História Entre Sorte e Azar - Oh Sehun - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Exo, Exo-l, Hetero, Kpop, Oh Sehun, Sehun
Visualizações 122
Palavras 4.364
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cá estamos nós novamente!!
E aí? Como foi a semana de vocês? A minha foi um corrida, mas não falta capítulo para vocês queridos <3
O capítulo de hoje está (como diria um amigo) intrigante, espero que aproveitem a leitura :)

Capítulo 5 - Q u a t r o


Fanfic / Fanfiction Entre Sorte e Azar - Oh Sehun - Capítulo 5 - Q u a t r o

ᴄᴀᴘíᴛᴜʟᴏ 4 - sᴇ ᴀ ᴠɪᴅᴀ ᴛᴇ ᴅá ʟɪᴍõᴇs...


Ainda surpresa com a situação, endireitei minha postura já preparada para os gritos e acusações.

– Me desculpe a intromissão, mas onde estão os livros da escritora Sook Shin? Só não me diga que aquele jovem está levando é o último, por favor...

Surpresa, deixei escapar o ar de meus pulmões, o rapaz evidentemente não havia me reconhecido. O alívio percorreu meu corpo e meu cérebro começou a processar a sua pergunta. Devido ao grande número de procura os livros que estava nas prateleiras tinham acabado e o Hyun Jae tinha ido no estoque pegar mais.

– Não, não, ainda temos um grande número de exemplares no estoque, nosso vendedor foi buscar mais. Peço que tenha um pouco de paciência. – Me apressei em responder lhe exibindo um sorriso tenso.

– Já não faz diferença mesmo, meu dia de folga foi totalmente arruinado. – Ele falou de forma melancólica o que me fez sentir culpada.

– Me desculpe, juro que não foi a minha intenção arruinar o seu dia... – Disse sem pensar.

– Não precisa se preocupar, a culpa não foi sua. Ter que esperar mais alguns minutos para comprar um livro não estragou meu dia. Um furacão com cabelos de ninho de passarinho que me atropelou mais cedo, estragou meu suéter preferido que ganhei da minha omma e nem teve a decência de assumir a responsabilidade pelos danos que me causou. Além de estragar meu suéter, fez com que eu queimasse todo meu tórax com o café quente que derramou em mim, sorte que não foi nada grave. E como se não bastasse ainda me deixou esse suéter horroroso e cafona!Essa sim é a responsável por ter arruinado meu dia.– Disparou suas ofensas me deixando furiosa, pois era nítido que ele era apenas um cara fútil e bossal.

– Eii! Eu estava atrasada, okay?! Não foi a minha intenção te atropelar, foi um acidente e eu pedi desculpas! Até lhe dei meu moletom preferido que tem um valor sentimental enorme para mim para que você pudesse vestir e não ter que ficar andando por aí com a roupa manchada, você devia estar agradecido! – Resmunguei indignada.

Quando terminei de falar pude ver o brilho de reconhecimento no olhar dele juntamente com o de fúria.

– Então é você?! Sem aquele ninho de passarinho mal feito na cabeça eu quase não lhe reconheci, mas olhando bem é você sim! – Disse ele pegando no meu braço. – Ótimo ter encontrado você sua lunática, precisamos conversar a respeito de como você vai pagar pelo meu suéter, a queimadura no meu tórax e pela humilhação que me fez passar por ter que andar por aí com algo tão medonho como esse moletom!

– O lunático aqui é você! – Retruquei puxando meu braço de volta. – E se meu moletom é assim tão medonho e faz você se sentir humilhado por vestir ele, me devolva agora! – Disse tentando puxar o moletom.

Nessa momento, o óculos e o boné que ele usava caíram no chão. Ele conseguiu escapar das minhas mãos, tirou a máscara e me encarou irritado.

– Você está louca? Acha que se eu tivesse usando algo por baixo dessa coisa medonha eu não já teria tirado essa cafonice?! – Esbravejou enfurecido.

Antes que eu pudesse lhe responder qualquer coisa algo inusitado aconteceu.

Uma jovem que tinha acabado de entrar no corredor onde nós dois estávamos discutindo, assim que viu o cara ao meu lado começou a gritar chamando a atenção de algumas pessoas para nós.

– Ai. Meu. Deus. SEHUN OPPA! AHHHHHHHHHHHHHH! É O SEHUNNIE DO EXO! – Ela berrou dando pulinhos, apontando para o rapaz ao meu lado.

– Droga... – Xingou baixo sorrindo sem graça e acenando enquanto dava alguns passos para trás me levando junto com ele.

– Você é membro do EXO? Sério isso? – Perguntei ao ver que muitas garotas começaram a sair da fila de autógrafos e vim em nossa direção.

– Eu preciso sair daqui antes que a situação crie proporções maiores, tipo agora. – Falou ele pegando na minha mão. – Tem algum lugar em que eu possa me esconder enquanto penso em algo para sair dessa situação?

Minha cabeça dava voltas. O cara que eu atropelei mais cedo não era apenas um fútil, bossal, mas também um cara famoso. Depois do meu encontro com a escritora Sook Shin, eu achei que a sorte finalmente tinha sorrido para mim mas como dizem quanto maior a ilusão mais dura a realidade.

– Por aqui. – Arrastei ele comigo para o estoque.

Quando abri a porta, esbarrei com o Hyun Jae fazendo-o derruba as caixas que estava. Levantei imediatamente e fechei a porta antes que alguém entrasse.

– Pelo visto causar acidentes é a sua especialidade. – Disse meu cliente ilustre ironicamente.

Rapidamente me voltei para o Hyun Jae que estava sentado no chão me olhando com um olhar confuso.

– Hye Jin você pode me explicar o que está acontecendo? Porque o Sehun do EXO está no estoque da loja usando o moletom que eu lhe dei de natal? – Por um momento fiquei surpresa pelo fato do Hyun Jae reconhecer o cara ao meu lado.

– Vejam só! O namorado dela me reconhece mais ela não, acho que precisa resgatar sua namorada da selva que ela vive por que com certeza ela não vive no mundo civilizado. – Sehun falou forma irônica para Hyun Jae.

– Ele não é meu namorado! – Gritei para o Sehun irritada. – E desde quando você conhece grupos masculinos de K-pop Hyun Jae?

Eu não estava entendendo mais nada naquele momento.

– EXO é o grupo preferido da Soo Bin. Como eu e ela trabalhamos no mesmo setor, sou obrigado a ouvir sobre esses caras o dia todo. De tanto ouvir ela falar deles e me mostrar fotos, acabei memorizando. – Respondeu ele casualmente. – Você também deveria saber uma vez que ela já lhe mostrou diversas vezes coisas sobre eles.

Depois de ouvir essa resposta me dei conta do quanto eu sou desligada e sempre estou com a cabeça tão cheia de coisas que ultimamente não tenho prestado atenção nos meus amigos. Encarei o homem ao meu lado e de fato Soo Bin já tinha me mostrado várias fotos dele. Me senti uma tola por não ter o reconhecido de primeira.

– Desculpe interromper esse momento tão lindo de vocês, mas precisamos pensar em um jeito de me tirar daqui. – Disse Sehun com uma cara sem expressão.

Agora que Hyun Jae estava em pé ao lado do Sehun, pude notar que os dois tinham o mesmo porte físico o Sehun talvez fosse uns 2 ou 3 sentimento mais alto, mas não era uma diferença tão grande. Acabei tendo uma idéia.

– Vocês dois, tirem a camisa. – Pedi.

– O que?! – Gritaram os dois ao mesmo tempo.

– Está ficando louca Hey Jin? Porque eu faria algo assim? – Questionou Hyun Jae assustado.

– Você realmente deve ser uma espécie de tarada que quer ver meu corpo nu de qualquer forma. – Disse Sehun fingindo choque ao abraçar o próprio corpo como se tentasse se proteger.

– Não sejam idiotas, não quero ver nenhum de vocês sem roupa, mas tive uma ideia para tirarmos você daqui vossa majestade – Respondi de forma irônica. – Hyun Jae vai por o meu moletom que você está usando e vai colocar seu boné, óculos e máscara, e vai lá para fora distrair suas fãs, enquanto você veste as roupas do Hyun Jae e saimos sem levantar suspeitas.

– Isso nunca vai dar certo. Esse cara não tem nada haver comigo, minhas fãs não vão cair nessa. – Disse Sehun olhando para mim como se o que eu tivesse acabado de falar fosse um total absurdo.

– Você tem uma ideia melhor gênio? Porque se tiver estou pronta para ouvir.

Eu estava a ponto de estrangular aquele idiota.

– Na verdade eu acho que a ideia da Hey Jin pode dar certo. – Hyun Jae concordou. – Não precisamos ser iguais, como vou estar com o rosto praticamente todo coberto tudo que tenho que fazer é distrair as fãs por tempo suficiente para ela tirar você daqui.

– Tudo bem, podemos tentar isso. – Sehun finalmente parecia ter cedido.

Então os dois ficaram me encarando como se estivessem esperando algo.

– O que foi? Porque estão me olhando assim? – Perguntei.

– Nos vamos nos trocar Hey Jin, a não ser que nos queira ver sem roupa é melhor se virar – Disse Hyun Jae.

– Eu acho que é exatamente isso que você deseja. – Insinuou Sehun balançando a cabeça em sinal de reprovação.

Rapidamente dei as costas para os dois com o rosto mais vermelho que tomate. Depois de 2 minutos Hyun Jae disse que eu poderia virar.

– Estamos prontos. – Assim que me virei pude ver que realmente tinha sido uma excelente ideia.

– A melhor parte desse plano foi me livrar dessa coisa medonha. – Disse Sehun apontando para o moletom.

– Ei! – Hyun Jae e eu protestamos ao mesmo tempo.

– Eu que dei de presente a Hey Jin, fique sabendo que ela amou! – Hyun Jae disse indignado.

– Isso só prova uma coisa que eu já desconfiava. – Disse Sehun. – Vocês dois tem um péssimo senso de moda.

Revirei os olhos, e resolvi me intrometer antes que os dois voltassem a discutir como crianças.

– Podemos nos concentrar no que interessa agora? Hyun Jae está pronto? – Perguntei indo em sua direção e ajeitando o boné.

– Estou sim. – Respondeu ele imitando uma saudação militar. – Tenha cuidado quando tirar ele daqui.

Pude ver uma sombra de preocupação em seu rosto.

– E você se cuida lá fora. – Disse abraçando ele.

– Tão dramáticos. – Resmungou Sehun.

Abir a porta para Hyun Jae sair. Assim que ele saiu pudemos ouvir a gritaria das fãs, então olhei para o Sehun.

– Agora é a nossa vez está pronto? – Perguntei.

– Vamos logo dá o fora daqui. – Disse ele pegando minha mão.

Enquanto estávamos saindo, ambos andando abaixados entre as prateleiras demos de cara com a gerente.

– Aonde pensa que vai senhorita Hey Jin? – Perguntou ela. – A livraria está uma confusão e você pretende sair de fininho? E quem é esse?

Fiquei em estado de choque. Não conseguia pensar em nada para responder a gerente, parecíamos duas crianças que estavam fugindo do castigo sendo pegas no flagra pela mãe.

Automaticamente comecei a pensar em como seria a vida como uma sem teto nas ruas de Seul mas a voz de Sehun me despertou dos meus devaneios.

– Me perdoe senhora, sou Oh Sehun, membro do grupo EXO. Eu soube da seção de autógrafos que seria realizada nessa livraria e por ser um grande fã da escritora Sook Shin, resolvi vir em segredo para pegar um autógrafo, porém fui descuidado e vim desacompanhado dos meus seguranças. Por um momento me destrai do meu disfarce e fui reconhecido, pedi a ajuda dos seus funcionários para poder sair daqui para não causar transtornos maiores do que já causei. – Sehun falou com uma educação desconhecida por mim até o momento.

Os olhos da gerente do faltaram saltar da caixa.

– C-claro, claro, vão rápido. – Disse ela saindo da frente. – Cuide bem dele Hey Jin, daremos conta das coisas por aqui. Fighting!

– Obrigada gerente. – Disse enquanto levava Sehun em direção a saída.

– Obrigada senhora. – Disse ele.

Enquanto caminhavamos até a porta, pudemos ver alguns seguranças do shopping indo ao auxílio do Hyun Jae, o que me deixou mais aliviada. Conseguimos sair sem problemas, porém conseguimos respirar aliviados quando chegamos ao estacionamento.

– Um obrigado não mata sabia? – Falou Sehun.

– Eu que deveria dizer isso, afinal acabei de salvar sua vida. – Disse incrédula.

– E eu salvei sua pele com a gerente. – Rebateu ele.

– Estamos quites então. – Disse a ele. – Se me der licença, vou voltar ao trabalho.

– Ei, ei, ei! Onde a senhorita pensa que vai? – Disse ele pegando meu braço. – Você ainda me deve um suéter e toda essa confusão onde eu me meti foi sua culpa já que foi você que quis me deixar nu na livraria.

– Mas que diabos, você é um grande mal agradecido! Tudo que fiz foi só tentar lhe ajudar! – Disse indignado. – Quanto custa esse bendito suéter? Se eu pagar por ele você vai me deixar em paz?

Estava decidida a vender até meu rim no mercado negro se fosse preciso para pagar aquele suéter desde que eu me livrasse daquele mal agradecido.

– Mesmo que esteja pensando em vender sua alma não vai conseguir pagar pelo meu suéter, pois ele não tinha só o valor financeiro mas também afetivo. Você me deve muito mais que o suéter, estou com meu tórax queimado por conta da sua imprudência e como se não bastasse você me atacou na livraria. Pode ser presa caso eu resolva dar uma queixa de você por assédio sexual, e além de ser presa certamente você perderia seu emprego. – Listou ele. – Então como pode ver sua vida está em minhas mãos. – Sorriu.

– Que diabos você quer de mim afinal? Já deve ter notado que não tenho grana para lhe pagar pelos seus prejuízos financeiros, então como devo lhe recompensar para que você me deixe em paz de uma vez? Só falta você me transformar em sua escrava para pagar o maldito suéter. – Esbravejei já cansada de tudo isso.

– Eu não diria escrava, você só vai ter que trabalhar para mim por um período de 6 meses. Será o suficiente para você pagar a sua divida. – Respondeu ele com um sorriso na cara.

– Você só pode estar louco! Quer que eu largue meu emprego para ir trabalhar para você? O que você acha que é? Um Deus? Que eu sou sua bonequinha e que você pode brinca com a minha vida da forma que bem entender? É isso? – Esbravejei.

– Em momento nenhum disse para você sair do seu emprego. Eu estou sendo caridoso, encare isso como um trabalho voluntário. Você me deve e não tem como pagar, estou lhe dando uma solução a menos que você queira que eu tome medidas judiciais. Creio que um acordo amigável entre nós seja mais vantajoso. – Disse ele como se estivesse me fazendo um favor.

– Esse idiota só pode estar louco! – Falei andado de uma lado para o outro. – Você comeu algo estragado hoje, só pode.

– Hey Jin, levando em conta todos os acontecimentos de hoje vou lhe dar um prazos de 24 horas para se decidir. – Sehun deu sua última palavra logo em seguida foi até o carro, pegou um bloco de papel e uma caneta. Começou a escrever algo e me entregou o papel. – Esse é meu número e... esse o meu endereço, me ligue quando tiver tomado sua decisão.

– Eu não vou ligar. – Disse amassando o papel e jogando no chão.

– Não seja tão imprudente Hey Jin! – Sehun pegou o papel no chão dobrou e veio em minha direção parando a centímetros do meu rosto me encarando nos olhos. – Acho bom você guardar isso. Caso não tenha percebido, eu sei onde você trabalha e tenho recursos suficientes para descobrir tudo a seu respeito, não vai ser tão fácil você fugir de mim. Lembre-se que eu posso lhe denunciar por assédio e para polícia achar onde você mora não é difícil, então pensa direitinho no que é melhor para você, vir até mim ou esperar que eu vá até você. – Disse ele pondo o papel na minha mão.

Com o Sehun tão próximo senti minhas pernas tremerem, minha respiração se acelerar e tinha certeza que ele ficasse próximo de mim daquela forma mais um minuto eu iria desmaiar.

– Pense direito sobre a minha proposta Hey Jin... – Disse ele indo em direção ao seu carro.

– Tudo isso por causa de um suéter? – Disse quase num sussurro.

– Pode ter certeza que não é só por causa do suéter Hey Jin. – Disse ele entrando no carro.

Antes que eu pudesse perguntar qual o outro motivo ele já tinha ido embora. Pequei o papel, coloquei no bolso e me apressei em voltar para meu trabalho.

Assim que cheguei, pude notar que as coisas na livraria já tinham se normalizado. Quando entrei, a gerente estava a minha espera.

– Hey Jin! – Ela me chamou assim que me viu. – Tudo conforme o planejado? Conseguiu tirar o Senhor Oh Sehun em segurança?

Mesmo com a cabeça girando por conta da discussão que tive com ele no estacionamento me obriguei responder a gerente.

– Sim senhora, consegui tirar ele daqui em segurança. – Naquele momento me lembrei de Hyun Jae e que ele estava se passando por Sehun. – Como está Hyun Jae? Quando estávamos saindo, os seguranças estavam indo ajudá-lo, mas não pude ver mais...

– Ele está bem, mas achei melhor liberá-lo para que ele fosse para casa. Digamos que ele passou por uma situação bem complicada. – Saber que Hyun Jae tinha ido para casa me deixou mais aliviada. Assim que pudesse eu iria ligar para ele e saber como ele estava. – Você também passou por uma situação muito complicada, caso queira ir para casa e descansar, eu assumo as coisas daqui.

Pude ver que a gerente estava muito preocupada com meu estado psicológico diante de tal situação. Imagine se ela soubesse tudo que realmente aconteceu, mas decidi que iria cumprir meu dever até o final, depois eu iria pensar a respeito dos meus problemas.

– Não será necessário senhora, eu estou bem. E com um funcionário a menos, temos trabalho extra. Tudo que a livraria não precisa no momento é de mais um desfalque, então irei cumprir meu dever até o final. – Disse decidida.

– Você não para de me surpreender Hey Jin. – Disse a gerente sorrindo para mim. – Ao trabalho então!

Assim que a gerente se foi, Hwa Young veio em minha direção.

– Pelo visto você realmente quer muito esse cargo de gerente hein. Para chegar ao ponto de usar até mesmo seu melhor amigo para ficar bem com a gerente, meus parabéns Hey Jin.

Aquela vadia parece estar decidida a me tirar do sério. Estava prestes a voar em seu pescoço quando a Soo Bin apareceu e me pegou pelos braços.

– Você è realmente sem escrúpulos Hwa Young, Hey Jin ao contrário de você, nunca usaria os amigos para conseguir o posto de gerente.

– E mais uma vez salva pelo gongo... – Disse ela ao passar por nós.

– Não caia na dela Hey Jin, ela está com inveja, pois a gerente te admira bastante e a escritora Sook Shin ficou encantada com seu profissionalismo. Não deixe essa víbora estragar suas conquistas, e não se preocupe com o Hyun Jae, falei com ele antes de sair, ele está bem, só ficou cansado por ter tantas mulheres esticando ele de um lado para o outro. Ele disse que pela primeira vez ser lindo deixou ele um pouco cansado. – Nós duas rimos. – Se concentre em suas conquistas e trabalhe duro até o fim. – Disse Soo Bin me abraçando.

Continuei meu trabalho, atendendo os clientes e repondo os livros nas estantes como em um dia normal, tirando a parte de ter que ouvir os lamentos da Soo Bin por não ter sido ela a atender o "magnífico Sehun oppa".

O resto da seção de autógrafos ocorreu sem nenhum outro transtorno. No fim, a escritora Sook Shin pediu a palavra para fazer um discurso de agradecimento onde emocionou á todos da nossa equipe por tamanha consideração. Antes de ir embora, ela foi ao meu encontro para se despedir.

– Hey Jin, antes de ir queria muito lhe agradecer pelo dia maravilhoso que tive graças a você, foi uma das melhores seções que eu tive. Obrigada por todo. – Disse pondo um papel em minhas mãos. – Esse é meu número caso um dia queira me ligar para conversar, ficarei muito feliz.

– Eu que tenho que agradecer por ser tão gentil com uma mera vendedora que eu mal conhece. Meu dia só não foi um completo desastre porque conheci você. – Disse lhe dando um abraço. – Pode ter certeza que eu vou entrar em contato em breve!

Após nos despedirmos, fui pegar minhas coisas no vestiário. Todos me esperavam para irem embora. Fechei a livraria e cada um foi para um lado. Peguei meu ônibus e quando estava já em no elevador do meu prédio, recebi a ligação do Hyun Jae.

– Já está em casa? – Perguntou ele.

– Estou no elevador do prédio, falta pouco para me jogar em minha cama, e você, como está? – Perguntei. – Fiquei preocupada quando lhe vi cercado por tantas mulheres enlouquecidas.

– É o preço que tive que pagar por ser tão charmoso. – Disse rindo. – Mas por acaso, a preciosa Hey Jin está com ciúmes?

Continuei a falar com Hyun Jae enquanto andava pelo corredor até chegar a porta de casa e abri-la.

– Não seja presunsoso oppa, minha preocupação foi pela sua integridade física apenas. – Disse enquanto colocava minhas coisa no chão.

– Eu estou com alguns arranhões mas nada grave. Se quiser demostrar sua gratidão sendo minha enfermeira eu gostaria muito. – Hyun Jae fez graça.

– Só se for para jogar sal nos arranhões. – Disse rindo.

– Hey Jin, quando você vai me contar que confusão foi essa em que você se meteu com o membro do EXO? – A voz do Hyun Jae tinha perdido o tom de brincadeira.

A última coisa que eu queria falar no dia de hoje era a respeito desse homem. Quanto a confusão que me meti, nem mesmo eu sei como aconteceu.

– Podemos falar sobre isso amanhã? Hoje eu só quero deitar na minha cama e descansar. – Disse desanimada.

– Tudo bem, entendo que para você o dia foi muito intenso. Realmente, você precisa descansar, mas aí, trata de tomar um banho antes. Estou vendo você só falar em se jogar na cama e esquecendo totalmente do banho, porquinha. – Disse ele rindo.

– Ya! cala boca Hyun Jae! Passar bem e tenha uma boa noite. – Pude ouvir ele rir quando desligue o telefone.

Comecei a me despir, e após tomar um banho gelado e me vestir, fui até o bolso da minha calça e peguei os dois pedaços de papel que tinham lá.

Um com o número e endereço de Sehun, outro com o número da escritora Sook Shin. Estava pensando no que faria com eles quando ouvi a campainha tocar.

É incrível como nunca se consegue paz e sossego quando se precisa.

Assim que abri a porta de cara com síndico do Prédio, Sr. Lee.

– Me desculpe Hey Jin, mas não podemos mais adiar essa conversa. – Pela cara dele pude notar que a notícia não era nada boa e pelo visto o dia tava longe de acabar.

– Senhor Lee... Esse não é um bom momento para conversarmos, tive um péssimo dia, poderíamos conversar amanhã? – Perguntei.

– Não estarei aqui amanhã Hey Jin, por isso não posso mais adiar essa conversa. Você fugiu de mim durante duas semanas, não tem uma forma melhor de lhe dizer isso. É lamentável que tenha que ser tão de repente, mas seu imóvel terá que ser desocupado amanhã, pois seu apartamento foi vendido. – O chão sob meus pés sumiu.

– C-como assim? V-v-vendido? Como pode fazer algo assim sem me consultar?! Para onde eu vou? Como vou desocupar tudo em tão pouco tempo?! – Falei desesperada.

– Sinto muito Hye Jin, mas eu tentei lhe falar várias vezes. Tentei entrar em contato, mas você nunca estava em casa, vivia fugindo de mim com medo que eu lhe cobrasse os aluguéis, não pude fazer nada a respeito. Eu precisava muito do dinheiro, para ir para minha terra natal.

Minha cabeça doía e minha mente dava voltas. Eu estava tonta com tantas informações.

– Como vou desocupar o imóvel em tão pouco tempo? Meu Deus, o que vou fazer? – Perguntei mais para mim do que para o senhor a minha frente.

– Você só precisa arrumar suas coisas mais importantes para desocupar o imóvel, já contratei um firma de mudança e aluguei um galpão por 7 meses para você, assim terá como manter toda a sua mobília. Me desculpa, mas não vou poder fazer mais por você Hey Jin. – Disse ele.

– Eu não sei o que dizer Senhor Lee... Como vou fazer para lhe pagar o que devo? – Minha mente estava á mil.

– Use esse dinheiro pra conseguir outro lugar Hey Jin. Sinto muito por tudo isso ser tão de repente, mas acredite, eu tenho meus motivos, logo você entenderá. Mas uma vez peço desculpas e quanto a sua sorte, não ache que por ser azarada você não é valiosa, pois isso é um grande equívoco. Você é uma boa menina e ao contrário do que pensa, não é azar que você atrai para as pessoas que estão ao seu redor e sim muita luz. Obrigada por ter trazido luz a minha vida durante esses anos em que foi minha inquilina. – Ele disse melancólico, com uma pontada de agradecimento.

Antes que eu pudesse lhe responder qualquer coisa, ele já tinha ido embora. Sem ter muito que fazer diante daquela decisão comecei imediatamente a fazer as malas. Quando terminei, comecei a pensar em para onde iria.

Não poderia ir para casa do Hyun Jae porque logo Hae Won teria alta e iria precisar de descanso, e ter mais alguém na casa só iria ser um incômodo. Soo Bin ainda morava com os pais, eu não teria coragem de pedir a ela para me abrigar.

Enquanto pensava nisso, olhei novamente para os papéis em cima da mesa e achei a solução para o meu problema. Não iria engolir minhas palavras, disse a ele que não iria ligar, mas não disse nada a respeito de lhe fazer uma visita. Sehun tinha me oferecido um acordo e eu iria aceitar, mas com certeza não iria facilitar em nada coisas para ele. Com esse pensamento acabei deixando o cansaso me abater.

Com todos os acontecimentos não consegui dormir direito. Acordei cedo e comecei a me despedir do lugar onde passei grande parte da minha vida. Cada canto tinha uma história, uma lembrança e em meio a esse momento de nostalgia, vi os livros que a escritora Sook Shin havia me dado. Peguei um deles e observei que tinha seu autógrafo, uma frase desejando boa leitura, eno segundo ela tinha escrito uma mensagem endereçada a mim.

"Hey Jin, a história desse livro fala de superação onde a personagem principal tem que lutar contra tudo e todos para atingir seus objetivos. Vejo nos seus olhos a mesma determinação que imaginei a minha personagem. Não tenha medo de mudanças, pois elas são importantes para evolução. Não acredite em sorte ou azar, acredite em escolhas, faça a sua sorte Hey Jin e seja a sua sorte. Acredite em você, eu acredito. Fighting!!

De sua escritora e Amiga Sook Shin."

Após ler essas palavras me senti motivada. Eu iria conseguir superar tudo isso e iria enfrentar todos os obstáculos que estivessem entre mim e meus objetivos. Peguei minhas malas e fui rescrever minha sorte.

O Sr. Suéter nem imagina o que lhe aguarda.


Notas Finais


Eu amo a determinação e a vontade da Hye Jin... Espero que ela esteja começando a inspirar vocês como já me inspirou.
Bom, obrigada a todos que leram e chegaram até aqui, não esqueçam de comentar o que estão achando.
Até a próxima ;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...