1. Spirit Fanfics >
  2. Entrelaços (abo-Minsung) >
  3. Capítulo 8 (Han Jisung)

História Entrelaços (abo-Minsung) - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Estou de volta!
Obrigada pelo apoio de todos que estão acompanhando a história e boa leitura!

Capítulo 8 - Capítulo 8 (Han Jisung)


Fanfic / Fanfiction Entrelaços (abo-Minsung) - Capítulo 8 - Capítulo 8 (Han Jisung)

Já faziam duas semanas que Jisung morava com Minho. A essa altura, eles já tinham estabelecido uma rotina diária. Toda manhã, Jisung acordava mais tarde que Minho, mas logo se juntava a ele pro café da manhã que o próprio ômega fazia e, para sua alegria, estava sempre maravilhoso. Depois, o ômega saia de casa mais cedo e deixava Jisung encarregado da louça. Jisung ia para a universidade, almoçava por lá, depois ia pro estágio. Normalmente eles chegavam em casa mais ou menos juntos, tinha vez que Minho chegava primeiro, e tinha vezes que era Jisung, mas nunca uma diferença muito grande. O ômega fazia o jantar e, como já esperado, o alfa lavava a louça. As outras tarefas domésticas eles dividiram igualmente, um dia era Minho quem passava pano, varria e botava o lixo pra fora, o outro era vez de Jisung. O quarto era o único lugar que era responsabilidade de cada um cuidar do seu, ou seja, o quarto de Jisung era uma bagunça. Tinha desenhos, matérias de arte e roupas para todo lado, mas ele era preguiçoso demais pra arrumar.

Os finais de semana eram um pouco diferentes. Foram nesses dias em que ficaram em casa sem nada pra fazer que Jisung percebeu que realmente tinha muito em comum com o ômega. Eles tinham o mesmo gosto pra filmes e também para música. A tarde que passaram fazendo uma secessão cinema, com direito a pipoca e tudo mais, foi uma das mais divertidas que Jisung já teve. Entretanto o que eles tinham mais em comum era, definitivamente, o senso de humor. Cada comentário que um ou o outro fazia gerava uma grande crise de risos que com certeza devia ter incomodado os vizinhos...

Porém não era apenas de risos que a conversa entre eles fluía. Jisung descobriu que Minho tinha um papo muito bom e era com frequência que ele passavam horas discutindo desde politica até aspectos filosóficos sobre a vida. Era simplesmente divertido passar tempo com ele e, o tema das discussões que tinham, muitas vezes,a ficava em sua cabeça mesmo depois de já terem se separado.

Jisung nunca tinha se sentido tão próximo de alguém em um período de tempo tão curto, mas duas semanas foram o suficiente para ele considerar Minho um amigo precioso. Foi por isso que ele não pode deixar de se preocupar quando o ômega chegou com uma cara péssima em casa naquela sexta à noite.

Minho já tinha afrouxado a gravata quando entrou em casa com cara cansada e abatida, logo se jogando no sofá ao lado do alfa. Jisung, que estava com o caderno de desenhos, o que ele usava para lazer e não o de trabalho, largou imediatamente o lápis e a borracha, fechou o caderno e olhou para o ômega.

- Ei hyung, aconteceu alguma coisa no trabalho? Parece meio abatido. - Disse com preocupação.

- Eu só estou cansado. – Minho suspirou, depois se virou com um pequeno sorriso para o alfa – Obrigado por perguntar, Ji.

Jisung sorriu de volta

- Sempre que precisar, hyung. A gente pode pedir comida hoje, o que acha? Eu lavo a louça, minha e sua. – Sugeriu para agradar o ômega já que, normalmente, quando eles pediam comida o combinado era cada um lavar o seu.

Minho deu um sorriso maior dessa vez.

- Você é maravilhoso, Saeng.

- Só tô com vontade de comer um chinês mesmo – Brincou

- Bocó! – Deu um empurrão de leve no ombro dele - Obrigado de verdade. Chinês parece perfeito.

-Então eu já vou ir pedindo, vai querer que eu peça biscoito da sorte de sobremesa?

- Quero sim. Vou ir tomando um banhozinho enquanto isso. - Disse se levantando e indo em direção a porta que levava ao corredor. - Volto logo! Obrigado jisung-ah, amo você!

Jisung apenas riu e pegou o telefone. Após fazer o pedido, ele voltou a se concentrar em seu desenho. Mal encostou o lápis no papel e já escutou Minho sair do banheiro. Isso não podia significar coisa boa, normalmente Minho ficava muito tempo no chuveiro e até mesmo cantava. Jisung nunca disse a ele, mas amava escutar Minho cantar, ele tinha uma linda voz. Mais uma pra lista dos motivos pelos quais Jisung suspeitava de que Minho fosse um anjo

Alguns segundos depois, Minho voltou pra sala já de pijamas. Jisung deu um pequeno sorriso pela estampa de gatinhos.

- Foi muito rápido hoje.

- É... tava sem ânimo. – Disse se sentando no sofá.

Jisung já tinha largado tudo e estava totalmente focado no ômega novamente.

-Certeza que não aconteceu nada hoje no trabalho?

- Nada que você precise se preocupar, Ji - disse e com um suspiro ele logo completou baixinho - só tenho que aprender a ficar de boca fechada.

- Boca fechada? Por que boca fechada? – Jisung perguntou

- Nada de mais, um povo do trabalho que veio falar merda pra mim e eu acabei respondendo em vez de só ignorar os idiotas – Disse como se realmente não fosse nada.

- O que eles disseram? – Jisung perguntou em um misto de preocupação e curiosidade, mas principalmente preocupação. O que poderiam ter dito pra chatear Minho?

O ômega suspirou mais uma vez, e ficou em silêncio por um tempo. Jisung achou que ele não fosse contar, que talvez tivesse forçando a intimidade demais. Quando ele ia pedir desculpa por ser tão invasivo, o Minho começou a falar.

- Sabe, eles nem falaram nada diretamente pra mim, mas eu estava passando depois de ir no banheiro e escutei uma parte da conversa deles. Eles estavam falando de mim e eu acabei parando pra escutar. Eles me chamaram de puta por ter sido marcado e não ter um alfa. – Jisung sentiu o sangue ferver. Se tinha uma coisa que o irritava eram as pessoas que ofendiam as outras sem motivo algum e era pior ainda quando acontecia com alguém de quem gostasse. Não devia ter sido fácil para Minho, mas ainda vem uns babacas como aqueles falar merda. Realmente, algumas pessoas precisam diminuir as outras para se sentirem melhores. - Eu sei que eu não devia ter dito nada, que eu devia ter ignorado já que eles nem falaram diretamente comigo, mas nããão! – Minho soltou com um tom de frustração e sarcasmo – Eu tinha que ir mandar eles cuidarem da própria vida! O resultado é que eu acabei levando um baita esporro do meu chefe por brigar no trabalho.

- Pois eu acho que você fez é pouco! – Jisung disse um pouco mais exaltado do que pretendia - Sinceramente, você ainda teve que escutar o esporro do seu chefe! Devia era ter mandado todo mundo a merda!

- Não é assim que as coisas funcionam, Saeng. Se eu tivesse feito isso, acabaria demitido. – Minho respondeu com uma calma que só irritou mais Jisung.

- Mas não é justo, hyung! Esses filhos da puta não podem sair por aí tratando os outros como bem entendem!

- Eu concordo com você também, mas as vezes simplesmente não vale a pena. O que eu ganhei xingando eles? Não mudei a cabeça de nenhum, só criei inimizade no trabalho e levei um xingo do meu chefe. A vida é injusta e, as vezes, a gente tem que saber como jogar o jogo dela. Existe o momento de se impor e o de ficar calado.

Jisung bufou frustrado.

- Eu não consigo aceitar isso.- Disse com Raiva. Minho apenas riu.

- Você fica muito fofo com raiva! Tem certeza de que é mesmo um alfa? - Disse apertando a bochecha gordinha de Jisung. O alfa o olhou com cara feia e deu um tapa na mão dele, não com muita força, mas suficiente para afasta-la de suas bochechas. – Aí! – Reclamou com um leve drama – Você agora bate em ômega, é? – Minho estava provocando Jisung de propósito, só podia!

- Você tá querendo testar minha paciência, Minho! – Disse de cara feia, ainda irritado com a história do trabalho.

- Eu tô brincando, Sungiee! – Disse com a voz manhosa - Não fica bravo comigo!

- Depois fala que não consegue ser fofo – murmurou enquanto revirava os olhos.

Minho deu um sorriso inocente.

- Obrigado por se preocupar comigo, Sungie. De verdade - Disse olhando nos olhos do alfa, que sentiu o sorriso surgir involuntariamente. Nos poucos dias que conheceu Minho, Jisung não pode deixar de notar o jeito do ômega de ser: ele sempre tentava parecer forte e, embora não falasse sempre, era muito preocupado com todos ao redor.

- Da próxima vez você me chama que eu mesmo vou dar uma lição no babaca que te ofender - Minho realmente tinha um belo sorriso e Jisung teria continuado ali, admirando todos os seus detalhes se a campainha não tivesse tocado anunciando a chegada da comida.

Jisung se levantou do sofá e foi abrir para o entregador, enquanto isso Minho foi arrumar a mesa para comerem. Logo estavam os dois sentados frente a frente degustado a maravilhosa comida chinesa e conversando sobre coisas aleatórias.

- O que você estava desenhando antes de eu chegar? - Minho perguntou.

- Um anjo - Jisung respondeu com um sorriso.

- Um anjo? Eu posso ver? - pediu animado.

- Quem sabe um dia - Jisung respondeu vago e achou melhor mudar de assunto antes que Minho insistisse naquilo – Tá sabendo da festa do Changbin e do Felix pra comemorar a casa nova?

- Esses dois gostam de uma festa, hein! Tudo é desculpa...

Jisung riu

- Já vai se acostumando, eles são sempre assim. Mas você vai, né?

- Não sei Ji... Eu costumava gostar muito de festas, mas já faz um tempo que parei de frequentar...

-Mas um motivo pra você ir! Aproveitar uma festa e lembrar dos velhos tempos! Vamooos! Vai ser divertido! - Jisung insistiu - Você pode dançar de novo, foi tão lindo da última vez - Jisung adorou ver as bochechas levemente vermelhas do ômega e o pequeno sorriso que surgiu em seus lábios.

-Tudo bem, eu vou. Mas só se você dançar comigo!

-Combinado! – Jisung concordou satisfeito.

Eles terminaram o jantar não muito depois. Minho entrou pro quarto e Jisung lavou toda a louça como tinha prometido. Depois de deixar tudo limpo em seus devidos lugares ele voltou a pegar seu caderno de desenhos que havia sido deixado esquecido no sofá e abriu na página do desenho no qual trabalhava. Olhou com o sorriso para a imagem que estava sendo construída ali. Acabou por sentar no sofá e terminar o desenho lá mesmo. Muito satisfeito com o resultado, Jisung se levantou, vendo que já era tarde e rumou para o próprio quarto para dormir. Com sorte, sonharia com o anjo de seu desenho.


Notas Finais


Espero que tenham gostado e até o próximo!
Beijocas! 💕💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...