1. Spirit Fanfics >
  2. Entregue-se a mim >
  3. BÔNUS - Te guiarei ao paraíso, juntos

História Entregue-se a mim - Capítulo 2


Escrita por: e KittenHeart


Notas do Autor


AÊÊÊÊ MEU POVO E MINHA POVA CHEGAMOS A 30 FAVORITOS NESSA CARALHAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!
*Edit 1- No momento passamos dos 30, agora são 32 favoritos, muito obrigado pessoaaaas!!!!
E 306 visualizações baby, 306 fucking visualizações caraio! Somos fodas!!!♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ @OpalLover26 vamos comemorar com um balde de pipoca, refrigerante, pizza e mais um bocado de doces porque a gnt se superou!!!😎😎😎😊
Muito obrigado a vocês que favoritaram essa fanfic, a gente não esperava que ia ter tantos favoritos e visus. Sei que é pouquinho mas a gente comemora mesmo porque é uma baita felicidade que vocês não tem ideia!!!!
E muito obrigada pelos comments que deixaram, ficamos muito felizes que tenham gostado dessa fic delicinha ☻🌚
Enfim, fizemos o extra com todo carinho pra vcs que curtem Dc x Nimbus. Não esqueçamos que é ficcional, ou seja, se vc não gosta do shipp e não quiser ver... beleza tudo bem. Afinal ninguém nasceu nesse planeta pra agradar ninguém né?
E nós pedimos pra vc que não gosta do shipp, não atacar o coleguinha porque afinal é tudo ficção você faz o que você quiser em um mundo ficcional, apesar de ser inspirado nos filhos do Maurício mas enfim, as coisas que acontecem fora do normal na TMJ não acontecem na realidade, ou seja, é tudo ficção!!!
Se vc não gosta do shipp não leia, simples, mas quem gosta e curte o shipp e sabe distinguir o que é universo ficcional e o universo real então eu dedico esse bônus pra vcs que gostaram tanto dessa maravilha!!
Dado os avisos e os nossos sinceros agradecimentos em relação a esta fanfic, eu e a @OpalLover desejamos uma boa leitura pra vocês que amam Dc x Nimbus que nem a gente, e que comentem pra gente saber o que vocês acharam desse extra maravilhoso!
E mais uma vez muito obrigada a todos vocês👏👏👏😍💟
*Edit 2- E só pra lembrar, a edição da capa fui eu, KittenHeart, que fez. Eu não sou nenhuma profissional e também eu não sei editar capa e deu trabalho pra fazer essa merda, porque diversas vezes a porra do meu celular travou. E consegui fazer com o que negócio ficasse mais aceitável, ou seja, quem for editor de capa e talz nn me xinguem nem nada, até porque foi a primeira vez que fiz, e quem quiser me dar umas boas dicas eu aceito de coração!
E bem nós mais uma vez agradecemos com todo nossos coraçõezinhos pela sua favoritação e pelo seu comment e pelas visus também, isso mostra o quanto vocês gostaram dessa fic.
Enfim boa leitura porque já nos estendemos demais aqui nas notas iniciais, e até as notas finais!!💟💟💟😁❤

Capítulo 2 - BÔNUS - Te guiarei ao paraíso, juntos


Fanfic / Fanfiction Entregue-se a mim - Capítulo 2 - BÔNUS - Te guiarei ao paraíso, juntos

Capítulo Bônus

Te guiarei ao paraíso, juntos.

Um mês tinha se passado depois daquela semana chuvosa no Bairro do Limoeiro e em específico para os irmãos Do Contra e Nimbus.

Nimbus ainda não acreditava que haviam feito aquilo dentro do quarto deles e pior... com a mãe andando no corredor como se pudesse arrombar a porta e pegar os dois no ato.

 Mas agradecia pelo Do Contra ser alguém inteligente e cuidadoso o suficiente para trancar a porta e abrir a frestinha na janela para sair o cheiro de sexo, e também para não molhar o quarto com todo aquele toró.

Depois daquele dia parecia que nada havia acontecido entre os dois, afinal ninguém podia saber do que tinha acontecido pois além de ser considerado errado, eles podiam ser expulsos de casa. 

E convenhamos que os dois não estão na melhor das situações pra sair da casa dos pais de supetão!

Os dois estavam desempregados e ainda tinha o colégio, provas e mais trabalhos e tudo isso era um intensivão para a prova final que acontecerá no final do ano para os alunos que estão no Ensino Médio para ingressarem em uma faculdade pública de renome. Isso os deixava em grande desvantagem, sem contar que não teriam onde morar.

Do Contra sabia bem fingir indiferença, por isso não ia ser problema para ambos já que sabia disfarçar e não dava pitaco pra ninguém sobre suas vidas e era um cara que pensava o completo oposto sobre as opiniões das outras pessoas, gostava das coisas de que quase ninguém gosta, pratica artes marciais e odeia modinha.

Ah, definitivamente odiava modinhas!

Nimbus já é diferente de Do Contra, é um cara que pensa e tem uma opinião assim como os outros, quando há um certo tipo de modinha ele segue se for do interesse, pratica mágica e ilusionismo e pretende se aperfeiçoar nessa área. 

Já recebeu diversos elogios de seus colegas e amigos do colégio e isso serviu de combustão pra melhorar no que gosta de fazer. Do Contra nem sempre elogiava as mágicas que o irmão fazia e as chamava de capengas e bobas, mas no fundo gostava de ver o quão o outro era habilidoso no que fazia e as vezes se surpreendia, mas ninguém precisa saber, claro!

As coisas estavam normais pra todo mundo, a turma nem desconfiava de Nimbus e Do Contra, nem mesmo a Mônica que namorou por um tempo o Dc mas depois de um tempo terminaram. O mais novo tinha ficado arrasado por terminar com a garota que era apaixonado desde criança. 

Mas ele já vinha notando que a Mônica pensava em outra pessoa, que não curtia tanto o relacionamento como no começo, sem falar que ela ainda ficava toda boba perto do Cebola, apesar dele ter sido um cuzão com ela, e ela com ele e vice versa...dava pra ver que eles ainda se gostavam.

Sem falar que Do Contra andava confuso em relação a Nimbus e o quanto ele tinha disfarçado sua decepção quando soube que estava com a Mônica, o mais novo sempre fora muito observador em relação ao mais velho mas na época nem pensou muito.

Pois ele estava ocupado pensando no quanto Cebola foi idiota o suficiente e ter deixado a Mônica ir para os braços de uma outra pessoa, nem lutar por ela ele lutou.

Voltando pro presente, ninguém desconfiava da relação nada fraternal que Do Contra e Nimbus possuiam, pois eram bem discretos. O mais novo sempre fazendo implicâncias com o mais velho e sempre o outro rebatia de volta e vice versa.

Mas sempre tinha algo a mais subentendido nas provocações que só eles sabiam, como por exemplo no dia em que Nimbus havia feito um truque de ilusionismo para todos na hora do intervalo e todos haviam ficado maravilhados com o quão era habilidoso na arte ilusionista.

Do Contra ao longe estava lanchando quieto no seu canto e quando viu aquela multidão se afastou um pouco em seu banco e viu que era o irmão que estava se mostrando para os colegas de classe. O mais novo pensou em deixar pra lá a vontade de ir lá e gritar bem diante de todos o quão rídiculo e besta aquilo era e desvendar todos os truques. 

Normalmente Dc não se importaria de ver o irmão com raiva ou chateado por fazer pouco caso de sua mágica. 

Mas por um outro lado adoraria ver a cara de raiva do mais velho e o quão ele fica extremamente fofo quando um pequeno bico se forma entre seus lábios, quase como um pedido inconsciente de um beijo, e suas sobrancelhas franzidas e um olhar semicerrado fofo.

Ele preferiu esperar aquela multidão se dispersar e depois foi até onde o irmão estava guardando o seu precioso kit de mágica e não percebeu Do Contra chegando e tomou um belo susto e quase caiu para trás quando sentiu uma mão debaixo de sua blusa e sentiu suas costas serem arranhadas levemente e quando olhou para trás notou que era o mais novo.

Nimbus:-N-nossa irmão...você me deu um susto! Por acaso queria me matar do coração?

Do Contra:-Matar de susto não, se bem que sua cara foi impagável, kkkkkkkkkk!!

Nimbus:-Então por que caralhas você chegou assim? Do nada? Porra eu nem ouvi seus passos!!

Do Contra:- Na verdade eu tava era fazendo um monte de barulho mas você estava muito ocupado pensando e ajeitando seu kit besta...

Nimbus:-Você está claramente me avacalhando...quantas vezes vou ter que repetir que minhas mágicas não são bestas? 

Do Contra:-Um pouco menos do quanto você me chama a noite no nosso quarto.

Nimbus corou vários tons de vermelho sem acreditar no que tinha acabado de ouvir...sério que ele falou aquilo ali mesmo, em um tom de voz consideravelmente alto?! E uma frase tão sem vergonha?! Tão Dc...

Nimbus:-Irmão...você...tem ideia do impacto que iria causar se você falasse essa frase um pouco mais alto?

Do Contra:-Tenho ideia do impacto que sei que causa em você, afinal o tanto que você implora por mim não é brincadeira.

Nimbus:-Para mano...alguém vai ouvir!

Do Contra:-Relaxa, ninguém ouviu e se tivessem ouvido a Denise era a primeira a querer se meter em nossas vidas e até agora não aconteceu nada.

Nimbus:-Mas nunca se sabe onde aquela fofoqueira está, isso pode acabar chegando até nossos pais, eles não podem nem sonhar que temos uma relação além de fraternal.

Do Contra:-Isso não vou poder contrariar...

Ainda um pouco desconcertado pela direta que o mais novo tinha lançado foi terminar de arrumar as suas coisas e foi pra cantina do colégio comer alguma coisa antes do sinal do intervalo tocar. 

Outra vez que Do Contra deixou Nimbus totalmente sem graça foi no dia onde estavam tendo aula de Ed. Física.do professor/treinador Átila e a aula era de basquete e Nimbus não pôde ir por conta que torceu o tornozelo quando tentou resgatar um filhote de gato que não conseguia descer de uma árvore.

E sem querer caiu da árvore...

E o gatinho passa bem, inclusive ele é um dos gatinhos da Aveia e do Mingau, os gatos da Magali.

E por conta disso teve que se contentar a assistir o final da aula lá na arquibancada onde via o desempenho do irmão, os músculos dos braços e das pernas sem falar no tanquinho que se formava ali era resultado de muito treino nas artes marciais, o Ninjutsu.

Nimbus saiu de seus pensamentos assim que ouviu o apito estridente do treinador indicando o fim da aula, os alunos todos arrumaram suas coisas e foram tomar uma boa ducha para enfim serem liberados para casa.

Nimbus com um pequeno esforçinho foi para o portão de saída do colégio e lá ficou esperando o Do Contra vir com suas coisas.

Assim que chegou na saída ele avistou Marina e eles começaram a conversar sobre várias coisas, inclusive ele queria dicas sobre a próxima mágica que estava pretendendo fazer e necessitava de novas ideias e a cacheada ajudava no que podia.

E assim se passaram meia hora até que avistaram Do Contra se aproximar, ele cumprimentou Marina com seu jeito de contrariar tudo, já estavam bem acostumados com isso.

Marina observou o quão os dois irmãos estavam bastante próximos, talvez até demais, ela pensava que poderia ser coisa da cabeça dela...mas pensando com bem mais clareza ela viu que sim, uma mudança na proximidade entre os dois.

Marina sempre foi muito esperta e observadora e veio notando que a relação entre Nimbus e Do Contra deram bruscas mudanças na época do namoro entre Mônica e Dc e depois do término entre eles.

Quando Do Contra engatou em um relacionamento sério com a garota, Nimbus começou a ficar esquisito...não ficava mais esperando o irmão na saída, começou a ficar distante e mais calado, apesar dos dois não terem parado de se falar.

Marina até tentou conversar sobre isso com Nimbus, perguntava em como sentia ao ver que Do Contra passava mais tempo com a Mônica e se ele tinha receio de estar sendo trocado pela garota.

Nimbus não respondeu e pediu que encerrassem o assunto por ali já que não se sentia confortável para falar sobre, Marina e o garoto são bem amigos e possuem gostos parecidos, por exemplo ele gosta dos desenhos dela e ela gosta das mágicas dele.

E ela por ser amiga ficou preocupada com o que ele poderia estar pensando pra ele ter mudado tanto, mas respeitou a decisão dele não falaram mais nisso.

Nimbus exibiu esse comportamento até que Do Contra terminou com a Mônica, o mais novo ficou arrasado por terminar com a garota que era apaixonado desde criança, mas via que ela pensava em outro alguém.

Depois de todo esse clima pesado a cacheada notou uma melhora em Nimbus e Do Contra também, apesar de sempre estar lá implicando com o irmão ele tinha um olhar diferente para o mais velho, e a mesma coisa com o outro, desconfiava que pudesse ter algo a mais entre os dois mas Marina preferiu não pensar mais naquilo, afinal não era de sua conta como era a relação deles, e , convenhamos...ela tinha coisas melhores pra se preocupar.

Os três caminhavam para fora do colégio conversando bastante e rindo também e o assunto do momento era a aula de basquete...

Marina:-Cebola até que andou melhorando nas aulas, depois que o Titi começou a treiná-lo então...

Nimbus:-É verdade, me lembro que o Cebola era todo estabanado na hora de quicar a bola no chão que acabava deixando escapar e dando chance ao adversário.

Do Contra:-Nesse dia ele foi embora todo frustrado e sóóó depois de um incentivo da Mônica é que ele apresentou melhora, inclusive foi ele que deu a ideia do Titi treiná-lo.

Marina:-E o Cascão então...nossa...

Nimbus:-Me lembro que o Cascão riu pra caramba da cara do Cebola mas bem que foi implorando de joelhos pro Titi deixar ele treinar junto, já que ele fez a burrada de se inscrever no Interclasse e a Cascuda ainda foi assistir ele...e nem bom no basquete o Cascão era.

Marina:-Verdade... Cascão é um besta mesmo, kkkkkkkkkk.

Do Contra:-Na minha sincera opinião eu não graça no Interclasse...todo mundo se conhece ali dentro e ficar fazendo estardalhaço pros times ganharem, na real eu não vejo graça em nenhum desses esportes... nem ligo mesmo.

Nimbus:-Claro que tu não liga, você é o diferentão e se acha o gostosão das quebradas...

Do Contra:-Sim, sou diferente e original e tenho bem mais personalidade e destaque, quanto a me achar o gostosão das quebradas eu lhe digo que sim, me acho gostoso e não vejo motivo pra você reclamar...

Nimbus:-É-é claro que tenho motivos p-pra reclamar...todo dia que chega a aula de basquete você passa o dia inteiro reclamando e nossos ouvidos que lutem...-retrucou o mais velho corado pelo que o outro tinha acabado de dizer.

Marina:-Ele tem razão Dc, ninguém tem mais paciência pra aturar seus resmungos.- a cacheada falou fingindo que não ouviu a provocação anterior.

Do Contra;-Já disse que não tô nem aí para o que os outros pensam...

Nimbus:-Hunf...duvido muito que se você tivesse um bom incentivo você pararia de reclamar nos nossos ouvidos toda vez que a aula é basquete.

Do Contra:- Um bom incentivo é eu querer passar de ano nessa matéria, é um motivo bem nobre então nem vem...

Nimbus:-Mas não é o suficiente para parar de encher nosso saco.

Do Contra;-Então qual é a sua ideia, um beijo de boa sorte e é isso aí?

Marina:-Noussa...pra que agredir?

Nimbus:-N-não irmão...porque você não pensa em algo que pode te agregar ao ninjutsu, tipo...algo que tenha no basquete que se assemelhe ao ninjutsu?

Marina:-pode até servir como treinamento para suas técnicas lá e tals...

Do Contra:-Gente...não vou perder meu tempo com isso. Não mesmo!

Nimbus:-E você prefere perder seu precioso tempo com o que então?

Do Contra:-Eu prefiro “perder meu tempo” com coisas bem mais interessantes que basquete.- falou olhando para o mais velho.

Já este não sabia onde enfiar a cara de tão vermelha que estava, até as pimentas teriam inveja da cara vermelha de Nimbus.

Até Marina ficou sem jeito pelo o que tinha acabado de ouvir, mas preferiu ficar na sua e também porque já estava bem no caminho de ir para sua casa e se despediu dos dois ainda sem acreditar no que ouviu.

Uma outra vez que Do Contra deixou Nimbus totalmente sem jeito foi quando estavam de férias e seus pais decidiram ir para uma outra cidade visitar os parentes e levar para conhecer alguns primos e tias que nem sabiam da existência.

Conversa vai conversa vem...suas tias comentaram o quão os dois haviam crescido e se tornaram belos rapazes e soltaram aquela famosa pergunta que todos algum dia irão ouvir...” e as namoradas?”

Nimbus respondeu que não estava interessado em ninguém por enquanto...e que só o tempo agiria na hora certa.

Do Contra disse que não ligava muito pra essas coisas porém tinha dito que já teve uma namorada mas que terminaram faz uns dois anos.

As tias quiseram saber mais porém o mais novo não quis mais dar detalhes sobre sua vida deixando-as curiosas, mas não insistiram no assunto já que poderia deixar o sobrinho com raiva.

As tias adoravam como a dinâmica entre os sobrinhos funcionavam, elas se divertiam bastante porque elas se lembravam dos tempos em que eram jovens inconsequentes e sentiam falta de todo aquele ar jovial e rebelde.

Nimbus e Do Contra se implicavam desde criança , o que é normal para quem tem irmãos, só que o que ninguém sabia era que o nível das implicâncias entre os dois era completamente diferente...se é que entendem...

Quando a prima mais velha deles saiu para buscar um bolo pra tomar com chá, Nimbus brincou dizendo que poderia engordar fácil fácil se passasse as férias inteiras ali. Do Contra pra não perder o costume de ver o irmão todo sem jeito soltou que o mais velho já estava ficando saliente em algumas regiões.

Sem ter o que rebater na hora Nimbus envergonhado só mandou um simples “vai se lascar”.

As tias começaram a rir pelas implicâncias, afinal certas coisas nunca mudam entre eles, coisas de jovens.

Mais tarde no mesmo dia...

Enquanto os pais e as tias conversavam na varanda sobre diversas coisas, os irmãos estavam na mesa perto da cozinha mexendo nos seus celulares muito bem ocupados com suas redes sociais.

Estava um tédio terrível e não faziam nada além de trocar umas poucas palavras e mexer no celular, Nimbus apesar do tédio se concentrava no joguinho de tetris enquanto Do Contra só mexia nas redes sociais, afim de deixar as coisas bem mais interessantes e perigosas o mais novo colocou sua perna nas partes baixas do mais velho e deu uma leve roçada ali e deitou a cabeça no ombro dele e deu uma boa chupada ali fisgando a atenção do irmão que o olhava todo envergonhado mas começou a entrar na dele.

Nimbus saiu de sua cadeira e se sentou no colo do mais novo enquanto dava pequenos rebolados e mordia sua orelha como vingança pelo belo chupão.

A mão esquerda de Do Contra foi parar na bunda de Nimbus enquanto a mão direita adentrava a blusa do outro procurando os mamilos para brincar um pouco.

Nimbus não ficou para trás e tratou de desabotoar sua bermuda e colocar seu pênis semi rijo pra fora e ajudou Do Contra a fazer o mesmo para que pudessem esfregar com mais facilidade os seus pênis.

O mais novo levantou a blusa do mais velho e ele começou a sugar cada mamilo com muito gosto os deixando bem vermelhos e inchadinhos, Nimbus tentava ao todo não gemer pra não chamar a atenção dos parentes lá na varanda mas ficava difícil toda vez que sentia a boca do mais novo sugando seus mamilos e seus pênis se esfregando um contra o outro bem duros. Necessitavam de mais contato e queria um ao outro ali mesmo e aos poucos eles se esqueciam de onde estavam, Do Contra deixou os mamilos do outro de lado e passou a se concentrar somente na boca do irmão que sempre estava a espera de um beijo. Sanando a vontade do outro Do Contra o beijou com todo o seu fogo e passou a esfregar os membros bem mais rápido e sentia as unhas curtas de Nimbus arranharem seus ombros por baixo da blusa, particularmente adorou sentir um bom arrepio com esses arranhões...

Estavam no limite e não aguentavam mais segurar o ápice que estava por vir e Nimbus envolveu os dois falou com a sua mão esquerda e fez movimentos de cima para baixo várias vezes até que em um gemido abafado os dois gozam quase ao mesmo tempo sujando as mãos e as bermudas que usavam.

Ficaram abraçados até que tivessem a respiração bem mais calma e depois saíram para trocar a bermuda, não queriam que ninguém visse o resultado do que acabaram de fazer.

Iriam ter a chance de um possuir o outro porém tiveram que dormir cedo para que pudessem acordar cedo no dia seguinte para irem visitar mais uns parentes e amigos da família.

Passaram duas semanas na outra cidade até que finalmente voltaram para o Bairro do Limoeiro e para o conforto do lar.

////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Havia chegado o aniversário de casamento dos pais de Do Contra e Nimbus e eles decidiram passar o fim de semana fora, e isso era em uma sexta-feira a tarde, e decidiram deixar a casa sob os cuidados dos dois.

Foi uma lista de recomendações que seus pais fizeram, afinal nunca passaram dois dias sem ver os filhos, o máximo foi umas 2 horas no supermercado e olhe lá!

Diversas vezes foi advertido que se chegassem a explodir a casa eles iriam se arrepender pro resto da vida, coisa que deixou os pobres garotos todos congelados de medo, mas prometeram que não fariam nada radical.

Com todas as coisas prontas os pais se despediram dos filhos, a mãe super carinhosa encheu os filhos de beijinhos no rosto e pediu para que se comportassem, o pai deu abraço de urso nos dois e beijou suas testas e pediu para que ficassem quietos e nada de dar festas ou algo do tipo.

Como todos sabem, se dois irmãos ficam sozinhos em casa...é mais do que certeza que vão sim aprontar algo ou até mesmo se matarem de tanto brigar, no caso de irmãos que não se bicam muito bem.

Assim que os pais saíram de casa os dois irmãos se olharam maliciosos e cúmplices e logo logo veio a seguir a grande bagunça na casa de Nimbus e Do Contra.

Música de rock pesado no último volume, travesseiros jogados pelo chão da sala, iam brincar de guerra de travesseiro, farinha espalhada pelo chão já que Nimbus pretendia fazer bolo, exatamente, pretendia...mas aí lembrou que a fôrma do bolo havia sido deixada na casa das tias. Um colchão de casal jogado no meio da sala, um ventilador no chão caído e dois garotos com o capeta encarnado no corpo correndo de um lado pro outro bagunçando a casa inteira, não tinha os pais brigando sobre não fazer bagunça nem nada...então estavam livres pra fazer o que quiserem.

Jogaram no PS4 a tarde inteira, comiam o que queriam da geladeira, passaram trote para os vizinhos e até mesmo pediram pizza para um vizinho fofoqueiro e chato.

Riram bastante com as mágicas que Nimbus fazia e teve guerra de balões com água... depois de tudo isso tiveram que limpar toda a bagunça, tirar o excesso de água que ficou na área e no jardim e ajeitaram o colchão que era de seus pais, os travesseiros e o ventilador.

Do Contra teve a ideia de maratonarem filmes até onde desse, filmes terríveis escolhidos por ele mesmo, teria direito a comentários durante o filme e pipocas com refri. Até esqueceram de esquentar o jantar que a mãe havia deixado preparado para os dois comerem, mas isso não vem ao caso.

//////////////////////////////////////////

Todos os filmes terríveis que assistiram foram uma sequência de comédias uma atrás da outra, Do Contra gostava muito de filmes toscos que ninguém mais gostava e Nimbus nada podia fazer senão assistir entediado e de vez em quando comentar sobre uma cena específica.

Do Contra ria feito um condenado a cada cena que achasse engraçada e Nimbus quase caía no colchão de tanto sono e tédio.

Filmes mal feitos, com baixa qualidade e efeitos especiais ridículos e uma computação gráfica pobre, eram do agrado de Do Contra.

Horas depois Nimbus já havia desabado de tanto sono no colchão e só acordaria no dia seguinte, eles já gastaram sua energia a tarde inteira bagunçando e depois limpando a casa, compreensível o estado do mais velho.

Do Contra fechou as cortinas da sala, desligou a tv e aproximou um pouco mais o ventilador que estava ligado fazia uns 15 minutos e deitou ao lado de Nimbus, o abraçando pela cintura até que finalmente agarrasse no sono.

No dia seguinte...

Nimbus acordou lentamente sentindo o outro abraçado a si e não deixou de dar um pequeno sorriso de ternuras, olhou no seu celular e viu que ainda era cedo, 7:00 da manhã, e decidiu ficar mais um tempo ali nos braços quentinhos e confortáveis de Do Contra e virou-se de frente pro irmão e lá ficou até que adormecesse novamente.

................quebra de tempo..................

O mais velho acordou novamente e esperou alguns minutos para se acostumar com a sala já meio clara, mas não totalmente por causa das cortinas que ainda estavam cobrindo a janela. Olhou no celular as horas e deu que era quase meio dia e se levantou para fazer suas higienes do dia.

Depois de escovar os dentes e lavar o rosto ele foi direto para o chuveiro tomar uma boa ducha para acordar de vez, e entrou debaixo dali com tudo sentindo as gotas geladas baterem contra sua pele o fazendo estremecer mas depois conseguiu tomar seu banho normalmente.

Se ensaboou todo e aproveitou para passar um shampoo que tinha na pratileirinha do box e depois se enxaguou bem.

Depois foi a hora do condicionador e lá deixou os minutos necessários indicados na embalagem do produto e depois o retirou. 

Estava bastante concentrado no seu banho que deixou passar despercebido a presença de Do Contra que entrava no box e se molhava junto com um sorriso bem safado no rosto.

Só se deu conta da presença do irmão quando sentiu ser abraçado pela cintura e uma protuberância roçando em suas nádegas.

Nimbus não resistiu a implicar com Do Contra...

Nimbus:-Bom dia! Vejo que alguém acordou bem animadinho, hãn?

Do Contra:-Acordei animado e com muita vontade de te comer, aqui e agora.

Nimbus:- E cê tá esperando o que? Vem aqui e me come!

Do Contra:-Pode deixar, madame!

Riram juntos com tudo aquilo e não perderam mais tempo e iniciaram um beijo lento e apaixonado e vale lembrar molhado, o chuveiro ainda estava ligado e isso serviu para que ambos ficassem excitados bem mais rápido enquanto os membros se friccionavam. 

Do Contra parou de beijar Nimbus e abriu mais as pernas do irmão e com sua força conseguiu levantá-lo do chão e o prensando na parede e segurava forte em suas nádegas e voltou a friccionar seus pênis mais intensamente e o mais novo deixava chupões e mordidas em lugares bem visíveis. 

O mais velho não tava nem aí se iam ver as marcas ou não, ele só queria que aquele estado de torpor de prazer continuasse.

Do Contra se cansando daquela posição cuidadosamente colocou o irmão no chão e sugou cada um dos seus mamilos enquanto sua mão direita masturbava o seu pênis e o do mais velho.

Nimbus não perdeu tempo e marcou cada canto da pele do irmão, e sussurrava no seu ouvido para ir cada vez mais rápido e o mais novo fazendo exatamente o contrário, diminuiu os movimentos se divertindo com as impaciências do outro.

O vidro do box estava ficando embaçado bem rápido enquanto Nimbus apoiava sua mão ali com Do Contra sugando cada centímetro do seu membro já desperto.

Ele não conseguia mais controlar o seu tom de voz e também não se importava se gemia alto ou não, estavam sozinhos em casa e fariam o que quisessem, onde quisessem e quando quisessem. Sentia a língua do outro percorrer cada parte de seu pênis, até mesmo suas bolas não escaparam da habilidosa língua do outro.

Sentindo que estava aos poucos chegando no limite Nimbus não perdeu tempo e tirou o seu pênis da boca mais novo e o chamou impaciente para que lhe fodesse logo.

Do Contra que também estava impaciente pegou o seu membro e enfiava aos poucos na entrada quente e macia de Nimbus, este que gemia satisfeito apoiado na parede do box de quatro. O mais novo mordia e chupava cada canto de suas costas e seu pescoço deixando marcas vermelhas e roxas pelo corpo do outro, sem faalar na marca de dentes que ficava ali.

Ninguém deu importância pra nada, se iam ver as marcas, se ouviriam os gemidos , se incomodassem vizinhos, estavam dando o fodase pra tudo aquilo e se concentravam um no outro, em proporcionar prazer um ao outro e disfrutar daquele momento um com o outro.

Do Contra começou com movimentos rápidos e foi diminuindo de velocidade porém sempre dava estocadas lentas e fundas sempre acertado aquele ponto mágico do Nimbus que cada vez mais gemia e seu pênis latejava esquecido ali.

O mais novo virou o irmão de frente para si e recomeçou com as estocadas lentas e fundas enquanto Nimbus gemia de deleite ao sentir o outro atingir aquele cantinho específico que lhe fazia ver estrelas. 

Se beijaram mais uma vez só que o beijo era selvagem e quente enquanto o mais velho arranhava as costas do mais novo com suas unhas curtas. 

Do nada Do Contra passava a meter mais rápido e parava pra estimular os mamilos já inchadinhos de tanto chupá-los e masturbava o pênis esquecido do outro que implorava por atenção, ele apertava com força a cintura do outro deixando as marcas de seus dedos .

Depois virou Nimbus para a parte de vidro do box e meteu com mais rapidez e abraçado ao outro enquanto a mão direita masturbava o pênis do irmão e chegou bem perto do ouvido dele e gemia descontrolado, palavrões e palavras sem sentido saiam de sua boca e a essa altura ninguém se importava mais com nada ali, nem vizinhos, nem pais, nem Mônica, nem os amigos e nem ninguém. 

O que importava era Do Contra e Nimbus, só os dois sozinhos no banheiro de casa se comendo loucamente e gemendo sem controle.

Do Contra se sentia no limite quando sentiu Nimbus tremer e arquear a coluna e jorrar seu sêmen naquele vidro enquanto roçava na porta do box. O mais novo ainda não tinha parado de meter e assim que sentiu a entrada do outro se contrair ele só meteu mais uma três vezes e chegou no ápice preenchendo aquela entrada com seu sêmen enquanto mordia fortemente o pescoço do irmão.

Cansados e bastante ofegantes um se apoiou no outro para descansarem e recuperarem seu fôlego e ficou assim por um bom tempo, ninguém ali teve coragem de se mexer e fazer qualquer movimento, ainda estavam conectados intimamente aproveitando os momentos pós orgasmo.

Depois de uns longos minutos o mais novo saiu de dentro do mais velho e se sentaram no chão molhado do box.

Essa vez foi muito intensa para os dois e um se apoiava no outro ali aproveitando a companhia do outro. Nimbus estava bastante satisfeito, mas ainda faltva algo, intimamente ele queria saber como era estar no lugar de Do Contra como era estar por cima, como era guiar toda a relação até o ápice.

Nimbus:-Hey...na próxima sou eu que vou ficar por cima...quero saber como é estar dentro de você.

Do Contra:-Por que não fazemos isso agora?

Nimbus:-Agora?? Mas a gente acabou de transar e não sei se minhas pernas aguentam, elas viraram manteiga kkkkkkkkkk.

Do Contra:-Não seja por isso.

O mais novo abriu as pernas do mais velho e começou a dar umas boas lambidas ali e Nimbus ainda estava sensível depois de tudo e em pouco tempo seu pênis já estava duro de novo.

Nimbus:-Irmão...você não qier que te prepare? Assim como você fez comigo naquele dia?*

Do Contra:-Eu faço isso toda vez que eu bato uma, então não precisa.

Nimbus:-Tão independente...-o mais velho comentou irônico.

Do Contra:-Tenho meus jeitos de me satisfazer, bonitão!-o mais novo rebate.

Até mesmo na transa eles se implicam...

O mais novo aos poucos se sentava no pênis do mais velho e dava vários suspiros até que estivesse completamente dentro.

Se antes Nimbus via estrelas, agora ele tava vendo a Via Láctea inteira. Nunca imaginou que a entrada do mais novo fosse tão apertada e macia. 

Já Do Contra estava totalmente ofegante e com uma cara de total satisfação, afinal ele também queria ser comido pelo mais velho e agora se sentia realizado também, esperou um tempinho até que se acostumasse e com a ajuda de Nimbus começou a cavalgar em seu colo, o mais novo abraçou o pescoço do irmão enquanto cavalgava e sentia aquele pênis que a cada investida ele tinha a impressão que crescia mais e mais. 

O mais velho ajudava com as suas mãos na bunda do outro e ajudava a cavalgar bem fundo. Nimbus lambia a orelha do mais novo e chupava a sua clavícula fazendo-o arquear a coluna e puxava seu quadril pra baixo.

 Ficaram naquela posição por um tempo até que o mais velho deitou o mais novo no azulejo e levantou suas duas pernas e metia no ritmo lento enquanto marcava a barriga do outro com mordidas. O mais velho se descobriu estar viciado naquele tanquinho do mais novo e dava mordidas e chupões que fazia Do Contra gemer e rir ao mesmo tempo, porque fazia cócegas. Parou de estocar lento e se retirou de dentro do irmão e passou a sugar seu pênis todo inchado enquanto dava mordidinhas leves vendo o irmão ficar totalmente louco de tanto tesão, lambia a cabecinha rosada e brincava com sua língua naquele buraquinho.

Quando sentiu que Do Contra estava prestes a gozar, Nimbus parou com o que fazia deixando-o um pouco irritado por ter parado. O mais velho voltou a penetrá-lo só que dessa vez as investidas vieram com mais força e mais fundas, com Nimbus segurando uma perna deixando o membro do outro bem exposto e pulsante.

Depois de tanto meter naquela posição Nimbus conseguiu se levantar e levantou o irmão com uma força vinda de não sabemos onde e voltou a investir com tudo, deixando-o Do Contra a sua mercê, a pele toda marcada, a boca aberta com um filete de saliva escorrendo ali e seu pênis todo inchado e pulsante. 

Sentindo que chegaria bem rápido ao ápice tratou de meter bem fundo e beijava o irmão totalmente necessitado e sensível e segundos depois sentiu sentiu algo viscoso e melado em seu baixo ventre e Do Contra tendo espasmos indicando que havia chegado ao ápice e sem precisar de mãos.

Nimbus logo em seguida chegou ao seu ápice também e se permitiu jorrar seu sêmen na cavidade do irmão gemendo alto e arrastado. Demorou uns segundos até que finalmente terminasse de gozar dentro e sair lentamente de dentro do outro vendo aquele sêmen escorrer da entrada se seu irmão. 

Ambos estavam totalmente satisfeitos mas infelizmente teriam que tomar outro banho, estavam suados e sujos de gozo, e estavam com a barriga vazia porque acordaram tarde e passaram um bom tempo transando no banheiro.

Depois de terem normalizado as suas respirações e tudo estar mais calmo, começaram a se molhar sentindo aquele calor de seus corpos aos poucos se acalmar enquanto um dava massagem no outro, sem malícia nem nada, aproveitando a presença um do outro.

Do Contra esses dias andava muito manhoso e não era do feitio dele estar muito apegado a alguém, estando com Nimbus era diferente, procurava estar agarrado ao outro em diferentes momentos, podia ser quando tomavam banho juntos, assistindo tv, dormindo juntos. Nimbus particularmente gostou dessa mudança e se perguntava o porquê disso.

Como se ouvisse seus pensamentos Do Contra chegou bem perto do seu ouvido e sussurrou...

“Eu amo você....”

“E eu a você, irmão.”

FIM!!!



Notas Finais


*Se remete ao capítulo passado.
♡KittenHeart:-E enfim chegamos nas notas finais gente, muito obrigada a todos vocês que acompanharam cada pedaço dessa fic goxtosa e maravilhosa que eu e a @OpalLover26 escrevemos. E sim a gente pretende trazer mais deles dois seja Pwp, seja só um shounen-ai levinho, seja drabble, enfim. Só temos a agradecer todos os favoritos, visus e comments que vocês deram.
♤OpalLover26:-Pois é meu povo e minha pova, teve lemon bem delicioso no final e também tivemos o Dc passivo, em especial a uma leitora que pediu, a @Kiruchimamire, mas pessoalmente eu prefiro o Dc sendo ativo, mas espero que tenha sido do seu agrado (😉) e de todos que leram até aqui. Um muito obrigado e nos vemos na próxima.
♡KittwnHeart:-Até mais gente!!!👋👋👋👋👋(⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)(⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)(♥ω♥*)(⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)(♥ω♥*)
WE ARE THE CHAMPIONS MY FRIEND!!!!
Só pra deixarmos claro, amamos Queen 😉


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...