1. Spirit Fanfics >
  2. Entrelaçados - Sasuhina >
  3. Ápice

História Entrelaçados - Sasuhina - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Gente eu sempre quis fazer isso kklkk

Capítulo 19 - Ápice


Fanfic / Fanfiction Entrelaçados - Sasuhina - Capítulo 19 - Ápice

Hinata Hyuuga 

Apesar de estar divorciada a um mês não consigo assimilar ainda, fui criada desde pequena acreditando que tenho que ser mulher de um homem só, por isso papai queria que me casasse logo, para ele é vergonhoso mãe solteira, mas me dediquei por sete ano, aquele homem para que?

Vim passar um tempo na casa do meu ex-cunhado Menma e sua esposa Hana, eles moram em uma casa linda de frente ao mar na Califórnia, eu e a Hana estamos sentadas em uma cadeira de praia, pegando um sol e bebendo água de cocô, na verdade ela, por que acho isso horrível.

- E aí já decidiu o que vai fazer? - Perguntou.

- Sim, assim que voltar, vou abrir um consultório e cuidar dos meus filhos - Meu coração se apertou de saudade.

- Vai sair mais né? Dar uma nova chance para o amor - Revirei os olhos.

- Tá doida, chega de macho, quero provar que sou auto-suficiente, que posso ser bem mais, que a garotinha apaixonada, que nunca pensa nela mesma - Suspirei.

- Estou gostando de ver - Brincou.

- Oi garotas mais lindas - Menma chegou, beijou meu rosto e deu um selinho na Hana.

Hana é uma mulher linda, com o corpo no lugar, ela é uma modelo famosa, os cabelos loiros até brilham de tão hidratados, assim que cheguei, me fez cuidar dos meus cabelos, cortei curtinho, fizemos as unhas e sobrancelhas, depilação, compramos várias roupas.

Menma se parece com o Naruto, só que tem cabelos pretos e é muito mais sério, e responsável com o trabalho. Sentou do nosso lado na areia.

- Hinata você volta amanhã? - O moreno perguntou.

- Sim, não posso deixar mais minha família de lado - Fechei meus olhos e apreciei o barulho das ondas.

- Entendo, qualquer coisa é só ligar, você ainda é minha cunhada, fico feliz por termos passado este tempo juntos - Suspirei.

- Eu também, me ajudou bastante, acho que precisa desse tempo - Foi tudo ideia da Hanabi, meu celular tocou, é uma chamada de vídeo.

- Mãe - Gritou a Mai do outro lado.

- Oi filha - Sorri com sua empolgação.

- Quando vai voltar?

- Amanhã querida.

- Eba, estou com muita saudade.

- Eu também amor - Queria abraça-la muito - Onde você está?

- Na casa do papai Kakashi, ele está fazendo almoço para a gente - Mai se acostumou rapidinho a ser filha do prateado.

- Sinto falta da comida dele.

- Eu escutei isso - Ouvi sua voz ao longe e minhas bochechas coraram, pois me lembrei do beijo, Mai levou o celular até ele, que cozinha algo, pegou da mão dela - Ela foi terminar a série dela, acredita? - Comecei a rir.

- Ela gosta bastante de série - Ficamos em silêncio.

- Hinata quando voltar, quero cozinhar para você - Fiquei vermelha.

- Adoraria - Falei.

- Kakashi, deixa eu falar com a mamãe - Pegou o celular de volta - Mãe quando voltar, leva o Kakashi para dar uma volta, ele anda muito triste - Suspirei.

- Pode deixar querida, agora vou indo, amo você.

- Também amo você.

Desligou.

- Levar o Kakashi para dar uma volta - Hana começou a rir, mostrei a língua para ela.

No outro dia, já com as malas prontas, me despedi dos dois com um abraço apertado e entrei no táxi. Foi cinco horas de voou, até a minha cidade, onde assim que cheguei, encontrei o prateado me esperando, abracei ele.

- Hanabi queria vim, mas tinha médico hoje e Mai está na aula de Karatê - Falou - Senti saudades.

- Eu também Kakashi - Colocou a mão nos meus ombros e me levou até seu carro, colocando a mala no porta malas.

- Para onde você vai? - Suspirei.

- Para casa - Olhei para a janela, vendo as pessoas e carros passando.

- Certeza?

- Tá na hora de enfrentar tudo - Pegou na minha mão e entrelaçou, apertando levemente.

- Você é a mulher mais forte que conheço, você consegue - Sorri.

- Obrigada - Chegamos, entrou pelo portão, estacionou o carro, respirei fundo antes de tocar a campainha da grande casa, que um dia foi o lugar onde fui feliz.

- Hinata - Uma senhora bondosa me abraçou.

- Dona Cloe, quanto tempo - Soltei do seu abraço, entrei na casa com o Hatake ao meu lado.

Descendo as escadas com uma mala na mão, vinha o Sasuke, meu coração acelerou, borboletas dançaram no meu estômago e minhas mãos suaram, seu olhar está triste, me encarou por um tempo em total silêncio.

- Eu já levei minhas coisas para a casa que comprei, semana que vem, fico com as crianças como combinado - Continuou seu caminho, meu coração se apertou.

- Sasu - Parou - Ainda sinto sua falta, não queria que fosse assim - Suspirei.

- Eu também não Hina, ainda não desisti da gente, vou provar que nunca te traí, é uma promessa - Saiu da casa, ouvi o barulho do carro, deixei uma lágrima solitária cair, o prateado me puxou para seus braços.

- Vai dar tudo certo - Assenti.

- Espero que sim, me ajuda com a mala - Perguntei? Ele sorriu.

- Claro - Levamos para cima, onde a desfiz, foi estranho entrar no quarto, abrir o closet e só encontrar roupas minhas, deixou uma blusa dele ao fundo com um bilhete.

" Desculpa levei sua camiseta preferida, para me lembrar de você, espero que goste dessa, é a minha preferida.

Sasuke".

Bufei irritada com a ousadia dele e fechei a porta do closet, descemos as escadas, as crianças entraram pela porta, acompanhadas pela senhora Uchiha.

- Mãe - Gritou o Boruto, me ajoelhei no chão e recebi um abraço apertado, senti meu ombro ficar molhado - Senti sua falta - Falou soluçando.

- Eu também - Chorei com ele, depois me soltou, e Mai venho correndo, chorando também.

- Que bom que voltou - Suspirei.

- Achou que não voltaria?

- Claro que não, você não vive sem a gente - Sorri.

- Que bom que sabe querida - Soltou de mim, Himawari correu e me abraçou.

- Achei que ia abandonar a gente - Chorou.

- Como iria viver sem meus amores? - Brinquei, por último a passos curtinhos venho o Yuki, que falou.

- Mama - Antes de se jogar em meus braços.

- Não acredito é a primeira palavra dele? - O Hatake perguntou.

- É sim - Falei com a voz embargada.

Passamos um tempo juntos, contaram sobre seu dia, Kakashi foi embora, e fiquei curtindo meus filhos lindos. Pela manhã assim que deixei todos na escola, com o pequeno Yuki, encontrei um lugar perfeito para ser meu consultório, comprei.

Senti naquele momento que poderia continuar de verdade agora.

6 meses depois

Essa é a semana do Sasuke ficar com as crianças, então não me importei, em acordar tarde em pleno domingo.

Meu consultório a cada dia que passa ganho mais clientes, psicóloga Hyuuga, adorei.

Já me acostumei com a nova rotina, junto as crianças, não tem sido fácil mas estou conseguindo, não posso reclamar de nada, no fim.

O celular começou a tocar, procurei na mesinha do lado da cama até encontrar.

- Alô?

- Sakura, sou eu Kakashi - Bocejei - Liguei para saber se quer jantar aqui hoje.

- Claro que sim.

- Até mais tarde.

- Até.

Desliguei.

Kakashi Hatake

Deixei tudo preparado para recebê-la, a campainha tocou, abri a porta, a Hyuuga está com um vestido azul, decotado que vai até metade das suas pernas, beijei seu rosto.

- Está linda - Falei.

- Obrigada - Entrou dentro do meu apartamento, à levei até a cozinha, sentou, servi a comida, comeu - Uau, Kakashi isso está incrível - Corei.

- Que bom - Comemos em silêncio.

- Então por quê do jantar?

- Queria apenas jantar com uma amiga - Dei de ombros, terminamos e levantamos, ela pegou na bucha.

- Deixa que eu lavo - Peguei na mão dela para tirar a bucha, e acabou derramando detergente nela mesma.

- Pôde deixar - Falou.

- Tudo bem - Suspirei e peguei o guardanapo.

- Então eu seco - Ficamos em um silêncio reconfortante, ela lavando e eu secando, terminamos em pouco tempo.

- Pode me emprestar algo para tomar banho? - Sua voz quebrou o silêncio.

- Claro vou pegar - Entrei no meu quarto, peguei uma toalha limpa, uma blusa minha e uma cueca que está na embalagem, isso deve servi, voltei a sala - Aqui está - Entreguei a ela, que corou.

- Obrigada Kakashi - Segurou as coisas no peito - Posso dormir aqui também, até minhas roupas secarem? - Corou.

- Claro que sim - Saiu em direção ao banheiro.

Fechei a porta do meu quarto, retire minha roupa colocando no cesto, entrei na suíte, abri o chuveiro deixando a água cair pelo meu corpo. A água relaxou meus músculos, fechei os olhos, a imagem da Sakura apareceu, eu realmente acreditei nela, por que fez isso? Penso nisso todos os dias.

Desliguei a água depois de muito tempo, me sequei, coloquei uma cueca e uma calça moletom preta apenas, a toalha por volta do pescoço e sai do quarto indo até a cozinha beber água, secando os cabelos.

- Kakashi? - Virei e encontrei a Hinata na sala com minha blusa, apesar de amar a Sakura, tenho que admitir que o Sasuke é um babaca, que mulher linda.

A blusa vai até um palmo depois da sua bunda, colando nos seios dela, que claramente está sem sutiã, suas pernas são grossas e firmes, Hinata tem um corpo de dar inveja, seu ar de garotinha inocente atiça a mente de qualquer um, sua boca é rosada e carnuda, a pele branca tão bonita, meu amigo deu sinal.

Preciso de um banho gelado.

- V-você precisa de algo? - Falei com a voz rouca.

- Só queria um abraço, preciso de conforto - Minha garganta secou.

- Colocou a roupa para secar? - Vi seu olhar no meu abdômen.

- Sim, amanhã estará prontinho - Venho na minha direção, passou os braços em volta da minha cintura, senti seus peitos esmagados contra meu corpo.

Kakashi se controla, falei comigo mesmo.

Passei meus braços ao seu redor e encostei o queixo na sua cabeça, ficamos assim por alguns minutos, ela levantou a cabeça e me encarou. Está tudo tão errado, ela me abraçar assim e deve estar tão frágil, apesar de passar seis meses já, levantou a mão e delicadamente passou na minha cicatriz, pinta e por fim meus lábios.

Merda Hinata.

- Você tem um rosto bonito - Comentou.

- Hinata - Colocou o dedo entre meus lábios.

- Eu sempre fui responsável, me casei com dezesseis anos para ajudar a empresa do meu pai e também por amar o Naruto, fui fiel ao Sasuke e vive por minha família - Ficou na ponta dos pés e chegou bem perto da minha boca - Por uma vez, só uma vez me mostra como é ser inconsequente, me ajude a quebrar as regras Kakashi - Seus olhos estão grudados nos meus, mostrando suas íris peroladas.

- Hinata você está frágil agora, depois vai se arrepender disso, acho melhor não - Tentei argumentar, passou os braços pelo meu pescoço, senti sua unha arranhando minha nuca.

- Talvez eu me arrependa mas hoje, quero ser inconsequente Kakashi - Colou sua boca na minha.

Por um momento pensei em afasta-la, mas o problema é que desde que descobri o que a Sakura fez, ando fora de mim, então aproveitei da proposta da Hina e abri minha boca recendo seus beijos, não teve calmaria, não teve sentimento, foi puramente desejo, e muito fogo.

Estamos nos queimando juntos.

Hinata passou os dedos entre meus cabelos, mordi levemente sua boca, arrancando um suspiro da mesma, desci minhas mãos da sua cintura, até a bunda apertando, ajudei a pular no meu colo, cruzando as pernas em mim, sem quebrar o beijo a conduzi para meu quarto.

Não é nada certo o que estamos fazendo, mesmo que estejamos feridos por dentro, mas não sou de ferro e ela é tão gostosa. Ainda em mim ajudei a tirar a blusa deixando seus seios fartos a mostra, beijei seu pescoço sentindo seu cheiro, a ouvi suspirar novamente.

A deitei na cama e admirei seu corpo, sua respiração está irregular, suas pernas estão abertas apenas me esperando, suas curvas são tão deliciosas, quem falaria que ela teve três filhos? Apenas minha cueca cobre o resto do seu corpo.

- Se quiser posso parar, a partir daqui não tem volta - A avisei, mordeu a boca.

- Só venha Kakashi - Sua voz saiu sexy a deixando mais gostosa ainda.

Me ferrei, como o Sasuke pode perder uma mulher dessas?

Quando conheci Hinata, nunca imaginei que dormiria com ela, no máximo que seria uma boa amiga, parecia tão inocente para ser tocada, mesmo com o Uchiha segurando sua cintura, mas agora é impossível não pensar em toca-la de todas as formas possíveis.

Passei minha mão por suas coxas, beijei sua barriga desde o umbigo até chegar nos seus seios fartos, segurei um com a mão e brinquei com a língua no outro, ouvi seus gemidos, fiz o mesmo com o outro.

Será que vou ser castigo por tocar nessa boneca?

Beijei o vale entre seus seios, vi sua pele se arrepiar com meus toques, aos poucos baixei a última peça dela, toquei com a língua seu clitóris, seu corpo se curvou, sorri com meu ego inflado, brinquei com a língua senti seu gosto, ouvindo seus gemidos.

Conheci Hinata uma semana depois do acidente, claro que aquele dia no shopping não contava muito, mas ela estava tão frágil, a fiz rir com uma piada boba, alguns meses depois descobriu que eu estava apaixonado pela Sakura, viramos amigos quase que instantaneamente.

Está tão molhada, a morena se levantou, me puxando para beija-la, inverteu nossas posições, ficando por cima, beijou meu abdômen sem pressa, retirou minha calça e cueca mostrando meu membro que está latejando querendo-a, senti sua mão pequena e macia segurando ele, não acreditei no que vi quando o colocou na boca, recendo um gemido meu de resposta.

Caralho de boca gostosa.

O que estamos fazendo não é amor, passa bem longe é uma mistura de vingança, com desejo do proibido e apenas desejo de esquecer tudo por uma noite que seja.

Sua boca brincou com meu pau, até quase gozar, soltou ele sorrindo satisfeita, subiu em cima de mim, com a perna de cada lado, e sentou, senti sua intimidade quente e apertada descendo por meu membro, escorregando, começou a se mexer subindo e descendo em um ritmo gostoso, sua respiração e gemidos é tudo que se pode ouvir.

De todas as garotas que já sai, Hinata é a única que me fez desejar repetir a dose, mesmo sabendo que amanhã, estará arrependida, mas valeu a pena só por tê-la assim, nua em cima de mim, subindo e descendo no meu pau.

Sua intimidade se contraiu mostrando que está chegando ao ápice, logo vou gozar também, inverti nossas posições, fiquei por cima, entre suas pernas, e escorreguei para dentro dela, arranhou minhas costas, estoquei cada vez mais forte, até sentir o corpo dela tremer, e meu gozo sair, junto ao dela.

Nossa respiração está desregulada, ficamos parados por um tempo, saiu dela, deitando ao seu lado.

- A gente não usou camisinha - Falei meio assustado.

- Tudo bem, eu tomo remédio - Isso me aliviou - Mas recomendo das próximas vezes - Abri meus braços e ela se deitou nele.

- Vai ter próximas?

- Talvez - Respondeu.

Ficamos em silêncio por um tempo, até que senti ela amolecendo no meu peito, fechei meus olhos me permitindo dormir.


Notas Finais


Kkkkk eu amo esse capítulo, pq a Hinata mostra que não é tão inocente kkkk
Oq acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...