1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Rosas e Espinhos. >
  3. Uma Dama Entre As Damas

História Entre Rosas e Espinhos. - Capítulo 2


Escrita por: Rayssa-Alencar

Capítulo 2 - Uma Dama Entre As Damas


Fanfic / Fanfiction Entre Rosas e Espinhos. - Capítulo 2 - Uma Dama Entre As Damas

como eu amava o meu reino,eu costumava sair do castelo e passear  entre as redondezas,mais com o tempo depois que eu completem 15 anos eu parei,agora eu tenho que fazer papel de dama dentro do castelo. Como filha do Rei eu deveria ser a mais bela é bem aruamada é com uma postura acima das  demais,isso me deixava por incrivel que pareça  muito constrangida,nunca  gostei da ideia de ser  melhor doque os demais, sempre aprendi com a minha Ama Verena que Deus quer que nos sejamos iguais, ninguém assima do outro.

Nesses dias eu estou me sentindo muito sozinha, eu ganhei aos 10 anos uma madrasta, a Rainha Margareth, era uma mulher linda e vaidosa com lindos cabelos negros e sempre gostava de vestir vestidos da cor vemelha e Carmim,era uma otima pessoa mais era muito exigente, diferente do meu pai que era um homem reservado e muito caridoso. Hoje eu fui vizitalo em seu escritorio real,ele estava consentrado em um mapa sera que ele iria fazer dinovo uma guerra? Eu odiava guerras, tomare que isso não passase de coisas da minha cabeça. Quando eu entrei ele me olhou e sorriu.

—Ola minha Dama preferida.. o que veio fazer aqui? Me ajuda nos assuntos politicos?

—Não papai..eu vim aqui para perguntar se ja resolveu o assunto das crianças órfãs,eu queria que o senhor criasse novos Orfanatos para elas, a pobrizinhas não tem nem o que comer, o senhor como rei deveria saber disso.

—Minha filha..eu ja providenciem isso a muito tempo,as crianças vão ter que esperar por um bom tempo, o assunto entre mim é o Reino de Grannada não esta nada bem,o rei deles não passa de um bebado tolo.

—Roberth o Gordo...ate hoje não entendo o porquê dele ter virado rei, ate um campones saberia governa melhor que ele.

O papai sorriu para mim é voltou a olhar o mapa, eu temia muito que o tolo do Rei Robert vizese alguma tentativa de uma guerra saguinaria, so de pensar isso me deixava com um frio na espinha. Eu me aprocimei dele é botei as minhas mãos no ombro dele, e depois o abraçei,eu não queria perdelo, muitos reis da morreram em campo de guerra,não quero que isso aconteça com a nossa familia,ele botou a mão no meu docilmente e sorriu.

—Minha doce filha..não se preocupe,se eu morrer você ira ficar com a sua Madrasta que lhe ama muito, junto dos criados que te conhecem desde de criança.

—Mais eu não quero que você morrar papai..eu lhe amo muito! Disse com lagrimas nos olhos.

—Eu também te amo minha rosa, mais eu vou sempre fica ao seu lado não importa o que for, você é uma menina muito inteligente,se eu morrer você não ira ficar perdida ou sem saber o que fazer, minha filha eu confio em você mais doque eu proprio, mais doque os meus bravos companheiros de guerra! Você e tudo para mim minha filha, você é o meu tesouro precioso,desde da morte de sua mãe você é a unica coisa que me importa,agora va.

Eu o abracei é sair, Enquanto eu andava pelos corredores eu  vi a minha Ama Verena,ele estava deveria esta correndo atras demim,pois estava com uma expressão cansada.

—Aonde você estava menina? Perguntou ela rudimente.

—Oh..me disculpe Verena eu estava conversando com o meu pai, eu estou preocupada e temo se ele vai ou não para uma guerra, não quero perdelo.

—Não seja boba menina! E apenas uma discussão politcia boba! Não vai acontecer nada demais é so mais uns dos chiliques do idiota do Rei Roberth! Venha vamos você precisa estudar enquanto eu vou a feira. 

Disse ela me puxando pelos braços,eu realmente não entendia como uma senhora de idade como ela conseguia correr tanto é andar tão rapido,eu fiquei na biblioteca lendo os meu livros e estudando a lingua alema, estava muito entediante,eu queria sair do castelo,fiquei andando para o lado e para o outro quando eu resolvi sair,peguei um manto azul e botei o meu rosto escondido estre o capus, sai com a cabeça baixa pela saida de tras do castelo é fui ate a cidade,a feira era um local muito agitada pessoas vendendo animais e alguns soltos correndo enquanto o vendedo corria atras deles.

Eu fui andando sobre a feira e vi um casal se irmãos afrente de uma taberna que vendia pão, eles pareciam esta pedindo, mais o vendedor rudimente recusou dar a eles algo para enxer a sua bariga. Eu me aprocimei deles peguei dois pães e joguei a moeda no bote aonde ficava as outras,enquanto as crianças olhavam é comiam os paes encantadas, o verdedor aos pés a cabeça.

—Quem você!? Que eu nunca vi por aqui? E uma viajante sem rumo?

—Não lhe enteresa! O que me encomodou muito foi você recusa dar um mizero pao, a essas pobres crianças! Como pode ser desse jeito? Um rude e sem coração!?

—Ora ora garota! Eu ja vivo sozinho aqui tendando vender esses pães! Agora ver se não encher e sai daqui! 

Eu não liguei e sai em direção ao outro lado da feira, quando cheguei la eu vi um jovem que parecia sair de um lugar aonde seria um putero,era lógico que era, ele era forte e tinha cabelos loiros lisos e olhos verdes azulados, mesmo sendo um pouco magro ele era forte e tinha ombros largos, parecia ser um soldado so que estava vestindo roupas de campones,ele parecia esta cansado depois de uma longo noite que concerteza teve com uma mulher, eu não prestem muita atenção e continuem andando,até eu ver a Verena. Eu me aprocimei dela é quando ela me viu me olhou surpresa e assustada,concerteza ela iria dar um chilique.

—O que você esta fazendo aqui princesa!? Seu pai sabe que você esta aqui? Se ele soube ele vai ficar uma ferra!

—Calma! Disse rindo.–Ele não vai saber! alias eu prometo que vai ser so uma vez, não vai acontecer dinovo.

—Ah! Isso é ótimo! Esse lugar não e adeguado para uma dama! E melhor sairmos daqui agora mesmo.

Sairmos em direção ao um beco que levava para a cozinha do castelo,mais logo sentimos passos atras da gente, olhei para tras e vi dois homens encapuzados todos de pretos. Eles correram e pararam na nossa frente eles tiraram espadas e apontaram elas para nos, Verena olhou assustada e tremendo de medo.

—Se você querem dinheiro eu dou para vocês! Agora saiam daqui! Porfavor.

—Não queremos dinheiro! Queremos a sua cabeça sua mizeravel! 

Disse um dos homems avançando para cima demim, mais antes dele crava as espada em meu corpo o jovem loiro botou a sua  espada entre a dele é os dois começaram a Duelar, logo ele encravou a espada no pento do homem que caiu morto o outro saiu correndo deixando o "companheiro" para tras. 

—Você estão bem? Perguntou o jovem.

—Estamos sim graças! a sua ajuda milorde. Disse Verena encatada.

—Otimo! E você linda Dozela tambem  esta?

—Eu estou bem sim..Você sabe quem era aqueles homens?

—São do clã obscuro,são rebeldes que odeiam a Monarquia,sorte sua de não fazer parte dela.

Eu tirei o meu capus é mostrei a minha verdadeira aparencia,ele me olhou encantado enquanto Verena me olhava surpresa.

—Sou Katherine  Pendragon, filha do Rei Guilherme,eu como unica herdeira do trono agradeço você Jovem guereiro por ter me salvado, muito obrigada.

Ele ficou olhando corado para mim é sorriu, então eu e Verena fomos em direção  ao castelo,eu queria saber de quem era aquela facção,sera que era de algum lorde que não sabiamos!? Ou avia algo envolvido com o Rei Roberth? Isso não tinha acontecido durante esses tempo no reino de meu pai seja o que for deveria acabar o mais rapido  possível.









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...