1. Spirit Fanfics >
  2. Entre Segredos e Enigmas >
  3. Cê tá bem?

História Entre Segredos e Enigmas - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Cê tá bem?


Uma semana se passou desde que o Rafael ameaçou expor meu segredo a todo mundo e ainda me pediu ajuda.
Foi insano da minha parte ter falado que ajudaria, só que negar ia ser um pouco suspeito. Ainda tô pilhada com o que ele disse sobre rastrear o IP e se ele estiver mentindo?
Continuei com as lives, que só cresciam em audiência. Na sexta feira bati meu recorde de 1.900 pessoas me vendo jogar um jogo bem básico de fazer bolo e entregas que tinha um timer, aceitei jogar por zueira e nesse dia estava usando a voz da Agnes do Meu Malvado Favorito, o que fez meus surtos de ódio serem mais legais.
O assunto Cellbit parou de surgir nas lives e eu até percebi que ele não atualizava nada há mais de uma semana, isso tava começando a ficar muito estranho.
Até o Pedro que é um grande fã estava começando a achar estranho também.
Hoje, é sábado e minha vó viajou pra ver meus pais, só volta na quinta, usou um pouco do dinheiro que dei a ela e um pouco das próprias economias que ela havia guardado na poupança. Dei a desculpa de que ficaria na casa do Pedro, com a tia dele observando nossos passos e que ligaria todo dia pra dar um boletim detalhado do meu dia, me sentia uma criança de seis anos.
Já eram oito horas quando comecei a live do dia. O Pedro viria me buscar as nove e desde que eu não passasse desse horário, minha identidade secreta estava a salvo.
Usei a voz do Robin, dos Teen Titans. Eu sei que é infantil, mas amo muito esses personagens, não por serem heróis, mas por terem um passado sombrio.
_O que querem que eu jogue hoje?
"Podia fazer a live de hoje assistindo tik toks"- alguém sugeriu
_Pode ser.
Abri o Twitter com a conta que criei pro Zeus e pesquisei alguns vídeos que estavam mais em alta.
O lance do Tik Tok é pegar um bando de adolescente retardado do mundo todo e deixar eles expressarem suas idiotices e o pior, tem uns que viram virais. Os mais famosos são aqueles que tem casal e um deles troca o outro por alguém que tá passando perto, o que não tem sentido nenhum.
_Achei um Twitter com vários vídeos desses, deixa eu colocar! Ja sei que isso vai dar merda.
Vi a conta do Pedro logar na live, ou seja, ele estava em casa e eu estava segura.
_Vamos ver se eu entendi, por que esse caralho é cheio de plot. O garoto tá com a namorada, ela pega um frasco com um cara que tá passando e da a ele, ele bebe e desmaia. Depois a gente vê que os dois retardados colocaram veneno na bebida, mas o outro viu, aí ele cospe fora passando pelos dois.
"Não faz sentido esse caralho"
_Parece aquelas novela mexicana, só faltou alguém ficar cego ou cair de um prédio.- falei rindo
Vi outro que não entendi porra nenhuma. Tinha papel higiênico no ventilador e o cara tava com um pano na cabeça e um idiota do lado aplaudindo.
_Chega de internet por hoje, meu cérebro vai derreter daqui a pouco.-gritei
"Te dou vinte reais pra reagir a um vídeo do Júlio Cocielo"
_Não curto muito YouTubers, mas preciso da grana.
Coloquei no YouTube e fui reagir a um vídeo dele. No vídeo ele só respondia perguntas de um jeito bem hilário, o que rendeu muitas risadas minhas, também fazia umas dancinhas estranhas e comia coisas que as pessoas mandavam. Pimenta, cebola, canela, ovo cru.
_Tenho que admitir que gostei desse cara, bem divertido. Outro react?
"Reage a Orochinho, ele parece com você, só fala de rola e palavrão"
_E lá vamos nós.-falei entrando no canal
Foi muito divertido, reagi a uns dez vídeos de YouTubers diferentes e percebi que eles realmente valiam a pena serem assistidos e que mereciam toda aquela fama.
Acabei passando da hora, quando olhei pro relógio já eram dez horas, o Pedro vai me matar.
Quando abri a porta do quarto, dei de cara com ele. Já havia tirado a máscara e já tava pronta pra sair, por sorte.
_O... Oi, como entrou aqui?- perguntei assustada
_Sua vó deixou a chave lá em casa, caso você perdesse a sua, Gina ou devo te chamar de Zeus?- perguntou cruzando os braços
_Quando você chegou?-perguntei o fitando
_A tempo de te ouvir reagir o Felipe Neto e criticar bastante. Quando pretendia me contar? Você sempre foi aquela que dizia que odiava tudo com relação a fazer conteúdo pra internet!
_Pedro, olha, não fica bravo comigo, mas eu sempre amei jogos e agora achei um escape da minha vida.
_Por que não me contou?-perguntou me olhando
_Tive medo de você ficar bravo, como tá agora.
_Bravo? Não estou bravo, estou muito feliz, em saber que você tá quebrando as regras e fazendo o que você gosta, um pouco de mágoa por não ter me contado, mas tá tudo bem.- falou me abraçando
_Te amo!
_Tbm amo você, só que você tá ferrada.
_Eu sei.-falei sorrindo sem graça
_Um cara inteligente pra caralho, famoso por resolver mistérios e enigmas quer a sua cabeça, sinto muito, mas você realmente tá completamente ferrada.
_O que é um peido pra quem tá cagado?-falei rindo
_Você só precisa diminuir o ritmo das lives e talvez criar um canal no Youtube pra ganhar mais dinheiro, com o mesmo mistério, pode falar sobre jogos ou outras coisas que gosta. Lembra de mim se você ficar rica!
_Quem sabe eu não crio? Temos que ir.- falei calçando o tênis

Depois do Pedro me lembrar do Rafael, fiquei mais preocupada do que já estava, já me disseram que ele sempre sumia, mas não por tanto tempo assim.
Depois de ligar algumas vezes pelo whatsapp e ele não atender, resolvi tentar outras coisas.
Entrei no computador do Pedro e fui atrás dos amigos dele.
Depois de quase duas horas fuçando redes sociais e os caralhos a quatro, achei o número do guaxinim.
Liguei e nada, deu caixa postal, então tentei de novo e ele me atendeu.
_Oi, quem é?- perguntou ele com uma voz rouca de quem tava dormindo
Provavelmente estava mesmo, eram quase três da manhã.
_Oi, é uma amiga do Rafael, ele sumiu, disse que ia me encontrar na sexta e nem apareceu, tem notícias dele?
_Bom, não sei muito... Pelo que ele me disse, uma tia dele tava no hospital em coma e ele foi pra Carazinho.
_A cidade que ele nasceu! Sabe se tá tudo bem? Se a tia dele tá melhor?
_Não sei, a mãe dele não gosta muito quando ele ficar pendurado no celular em casa, então eles tem um acordo. Sem celular nas visitas, por isso ele não responde.
_Você tem o número de alguém da família dele? Sei lá, queria muito saber se tá tudo bem.
_Posso fazer umas ligações e te retornar amanhã, pode ser?
_Pode sim, meu nome é Gina, se quiser salvar.
_Sei quem é, ele me falou de você, a garota da biblioteca.
Ruborizei na hora, o que será que eles conversaram sobre mim?
_Preciso desligar, tenha uma boa noite.- falei e desliguei
Agora já sabia um pouco do motivo do sumiço, mas estava impaciente em saber como estava a tia dele.
O Pedro dormia num colchão no chão e eu na cama dele. Me parecia muito injusto, mas ele sempre insistia.
Deitei na cama e peguei no sono rápido.
Acordei dez horas da manhã com uma chamada.
_Alô.- falei sem nem olhar quem era
_Bom, a tia dele morreu e ele tá voltando pra casa amanhã.
_Que merda! Sinto muito por ele.
_ Acho que ele vai tá onde você mora, num bar com nome estranho. Acho que é Country lounge!
_Sei onde é, obrigada por me avisar.
_Foi um prazer.- e desligou
Sacodi o Pedro, precisava conversar com alguém. Não perdi tantas pessoas assim na minha vida, mas sei que dói muito.
_A tia dele morreu, ele vem pra cidade, acho que vai encher a cara pra tentar aliviar a dor.
_Até imagino, deixa eu adivinhar, você quer ir ver ele?-falou bocejando
_Não seja idiota, ele só vem amanhã.

Passei o dia todo no automático.
Caminhava de um lado ao outro, comi pouca coisa, o que era estranho pra mim e não fiz live nenhuma. Seria difícil fazer Live na casa do Pedro, estava sem os equipamentos e o cenário era outro, o que podia causar espanto.
_Como você tá?- perguntou o Pedro
_São dez da noite, hora de ligar pra minha vó.
_O boletim diário?
_Sim.
Quando o telefone foi atendido, ouvi as vozes familiares dos meus pais.
_Como vocês tão?
_O Rio de janeiro continua lindo.- disse minha vó
_Tá gostando do passeio? Como que tá a mãe e o pai?
_Tão bem, felizes em me ver. Já visitei muitos lugares, comprei roupa nova pra você.
_Obrigada! Eu passei o dia na casa do Pedro, não sai. Domingo é um dia de tédio.
_Muito bem, lembre que tem aula amanhã.
_Sei disso, último dia de aula.
_Tenho que desligar, vamos jantar fora.
_Tá muito burguesa dona Karen.
_Eu posso.- falou rindo
Não ia nem a pau pra escola.
A morte de um ente querido pode ferir ainda mais quem sofre de ansiedade ou depressão, não queria que ele passasse por tudo isso sozinho e não vou deixar.
A noite foi longa.


Pela manhã, depois de fazer minha famosas panquecas pro Pedro e a sua tia, recebi uma mensagem do Rafael.
_Podemos nos encontrar na biblioteca?- perguntou com voz rouca
_Sim, que horas?
_Agora, pode ser?
_Pode sim, me espera que não vou demorar pra chegar aí.- falei 
O rosto dele era de quem havia chorado, seus olhos estavam um pouco vermelhos e pela primeira vez desde que nos conhecemos, ele me abraçou. Não sou uma pessoa que gosta muito de abraços, mas entendi que ele realmente estava precisando.
Acolhi ele, com todo o afeto que podia oferecer.
Sentamos pra conversar.
_Quer contar?-Perguntei o olhando com cara de compreensiva
_Ela tinha câncer, já esperávamos que isso podia acontecer a qualquer momento, era no cérebro.
_Sinto muito mesmo.-Falei estendendo minha mão, que ele pegou
_Ela nem me reconheceu quando fui visitar no hospital.-falou desviando o rosto e deixando a lágrima cair
_Tá pensando em voltar pra casa?
_Nem sei o que devo fazer!
_Vamos ficar comigo lá na casa do meu melhor amigo, não quero e nem posso te deixar sozinho.
_Tá bom, vou sim.
Sai dali torcendo pro Pedro achar que era uma boa ideia e que a tia dele não tivesse um surto, ela também é fã do Cellbit.










Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...