambas tinham uma com a outra.) Foi bem. Espera um minuto, esse é o Ventania? (pergunta indo em direção ao mesmo) Meu Deus, como ele cresceu! E olha só como está lindo nessa cela! (diz fazendo um carinho no animal que estufou o peito orgulhoso de si mesmo perante o elogio de minha irmã, fazendo-nos rir) Como conseguiram convencer ele a colocar a cela?

- A Val prometeu um dia na cachoeira para ele. (respondo fazendo a Val olhar para mim surpresa)

-Você estava ouvindo?  (pergunta sem jeito com um sorriso envergonhado nos lábios e com as bochechas levemente coradas, e meu Deus... esse jeitinho envergonhado dela é tão fofo que me dá vontade de beijá-la) Por que não me disse que estava lá?

-Ah, é que estava tão fofo ver você conversando com ele Val, não tive coragem de interromper. Eu queria ter gravado vocês dois. (digo apertando as suas bochechas levemente coradas, e ela faz um biquinho que deu vontade de mordê-lo. Tanto eu quanto minha irmã rimos de sua expressão fofa, deixando-a mais desconcertada ainda)

 -Por que não vamos lá agora? (pergunta minha irmã, para a Val que a olha já querendo discordar)

-Vamos, Val, só desta vez. ( Interveio-o fazendo a minha melhor cara de cãozinho abandonado)

-Melhor não Eve…(fala desviando o olhar para o lado evitando contato visual)

-Vai pôr do sol, só dessa vez.(minha irmã pediu, fazendo a mesma carinha que eu)

-Isso é maldade, vocês sabem muito bem que eu não sei dizer não para vocês quando fazem essa cara.  (ela suspira pesado) Ok, eu levo vocês. (se rende e nós comemoramos)  

 

     Minha irmã monta em Ventania com a ajuda da Vale, monto em Cintilante e a Val em seu cavalo, no qual ainda não sei o nome, e logo passamos a andar em direção a saída do porto. 

 

-Que tal uma corrida até a cachoeira? ( pergunta minha irmã, assim que pisamos na entrada da floresta) Será que ainda consegue me pegar srta. Du Lac? (pergunta a minha irmã com um sorriso provocante, sua fala era cheia de duplo sentido o que fez o sorriso da minha Valentina se duplicar e para a mesma) 

-Pode apostar que sim Srta. Pendragon.  (seu sorriso passou para provocante, respondendo a atura o  da minha irmã, e ela pisca para a mais velha que fica corada. Reviro os olhos e começo a correr com Cintilante, cansada de segurar vela) Eí, espera aí Eve!! (ela grita passando a correr também, acompanhada de minha irmã que ria de meu comportamento)

 

x- Quebra de Tempo -x

 

    Depois de nossa pequena corrida, passamos a andar calmamente pela a trilha. Valentina estava um pouco mais atrás de nós, uns 10m, guardando a nossa retaguarda e para dar um pouco mais de privacidade para mim e minha irmã, que andava ao meu lado, conversamos.

 

-E como está o papai? (pergunta a minha irmã depois de um tempo observando o redor)

-Está bem (respondo, dando-lhe um sorriso)

-Ele ainda está super protetor com você? Me surpreende saber que ele deixou você vir me buscar no porto, mesmo estando fora do reino. 

-Nem eu sei direito ainda como eu consegui essa proeza. (brinco, fazendo-nos rir) Ele apenas deixou por que era a Val que nos acompanharia hoje, se não ele me prenderia no castelo com uma tropa inteira para cada metro quadrado que eu andasse. (minha fala faz ela rir mais ainda)

-Imagino, papai sempre teve uma proteção exagerada com você. (diz depois de parar de rir. Seu olhar se direciona para trás por alguns minutos, observando a comandante que, ao perceber, sorri abertamente) Ela mudou, né? (pergunta retoricamente me olhando para mim novamente) Não é atoa que papai confie tanto nela, quero dizer, dá para perceber como ela amadureceu durante esses anos que eu tive fora, nem parece mais aquela criancinha que vivia correndo pelo o castelo em busca de encrenca apenas para chamar a atenção do pai, agora ela está mais...hum...linda, séria e gostosa. (diz rindo da sua própria fala no final. Seus olhos brilhavam em admiração pela a comandante)

-Sim, ela é está. (digo um pouco baixo, sorrindo fraco para minha irmã)

 

    Celeste era perfeita, seu corpo esculpido pelas mãos do próprio Deus levava os olhos azuis celeste e cabelos loiros levemente ondulados na pontas, seu sorriso era alvo como a neve e tão encantador e lindo, que ganhava a todos que o vissem.  Sua beleza encantava a todos do reino, além que sua delicadeza e sua empatia pelo o próximo, que fazia dela a Princesa mais adorada de todo o Reino Unido...contra ela eu não tenho nem chances de competir, caso a mesma queira a Val para ela.  

 

-Oh! (exclama a minha irmã, surpresa, depois de um tempo fazendo levantar o olhar e me deparar com uma linda cachoeira a nossa frente, suas águas cristalinas pareciam refletia o céu limpo em sua face, ao seu redor a grama era tão verde e vivida que me deu vontade de provar a sua maciez.) Aqui é…

-Lindo. (completo totalmente extasiada com a beleza do local. Não é atoa que Ventania aceito de vir para cá como recompensa de colocar a cela)

-Que bom que gostaram. (Val se manifesta ao se aproximar de nós, logo ela desceu de seu cavalo e me ajudou a descer do meu) Você está bem? (pergunta baixo apenas para eu ouvir, seu olhar transbordava preocupação e carinho de forma as borboletas em meu estômago se agitarem) 

-Sim, eu estou bem. (respondo sorrindo para ela, que sorri de volta um pouco menos preocupada.)

-Qualquer coisa se me fala, ok? (pergunta e eu aceno positivamente com a cabeça, ela beijando a minha bochecha fazendo- me ficar levemente corada; a mesma se afasta e vai ajudar a minha irmã a descer) Majestade. (diz estendendo a mão para minha irmã que a pega)

-Hummm, que cavaleira. (brinca tirando risadas de ambas. Ventania acaba se movendo enquanto ela ainda descia, fazendo a mesma se desequilibrar e quase cair, Valentina ,em um passo rápido, agarrou em sua cintura evitando a colisão dela com o chão, as mão de minha irmã foi de encontro aos seus ombros, deixando os rostos de ambas próximas .) Obrigada. (minha irmã agradece envergonhada, quase não sabendo onde colocar o rosto. A Val firmou o seus pés no solo e sorriu para ela)

-Não há de quer Cielo. Vou levar os rapazes e a dama (completa depois de Cintilante relinchar em protesto), para tomar água e se refrescarem. (ela pega a rédeas dos três e se afasta dando um sermão para o Ventania, em tom baixo, que olhava para a mesma entediado)

-Fecha a boca se não entra mosquito. (minha irmã diz depois de um tempo, fazendo parar de admirar a ruiva e encará-la.) 

-Cala boca. (digo dando um leve soquinho em seu ombro, o que a faz rir) idiota.

-Eii, não ofende também, né? Não é como se eu fosse roubar a sua namorada.

-Ela não é minha namorada. (digo, andando pela a grama em direção a uma das inúmeras macieira)

-Oh, então será que eu ainda tenho chances? (pergunta minha irmã me seguindo, fazendo-me olhar subitamente para ela com um olhar mortal, o que logicamente a faz gargalhar) Calma maninha, não precisa ficar com ciúmes assim não tá.

-Eu não estou com ciúmes…(ela me olha como se me desafiasse a continuar) tá, eu estou com ciúmes, feliz? (pergunto e vejo o seu sorriso aumentar graficamente)

-Muito. (ela pega a minha mão e me leva até uma das macieiras, sentamos em baixo da mesma, aproveitando a sombra fresca) Então...ela sabe o que é reciploco? (pergunta animada, dando-me um sorriso sugestivo)

-Que? se acha que ela… 

-É apaixonada por você? Sim acho, quero dizer, olha para você, uma mulher linda, talentosa e amorosa, claro é um pouco irritante às vezes.

-Ei!( reclamo e ela ri)

-Brincadeira. Mas sério, só pelo o jeito que ela te olha já dá para confirmar isso, o que não é tão diferente de você que eu sei. (ela bate o ombro dele de leve no meu fazendo-me rir soprado)  

-Ela...ela me pediu em beijo. (solto e vejo o seu sorriso duplicar de tamanho) semana passada, a gente estava na floresta depois dela desabafar comigo, nós ficamos observando a paisagem por um tempo até ela achar melhor a gente voltar, então eu dei a ideia da gente brincar de pega-pega.

-Hummmmmmm safadaaaaa (ela diz gargalhando logo em seguida, deixando-me envergonhada e dar um tapa no seu ombro) Aí Eve, eu estou brincando. Vai continua.

-Bem, nós estávamos correndo quando eu acabei tropeçando e quase caí, porém ela conseguiu me segurar a tempo e me puxou para ela e nossa…Cel, aquele olhar, aquela voz. (digo me perdendo só de lembrar de seu tom de voz levemente grave tão próximo ao meu ouvido e de seu olhar penetrante e hipnotizante, e mais claro que o puro mel) como ela conseguiu me alcançar, ela me pediu um beijo como recompensa. 

-E você a beijou? (minha irmã pergunta curiosa)

-Eu não consegui. Na hora eu travei, sabe? Primeiro achei que era apenas mais uma das suas brincadeiras, porém depois, eu me perdi naquele olhar castanho mel esverdeado de uma forma que, eu esqueci de corresponder os seus sentimentos. (digo lembrando de sua expressão magoada, fazendo o meu sorriso praticamente morrer. Minha irmã me olha com ternura e me lança um sorriso compreensivo e carinhoso, motivando a continua a narrativa) Depois disso, ela passou a me ignorar por dia e, quando finalmente consegui falar com ela ontem, a gente brigou e, na hora da raiva, acabei citando o pai dela, (digo lembrando das palavras rudes que falei para a Val no dia anterior, fazendo algumas lágrimas surgirem em meus olhos) Cel, eu juro que eu não queria dizer aquilo para ela. (digo sentindo algumas lágrimas escorrerem por minha face. Minha irmã me puxou para o se peito e começou a fazer um carinho em minha cabeça para me acalmar)

-Eu sei que não, pequena. (ela diz antes de começar a cantarolar uma cantiga que a mesma sempre cantava para mim me acalmar quando éramos menores; sua voz tinha o mesmo efeito que as calmas ondas em mim, ajudando-me a calar o turbilhão de pensamentos e sentimentos que me invadiam. Logo consegui me acalmar, porém continuei em seu peito, aproveitando o carinho) Olha…(ela diz depois de um tempo) eu sei que você deve estar se sentindo péssima pelo o que você disse para ela ontem, e confesso, foi errado a maneira que você agiu, porém você estava quebrada Evelly, e pessoas quadradas tendem a machucar outras, isso não lhe dá razão, não, mas é o motivo de você ter descontado a sua frustração injustamente nela. Vocês deveriam conversar sobre o dia da floresta, porquê eu sei que o que você sente aqui (ela aponta para o meu peito) é o mesmo que ela sente lá. (ela aponta para garota fazendo-me olhar para a mesma. Ela ria para Ventania enquanto terminava de tirar a sua cela, logo ela o faz e o cavalo lambe a sua bochecha em agradecimento fazendo-a rir mais ainda; meu rosto se irradia em um sorriso ao ver a cena)

-Eu tenho medo, do que o papai vai achar, o que o reino vai achar. (confesso encantando a minha irmã, além do mais, esse era um dos maiores motivos de ainda não ter admitido a minha paixão pela a comandante) 

-Eve, nós estamos no século XXX, é claro ainda tem preconceituosos  que não vão querer que vocês vivam o amor de vocês, mas não deixe que isso a impeça de ser feliz ao lado de quem você verdadeiramente ama. E sobre o papai, não acho que deva se preocupar, ele pode ser um pouco conservador as vezes, porém ele sempre vai colocar a nossa felicidade acima de qualquer coisa, e se ele precisar abrir uma guerra contra todos os reinos para vocês poderem viver esse romance, ele o fará. O amor, Eve, não deve ser algo que devemos temer, e nem mergulhar de cabeça, é algo que você aos poucos vai descobrindo e se entregando, e quando perceber o que ele realmente é, vai ver como ele é lindo. (diz me dando um sorriso que eu retribuo) Agora venha, vamos nos refrescar um pouco na cachoeira que eu cansei de ser sua conselheira amorosa por hoje. (ela diz fazendo-me rir.)

Nos levantamos e fomos de encontro a Val, que nos recebeu com um belo sorriso encantador...é, talvez a minha irmã esteja correta, eu realmente sou realmente apaixonada por essa mulher.  



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...