História Entre o Sonho e Realidade - Capítulo 39


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Camila Cabello, Personagens Originais
Visualizações 34
Palavras 1.075
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Fantasia, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura a tds e espero que gostem....

Capítulo 39 - A grande festa...


 

Camila Cabello

 

O carro escuro estacionou na frente do meu prédio e Ariana saiu, mantendo a porta aberta para mim.

Você está linda – constatou, observando-me. – Como sempre.

Eu estava usando um vestido colado até a cintura com uma saia estilo Marilyn. Era vinho com alguns detalhes em vermelho vivo. A tarde no salão de beleza me deixou confiante que eu estava no melhor da minha aparência. E, além disso, nos últimos dias eu sentia como se estivesse ficando mais bonita. Se é que isso era geneticamente possível…

Ariana não ficava para trás. Sua calça social era justa na medida certa para ressaltar sua bunda, testando o autocontrole de qualquer indivíduo. Sua camisa de seda estava impecável e eu não consegui prestar atenção em mais nenhum acessório que ela usava. Nossa, como ela era gostosa!

Podemos ir – Ariana indicou para o motorista. – Camila, precisamos falar de algumas coisas antes de chegarmos lá. Algumas regras.
Certo – eu parecia uma criança pequena indo para uma festa de adultos pela primeira vez.
Quando chegarmos lá, pode ser que você conheça alguém. Você finge que nunca a viu na vida, entendeu? Nem sequer precisa cumprimentá-la. O mesmo vale para pessoas que você vir hoje. Se amanhã você encontrar um cara que te comeu, na fila do cinema, com a esposa e os dois filhos, você passa direto e não olha pra ele duas vezes. Consegue fazer isso?
Consigo – engoli seco. Aquilo estava começando a parecer cada vez mais “sociedade secreta”.

Era estranho que eu estivesse achando bom?

Vai ter camisinhas em todos os lugares. O uso de camisinha é obrigatório. Se um cara te pedir para dispensar o preservativo, você denuncia pra um dos anfitriões. É proibido. E, na hora de ir embora, todas as mulheres tomam uma pílula. É como a pílula do dia seguinte.
Mesmo quem está tomando anticoncepcional?
Mesmo quem está tomando anticoncepcional!
Tudo bem.
Você não é obrigada a ficar com ninguém se não quiser. Mas deve ser clara e educada. Se não quiser ficar com alguém, só diga “não, obrigada”. O mesmo vale caso você queira ficar com alguém. Você se aproxima e pergunta, se a pessoa não quiser, você respeita e se retira imediatamente. Mas ainda assim pode ser que alguém passe a mão em você. Levante seu vestido rapidamente, coisas do gênero. Isso é aceitável e você não pode reclamar. Se quiser olhar algum homem ou senti-lo, tudo bem também. Certo?
Certo.
Isso é o que vale para os salões. Há quartos privados para as pessoas que se conhecem nos salões. Mas há salas especiais. Nessas salas… não vou poupar palavras, Camila. Nessas salas há orgias acontecendo. E se você entra, você abre mão do direito de dizer não.
Mas como vou saber se quero ou não? Assim que eu entrar na sala vou ser abordada? Como funciona? – eu queria fazer mais umas oito perguntas.
Calma. Há uma zona segura em cada sala, marcada por uma linha no chão. Forma um círculo no meio da sala. Se você vai pro meio do círculo, você quer participar. Se você está fora da linha, só quer observar. Isso não significa que você não pode ser abordada fora da linha. Mas significa que você pode dizer não. Até aqui tudo certo? – Tudo.
Outra coisa. Você pode beijar, abraçar e até dar uns amassos nos salões principais. Mas, via de regra, eles são os locais para conversar. Evite contatos mais diretos nos salões. Sexo nesses locais é proibido.
Nada de sexo em locais públicos. Certo.
Hã? Eu não disse isso. Disse que nos salões principais as pessoas conversam e se conhecem. São dois, logo na entrada. Nesses salões, nudez não é permitida. Mas no resto da casa vale tudo. Até na piscina, por exemplo.
Ah, certo. Mais alguma coisa que eu preciso saber?
Você não pergunta nada e não responde nada. Nada de nomes, telefones, trabalhos, troca de cartões. Nada. Nada de nada. Entendeu?
Mas você disse que as pessoas conversam nos salões. Sobre o que elas conversam?
Sobre o clima, sobre política. Sobre qual charuto ou qual vinho elas preferem. Qual a posição sexual favorita. Se são virgens em sexo anal… Não há assunto vulgar ou constrangedor nesse local. As pessoas vão falar de tudo e você não pode se ofender e nem deve se preocupar em ofender ninguém.
Deve ser uma experiência libertadora – concluí.– Ah! – ela gemeu. – Você não faz nem ideia.

A casa era imensa e linda de um jeito quase imperial. Ficava afastada o suficiente da cidade para que a festa não chamasse atenção, mas não longe o suficiente para que a viagem não valesse a pena.

Eu não estava conseguindo fazer meus pulmões funcionarem normalmente, então puxei o ar vagarosamente. Sentia meu coração explodindo na minha garganta.

Preparada? – Ariana perguntou ainda do lado de fora.
Vamos lá. Botar minha lingerie nova pra trabalhar – brinquei.
Você veio usando lingerie nova? – ela estava incrédulo.
Comprei hoje – confirmei, confusa.

Ela balançou a cabeça, sorrindo.

O que foi? As mulheres vêm para esses eventos com roupa íntima vagabunda, por acaso?
Não. Elas vêm sem roupa íntima, Camila.
Como você pode ter certeza?

Ela estava balançando a cabeça mais uma vez e rindo da minha inocência.

Se você vem com roupa íntima para uma festa NH, ela acaba destruída ou perdida.
Você não está usando nada?
Claro que não – ah, como eu adorava aquele sorriso safado.
Pois eu te garanto que consigo sair daqui do jeito que entrei.
Quer apostar? – a safadeza não tinha abandonado seus lábios.
Tudo bem. O que você sugere?
Aposto que você não consegue sair daqui com suas roupas íntimas inteiras. Na verdade, não acho sequer que vai sair daqui com qualquer peça da sua preciosa lingerie.
E o que o vencedor leva?
Depende. A aposta é simples ou interessante?
Acho que você sabe a resposta.

Ela riu satisfeita.

Sexo oral. O perdedor paga pro outro.

Eu não conseguia parar de imaginá-la nua por baixo daquelas calças sociais. E quando as palavras “sexo oral” saíram de sua boca, tive certeza de que seria capaz de gozar só fazendo um boquete nela.

Era vitória de qualquer jeito. Só tinha um detalhe…

Não estávamos “prolongando o prazer”? – provoquei.
Sexo oral não conta – ela me ofereceu o braço.
Ah, não? Então está apostado – segurei o braço que ela oferecia e entramos na casa.

Chupá-la seria uma delícia, com certeza. Mas acho que ainda preferia que ela me chupasse. Não ia perder minha lingerie de vista.

 

Continua...


Notas Finais


Por ficar tanto tempo sem posta hoje teremos uma pequena maratona... " DIVIRTAM-SE "


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...