História Entre o Silêncio e a Escuridão (Padackles) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Jared Padalecki, Jensen Ackles, Supernatural
Personagens Jared Padalecki, Jensen Ackles
Tags Amizade, Amor Juvenil, Cegueira, Código Morse, Jared Padalecki, Jensen Ackles, Linguagem De Sinais, Mudes, Orfanato
Visualizações 129
Palavras 1.217
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Bissexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Capítulo pequeno, mas espero que aproveitem 📖

Capítulo 4 - Capítulo 4


Jared caminha ao lado de Jensen, em direção ao refeitório. Jared não acha que Jen se sente confiante o suficiente pra fazer isso sozinho ainda, e Jared não se incomoda nada com isso. Na verdade Jared fica mais aliviado. Assim ele sabe que o menino mais baixo não se perdeu e está assustado em algum corredor do orfanato.

Faziam dois dias desde aquela noite onde Jen teve um ataque de pânico. Jared entende completamente como é. Ele entende como é tentar fazer algo cujo ele nasceu pra fazer, mas não consegue.

Deve ser aterrorizante tentar ver e não conseguir, e o máximo que Jared pode fazer é dar apoio e conforto ao loiro. Ser um ombro amigo, um companheiro.

Eles caminham felizmente até as longas mesas cujas várias crianças já estão se alimentando, quando alguém bate no ombro de Jared quase o derrubando.

Jensen se assusta e gira o rosto para todos os lados em busca do interrompido repentino. Jared aperta o maxilar quando vê na sua frente o idiota do filho da diretora. Jack.

O garoto tem pelo menos 4 anos a mais que ele, e nem deveria estar ali, ele não tem deficiência alguma, ele só surge para importunar as crianças do lugar. Jared não entende como uma mulher tão doce quanto a diretora, tem um filho tão babaca. Deve ter puxado ao pai. Vai saber.

— Padalecki, finalmente encontrou uma namorada — Ele aponta pra Jensen que está congelado em sua posição de antes. Jack enruga o rosto enquanto observa atentamente Jensen. Ele estica a mão e bate com a unha duas vezes no óculos dele com a expressão divertida e atrevida. Jared rosna com a intromissão ao seu amigo, e isso ganha a atenção de Jack. Ele ri alto.

— Ownn, o pequeno Jay-man está protegendo sua namoradinha cega. Que adorável — Jack ri e achando a oportunidade perfeita para irritar Jared, ele agarra a bengala de Jensen e a joga longe. O som do metal batendo no chão é alto fazendo todos virarem para eles. — Ele não precisa disso, certo? Ele tem o Jared Lancelot.

Jack ri alto depois de ver o olhar assassino que Jared lhe jogou. Jared pode aturar que Jack o perturbe, mas ele não vai deixar perturbar Jensen, isso ele não vai suportar. Sentindo a adrenalina e a raiva tomar conta dele, ele avança pra cima de Jack, e o empurra com força, fazendo-o perder o equilíbrio e cair no chão.

Jack ofega enquanto cai, e geme de dor assim que a sua bunda bate com força no piso obviamente duro. Ele rapidamente olha pra Jared, e rosna. Ele se levanta do chão e caminha furioso pra cima de Jared.

— Agora você vai ver seu pequeno ...

— JACK.

Jared suspira aliviado enquanto observa a diretora caminhar com um olhar nada feliz pro seu filho. Jack se encolhe ao ouvir o grito da sua mãe, e rapidamente empalidece.

— Sim, mãe — Ele diz com a voz trêmula. A diretora o pega pela orelha e Jared quase sente por Jack. Aquilo deve estar doendo. — AU, mãe.

— Já avisei pra não mexer com as crianças. — Ela grunhi ainda apertando a orelha do filho. Todas as crianças observam a cena enquanto seguram suas próprias risadas. — Você vem comigo. Vamos conversar.

Jared vê quando Jack engole em seco, seu rosto sem qualquer cor. Algo lhe diz que isso não será apenas uma “conversa"

A diretora encara Jared e Jensen e sorri suavemente. — Não se preocupem, ele não vai mais incomoda-los. Agora vão comer. — Ela olha em volta do refeitório — Todos vocês.

Todas as crianças voltam a encarar seus pratos, enquanto isso a diretora sai, carregando pela orelha um Jack chorão. Jared ri e quando olha pra Jensen seu sorriso congela.

Jensen está completamente pálido, suas mãos estão tremendo e Jared pode ver lágrimas assustadas caindo de detrás de seus óculos escuros. Ele está a ponto de transbordar, e ele está se segurando. Jared rapidamente o puxa aos seus braços e o segura. A cabeça de Jensen vai ao seu pescoço, onde se esconde dos olhares das outras crianças no refeitório. Jared não entende por que essa reação, mas agora tudo o que ele faz é consola-lo.

***

Jared e Jensen estão ambos em suas camas. Já eram pelo menos 11 da noite, mas Jared não consegue dormir. E ele tem certeza de que Jensen também não.

Depois do episódio no refeitório, Jensen se recompôs, e não quis falar sobre isso. Eles simplesmente comeram, e terminaram o dia como se nada tivesse acontecido. Jared não o empurrou para falar, e ele também não pretende fazer isso.

Botar isso pra fora é escolha de Jensen, e só de Jensen. Jared vai esperar, Jared pode dar todo o tempo do mundo ao menino loiro.

— Tá acordado? — A voz de Jensen interrompe o silêncio oco do quarto quase assustando Jared. — Se tiver, bate duas vezes na madeira da cama.

Jared bate duas vezes, e logo a reação de Jensen é suspirar. Ele se vira na direção de Jared, e é quase como se ele pudesse vê-lo. Isso trás borboletas na barriga de Jared. E Jared gosta disso.

— Eu sou estúpido, eu sei. Você não deveria ter que aturar a minha merda — Jensen resmunga. Jared pode ver a luz da lua na sala, e isso traz um brilho único aos olhos verdes de Jensen. É lindo.

Jared como resposta bate uma vez na madeira da cama. Se duas batidas é sim, uma deve ser não. Ele pode jogar esse jogo.

— Eu tenho esse ... esse pânico em mim, sempre que me sinto ameaçado. Eu simplesmente travo e só ... só choro como uma menina — Jensen funga, seus olhos girando em suas órbitas sem nenhum ponto fixo. Tudo o que Jared quer, é ir até a cama de Jensen, e abraça-lo. Amigos fazem isso ... certo?

Jared bate uma vez.

— Isso é um não? Tô confuso — Jensen ri, e droga se esse sorriso não o faz derreter como um picolé no sol.

Jared bate duas vezes.

— Ok. — Jensen responde e se acomoda ao seu lado tentando ficar o mais confortável possível — Depois que eu fiquei ... bem, tudo me faz sentir medo. Eu sinto que a qualquer momento um buraco escuro vai me engolir

Jensen continua — Então, sentir a ameaça, e não vê-la, me faz sentir tão impotente. Eu não consigo me defender, e apenas ...

Jared levanta de sua cama e caminha em direção a cama de Jensen, ele se deita ao lado de Jensen sem pedir permissão, e pega a mão do menino mais baixo. Jared entrelaça seus dedos nos de Jensen, e apenas ficam em silêncio. Apenas sentindo o toque suave de suas mãos.

Ambos estão virados para o teto, suas mãos ainda juntas, Jensen escolhe esse momento pra falar.

— Obrigado, Jay. Por ... só ... — Jared vira seu rosto pro de Jensen, enquanto observa o menino gaguejar. Ele não se controla e avança, lhe dando um beijo gentil na bochecha. Assim que se afasta ele sente seu rosto esquentar. Por que ele fez isso? Amigos fazem isso? Jensen permanece quieto e segundos depois, um sorriso surge nos lábios dele.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...