1. Spirit Fanfics >
  2. Entre quatro paredes (malec) >
  3. Agora resta um

História Entre quatro paredes (malec) - Capítulo 15


Escrita por: mafiosa_13

Capítulo 15 - Agora resta um


MAGNUS BANE


Tudo estava indo conforme o dia até que vejo uma mensagem da Clary avisando sobre uma invasão surpresa e quando dei por mim a polícia invadio,atirando em todo mundo,e não satisfeitos levaram meu homem e o meu armalheiro.


Eu ainda estava tentando entender como tudo isso tinha acontecido. Nenhum policial jamais conseguiu invadir o morro e do nada essa vadia faz isso. Graças a Deus essa puta não conseguiu matar ninguém alguns levaram tiros mais estavam bens. 



Eu ainda estava me recuperando do tiro que levei,por sorte não tinha perfurado o meu pulmão e mais sorte ainda eu não ter morrido.


Já tinham se passado seis dias. Seis caralhos de dias sem saber de absolutamente nada! Eu já estava ficando louco sem nenhuma notícia.



Não saber se ele está bem me mata por dentro,eu deveria ter o protegido,e ao invés disso eu o deixo levarem e ainda tomar um tiro. E ainda tinha o Jace,temo que o matem,sabe se lá o que devem estar fazendo com ele nesse exato momento.


Já eram quase uma e meia da manhã eu já estava saindo da boca quando vejo meu celular tocar e o nome rousse  aparecer na tela.


- oi diablo.


- oi ruiva,está tudo bem? Tem notícias do Alec? 



- sim,ele está em um hospital na barra,ele está bem.



- graças a Deus! E o Jace? Teve notícias dele? 



- sim, infelizmente ele não está nada bem diablo,está sendo mantido preso pela Lídia em uma sala no subsolo do batalhão...




- que caralho! E o que eu posso fazer para ajudar? 



- por enquanto. Nada. Se qualquer um de vocês saírem do morro irão ser pegos! Então deixe tudo comigo. 



- eu não posso deixar que faça tudo sozinha pode ser perigoso de mais! 


- não temos outra escolha,além disso eu trabalho melhor sozinha. Sobre o Jace irei dar um jeito de tirar ele daquele lugar ainda hoje se não terá que esperar até amanhã. Já o Alec,eu irei ir ver ele quando eu puder e se der eu mesmo o tiro do hospital,caso contrário iremos ter que esperar Lídia o deixar livre...- escuto ela suspirar.- apenas confie em mim,ok?



- ok.



- ótimo,agora tenho que ir. Se cuida.



- você também. E cuidado.




E então ela desliga. Deixando um silêncio torturante ao meu redor e um barulho enorme em minha mente. 




CLARY FAIRCHILD 



Assim que desligo guardo o celular e observo Lídia e Isac irem embora,eu avia ficado escondida esperando eles saírem do batalhão,eu precisava ver como aquele cabeça de banana estava.


Então me esgueiro pelo batalhão sem que eu pudesse ser filmada pelas câmeras e então vou até a sala que ficava escondida no subsolo. Como eu tinha feito uma cópia da chave não precisaria arrombar a porta.


- meu Deus! - digo em choque colocando as mãos na boca quando vejo o estado em que ele se encontrava. Jace estava preso por correntes que seguravam seus dois braços para trás,usava apenas uma calça cinza que estava encharcado de sangue,seu rosto todo machucado e seu corpo cheio de cortes,o local fedia.- Jace...


- ruivinha...- diz em um fio de voz,apesar de não gostar desse loiro tingido ver ele nesse estado era de partir o coração.


- vai fica tudo bem... - digo pegando com cuidado as correntes que o prendia,estavam pressas com cadeado, mesmo que eu quisesse o tirar não ia ter como,as correntes já estavam em sua carne viva e se eu tentasse quebrar iria machucar ainda mais seus pulsos e no estado que ele se encontra qualquer movimento brusco posso matalo...- me perdoa.. por favor me perdoa...- digo me ajoelhando e pegando em seu rosto.



- não fala as...assim.. 


- eu não posso tirar você daqui...não vou conseguir..hoje pelo menos não.- digo já com a voz embargada.- você tem que aguentar mais um pouco,só mais a porra de um dia... Fala que você consegue...


- já fui torturado antes..ru-ruiva...


- mas não por seis dias seguidos...só peço que aguente mais um pouco..


- por você eu aguento qualquer para...da


- palhaço...até amanhã a noite você já está em casa ..


- eu confio em você.- e então eu lhe dou um beijo na testa,e me levanto indo embora,não poderia ficar mais tempo,Lídia saberá que alguém esteve aqui,mesmo com o meu coração apertando dentro do peito eu vou seguindo em direção a saída.


Mesmo não admitindo para as pessoas e até mesmo para mim eu gosto daquele loiro tingido e vou fazer de tudo para tirar ele daqui até amanhã,mesmo que eu tenha que matar aquela vaca da Lídia! 



[...] 


Eu avia passado a noite toda planejando como tirar Jace daquele lugar horrível,e cheguei a conclusão que iria precisar de ajuda... Ele estava muito ferido e tirar ele sozinha sem ajuda nenhuma seria impossível então chamei uns amigos para me ajudar o único poblema do meu plano era. Não chamar atenção. Até porque apesar do batalhão fechar as cinco ainda sim fica pessoas e guardas aqui vinte quatro horas por dia,até porque não é  apenas um batalhão de operações aqui tem muitos registros e papeladas importantes que podem incriminar muitas pessoas poderosas...


Então quando deu duas da manhã eu comecei o meu plano de resgate,como eu combinei com meus "parceiros do crime" eu iria desligar a energia do prédio interio,e até eles conseguirem arrumar iria demorar no máximo vinte minutos e nesse tempo minha equipe iriam tirar Jace do sub e iriam o levar diretamente para o morro,aonde tinha o posto e o tratariam melhor lá.


- tudo pronto? - pergunto baixo pelo rádio aonde eu mantia um contato com eles que estavam do lado de fora do bope.


- pode crer,ruiva!


- eu vou cortar a energia o resto você seja sabem...


- confia.- responde por fim.


Então com um alicate eu vou até a parte de trás do prédio aonde ficava a caixa de energia e também o gerador de luz,primeiro eu quebro o gerador e depois vou para a caixa,aonde eu vou puxando os fios os soltando e dando uma queda geral no prédio,observo a câmera que tinha um pouco a frente e então vejo ela desligar e recair,"que o plano comece" penso comigo.


- agora!- digo baixo pelo rádio.


- a gente se encontra na favela,ruiva.- diz por fim,como aviamos combinado eu iria desligar a energia,eles iriam pegar o Jace e depois nos encontraríamos na rocinha.


Sem mais esperar e já ouvindo as pessoas virem para arrumar a energia apenas pego e corro dali,pulando o muro de trás e caindo diretamente emcima de um telhado e correndo pra frente logo em seguida. 


Como eu disse eu avia planejado tudo a noite inteira então já sabendo por ontem eu fugiria apenas deixei o carro na rua de trás.


[...] 



- sério,nem sei como te agradecer.- diz diablo vindo me dar um abraço.- se não fosse por tu ele taria fazendo companhia pro capeta agora....- não contenho a risada.


- fica de boa,somos irmãos,crescemos juntos,somos família,não tem que agradecer. Sei que ele faria o mesmo por mim.


- com certeza ele faria,assim como todos os crias daqui.


Realmente,podem falar de tudo sobre nós que moramos na favela mas nunca podem falar da nossa lealdade e amor uns pelos outros e de como dariamos nossas vidas para salvar um de nós se necessário.


- agora deixa eu ir,tenho que dar uma descansada antes do próximo passo.- digo me despedindo de todos.- amanhã eu colo aqui de volta pra ver como o cabeça de banana está,e também precisamos conversar mas vamos deixar isso para amanhã.



- é nois.


- tchau gente.


- se cuida,ruiva.


[...] 



- PORRA! DROGA!- escuto Lídia gritar do outro lado da sala.- não é possível! Como o pegaram? Esses filhos da PUTA! - ela realmente estava tendo um ataque nos nervos.


- fica calma,caralho,quer que todo mundo daqui escute? - Isac dizia calmo,como se quem não se importasse nem um pouco.


- como quer que eu fique calma? Eles entraram aqui e o levaram,debaixo dos narizes de todo mundo! 


- ele teve ajuda de alguém de dentro. 


- claro que teve! Mas quem? 


- não sei,mais está muito mais próximos a nós do que eu imaginei...


Eles são tão burros e lerdos que não percebem o que está bem a frente deles,mesmo se eu já não estivesse ajudando o diablo outra pessoa iria,até porque aquele homem tem o rio sobre os pés,mesmo não podendo sair do morro ele é o cara mais perigoso e principalmente poderoso desse rio. 


Agora eu só preciso dar um jeito de encontrar o Alec e tentar conversar com ele,verificar se ele está bem e dar um jeito de levá-lo de volta ao morro e depois começar o próximo passo. "Matar Lídia branwell."





Notas Finais


Espero que tenham gostado e desculpe os eros não tive tempo de revisar...


Até o próximo capítulo ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...