História Entregue - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga)
Tags Taegi, Taeseok, Yoonseok, Yoontaeseok
Visualizações 192
Palavras 5.161
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


YAH!

Hi Hello ~ woojin's voice

Relaxem e aproveitem cada momento ;)
Boa leitura.

Capítulo 1 - Preferidos


Min Yoongi não fez questão de esconder a insatisfação ao receber a notícia de que seus primos iriam ficar em sua casa para o casamento de sua irmã, sua mãe sabia que não gostava nem um pouco da presença dos dois “pestinhas”.

A família não era unida e todos sabiam disso, cada um dos quatro filhos de Chae HaeWon foi para um lugar diferente, mas era fato que com algum grande acontecimento — como um casamento na família — todos se reuniriam em local só. E aquilo era o pesadelo de um Yoongi já velho demais para ser mandado brincar com os primos, sua falta de simpatia e palavras sempre incomodou a todos, o que levava-os a comentar sobre, consequentemente o incomodando. 

O fato era que, Jung Hoseok e Kim Taehyung eram os mais próximos dos primos e também eram os piores deles. Os Kim moravam na França, sua mãe se casara com um coreano podre de rico e se mudou na primeira oportunidade, sempre odiou a Coréia. Já os Jung, viviam na Itália, se mudaram devido a uma oferta de emprego a mãe de Hoseok. Os dois por morarem relativamente perto, viviam juntos.

Ele de fato nunca tinha os visto após de completar seus doze anos, mas já podia dizer que não se dariam bem, assim como não se dava com a mãe de Kim, sua tia mais velha e a mais esnobe. Queria simplesmente ir para casa de Namjoon e passar aqueles dois dias lá, mas como sua vida não era nenhum mar de rosas foi estritamente proibido de sumir de casa por aquele período.

O casamento de Min YangMi com um chinês bastante carismático era de fato o acontecimento do ano, Jackson — o noivo — era um conhecido modelo e empresário de moda e também um exagerado. O casamento aconteceria num iate o que era suficiente para calar a boca de Kim SunHee.

Suas tias chegariam um dia antes da cerimônia, para “descansarem da viagem” segundo elas. A casa apesar de grande, obviamente se tornaria pequena para todos, o que resultou num Yoongi arrumando seu quarto para dividir com um de seus primos, Jeon Jungkook.

 

— Pelo menos não são os pestinhas. — resmungou enquanto recolhia mais uma das blusas jogadas pelo quarto.

— Não fale assim dos seus primos! — a voz de sua mãe soou e logo a senhora Min parou na porta de seu quarto, o analisando — Que bom que já está terminando, Naeun está chegando. Quando terminar, tome um banho e se vista descentemente — sorriu forçado enquanto assentia.

 

Assim que saiu do banho pode ouvir vozes do andar de baixo. Desceu preguiçosamente, como se não quisesse o fazê-lo, pelo menos não era SunHee, Naeun não era como ela, ela era até legal e Jungkook era de longe o primo menos pior que tinha. O garoto três anos mais novo era quieto, assim como ele, tinha o visto algumas vezes depois dele se mudar e poderia até dizer que apreciava sua companhia. O que ele não apreciou foi o fato dele levar o namorado para sua casa, não pelo garoto em si, mas sim porque já podia prever que o mesmo não ficaria em seu quarto e sim um deles.

 

— Park Jimin, prazer. Kookie me falou bastante sobre você. — o loiro fez uma pequena reverência e droga, Yoongi não podia odiá-lo enquanto o outro sorria extremamente fofo em sua direção. Sorriu, aceitando sua derrota e o cumprimentando educadamente.

 

A casa já parecia pequena com a presença dos Jeon, quando os Kim e Jung chegaram juntos foi à gota d’agua. Os quartos de hóspedes seriam preenchidos pelos seus tios e o casal de adolescentes, ou seja, sobraria o quarto de Yoongi e seus dois primos que ele odiava.

 

— Suga-hyung! — ouviu Hoseok assim que deu de cara com os dois na sala de sua casa. O chamava pelo apelido que lhe deu na infância e que ele odiava com todas as forças. Droga! Quando eles chegaram? Só tinha ido ao banheiro. 

 

Assim que focou seu olhar nos pestinhas os analisou completamente, eles definitivamente cresceram. Taehyung parecia estranhamente sem jeito enquanto segurava o braço de Jung, que parecia estranhamente feliz em estar ali. Não podia dizer mais que eram pestinhas, aquilo remetia a crianças e os dois com seus dezenove e dezoito anos não eram mais as crianças que foram. Sorriu o mais gentil que conseguia, e cumprimentou suas tias e tios.

 

— Nossa! Você cresceu, pouco, mas cresceu. — ouviu Minji, mãe de Hoseok, dizer num tom gentil e brincalhão enquanto o abraçava.

— Sim! Menor que Hobi e Tae até. — a voz que Min não suportava soou, enquanto a mulher o abraçava com força — E então? Soube que está cursando música, é verdade? — se afastou, ainda o segurando no lugar. Aquele tom podia parecer de interesse, mas sentia uma base cética por trás, fingiu não perceber e assentiu — Não pensou em fazer direito ou coisa do tipo?

— Mamãe! — ouviu uma voz grossa que não conseguiu identificar de cara, era Taehyung. Não pode evitar achá-la atraente.

— Ficarei aliviado se você disser que não nos odeia mais. — ouviu Hoseok dizer assim que se aproximou dos dois, obviamente depois de sua mãe lhe lançar a ordem apenas pelo olhar.

— Eu nunca odiei vocês. — afirmou, sem se aproximar mais com intenção de não tocar nenhum dos dois.

— Não era o que parecia. — novamente a voz grossa soou, em um claro deboche. O mais entre os três tinha cabelos loiros e um pirulito entre os lábios, parecia concentrado no doce rosa, quase como se fizesse pouco caso de si, mas ao olhar em seus olhos soube que, tinha um claro interesse ali.

— Vocês só se aproximavam de mim para aprontar, como quando me jogaram na piscina de madrugada, ou quando rasparam uma sobrancelha minha, ou quando colaram chiclete no meu cabelo. Então, sim, eu não gostava muito de vocês. Agora, se me derem licença. — saiu dali, antes que fizesse o outro engolir o doce de uma vez.

— Você não vai nem ao menos nos ajudar com as malas? — ouviu Hoseok novamente, soando parecido demais com a tia. Deu os ombros e subiu para quarto, se jogando em sua cama e se permitindo dormir, mesmo sabendo que sua mãe muito provavelmente o arrastaria para o banheiro para lhe dar uma bronca.

 

Acordou um tanto assustado ao sentir um corpo em cima do seu, seus pulsos eram segurados ao lado da própria cabeça e uma respiração batia em seu rosto. Abriu os olhos, vendo Hoseok com as pernas uma de cada lado de seu corpo, quase em seu colo, e um olhar nada bom, os cabelos castanhos bagunçados e a respiração pesada. 

 

— Você não nos odeia por causa de quando éramos crianças, não faz sentido. Bem, de qualquer formar eu quero deixar uma coisa bem clara, não trate o Tae daquela forma, a não ser que queira sofrer as consequências.

— Consequências? — se atreveu a perguntar em deboche e sentiu o aperto aumentar. O corpo de seu primo desceu, se sentando em seu colo e o rosto pairou na altura do seu pescoço e inesperadamente um forte chupão foi deixado em sua pele branca junto a uma mordida igualmente forte. Forçou o outro a soltá-lo, o tirando de cima de si e lhe lançando um olhar confuso.

— Qual o seu problema?! — falo alto demais enquanto levantava para se olhar no espelho.

— Está avisado.

 

[...]

 

Yoongi não precisou de muito esforço para saber que tinha algo errado entre os dois. Com o fim do dia todos foram para o quarto qual foi designado, o que levou Min a bufar ao ver os dois entrando já de pijamas em seu quarto. Taehyung tinha novamente um pirulito entre os lábios, dessa vez vermelho, e estava sem blusa, já Hoseok tinha os cabelos molhados e um short curto demais.

O moreno sentou na beirada da cama do Min, que já se preparava para reclamar, porém parou assim que Kim parou da frente dele, secando os cabelos castanhos carinhosamente; as mãos de Hoseok seguravam as coxas do mais novo e os olhares eram carinhosos.

 

— O que está assistindo? — Jung se jogou ao seu lado assim que seu cabelo se encontrou quase totalmente seco, Taehyung foi em direção ao SEU banheiro e logo voltou sem a toalha.

— Não te interessa. — respondeu, segurando o controle mais forte — O colchão é para vocês, então pode sair da minha cama. — ouviu o outro bufar e se mover, encostando assim, na cabeceira, bem ao seu lado.

— Queremos assistir com você. Acho importante nos aproximarmos. — viu o primo chamar Kim com as mãos.

 

Antes que pudesse falar qualquer coisa o mais novo chegou e logo foi puxado para o colo de Jung, sentado como um bebê, Taehyung parecia hesitante, mas Hoseok não, pois logo empurrou as pernas do loiro, de forma que ficassem no colo de Yoongi.

O rosto de Kim se apoiou no ombro de Hoseok, mas seus olhos estavam fixos em Min, e Yoongi podia jurar que o olhar em sua direção era malicioso, engoliu em seco reparando melhor em seu primo. Os fios eram descoloridos em um loiro atraente que contrastava com as sobrancelhas escuras, sua pele era lisa como a de um neném, alguns pequenos pontinhos pretos marcavam sua epiderme e seus olhos eram intensos, seus lábios estavam vermelhos devido ao doce que cercavam. Em seguida seu olhar subiu para Hoseok que parecia concentrado na televisão, o nariz fino, o cabelo escuro, as bochechas salientes, algumas poucas pintas e as covinhas próximas aos lábios pequenos, cheinhos e rosados. Uma coisa Yoongi não podia negar, seus primos eram bonitos.

Yoongi se engasgou assim que sentiu o pé direito de Taehyung deslizar pela sua perna vagarosamente, junto ao toque tinha o olhar e a boca, o outro permitia que conseguisse ver sua língua rodear o doce e o sugar com vontade, vez ou outra o passeando pelos lábios, deixando-os melados e ainda mais vermelhos. O toque de seu pé pairava pela virilha de Min e ele não tinha ação, não o afastava e  nem o incentivava, estava em choque, mas não podia negar que seu membro dava sinais de vida, se excitava apenas com o estímulo visual e do pé em si.

Sentiu uma mão apoiar em sua coxa e quase deu um pulo de susto, se acalmou aos poucos sentindo a mão acariciar sua coxa e o pé seu membro por cima de sua calça moletom. Depois de ficar de fato duro com aquilo, os toques pararam tão repentinamente quanto começaram. Viu Taehyung ir ao banheiro e voltar sem o doce, fora, provavelmente, escovar os dentes, diferente do que achou, o mais novo foi para o colchão posto para si e Hoseok.

 

— Boa noite, Hobi. — disse carinhoso, quase como uma criança e recebeu uma reposta igualmente carinhosa de Jung — Boa noite, priminho. — ouviu tom um tanto mais malicioso.

— Hm... você está bem? — Hoseok perguntou ao ver que o primo parecia abalado com algo.

— Por que você também não vai dormir? —deitou, se cobrindo e virando de costas para o moreno.

— Ficar acordado me parece mais interessante. — respondeu, deitando atrás de Yoongi e colando os corpos. Sua mão percorreu o braço do outro que soltou um ofego de surpresa com a aproximação e tentou se afastar — Você não acha? — sentiu a mão adentrar sua blusa e percorrer seu abdômen e os lábios pequenos, cheinhos e rosados tocaram sua nuca em selares leves.

— O que você está fazendo? — perguntou, se entregando, estava excitado demais para afastar qualquer toque. Sentiu a mão descer e adentrar sua calça, o massageando por cima da boxer. Mordeu o lábio inferior para segurar um gemido ao que os movimentos se intensificaram.

— Você ficou assim só vendo o Tae chupar um pirulito e te acariciar com o pé? — o tom debochado que ele tanto odiava estava ali, soando rente ao seu ouvido, quase sussurrado. Sentiu a mão parar os movimentos, ajeitando sua calça, e uma mordida um pouco mais forte seguida de um beijo molhado em sua nuca — Boa noite, Suga-hyung. — um beijo leve foi depositado em sua bochecha e o calor do corpo desapareceu, suspirou frustrado batendo na própria cabeça como forma de repreensão. Naquele momento, soube que os primos iriam enlouquecê-lo.

 

[...]

 

Acordar de mau humor é uma coisa que acontece às vezes, e essa era uma das vezes para Yoongi. Dormira desconfortável devido à ereção que tinha no meio das pernas e ao acordar e dar de cara com os dois ali, dormindo abraçados em seu quarto foi como atingir o ápice de mau humor.

Olhar para os dois remetia a noite passada e como Min deixou que os dois fizessem o que queriam com ele, remetia as mordidas que deu no lábio para que não gemesse, porque afinal ele estava gostando mais do que deveria. Bufou, levantando e seguindo ao banheiro, ignorando a vontade de se aproximar e observá-los melhor.

Sabia que aquilo era errado, mas apesar disso não conseguia negar o quanto gostou dos toques em seu corpo, mas porra, eram seus primos ali! A culpa o consumia junto ao desejo e ele não sabia o certo o que fazer e pensar sobre tudo aquilo.

Bufou, olhando através da janela da sala de estar. Jungkook estava no jardim, sentado em um dos bancos observando o namorado próximo as flores que sua mãe fazia questão de cultivar. Pouco tempo depois o mais novo levantou, abraçando Jimin por trás e sorrindo para algo que compartilharam baixinho, sorriu com a cena, eram fofos e a relação parecia leve e simples.

 

[...]

 

O casamento do grande Jackson Wang estava perfeito e disso não havia duvidas. Os tons de rosa queimado envolviam a decoração e as luzes fracas, mas na medida certa, eram lindas, tudo estava lindo na verdade.

A cerimônia já ocorrera e como era esperado, sua mãe caiu num choro profundo e emocionado, junto ao noivo que chorou igual um bebê. De onde estava, no altar, no local dos padrinhos, Yoongi pode ver que Minji também chorava, acompanhada ao seu filho, Hoseok, que a abraçava carinhosamente. Automaticamente procurou Taehyung com olhos, o encontrando ao lado de Jungkook — que parecia fazer planos com Jimin —, o loiro não chorava e seu olhar parecia até mesmo frio demais para o momento. Mas talvez Min imaginasse o que passava em sua mente, dificilmente poderia ter algo assim com Hoseok, a família podre e preconceitusa que tinham não iria permitir.

Durante a festa Yoongi descobriu que seus primos não eram de todo mal. Depois que ser largado por Namjoon — que conheceu um modelo muito bonito chamado Seokjin, ficou mais ao canto com sua taça de vinho em mãos, e foi quando os “pestinhas” se aproximaram. O estranho foi que não estavam o provocando ou coisa do tipo, aparentemente se interessavam pela sua faculdade de música e logo o assunto se prolongou de forma natural até. Porém, Min, que achava que os dois parariam com aquilo, estava errado.

Depois de um bom tempo conversando sob o céu escuro e a friagem, decidiram sentar dentro do salão, em um canto afastado de seus próprios parentes — o universitário se sentiu feliz ao perceber que eles também não gostavam da família. Assim que os mais novos sentaram um de cada lado seu, ele soube que tinha algo errado, os dois não se desgrudavam, por que isso agora?

Suas dúvidas foram sanadas ao que sentiu uma mão pousar em sua coxa esquerda, era Hoseok. A carícia era leve e boa, não ficou mais indecente como esperava que Jung fizesse, pelo contrário, era quase inocente, mas ao olhar para Kim soube que de inocente não tinham nada. Um pirulito vermelho dançava em seus lábios de maneira calma e o esverdeado se questionou de onde ele tinha tirado aquilo.

A segunda mão, apoiada em sua coxa direita, tinha um teor mais malicioso, não fazia carícias leves ou coisa do tipo, apenas percorria aquele pedaço de carne coberto por uma calça social. E essa mesma mão não tardou a se direcionar ao seu membro coberto, o estimulando lentamente por baixo da mesa. Já a de Hoseok apoiou na parte interna da sua coxa, próximo da virilha.

 

— Hoje é nossa ultima noite aqui. — Jung falou, sua voz soando oitavas mais baixa, com um toque sensual. Aquilo era um ultimato e Yoongi sabia disso.

— Queríamos aproveitá-la. — agora era vez de Taehyung, soavam como tivessem ensaiado aquilo. Jogando toda culpa e incerteza para o ar, Min terminou rapidamente o conteúdo vermelho escuro de sua taça e levantou, sem falar nada, torcia para que entendessem.  

 

Pela primeira vez Min Yoongi agradeceu por Jackson ser Jackson, pois assim que entrou em um dos quartos do iate pensou que aquilo era perfeito para o pretendiam fazer. Não era grande, mas tudo parecia sofisticado demais, até mesmo os tons de bege. Uma cama de casal ocupava quase todo o ambiente que cheirava a lavanda, e uma janela grande ocupava a parede, lhe permitindo ver à imensidão marinha. A porta se abriu e fechou rapidamente, eram eles, sabia que o seguiam desde que saíra do salão.

Não se virou para olhá-los, continuou em frente à janela, apenas tirou seus sapatos, tênis e blazer. Sentiu braços rodearem sua cintura e lábios deixarem beijos leves e bons em sua nuca, não precisava virar para saber que era Hoseok, seu cheiro e toques o entregava. Virou, sem intenção de enrolar naquilo e viu que Taehyung estava na poltrona do pequeno quarto, também vestindo apenas a calça e a blusa social rosa claro já por fora da calça, com o pirulito em lábios e as mãos bagunçando o próprio cabelo.

Antes que pudesse raciocinar sentiu os lábios que admirou um dia atrás tomarem o seus próprios. O beijo era calmo e sensual, uma mão estava apoiada em seu ombro e a outra arranhava sua nuca de leve. Direcionou as próprias mãos para a cintura fina de Jung, apertando-a e podia imaginar até mesmo marcas ali devido à força que exerceu. As línguas se exploravam com interesse e os corpos já estavam quentes, a boca de Hoseok possuía um gosto bom de hortelã que se misturava ao de vinho de Yoongi.

O mais velho desceu os lábios, percorrendo-os pela mandíbula bonita do outro, deixando mordidinhas pelo osso saliente, os finos — e com gosto de álcool — lábios de Min desceram ao pescoço livre de quaisquer marcas, deixando-o com pequenas marquinhas avermelhadas devido a suas mordidas e chupões.  Olhou para Taehyung e pensou que poderia morrer ali mesmo, daquela forma, com Hoseok esfregando as ereções descaradamente enquanto percorre seu corpo com as mãos curiosas e vendo Taehyung com os lábios vermelhos envolvendo aquele maldito doce vermelho e a mão acariciando o próprio membro por cima da calça já com o botão e zíper abertos, olhando como se os devorassem.

Sentiu os botões de sua blusa serem abertos calmamente e continuou provando a pele do moreno enquanto observava Kim. As mãos de Hoseok o puxaram pela cintura e ambos se aproximaram de Taehyung que na hora, levantou tirando o pirulito dos lábios e beijou Yoongi como se sua vida dependesse daquilo. O ósculo era agressivo e Min, que via Jung tratando o outro com tanto cuidado e delicadeza, como se ele fosse um bebê, ficou surpreso com a agressividade que o mais novo exercia nos toques em seu peitoral e no beijo em questão. A boca diferente do beijo era macia e com gosto de cereja devido ao doce, cereja, vinho e hortelã, definitivamente aquilo era uma mistura e tanto.

A língua do mais novo comandava um ritmo forte e gostoso, deixava mordidas e sugava os lábios do outro como que fosse o próprio pirulito. Uma de suas mãos bagunçava o cabelo esverdeado e a outra percorria o corpo magro, peitoral, ombros e costas. Já Min, deixava-se ser levado sem impedimento algum, suas mãos apertavam a cintura do outro e logo desceram até chegaram no traseiro, dando o mesmo tratamento agressivo com apertos que deu a cintura.

Sentiu um corpo se colar ao seu e mãos abrirem sua calça, adentrando o tecido grosso e estimulando seu membro por cima da cueca. Agora os lábios se concentravam puramente em seu pescoço branquinho, e podia sentir a clara diferença entre os dois homens ali, Kim deixava mordidas e chupões agressivos com intenção de marcá-lo, já Jung beijava por cima das marcas já feitas, deixando sua língua explorar o textura da pele avermelhada. Sentia a ereção de Hoseok contra suas costas e a de Taehyung roçando a sua vez ou outra.

A mão do moreno o abandonou e o mesmo gemeu em desagrado, e logo em seguida de satisfação pela novidade. Jung abaixara sua cueca um pouco, permitindo que o membro fosse liberto, fez o mesmo processo com Kim e agora masturbava os dois juntos enquanto beijava a nuca de Min e com a outra mão estimulava os mamilos de Taehyung. Mãos empurraram sua blusa para fora do corpo e quase podia alegar um choque térmico ao sentir o peitoral nu de Hoseok quente contra suas costas, agora também nua. Viu que o mais novo entre os três também se livrou da própria blusa.

Gemidos e arfares já preenchiam o ambiente que se tornara quente. Os três já estavam sem blusa e as calças abertas, Yoongi e Taehyung tinham a calça e a cueca enroladas no meio das coxas. Sentiu os dois se afastarem de si e os olhou, quase confuso, Taehyung forçou sua calça para baixo deixando-o completamente nu, assim como fizera consigo mesmo. Vendo que Hoseok era o único com a calça, o esverdeado se aproximou, deitando-o na cama de casal e deitou sobre ele, entre suas pernas.

Sua boca agora marcava o pescoço do moreno e suas mãos trabalhavam em abrir a calça social justa. Seus lábios ao descerem encontraram os mamilos do outro, se afastou levemente observando o outro, os cabelos escuros estavam bagunçados, os lábios; vermelhos, o rosto corado, o peito subindo e descendo rápido e suas coxas grossas e torneadas envolviam sua cintura, o abdômen era mais definido do que achou que seria, Hoseok tinha um ótimo corpo.

 

— Vai ficar só olhando, priminho? — a voz que escorria excitação soou, o tirando do transe em que entrou. Sugou aquele ponto com força, causando um gemido extremamente gostoso de ouvir, seu interior se agitava cada vez mais em excitação. Continuou descendo com os lábios, mordiscando e sugando o abdômen definido, ao chegar ao cós da calça se ajoelhou, puxando o tecido e revelando as coxas levemente bronzeadas, e droga, aquela definitivamente era sua parte favorita do outro. Abaixou o corpo novamente beijando a parte interna daquelas coxas maravilhosas e ouviu o outro arfar, olhou para cima vendo Taehyung se aproximar e logo em seguida tomar os lábios do moreno.

 

A boxer vermelha de Hoseok não demorou a ser removida, assim como Yoongi não enrolou para começar uma masturbação extremamente lenta enquanto seus lábios marcavam as coxas. Os gemidos de Jung escapavam em meio ao beijo grosseiro que recebia de Taehyung, os dedos do loiro brincavam com os mamilos sensíveis e Yoongi estava com a boca cada vez mais próxima de seu membro.  O calor que sentiu ao ter o membro tomado pela boca do mais velho era quase irreal, urrou de prazer ao que os lábios de Kim desceram, agora trabalhando naquela área sensível.

Yoongi parecia querer torturá-lo com toda a demora a chupá-lo, a língua percorria toda sua extensão de forma lenta, provando do seu sabor e sentindo a textura das veias levemente saltadas daquela área. Beijos molhados eram distribuídos junto a essas lambidas e uma carícia nas coxas e bunda também as acompanhavam.

O gemido que soltou ao ter seu membro completamente tomado por aquela cavidade quente e úmida podia ser escutado facilmente por qualquer um que passasse ali. Conseguia sentir seu pau encostar no fundo da garganta do esverdeado e aquilo só o excitava mais ainda. Os movimentos começaram e foi impossível manter os olhos abertos com aquele duplo estímulo, gemeu arrastado e levou sua mão aos cabelos do mais velho, comandando agora um ritmo. Sentiu dedos acariciarem seus lábios e na hora soube o que o outro queria, chupou três deles da forma como podia, pois sempre parava para gemer e arfar, aquilo se tornava demais para si.

 

— Hobi-yah, — o apelido partiu de Yoongi e aquilo fora uma surpresa para todos — de quatro. — terminou sua sentença, se afastando para que o outro pudesse obedecer ao comando, o que de fato aconteceu.

 

Taehyung agora deitara em frente ao moreno, seu membro pairando perto de seu rosto e as pernas apoiadas em seus ombros, abaixou dando total atenção ao membro do mais novo, chupando-o com vontade e arranhando seu abdômen levemente, todos os movimentos de Hoseok, apesar de malicioso, pareciam carregar uma leveza e um carinho sem igual. Gemeu, ainda com o membro em boca, ao sentir a língua de Min em um lugar tão sensível, junto ao seu músculo quente tinha seu primeiro dedo, preparando-o calmamente.

Demoraram pouco tempo naquela posição e logo Yoongi tinha seu membro sendo chupado por Taehyung e droga, aquele era, definitivamente, seu talento. Sua boca trabalhava muito bem, sabia exatamente onde pressionar com a língua e como o fazê-lo, seus dentes vez ou outra raspavam na pele sensível, causando arrepios por todo seu corpo. Hoseok, por sua vez, estava os observando, sabia que o primo mais novo fazia aquilo como ninguém e as expressões de Suga eram o suficiente por enquanto, se tocava lentamente os observando.

Depois de devidamente “lubrificado” por Taehyung, Yoongi puxou Jung para perto de si, o colocando novamente na posição anterior, de quatro. Simulou uma penetração algumas vezes, mas não enrolou muito, estava excitado demais para isso. Assim que começou a penetrá-lo, ouviram batidas na porta, os três se entreolharam e Min puxou Hoseok, fazendo-o ficar ajoelhado em frente a si, ainda com uma parte de seu membro dentro de si.

 

— Tae! — a voz de SunHee soou e o esverdeado agora a odiava um pouco mais — Eles não disseram que iam para um dos quartos dormir? — a ouviram perguntar para alguém. E ignorando a culpa que deveria sentir e a presença de sua tia do lado de fora, sem consideração nenhuma pela mesma, penetrou Hoseok com força tampando sua boca para abafar o gemido que certamente sairia alto demais.

— Filho da puta... — Jung sussurrou após ter sua boca liberta, mas logo a teve tampada novamente ao que Min começou a se movimentar sem dó dentro de si.

— Talvez eles tenham desistido de dormir e estejam em outro lugar. — ouviram a voz calma de Jungkook soar e logo, mais nada, agora Yoongi gostava um pouco mais do primo.

 

Assim que tirou sua mão da frente da boca do outro os gemidos, antes presos, saíram arrastados e sôfregos. Hoseok se afastou de si, invertendo as posições agora por cima de si, sentado em seu colo, rebolando devagar enquanto sentia o membro rosado o invadir novamente e as mãos do mesmo o apertar com força nas coxas e bunda. Taehyung se aproximou, parando atrás de Hoseok, o masturbando, estimulando seus mamilos e vez ou outra deixando chupões em sua nuca. Gemeu sentindo sua próstata ser acertada diversas vezes e seu corpo fraquejou por uma fração de segundos.

Todas aquelas sensações e toques foram o suficiente para Hoseok gemer mais alto e atingir seu ápice, liberando seu liquido viscoso e esbranquiçado na mão de Tae e no abdômen de Yoongi. Recebeu um beijo carinhoso até demais de Suga e outro lento e sensual de Kim, e então deitou na cama encostando-se à cabeceira e agora focado apenas em assistir aos primos.

Antes que o esverdeado se aproximasse de si, Taehyung negou com o dedo e se levantou, caminhando enquanto lambia a própria mão, limpando-a da realização do prazer de Jung. Parou em frente a grande janela e então, depois de apoiar as mãos na soleira da mesma o olhou e Min soube exatamente o que aquilo significava.

Ao se aproximar, ia preparar o outro, mas teve sua mão segurada pelo loiro e o mesmo negou com a cabeça, se posicionando de forma que ficasse empinado em sua direção. Taehyung sentiu o membro invadi-lo lentamente e suspirou, tentando se acostumar o mais rápido possível. Apoiou sua testa contra o vidro, gemendo baixinho e pediu que o outro fosse logo.

Os movimentos que antes era lentos e calmos agora eram brutos, uma mão apertava sua cintura com força e outra puxava os fios de sua nuca, colando sua bochecha ao vidro. Não demorou muito e Taehyung gemia rouco, pedindo por mais e vez ou outra rebolava com o membro dentro de si. Suas mãos agora estavam apoiadas no vidro e sua bunda ainda mais empinada, seu membro esquecido naquele momento e não pode evitar gemer alto demais ao que teve sua próstata acertada junto a um tapa forte em sua nádega esquerda.

Os gemidos faziam parte daquele ambiente, Yoongi queria proporcionar mais prazer ao outro, mas aquilo era demais para si, estar excitado daquela forma e durar quanto tempo durou e recebendo os estímulos que recebeu, já era impressionante. Ejaculou no interior do caçula dali e nunca se sentiu não bem quanto naquele momento, permaneceu naquela posição por mais um pouco de tempo.

Sentou na cama, deixando Kim em pé em sua frente, chupando seu membro lentamente, o torturando, mas antes que pudesse fazer algo o mais novo enfiou com força todo o seu membro em sua boca, engasgou levemente e logo seguiu o ritmo imposto pela mão que puxava seus fios de cabelo com força. Se afastou lentamente, engolindo o pré gozo em sua boca e separando os lábios o olhando, dizendo pelo olhar o que era para ele fazer, e ele o fez, Kim Taehyung, seu primo mais novo, estava fodendo sua boca sem dó nenhuma, e pior, ele estava adorando.  O loiro atingiu seu ápice daquela maneira, fundo no interior da boca de Yoongi, que logo tratou de engolir o liquido agridoce.

 

— Uau! — Hoseok se pronunciou, cansado demais para falar mais do que isso, deitando e se cobrindo com a coberta de seda daquele chique quarto.

— Você ainda nos odeia, hyung? — Taehyung perguntou manhoso, enquanto deitava ao lado de Jung. E aquela era a primeira vez o mesmo o chamava assim, aquilo nunca saíra tão sensual antes.

— Vocês são meus primos preferidos. — alegou, enquanto deitava ao lado de Kim, abraçando ambos. E naquela noite os três deixaram de lado quaisquer desavenças e dormiram naquela forma, abraçados e sujos de seus prazeres e pecados.


Notas Finais


Espero que tenham gostado :)

"Acho que o escritor deve escrever para a alegria do leitor."
- Jorge Luis Borges

Favoritem se gostarem/quiserem.

Pra quem se interessar, minha one-shot Jikook. https://www.spiritfanfiction.com/historia/limites-13359176


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...