História Entrelaços - James Rodriguez - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias James Rodríguez, Jérôme Boateng, Mats Hummels, Robert Lewandowski, Thomas Müller
Personagens James Rodríguez
Tags James Rodriguez
Visualizações 295
Palavras 4.579
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


muito obrigada por favoritar essa fanfic <3

Capítulo 4 - Capítulo IV


As festas de final de ano estavam próximas e a agencia onde Cecília trabalhava entraram em um curto recesso de 12 dias, assim como o clube havia liberado os jogadores em decorrência dos feriados. Cecília havia se programado para passar o natal e a chegada de um novo ano junto de sua família. No ano anterior por falta de dinheiro ela não pôde viajar, fora o primeiro natal que passou longe da mãe.

Nick e Julian também passaria o natal com a família nos Estados Unidos e James obviamente viajaria para a Colômbia. O jogador fora mais cedo para seu país pois o clube bávaro pausou os trabalhos antes da agência, Cecília viajaria apenas no dia 23 assim como os amigos.

–– Pensei que passaria o natal com seu namorado. – brincou Nick.

–– Ele não é meu namorado, Nikolay.

–– Inferno de garota, não me chama assim que você sabe que eu odeio. – esbravejou o amigo fazendo Cecília rir.

–– Mas é justamente por isso que eu chamo. – deu de ombros indo em direção a cozinha.

Ela terminou de guardar as louças e voltou para a sala vendo ao longe os amigos cochicharem algo, mas assim que a viram param no mesmo instante. Ela os olhou desconfiada e Julian se segurava para não rir da cara de desconfiada que ela fez.

–– Vocês estão cochichando o que, hein? Por acaso é sobre o meu presente de natal que ainda não está em minhas mãos? O de vocês já está bem guardadinho. – caçoou.

–– Nós estávamos decidindo o tamanho do pênis de borracha que vamos comprar para você. – falou Julian cínico. – Não sei se ela aguenta aquele de 15 centímetros, amor, o que acha? – perguntou para o namorado.

–– O que é 15 centímetros perto do que o colombiano deu para ela. – os namorados caíram na gargalhada recebendo um olhar tenebroso da brasileira.

–– Pois fiquem sabendo que 15 centímetros é bem pouco mesmo. – Julian a olhou chocado. – Agora se me dão licença, eu tenho uma mala para arrumar.

A garota foi para o quarto terminar de arrumar as malas para a viagem do dia seguinte, não levaria muitas coisas consigo além de algumas peças de roupas e os presentes dos familiares e amigos. A mãe lhe mandou uma mensagem perguntado a hora programada para desembarcar no Brasil e ela sentiu tédio só de pensar que enfrentaria mais de 12 horas de viajem.

Todos dormiram cedo, principalmente Cecília que viajaria às 5 da manhã, mas os amigos fizerem questão de deixa-la no aeroporto.

-

–– Até a volta, querida. – Nick disse a abraçando. – Provavelmente nós voltamos primeiro do que você.

–– Não pretendem ficar lá para o ano novo? – perguntou e eles negaram.

A relação dos meninos com suas respectivas famílias eram um pouco conturbada por causa da orientação sexual dos dois, esse fora um dos principais motivos deles estarem juntos na Alemanha. Mas natal era feriado sagrada para a família deles, então nesse feriado eles eram bem-vindos na família, mas ambos não conseguiam ficar lá por tanto tempo.

–– Então nos vemos em 2018. – falou Cecília e eles se abraçaram. – Ah, antes que eu me esqueça. – tirou os presentes que comprou para eles de dentro da bolsa. – Eu ia levar seus presentes comigo. – os entregou. – Prometo trazer presentes do Brasil, um político corrupto quem sabe. – eles riram.

Se despediram e Ceci seguiu para a sala de embarque.

Enfrentou mais de 14 horas de viagem, chegou em Brasília por volta de 8 da noite. Ela estava cansada, a viajem fora muito longa, mas toda a exaustão sumiu quando viu a mãe, vó e tia a esperando. Ela sentia tanta falta daquelas mulheres.

–– Mãe! – abraçou forte a mulher. – Oi, vó. – beijou o rosto da mais velha e a abraçou forte. – Tia! – abraçou sua tia e madrinha. – Que saudade que eu estava de vocês. Eu estou tão feliz porque vou comer bem nesse natal.

Elas foram para casa, no carro Cecília contou sobre as coisas que estava acontecendo em Munique e sobre o contrato que estava acabando. Falou também sobre James como um rapaz que conheceu e que estão juntos.

–– Vocês estão namorando? Por que não trouxe ele? – a vó perguntou e a jovem riu.

–– Não vó, ele não é meu namorado, nós só estamos juntos. – tentou explicar para a vó.

–– Se estão juntos é porque estão namorando. – concluiu a mais velha e elas riram.

–– Enfim, e vocês, estão apaixonadas? – fez a pergunta direcionada a mãe e a tia.

–– Você sabe que eu estou a cada dia mais apaixonada. – falou por entre suspiros Lucia, mãe de Cecília. – Aliás, Carlos lhe mandou um abraço.

A mãe de Cecília namorava com Carlos a mais de 3 anos, ele era um homem muito bom e amava a mãe da jovem. Carlos também era tio de Thiago, ex-namorado de Cecília e fazia muito gosto no namoro dos dois.

–– E você, tia? – a tia riu envergonhada.

Érica era a única tia de Cecília, das duas únicas filhas de Mercedes era a mais nova, tinha 33 anos e sempre foi muito próxima da sobrinha, a diferença de idade não era tão grande, quando Cecília nasceu Érica ainda era uma criança. Ela e a mãe de Cecília eram sócias em um salão de beleza. Érica sentia-se frustrada por nunca conseguir se estabilizar em uma relação; tinha o sonho de ter filhos e cada vez que os anos passavam ela via esse sonhos distante.

–– Conte para ela seu plano. – a mãe de Ceci falou para a irmã.

–– Decidi que não estou procurando mais um namorado ou qualquer parceiro amoroso que seja, eu só quero engravidar e quem me ajudar com isso por meios naturais não precisa nem saber que é o pai. – falou dando de ombros e a sobrinha ficou admirada com a ideia da tia. – Mas não quero qualquer um para me ajudar com isso, sou muito seletiva.

–– A sua tia é doida, minha filha. – concluiu a avó fazendo todas rirem.

Cecília estava tão cansada que nem jantou antes de dormir, apenas tomou banho e capotou em sua cama.

-

A moça acordou na hora do almoço do dia seguinte, véspera de natal. Era a época do ano preferida dela.

Checou o celular e se assustou com a quantidade de mensagens que haviam ali.

“Chegou bem?” – Julian

“Chegou bem?” – Nick

Mensagens iguais a essas enviada pelos amigos tinham mais de 10.

“Me responde antes que eu enfarte.” – Julian

“Oi, lindo. Cheguei ótima e com muito sono por isso não respondi mais cedo, avise Nikolay.

Vocês chegaram bem?” – Cecília

Respondeu primeiro a dos amigos da Alemanha e seguiu para as próximas.

“Já chegou, bonita?

Chega logo pra gente encher cu de cachaça.” – Tomás

Cecília riu muito ao ver a mensagem do amigo, Tomás era o melhor amigo dela em Brasília, ela sentia muita falta dele e desse jeito maluco de ser.

“Estou aqui pleníssima esperando você vir me buscar pra ir beber.” – Cecília

“Já chegou?” – Samanta

Haviam outras 15 mensagens iguais de Samanta, amiga de Cecília, a qual apresentou ela para os amigos da Alemanha.

“Sim, meu amor.” – Cecília

“Ainda bem que você está vindo, ano passado fiquei com vergonha de aparecer na sua casa só para comer.” – Jorge

Cecília riu também ao ler a mensagem do amigo.

Mas haviam outras mensagens ali, as quais a deixaram estranha; estava com receio de ler umas e louca para ver outras. Optou por ver a que mais queria primeiro.

“Já está no Brasil?” – James

Pelo horário que ele mandou a mensagem ela já estava em sua casa, porém dormindo.

“Chegou?

Diga que chegou pois estou ficando preocupado.” – James

As últimas mensagens foram enviada por ele pela manhã quando ela ainda estava dormindo.

“Cheguei!

Desculpa não responder logo mas eu estava dormindo.

Inclusive acabei de acordar.” – Cecília

Enviou as mensagens para o colombiano e viu que imediatamente ele ficou online no aplicativo respondendo-a em seguida com vários emojis.

Outras mensagens eram de Thiago, Ceci tremeu ao ver aquelas.

“Você já chegou?

Eu posso passar aí amanhã?

Deve estar dormindo... com certeza está!

Preciso falar com você, assim que lê me responda, por favor.” – Thiago

“Já estou em casa.” – Cecília

Se limitou a mandar apenas uma curta mensagem, nada mais do que isso.

-

Os preparativos para a ceia de natal estava indo muito bem. As mulheres estavam arrumando a casa para receber alguns parentes e amigos. Depois que tudo estava pronto elas foram se arrumar.

Durante o dia inteiro Cecília e James estiveram em contado. O jogador devia ter lotado o celular da brasileira de tanta foto que mandou de Salomé e de alguns pontos de Medellín. Mas ela não se importava com isso, até recebeu uns áudios que a pequena lhe mandou sozinha, sem a ajuda do pai, como a mesma citou em um deles. A garotinha já estava louca para conhecer a sua mais nova amiga, James se derretia com tudo isso. Ele já havia contado sobre Cecília para toda a família, até mesmo para Daniela que ficou preocupada apenas com a filha do meio disso tudo, mas James a tranquilizou quando a isso e ela só o desejou boa sorte e felicidades.

-

Já passava das 2 horas da manhã quando James ligou para Cecília por meio de uma vídeo chamada. A moça se afastou dos familiares para atendê-lo com mais privacidade.

–– Hola mi amor. Feliz navidad! – falou o colombiano assim que a viu aparecer na tela de seu celular.

–– Feliz natal, Jamesito. – Cecília desejou em português. – Como está a festa por aí?

–– Ótima, aqui o natal acabou de chegar. E aí como está?

–– Ótimo também, mas aqui o natal já chegou faz algumas horas.

–– Tem uma pessoa que quer falar com você. – ele disse olhando para baixo e logo Cecília viu a imagem de Salomé. – Aquí está, hija. – James falou para a filha.

–– Hola, Cecília. – falou a pequena acenando.

–– Hola, Salo. Como estás?

–– Muy bien. Cuando vienes aqui? – a garotinha perguntou e Cecília não soube o que responder.

James percebeu que aquela pergunta pegou a brasileira de surpresa e falou algo para a filha que Cecília não conseguiu compreender mas a menina concordou dando tchau para Ceci.

Cecília podia ouvir gritos de criança e pais ao fundo, imaginou a bagunça que deveria estar a casa.

–– Preciso desligar agora. – falou o colombiano. – Muchos besos para ti.

Cecília adorava quando ele falava em espanhol, achava que ele conseguia ficar mais sexy do que o normal.

Eles se despediram e Cecília voltou para a sala com seu familiares.

–– Onde estava? – a tia chegou próximo dela percebendo um belo sorriso no rosto da sobrinha. – Hum, já sei, falando com o jogador gato, não é mesmo? – Ceci assentiu fazendo a tia rir. – Tudo bem, mas agora tem um outro gatinho aí querendo falar com você. – apontou discretamente para Thiago sentado no sofá ao lado de seu tio. – Ele chegou aqui assim que você sumiu. Me agradeça por não ter deixado sua mãe ir chamar você e estragar todo o romance.

–– Obrigada, tia. Vou ir lá falar com ele.

Cecília foi em direção ao ex-namorado que instantaneamente abriu um sorriso largo ao vê-la.

–– Ei, o que faz quase dormindo nesse sofá? – perguntou no instante em que ele levantou para cumprimentá-la.

–– Estava esperando por você, ora. – abraçou a garota. – Como você está? – se sentaram juntos.

–– Muito bem e você? – Cecília mentiu, não estava muito bem, era mais do que isso.

–– Bem.

Thiago ainda gostava da moça, mesmo ele desistindo dos dois, ainda nutria sentimento por Cecília. Tentou namorar outras garotas mas fora em vão, nenhuma dela era a sua garota. Ele sabia o quão egoísta foi por não ter tentado e sabia que as chances de Cecília o querer de volta era poucas, mas isso não o faria desistir, não depois de estar ciente que o contrato dela na agencia alemã estava chegando ao fim e ela poderia estar de volta à Brasília em poucos meses. Estava decidido a reconquistar a ex-namorada, fazer de tudo para que eles voltassem a ser como antes.

Os dois ficaram conversando sobre suas vidas, mas Ceci não falou sobre James, falaria que tinha alguém em sua vida caso ele perguntasse sobre, como eles não tocaram nesse assunto ela nada falou, até porque James nem seu namorado era.

Thiago ficou por algum tempo lá e depois foi embora. Ao longo da noite os amigos; Samanta, Tomás e Jorge, apareceram para matar a saudade da amiga.

A família animada da brasileira amanheceu festejando, ela por sua vez foi dormir antes de todos ali, até mesmo das crianças que pareciam estar com uma bateria de carga infinita.

-

Dois dias depois no natal Cecília estava sentada no sofá sozinha comendo as sobras da ceia natalina. Ela adorava estar em casa e às dez da manhã estar comendo de pijamas no sofá enquanto assistia TV, isso a lembrava de sua infância e adolescência e a fazia pensar em como a vida adulta pode ser ruim.

Enquanto Cecília estava curtindo sua folga no Brasil, James, na Colômbia, arrumava as malas para mais uma viagem. Mas diferente de todas as viagens que ele já fizera essa estava na lista das mais importantes, mesmo poucas pessoas sabendo disso. Apenas sua mãe, irmã e poucos amigos sabiam o destino e o propósito da viagem. Ele não contou para Cecília, não achou que seria necessário, não se sentiu culpado por esconder isso dela ainda que gostasse muito da garota.

O colombiano levantou cedo, estava muito mais do que nervoso. Terminou de arrumar a mala e de despediu da mãe e a irmã fora lhe levar até o aeroporto.

–– Boa sorte! – a irmã de James falou. – Eu espero que dê tudo certo.

–– Eu também. – falou rindo.

Os dois se despediram e o colombiano seguiu viagem.

-

Cecília estava no quarto de sua avó junto dela quando uma mensagem apareceu no grupo de aplicativo que participava com seus amigos brasileiros.

“Karaokê hoje aqui em casa, quem topa?” – Tomás

“Vamos!” – Samanta

“Vou, venham me buscar, não estou afim de gastar com Uber.” – Jorge

“Eu passo aí, Jorge.

Aliás, saudade de cantar Chitãozinho e Xororó no karaokê.” – Cecília

“Posso chamar o Thiago?

Tudo bem para você, Ceci?” – Tomás

“Tranquilo.” – Cecília

“Pode levar o acompanhante da semana?” – Samanta

Depois da mensagem de Samanta, Jorge mandou um áudio de dez segundos com sua risada escandalosa.

“Pode sim, vamos batizar ele pra ver se vai vingar esse amor.” – Tomás

Ficaram tirando sarro um do outro a tarde inteira. A avó da jovem estava costurando em seu quarto e Cecília estava deitava na cama da mais velha pensando como qualquer outra cama daquela casa parecia ser bem melhor do que a dela. Logo notou que a casa estava quieta demais, a mãe e a tia deveriam estar no salão.

–– Será que mamãe está em casa, vó? – perguntou.

–– Eu acho que não, filha. Ela e sua tia devem estar trabalhando, agora elas levam até as 18 horas todos os dias. – concordei e quando ia falar algo ouvimos um barulho de pessoas chegando. – Ah, acho que chegaram cedo hoje.

As duas continuaram no quarto até Érica, tia de Cecília, aparecer.

–– Você está aqui! – falou ao ver a sobrinha. – Tem um rapaz lá na sala querendo falar com você.

Cecília ficou confusa, se fosse um dos seus amigos eles teriam avisado. Se fosse Thiago a tia com certeza diria que era ele.

–– Quem é?

Passava um pouco das 15 horas da tarde e fazia calor na capital do Brasil, Cecília pensou que estivesse vestida inadequadamente para receber uma visita.

–– Não sei, mas disse que é um amigo seu.

–– Como ele é, tia? Não faço a mínima ideia de quem seja. – a tia pensou antes de descrever o rapaz.

–– Ele é alto, loiro, usa barba. Vá logo falar com o homem. – Cecília concordou e se levantou. Forçou a memória para se lembrar de alguém como a tia havia descrito mas não lembrou de ninguém.

–– Diga que estou indo. – a tia concordou e saiu. – Posso ir com esse vestido seu, vó? – perguntou para a vó que concordou em lhe emprestar o vestido já que não queria que a neta fosse receber alguém de camisola.

Cecília foi até a sala e quase desmaiou de susto ao ver quem estava lá.

–– MEU DEUS DO CÉU! – exclamou ao ver a figura de James sentado no sofá sorridente ao vê-la. – Cara, você é loco? O que você está fazendo aqui? – perguntou em inglês para o colombiano que gargalhou ao ver a reação de Cecília.

James se levantou de onde estava e foi até o encontro da brasileira a abraçando. Ela ainda estava perplexa com tudo aqui.

–– Mas a minha tia disse que era um cara loiro, alto e muito bonito que estava aqui me esperando. – brincou fazendo o colombiano rir. – Eu vim até animada. Tia, você me enganou! – continuou a falar em inglês para que James não se sentisse perdido na conversa.

–– Era surpresa.

A mãe da jovem apareceu na sala acompanhada de Mercedes, avó de Cecília. A mãe deu um sorriso cumplice para o jogador e Cecília percebeu.

–– Por acaso a senhora sabia que ele estava vindo? – perguntou para a mãe deixando a vó sem entender o que elas estavam falando.

–– Óbvio que sabia, quem você acha que foi busca-lo no aeroporto? – James riu outra vez da expressão da garota.

–– Vocês são loucos, todos vocês, exceto a vovó. – olhou para a mulher. – Aliás, vovó, esse é James – olhou para o jogador pensando em como apresenta-lo para a avó. – meu amigo. – fez os gestos de apresentação e o jogador cautelosamente cumprimentou em português.

–– Olá, senhora. – apertou a mão da mais velha.

–– Você pode usar e abusar do seu espanhol com ela, ela vai entender. – concluiu Cecília. – Ele é colombiano, vó.

–– Ah, tan hermoso és, sólo podría ser latino. – Mercedes elogiou James que ficou sem graça com o comentário mas a agradeceu.

–– Porque você não fala espanhol tão bem quanto a sua avó? – perguntou para Cecília.

–– Porque espanhol, assim como português, me dá preguiça.

–– Querido, você não quer se acomodar no quarto e guardar essa mala? – perguntou a Lúcia. – Eu sou tão desconstruída que deixarei você dormir no mesmo quarto da minha filha sem problema nenhum. – falou a mulher segurando o riso.

–– Es possible elegir un idioma para hablar? – a mãe de Lúcia e Érica perguntou ao perceber a mistura de línguas que estava aquela sala.

–– Se falarmos com calma você consegue nos entender, certo? – Cecília perguntou em português para o jogador.

–– Sí.

–– Resolvido. Vou levar você até o quarto.

Foi para seu quarto acompanhada do jogador.

Ele guardou suas coisas com a ajuda da publicitária que perguntou se ele queria tomar banho, o colombiano concordou e foi tomar uma ducha. Cecília estava deitada em sua cama pensando no quão maluco James era. Ela ria sozinha.

Percebeu que o barulho de água caindo havia parado e logo viu James sair apenas de toalha de dentro do banheiro. Ela riu ao vê-lo, mas não ria por causa do como ele estava e sim do que ele havia feito. Saiu da Colômbia em plenas férias de fim de ano para ir até o Brasil.

James chegou mais perto da jovem e se sentou ao seu lado na cama. Fez o que estava com vontade de fazer há dias, a beijou.

–– Eu estava com tanta saudade, deu para perceber isso? – gracejou o rapaz.

–– O que? Não, imagina. – entrou na brincadeira. – Você deveria ter me avisado que vinha, queria ter ido buscar você no aeroporto.

–– Eu queria mesmo era ver a cara que você fez quando me viu. – riu ao se lembrar de mais cedo. – E era surpresa, essa é a graça. Você gostou?

–– Eu adorei. – falou a jovem sendo muito sincera e o colombiano a beijou novamente. – Vá trocar de rupas para descansar, tenho uma programação hoje à noite para nós.

–– Tem, é?

–– Vamos para uma noite de karaokê na casa de um amigo com outros amigos, mas fica tranquilo que eles são bonzinhos. – James sorriu concordando.

O jogador se trocou e deitou-se junto com Cecília.

Eles estava um de frente para o outro. Cecília acariciava os cabelos do jogador e ele fazia um carinho nas costas dela. Ela estava tão feliz por estar com ele ali e ele não estava diferente por estar ao lado dela.

–– Como você me achou? – perguntou ela tentando sanar com todas as teorias criadas para descobrir como ele foi parar lá.

–– Tive ajuda, muita ajuda. – James viu a moça revirar os olhos de maneira divertida. – Nick e Julian me deram seu endereço e o número da sua mãe – ela arregalou os olhos fazendo James sorrir. – mas eles falaram com ela antes, explicaram tudo e quando eu liguei parecia que já nos conhecíamos há anos, sua mãe é muito legal. Eu disse que ficaria em um hotel mas ela fez questão que eu ficasse aqui, ainda bem porque eu odeio hotéis. Então eu disse quando chegaria e ele foi me buscar no aeroporto junto com a sua tia que também é uma graça. Ah, elas me perguntaram se éramos namorados e eu respondi que ainda não, mas que resolveria isso assim que chegasse aqui e ela já abençoaram nosso namoro, só para constar. – James se sentou na cama e o coração de Cecília passou a bater forte, ela levou as duas mão para cobrir o rosto, estava sorrindo muito envergonhada. – Bem, eu poderia ter feito isso quando estávamos na Alemanha ou só quando voltássemos para lá em janeiro, mas eu achei muito mais sensato pedir a ajuda dos meninos, falar com sua mãe, viajar da Colômbia até aqui para te dizer que eu estou completamente apaixonado por você e isso é muito novo porque eu nunca havia me sentido desse jeito antes, juro. – algumas lágrimas tímidas teimavam em sair dos olhos de Cecília. – Eu quero dar a você todo esse amor que estar aqui – colocou a mão sobre o peito. – e prometo fazer de tudo pela sua felicidade. Então, Cecília Tavares, você aceitar receber todo esse amor que eu tenho para lhe dar? Aceita namorar comigo?

Cecília riu passando as mão pelo rosto outra vez e se sentou.

–– É claro que eu quero. – beijou o rapaz a sua frente. – É tudo o que eu mais quero!

-

Cecília e James estavam prontos para irem até a casa de Tomás. O jogador estava muito nervoso por estar indo conhecer os amigos da namorada, mas ela não havia contado a ele que provavelmente o ex-namorado também estaria lá.

–– Hoje você vai apreciar das minhas habilidades de direção. – James riu alto enquanto entrava no carro.

–– Eu estou com medo de você nesse volante.

–– Fique quietinha e aprecie a paisagem. – falou Cecília fazendo uma pose de convencimento. – Antes vamos passar para buscar Jorge, ok, eu prometi que buscaria ele e meu celular já está cheio de mensagens perguntando se eu o esqueci.

Ela segui para a casa do amigo que estava a sua espera. Cecília abriu o vidro do carro para falar com Jorge que tomou um susto ao ver James no bando do passageiro, Ceci riu ao ver a reação do amigo.

–– Entra aí. – assim Jorge fez. – James, esse é Jorge, meu amigo. – falou pausadamente com o colombiano que conseguiu compreendê-la. – James estendeu a mão para um cumprimento e Jorge retribuiu ainda atônito. – Esse é o James, mas você sabe quem ele é.

–– Diga o que eu sou para você. – James falou animado e Cecília riu. O colombiano não via a hora de ser apresentado como namorado dela e também não via a hora de assumir seu namoro para o mundo.

–– Ah, ele é o meu namorado.

–– MENTIRA? – falou o amigo perplexo levando a mão até a boca que estava aberta. James apenas ria de toda situação. – Isso é sério? – o casal concordou. – Bem, então eu desejo muitas felicidades para o casal. E você – apontou para James. – não ouse machucar minha irmãzinha.

–– Nunca. – James falou convicto.

Jorge mostrava alguns lugares para James que estava atento em tudo.

–– Chegamos!

Cecília estacionou o carro e pôde ver um carro conhecido estacionado perto de onde eles estavas. Era fato que o convite para a noite de karaokê chegou até Thiago, ela sabia que haviam grandes chances dele ir, mas acreditava em um possível outro compromisso que o impossibilitasse de ir naquele. O celular de Jorge tocou.

–– Com licença, preciso atender. Podem ir entrando logo.

–– Vamos esperar por você. – Cecília falou. O amigo se afastou e ela viu que aquele momento era oportuno para falar sobre a presença de Thiago. – James, meu ex-namorado também foi convidado e ele com certeza está aí. – James se atentou às palavras da namorada. – Eu só estou avisando para o caso de algum comentário ou algo do tipo.

–– Sem problemas. – beijou a garota.

–– Eu juro que se não tivesse visto esse beijo ainda estava achando que era mentira de vocês essa coisa de namorados. – Jorge surgiu fazendo eles rirem.

Eles tocaram a campainha e Tomás atendeu, quase gritou ao ver James Rodriguez na porta de sua casa.

–– Boa noite! – saudou os três.

Jorge abraçou o amigo e em seguida fora a vez de Cecília.

–– Tomás, esse é meu namorado. – apontou para James e Tomás arregalou os olhos a fazendo rir. – James, esse é meu amigo Tomás. – o jogador saudou o amigo de Ceci.

–– Entrem, o pessoal está todo aí.

Quando James e Cecília chegaram na sala todos os olhos que ali estavam foram parar neles, o casal ficou muito envergonhado.

–– Oi, galera. – Cecília falou e percebeu o olhar confuso de Thiago sobre ela. – Esse é James, meu namorado. – sentiu as mãos frias do jogador entrelaçar a dela. – Bem, James, essa é a Samanta – apontou para a amiga. – que também é amiga de Julian e Nick. – Samanta acenou e James retribuiu. – Esse aqui é o – Cecília travou ao apresentar o rapaz que estava ao lado de Samanta. – Cristian. Minha nossa vocês estão juntos? Eu sabia que isso ia acontecer. – Ceci falou convencido por saber que Cristian fora o primeiro amor da amiga. – o rapaz também acenou para James. – E esse é Thiago. – o ex-namorado de Cecília apenas fez um aceno com a cabeça para o jogador que se limitou a dar um sorriso forçado.

A noite seguiu tranquila em parte, James se sentiu incomodado por ver a maneira que Thiago olhava para Cecília, o jogador sabia que a mulher era digna de admiração, mas esse olhar vindo de alguém que a conhecia tão bem como Thiago a conhecia o deixava agastado, mesmo não transparecendo isso. Cecília também notou o olhar de Thiago sobre ela, parecia que o rapaz queria de alguma forma saber o que se passava na mente dela. Por outro lado o motivo do incomodo dos dois pensava em quão idiota fora por deixar alguém tão especial quanto Cecília, queria estar no lugar de James a abraçando e a fazendo sorrir, a noite de Thiago acabou no momento em que ela apresentou o jogador como namorado.

 Fora isso foi tudo muito bom, o colombiano até arriscou cantar RBD junto da namorada, o que foi muito engraçado.

-

Jorge não voltou com Cecília e James, preferiu dormir na casa de Tomás.

–– Nós poderíamos viajar, passar o réveillon juntos, o que acha? – James perguntou pegando Ceci de surpresa.

Ela estava retirando suas roupas para tomar banho junto com o namorado.

–– Você pensa em ir para algum lugar em especial?

–– Quero levar você para conhecer Santa Marta, na Colômbia, lá tem praias maravilhosas. O que acha? Vamos?

Cecília passou alguns segundos em silêncio pensando.

–– Por favor. – pediu o colombiano manhoso enquanto prensava-a na parede do banheiro e beijava seu pescoço. Cecília suspirou.

–– Eu adoro praias. – respondeu fazendo o namorado sorrir.


Notas Finais


o que estão achando, hum?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...