História Entre Tapas e Beijos - Capítulo 7


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Dinally, Kaylor, Lauren G!p, Vercy
Visualizações 822
Palavras 1.697
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - O Castigo Continua


POV LAUREN

O beijo quente que dávamos, foi terminado com a Camz mordendo meu lábio inferior e o puxando gostosamente para ela.

Minhas mãos se enfiaram por debaixo da blusa enorme vestida pela minha mulher, que inclusive é minha. Segurei sua cintura com vontade.

- Você é uma cachorra, mas fazer o que se eu não resisto a você. Camila falou passando os braços pelo meu pescoço.

Sorri convencida, dessa vez iniciando um beijo lento.

Ela infiltrou uma de suas mãos pelos cabelos da minha nuca e correspondeu o beijo com vontade. Suspirei em satisfação. Porque além desse beijo gostoso, a outra mão dela se enfiou dentro da minha cueca e começou a massagear meu pênis.

Quando ela deu atenção exclusivamente para minhas bolas, soltei um gemido estrangulado por ela estar passando as unhas de leve sobre elas lentamente.

POV CAMILA

Tirei minha mão de dentro da cueca da minha mulher, quando me dei por satisfeita de brincar com o membro gostoso dela e a encarei séria.

- O que você vai fazer é o seguinte Jauregui. Falei provocante, passando a ponta do meu dedo pelos lábios da lolo com atenção.

- Você vai me colocar na bancada dessa cozinha e irá me chupar até que eu goze gostosamente na sua boca, certo? Perguntei e ela assentiu sorrindo safada.

Lauren segurou com firmeza minhas coxas me fazendo dar impulso para cima e entrelaçar minhas pernas na cintura dela. Sem dificuldades me levou até a bancada próxima a nos, e me colocou sobre ela com cuidado. Fez um carinho rápido nas minhas coxas expostas, apertando as em seguida e grudou seus lábios no meu pescoço.

- Não falei, mas estou com saudades de sentir seu gosto maravilhoso na minha boca.

- Lolo! Gemi manhosa, quando ela enfiou sua mão direita dentro da minha calcinha encharcada e seus dedos gelados começaram a explorar minha intimidade.

Me agarrei com força no pescoço dela quando ela parou de me tocar e com seu dedo indicador começou a entrar lentamente na minha boceta sensível.

- Gostosa. Falou e tirou sua mão de dentro da minha calcinha, e chupou com fervor o dedo que enfiou dentro da minha boceta. Mordi meus labiosa com essa visão excitante.

Com calma ela afastou minhas coxas e se pos entre elas, direcionou suas mãos para o cós do meu short e junto com a calcinha começou a tirar ambos, ajudei, levantando um pouco o quadril e não demorou para ela tirar essas peças inúteis do meu corpo.

Lauren se inclinou aproximando a cara da minha intimidade totalmente exposta para ela. A olhei com expectativa. Sem deixar de me encarar, devagar ela separou meus lábios maiores e passou a língua de baixo para cima nos meus pequenos lábios.

Não aguentei e levantei a cabeça fechando meus olhos e gemendo satisfeita por esse ato dela. Com maestria Lauren começou a me chupar com vontade.

- Oh!!! Gemi mais alto quando ela começou a brincar com a língua no meu clitóris.

- I-isso lo-o! Falei apertando os cabelos dela com força e grudando mais a cabeça dela na minha boceta.

Lauren segurou minhas coxas com força e aumentou o ritmo das chupadas na minha boceta, me levando a loucura.

Senti minhas paredes internas se fechando e logo cheguei a um intenso orgasmo, gozando deliciosamente na boca da minha mulher, que continuou me chupando para limpar qualquer resquício do meu prazer recente.

Apoiei minhas mãos na bancada ofegante. Logo vendo minha mulher se levantar com um sorriso satisfeito no rosto e apertar o enorme volume marcando seu short.

Mordi meus lábios assistindo a ela tirar seu short e cueca revelando seu membro grande, grosso e duro para mim.

Olhando para mim como um animal faminto, ela chegou mais perto, direcionou seu pau na minha boceta e começou a esfregar a cabeça do seu membro sobre minhas dobras.

- Olha como você já está ficando molhadinha para mim. Falou, soltando um gemido rouco em seguida.

Lauren parou de esfregar nossos sexos e tirou o blusão que eu visto, revelando os bicos pontudos de excitação dos meus seios sem sutiã, para ela. Suas mãos cobriram meus seios e ela começou a apertar e passar os dedos pelos bicos sensíveis. Suspirei de satisfação.

Tirando suas mãos do meus seios ela pegou seu membro duro com a mão esquerda e o direcionou de novo para minha vagina.

Fui deitada na bancada e com calma ela começou a entrar dentro de mim.

Suspiramos juntas quando ela entrou totalmente dentro de mim. Senti a mão direita dela envolvendo meu seio direito com vontade e logo ela começou a se movimentar dentro de mim.

- Porra de boceta gostosa. Falou olhando nos meus olhos com desejo.

- Porra de pau gostoso. Retruquei olhando da mesma forma para ela, que em resposta apertou meu seio, aumentando um pouco o ritmo dos movimentos.

As bolas da Lo batendo fortemente na minha bunda, o barulho alto dos nossos sexos se chocando e os nossos gemidos descontrolados está me deixando cada vez mais louca de prazer.

- OH!! Lauren gemeu alto liberando quatro jatos de porra dentro da minha boceta, mesmo cansada ela continuou com os movimentos dentro de mim e depois de mais cinco estocadas foi a minha vez de gozar.

Ela debruçou seu corpo suado sobre o meu na bancada respirando com dificuldade. Fiz um carinho no rosto da minha mulher, afastando alguns fios grudados da testa dela. Nossos respirações des reguladas, foram voltando ao normal aos poucos.

- Isso foi maravilhoso. Falou afastando o corpo de mim e estendendo a mão para mim sentar na bancada.

- Foi, mas agora vamos vestir nossas roupas logo, não quero correr o risco de algum dos nossos filhos nos pegarem nessa situação. Falei tomando impulso e descendo da bancada.

(…)

Lauren me abraçou e assim caminhamos até a sala.

- Podemos aproveitar mas um pouquinho no nosso quarto, o que acha baby? Perguntou no meu ouvido e a afastei quando chegamos no inicio da escada. Me virei para subir as escadas e ela me acompanhou.

- Onde a senhora pensa que vai? Falei me virando para ela.

- Para o nosso quarto ué. Falou confusa.

- Nem pensar, seu castigo continua, vai continuar dormindo no sofá.

- Mas Camila. Protestou indignada.

- Mas nada, um bom resto de madrugada para você amorzinho. Falei e em seguida deixei um selinho simples nos lábios dela e me virei subindo as escadas correndo.

Cheguei no quarto e gargalhei alto da cara de tonta que a Laur ficou quando disse que ela vai continuar no castigo.

POV' S ( Segunda - dia 16 )

* LAUREN

Toda segunda e quarta minha filha e eu vamos na academia de tarde.

Mas como a academia que nós vamos, essa semana estará fechada para uma pequena reforma. Decidimos correr até podermos voltar a malhar.

* MEGAN

Estava tudo normal na nossa corrida até que a mama e eu observamos duas mulheres correndo um pouco a nossa frente, uma da minha idade e a outra provavelmente com a mesma idade da mama.

- Gostosas! Falei olhando para minha mama com um sorriso malicioso.

- Deixa a Sant ficar sabendo que você esta falando assim de outras. Minha mama falou divergida e negou com a cabeça.

- Não vem me repreender dona Lauren por que eu vi a senhora babando na bunda da mulher mais velha . Falei divertida ganhando um olhar incrédulo dela.

- Não estava babando, só fiquei admirando filhota, afinal o que é bonito é para se admirar né. Claro que na frente da patroa a gente se faz de cega. Falou e eu gargalhei concordando.

As mulheres a nossa frente pararam de correr e ficaram uma de frente para a outra se recuperando da corrida que fizeram, tomando água e conversando. Quando chegamos perto delas reparei que a garota mais nova é a minha nova vizinha.

- Lauren! Que surpresa, tudo bem? A mulher mais velha disse e deu um beijo no rosto da minha mama que retribuiu sorridente.

- Tudo e com você? Essa é minha filha Megan que falei. Apontou pra mim e eu sorri sem graça.

- Bem também. Olá querida sou Shay e essa é minha filha Becky. Como cumprimento, primeiro ganhei um beijo no rosto da Shay e depois da filha dela.

- Prazer Meg, a tia Laur falou muito de você. Falou se afastando e eu fiquei um pouco sem graça, por lembrar que me masturbei pensando nela.

- Espero que ela tenha falado bem. Falei coçando a nuca.

- Que imagem você tem de mim em menina, obvio que eu falei bem, mesmo não merecendo muito. Minha mama falou brincando e elas caíram na gargalhada.

Becky tem uma risada fofa, gostei. Tirei esses pensamentos da cabeça, mostrando a língua para minha mama pelo que ela falou.

- Foi bom reencontrar você Laur e conhecer sua filha, mas agora temos que voltar pra casa. Shay falou e a filha dela fez um biquinho.

- Não podemos conversar mais um pouco mamãe, preciso fazer amizade com a Megan. Becky falou com um bico fofo nos lábios. Sorri.

- Filha temos que voltar para casa. A repreendeu e ela fez uma cara decepcionada.

- Minha mama e eu podemos acompanhar vocês, assim todos vamos conversando. Sugeri e minha mama concordou.

- Yeah! Becky comemorou e rimos.

(…)

Não demorou para a Shay, mama, Becky e eu chegarmos enfrente a casa delas.

Minha mama e a Shay ainda conversaram um pouquinho, mas não demoraram para se despediram e ambas entraram em suas casas respectivas casas, deixando a Becky e eu conversando mais um pouco.

Pelo o pouco que conversamos deu para perceber que a Becky é uma menina legal, com certeza vamos virar boas amigas. E o legal é que além de ser minha vizinha vamos estudar na mesma escola.

Depois de dar tchau para a Becky. Segui para minha casa assobiando despreocupadamente.

Fui surpreendida pela San parada na porta da minha casa.

- Amiguinha nova Megan? Disse com ironia.

- Sim amor, o nome dela e Becky, ela e legal, depois eu apresento vocês. Falei e ela respondeu um simples. - Hum. Fazendo descaso.

- É bom que seja só amiga mesmo. Falou com a cara fechada.

- Meu Deus que mulher ciumenta que eu tenho. Agarrei ela, a enchendo de selinhos.

- Só cuido do que é meu. Falou e passo os braços pelo meu pescoço iniciando um beijo de verdade.


Notas Finais


🚶


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...