História Entre Tapas e Beijos - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camren G!p, Dinally, Kaylor, Lauren G!p, Vercy
Visualizações 967
Palavras 1.825
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 8 - Camilinha


POV MEGAN

- Amor vamos entrar, preciso urgente de um banho. Falei para minha namorada assim que ela separou nossas bocas, me dando dois selinho em seguida.

- Está mesmo amor. Respondeu com uma careta, olhei para ela incrédula.

- Não acredito que você me chamando de fedida. Falei indignada.

- Mas eu não falei isso amorzinho. Respondeu com uma cara sapeca.

- Mas insinuou. Dei língua pra ela que gargalhou.

- Vamos subir logo porquinha. Falou e eu fiz um biquinho triste.

- Ownt meu bebê fica tristonha não. Falou apertando minhas bochechas.

- Não fico se eu ganhar beijinho bem aqui. Falei apontando pra minha boca.

- Tudo bem minha dramática vem cá. Sant entrelaçou os braços no meu pescoço de novo e me deu uma sequência de selinhos.

(…)

Após tomar banho fui até o closet, vesti a cueca do Mickey que meu amor me deu (ela adora quando eu a uso), decidi não colocar calça ou short, terminei colocando um top preto e uma regata preta.

Sai do meu closet e fui de encontro ao meu amor na cama.

Me deitei na cama. San nem ligou para minha presença e continuou mexendo no celular e nem me deu bola.

- Amor me dá atenção. Falei fazendo manha e ela soltou uma risada gostosa.

Ah como eu amo essa risada.

- Oww meu bebê está carente? Perguntou sentando no meu colo. Cruzei os braços, fiz um biquinho e balancei a cabeça concordando.

- Que péssima namorada que eu sou, mas pode deixar que eu vou resolver essa carência toda.

Juntou nossos lábios em um beijo lento. Repousei minhas mãos na bunda dela e a beijei com mais vontade.

O beijo ficou mais quente. Santana começou a rebolar no meu colo e meu membro foi se animando a cada rebolada.

- Você fica um tensão com essa cueca do Mickey sabia? Santana falou quando separou nossos lábios, ofegante.

- Fico é? Perguntei com as mãos no quadril dela, a auxiliando nos movimentos.

- Fica e muito. Sua boca se aproximou do meu ouvido e ela sussurrou sensualmente. - Mas eu com certeza prefiro sem ela.

- Então tira ela amor, meu pau também está bem carente. Respondi acaraciando os cabelos dela.

- Aé? Pode deixar que eu resolvo este problema agora.

Santana saiu do meu colo e começou a brincar com o cós da minha cueca, puxando para baixo devagar, mas depois voltando com ela para o lugar.

- Amor não provoca. Reclamei.

- Meu Deus minha namorada é muito apressada. Depois de me torturar mais um pouco finalmente ela se cansou e tirou minha cueca. Revelando meu membro duro.

Mordi meus lábios quando ela passou os dedos na cabeça do meu pau, espalhando o pré gozo pelos meus 16 cm devagar. Logo ela iniciou um vai e vem lento.

- Tão grosso e gostoso. Falou safada e deu uma lambida na cabeça do meu pau me levando a loucura.

- Ohh… Gemi quando ela começou a me chupar.

- Isso-isso amor. Falei em êxtase por ela ter aumentado o ritmo do vai e vem da boca dela no meu membro.

- Ooh caralho... Gemi alto por ter sua boca chupando minhas bolas, e sua mão fazendo um vai e vem rápido no meu membro.

- É tão gostoso chupar você Megs. Falou sorrindo maliciosa.

Segurei o lençol com força quando ela deu atenção somente para a cabeça do meu membro, chupando com força e vontade.

Senti meu corpo estremecer e não aguentei mais. Gozei forte liberando 3 jatos na boca da minha namorada, que sorriu com meu membro na boca dela e engoliu tudo.

Soltei um suspiro satisfeito e fechei meus olhos por alguns segundos.

Depois de me recuperar do meu orgasmo, sorri maliciosa para ela.

- Agora é minha vez. Falei e puxei ela para cima de mim, não demorando a inverter nossas posições.

Quando eu ia tirar a saia que ela usava o celular dela começou a tocar.

- Deixa tocar amor. Falei e comecei a beijar o pescoço dela.

- Meg pode ser impor.. Ela se calou, soltando um gemido manhoso quando eu deixei um chupão no ponto fraco dela.

Me distrai com a droga do celular voltando a tocar de novo. Santana aproveitou isso e me empurrou, fazendo com que eu caísse no outro lado do colchão. Com rapidez ela se sentou na cama e esticou a mão para pegar o aparelho em cima do criado mudo.

- Droga! Bufei frustada. Quando ela atendeu o celular e falou " Oi mama". Revirei meus olhos. Tinha que ser minha querida sogra empatando nossa foda.

(…)

- Te amo bebê. Santana falou enchendo o meu rosto de selinhos.

- Te amo mais princesa falei e inicie um beijo de verdade. Mas que logo foi cortado por buzinas da minha querida sogra.

- Tchau bê, é melhor eu ir antes que minha mama saia do carro e venha me buscar aqui.

- Ta bom pequena. Te amo muito-muito falei dando vários selinhos nela.

- Eu também te amo muito, mas agora tenho que ir mesmo, mais tarde agente se fala. Beijos vida. Santana me deu um último selinho e começou a andar em direção ao carro da minha sogra.

Acenei para Vero que retribui o aceno e fez um gesto de que está de olho em mim. Soltei uma leve risada concordando.

Quando Santana entrou no carro fiz um gesto de coração sussurando um eu te amo. Que imediatamente foi correspondido. Sorri boba e entrei em casa.

POV LAUREN ( terça feira, dia - 17 )

Como eu sou uma das donas da empresa de transportes J.D.K, e o que eu faço é cuidar da contabilidade, não é necessário que eu vá para a empresa todo dia, tem dia que eu trabalho em casa mesmo, e hoje é um desses dias.

Depois de cuidar de algumas coisas da empresa, olhei relógio e falta pouco para as crianças saírem da escola.

Falei para o senhor Pedro, motorista das crianças que hoje ele não precisa ir buscar los, pois eu mesma vou.

Peguei as chaves do meu Jaguar XJ e sai de casa.

(...)

Depois de pegar os meninos na escola, busquei também, minha esposa querida na empresa em que ela trabalha.

Agora estamos indo almoçar no nosso restaurante preferido. O lugar não é chique, mas muito aconchegante, a comida é excelente e a dona, a senhora Vanessa é um amor de pessoa, gosta muito de nós e é recíproco da nossa parte.

- Chegamos! Falei assim que parei na porta do restaurante.

- Aee!! Os meninos comemoraram.

- Graças a Deus estou morrendo de fome. Camila falou fazendo drama.

- Normal você sempre está com fome amor falei e os meninos riram.

- O que você quer dizer com isso Michelle. Camila me deu um tapa no braço. - Que eu tô gorda é? Perguntou com uma carinha brava. Fazendo os meninos rirem mais ainda.

- Lógico que não mozão. Tentei fazer carinho no rosto dela, mas ela afastou minha mão.

- Você está linda, maravilhosa, muito gostosa. Aproximei meu rosto do dela.

- Lauren. Me repreendeu envergonhada, por eu ter chamado ela de gostosa na frente das crianças.

- Relaxa baby. Falei e roubei um selinho dela e os meninos fizeram um "ECA".

Camila e eu negamos com a cabeça. Trocamos mais um selinho e saímos do carro.

(…)

POV LAUREN

Depois do almoço regrado a brincadeira e risadas. Deixei Camila no trabalho dela. E segui para casa com as crianças.

Assim que entramos em casa Josh e Cameron foram correndo abraçar Becky a babá deles.

- Estava com saudades de vocês meus amores. Carolina falou, correspondendo com carinho o abraço deles. - A gente também Carol.

- Oi Laur! Falou sorrindo pra mim.

- Oi Carol! Sua mãe melhorou? Perguntei preocupada por que na semana passada a mãe dela foi atropelada.

- Graças a Deus está melhorando e muito obrigado por ter pagado Hospital a senhora me ajudou muito.

- Que isso não foi nada, quando precisar pode contar comigo, e nada de me chamar de senhora, lembra? Falei e ela corou.

- Desculpe s… Iria cometer a pequena gafe de me chamar de senhora de novo, mas se corrigiu rapidamente. - … Lauren. Sorri para ela.

- Hora do banho meninos. Ela anunciou e eles reclamaram, mas obedeceram e seguiram ela.

(…)

Como acabei ficando sem nada para fazer e sozinha, já que os meninos saíram para aula de Karate, a Megan foi fazer um trabalho na casa de um amigo, e ainda não está na hora da minha latina chegar, resolvi lavar meus carros.

POV CAMILA

Assim que virei a esquina, entrando na rua de casa. Meus olhos se arregalaram e meu sangue ferveu na hora, por ver minha esposa lavando um dos carros dela, tendo como platéia as vizinhas da frente, duas piranhas universitárias, que são doidas para dar pra Lauren.

Deixei meu carro na rua mesmo e sai bufando do veículo.

Assim que cheguei perto escutei de uma delas. - Se você quiser lavar meu carro depois garanto que o pagamento você vai adorar. Falou maliciosa, a outra piranha não perdeu tempo em se pronunciar também. - Se você lavar o dela vai ter que lavar o meu também Lau.

Minha vontade foi de puxar as duas e enche las de tapas, mas resolvi fazer melhor.

Cheguei perto de Lauren que até então não tinha me visto. - Oi meu amor. Nem dei tempo para dela responder e já puxei ela pra um beijo de tirar o fôlego.

Separei nossos lábios por que o ar se fez bem necessário.

Olhei pro lado, adoradando as piranhas me encarando com um misto de inveja e raiva. Ponto pra Camilinha aqui pensei e ri internamente.

- Bom olhos verdes acho que nós já vamos. Uma delas falou e a outra concordou. Quando fizeram menção de abraçar minha esposa, entrei na frente delas e a beijei novamente, recado mudo pra elas irem embora logo e funcionou.

- Vontade de dar na cara de cada uma. Falei entre dentes assim que elas se distanciaram da gente. Lauren começou a rir o que me irritou.

- Você adora essas putas dando em cima de você né sua cachorra?! Comecei a dar vários tapas no braço dela.

- Ai camz, que mulher agressiva que eu tenho falou e segurou minhas mãos.

- Agressiva por que você merece. Falei e ela me puxou pela cintura fazendo nossos corpos se chocarem.

- Elas podem dar em cima de mim o tanto que quiserem, mas a única que me satisfaz e que eu quero e você morena. Falou e atacou meus labios em um beijo feroz.

- Acho ótimo Jauregui. Falei separando nossos lábios. - Não gostei dessa palhaçada que você estava protagpnizando, por isso. Falei calma e comcei a fazer carinho no rosto dela. - Estou de greve e a senhorita vai continuar dormindo no sofá o resto do mês.

- Ah não Camz. Choramingou. - Eu não estava fazendo nada.

- Decisão tomada e eu não volto atrás você sabe. Agora estaciona meu carro na garagem e termina de lavar essa merda logo. Falei autoritária e ela bufou.

Nem liguei e comecei a andar para entrar na minha residência.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...