1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Quatro Paredes (Lara Jean e Peter Kavinsky) >
  3. Panquecas Para O Café da Manhã

História Entre Quatro Paredes (Lara Jean e Peter Kavinsky) - Capítulo 5


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leituraaaa

Capítulo 5 - Panquecas Para O Café da Manhã


Fanfic / Fanfiction Entre Quatro Paredes (Lara Jean e Peter Kavinsky) - Capítulo 5 - Panquecas Para O Café da Manhã

Peter

Passei os próximos quarenta minutos organizando meus pertences no meu novo quarto, ainda meio indeciso de como eu deveria guardar cada coisa. Além das roupas, consegui trazer comigo alguns livros e outros objetos de valor pessoal, como meu notebook e um bonequinho de porcelana que ganhei da minha avó no meu aniversário de 10 anos. No dia seguinte eu trarei o resto das coisas.

Noto que a roupa de cama estava recém trocada e que Lara Jean havia separado cobertas pra mim. Sei disso porque o lençol ainda está com marca de dobrado e as cobertas, com cheiro de guardadas. Sorrio comigo mesmo e faço uma nota mental para agradecê-la por mais isso, já que lençóis são uma prioridade que eu havia esquecido de trazer.

Enquanto termino de guardar minhas roupas, minha cabeça me leva de volta para o fim de tarde daquele mesmo dia, quando contei aos meus pais que estava saindo de casa. Eu estava com pressa, tinha acabado de sair da faculdade e estava animado com a situação toda. Minha mãe perguntou o motivo de tanta euforia, eu contei que estava me mudando e meu pai acabou escutando. Ele nem ligou, pra falar a verdade. Soltou um comentário ou outro sobre eu já ter vinte anos e somente agora ter arrumado um lugar pra ficar, e que já estava passando da hora. Minha mãe, por outro lado, tentou me convencer a ficar. Ela não queria que eu saísse de casa nessas condições, disse que queria tentar melhorar a situação entre a nossa família e eu, mas não dei ouvidos. Já era tarde demais pra concertar as coisas. Ela deveria ter pensado naquilo mais cedo.

Fiquei triste mesmo por Owen. Ele ficou mexido de verdade com a minha saída, mas tentou não demonstrar. Estava crescido demais pra se mostrar abalado, pelo menos era isso que ele transparecia. Mas eu sabia que ele tinha ficado chateado e prometi a ele que viria visitá-lo com frequência.

– Como vai a arrumação? – pergunta Lara Jean, chegando sorrateiramente, o que me fez pular de susto.

– Deus, Covey! Você me assustou! – falo com a mão no peito. Ela gargalha.

– Se se assustou é porque estava fazendo coisa errada.

– Colocar roupas em cabides virou crime agora? – Ela ri e vem até mim, pega uma blusa minha e um cabide e passa a me ajudar a guardar as roupas. – Ah, obrigado pelo lençol e as cobertas. Eu ia trazer, mas acabei esquecendo.

– Sem problemas – diz apenas.

Percebo que ela queria dizer alguma coisa, mas está tímida demais para puxar assunto. Lara Jean é uma pessoa tímida, sempre foi. Pelo menos quando eu a conheci, ela era. Falava pouco e observava bastante.

– Pode falar, Lara Jean – cutuco seu braço com meu cotovelo.

– O que? 

– Eu sei que você quer perguntar algo.

– Eu… – ela sorri. – Você e a Gen. Durou?

Eu solto uma risadinha nasal e olho para o chão. Não pensava em Genevieve há bastante tempo, na verdade. Eu e ela ficamos juntos por mais um mês depois que o sétimo ano acabou, já que Gen se mudou de cidade no fim do ano por causa dos pais dela e o relacionamento a distância não estava dando muito certo, até porque nós éramos muito novos. Eu só não entendo como Lara Jean pode não saber disso.

– Durou mais um mês depois que ela foi embora – respondo, guardando a última peça de roupa no armário e me virando para olhar Lara. – Ela terminou comigo dizendo que não aguentava um relacionamento sem poder me ver. E aliás, como você não sabe disso?

– Bom, você mudou de período na escola e eu e você nunca mais conversamos porque nós éramos amigos por causa da Gen. E assim que ela foi embora, ela parou de falar comigo por algum motivo que eu não sei até hoje qual é.

Nós éramos amigos por causa da Genevieve? É isso que Lara Jean pensa da nossa amizade?

– Meu palpite é que ela queria se livrar de nós dois – falo, tentando não parecer abalado com seu comentário.

Pelo menos pra mim, minha amizade com Covey era importante, apesar de termos deixado de nos falar aos poucos depois que eu mudei para o período vespertino na escola. Eu adorava que ela fosse melhor amiga da minha namorada, pois assim eu tinha um motivo pra ser amigo dela também sem parecer estranho pra Gen. Lembro que Lara Jean ficava com raiva de mim por eu sempre ganhar dela no Jogo da Velha, ou em qualquer jogo, e houve um dia em que eu ganhei tantas vezes que ela ficou sem falar comigo por dois dias. Depois disso, comecei a deixar ela ganhar, mas ela não sabe disso até hoje.

– Hey, você quer ir tomar um banho? – Covey pergunta. Devo ter feito uma cara de espanto, pois ela logo trata de se corrigir. – Quero dizer, você, sozinho! Sem mim! Porque eu tenho toalhas pra emprestar, caso você não tenha trazido e…

– Calma aí, Covey! – gargalho. – Eu quero sim tomar um banho, e sem você, não se preocupe. E eu trouxe toalhas.

Ela está toda vermelha e não me olha nos olhos de jeito nenhum, o que me faz rir mais ainda. Digo a ela que não precisa ficar com vergonha, dou um tapa no seu rabo-de-cavalo e vou procurar uma toalha.

Na manhã seguinte, acordo bem mais cedo do que Lara Jean porque quero deixar o café da manhã pronto para quando ela acordar. Achei que seria legal da minha parte fazer algo do gênero pra mostrar que posso ser prestativo, além de ganhar a confiança dela pelo estômago. Cozinho razoavelmente bem na minha opinião, embora não pratique com tanta frequência.

Levanto da cama uns cinco minutos depois do despertador tocar às 5h30 da manhã. Ainda estava amanhecendo e fazia muito frio. Corro pro banheiro, tomo um banho rápido e bem quente e me visto com uma calça jeans azul, uma camiseta casual verde escuro e um casaco quente preto.

Dormi perfeitamente bem essa noite, fui me deitar cedo e peguei no sono rápido. Mesmo que o ambiente seja novo, eu me sentia confortável e acolhido, o que facilitou bastante pra que eu pudesse ficar à vontade. Covey trata as pessoas muito bem e é bastante receptiva.

Assim que termino de me vestir, vou para a cozinha e procuro ingredientes para fazer panquecas na geladeira. É bastante padrão pra um café da manhã, mas era fácil de fazer e eu não teria complicações na hora de cozinhar. Além disso, na geladeira de Lara Jean não há muitas opções. Aparentemente ela não gosta muito de fazer compras.

Já havia achado tudo o que eu precisava e estava preparando a massa quando ouvi Covey saindo do quarto e entrando no banheiro. Logo em seguida ouço o barulho do chuveiro, o que me garante mais alguns minutos pra deixar tudo pronto. Me apresso, coloco a frigideira no fogo e começo a aquecer a massa.

Quando Lara Jean saiu do banheiro, eu já estava com o café quase pronto e terminava de assar a última panqueca. Ela aparece na cozinha vestindo uma calça legging preta, uma blusa meio social amarela com bolinhas brancas e um casaco branco de mangas verdes por cima. Seu cabelo está preso em dois coques laterais e seus lábios tem um tom levemente avermelhado. Posso dizer com convicção que ela está adorável nesta manhã.

– Bom dia, Covey! – falo, abrindo um sorriso largo. – Preparei o café. Panquecas com mel.

– É, eu estou vendo! O cheiro está ótimo.

Alguma coisa nela me dizia que ela estava inquieta. Não consigo saber exatamente o que é, mas ela parece nervosa e não para quieta no mesmo lugar. Ela vem, belisca um pedaço de uma panqueca que estava no prato, depois enche um copo de água e bebe tudo. Quando ela finalmente se senta no banquinho da bancada, começa a batucar os dedos no mármore continuamente. Eu não quis perguntar o que estava acontecendo, pois não achei que tinha intimidade o suficiente com ela pra fazer ela se abrir comigo, então resolvo brincar um pouco para tentar descontrair.

– Hey, Lara Jean – a chamo. Quando ela olha, impulsiono a frigideira pra frente e a levanto rápido, fazendo a panqueca virar no ar. Ela ri e bate palminhas, o que eu diria ser um progresso. – Legal, não é? Quer me ver fazer de novo?

Ela paralisa e me olha com os olhos ligeiramente arregalados. Então, sem mais nem menos, ela desce do banco e sai quase correndo de volta pro seu quarto, me deixando na cozinha sem entender absolutamente nada enquanto minha panqueca queimava na frigideira.


Notas Finais


iii gente qual será o surto da vez? quero palpitessssss
obrigada por lerem 💘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...