1. Spirit Fanfics >
  2. Enviada Para o Oeste >
  3. Capítulo I

História Enviada Para o Oeste - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá minhas flores! 🥀

Sim por favor não me matem!

Estou incansávelmente trabalhando minha mente para atualizar minhas fics, e pelos céus! Porque me veio outra ideia do nada?
Prometo que irei trazer um combo especial para "Me Converti Na Empregada Do Duque."

Mas dêem uma chance para essa aqui também? Kkk
Ela vai ser bem curtinha, no máximo 10 capítulos.
Beijos boa leitura ❤️

Capítulo 1 - Capítulo I


"A solidão é a sorte de todos os espíritos excepcionais."

Arthur Schopenhauer

_________________________


✧ ~ ✧ ~ ✧ ~ ✧


Meus pais morreram a pouco tempo... Em um acidente perto das terras dos demônios no oeste. E agora, entrei na casa de meu tio como uma empregada doméstica... Eles não estariam me mantendo se não fosse pela minha herança milionária.

- "Enfim, aquela garota? Rin, é a herdeira de sua irmã?"

- "Ela tem apenas doze anos, então como seu tio, estou agindo como seu guardião... Eu tenho o direito de usar essa herança como despesas da crianção de sua filha! Se conseguirmos juntar mais um pouco de dinheiro, e mandar alguns caçadores, talvez possamos recuperar os documentos perdidos de minha irmã que se perderam no acidente a dois anos! Se tivermos sucesso, seremos super ricos, e futuramente não teremos mais que mantê-la."

- "Querido! Esse não é o problema aqui! Uma de nossas filhas está prestes a se casar com aquele monstro por sua causa!"

'Do que eles estão falando?'

- "Eu não vou!"

- "E nem eu Papai! Você não sabe que tipo de casa é a casa Taisho?! Mesmo ninguém que já tenha visto seus rostos se mantiveram vivos, apenas por morar naquelas terras e caçar demônios podemos imaginar o qual assustador ele deve ser!"

Eu pensei que a casa Taisho era apenas uma história de fantasmas que as empregadas inventaram para me assustar.

- "Eu não posso simplesmente desistir desses documentos. Desde aquele acidente, temos procurado cada centímetro da vasta terra do oeste por aquele pedaço de papel. Você acha que é possível? Desista agora ou faça o que eu digo querida."

- "Eu nunca irei concordar com isso!"

E pensar que ele ainda não desistiu de minha herança. Não me diga que o motivo pelo qual você se quer compareceu no funeral de sua própria irmã, que você considerava a pessoa mais importante, foi porque estava nas terras dos demônios procurando esses papéis? 

Repugnante...

- "Por que você foi sozinho para um lugar tão perigoso em primeiro lugar? De qualquer forma, a essa altura é impossível que você ache sequer um pequeno pedaço do que você tanto almeja, e agora estamos em dívida com uma casa estranha."

- "Seja o que for, você quer vender suas próprias filhas para aquela casa monstruosa papai!"

Espera o que a casa Taisho tem a ver com a minha herança? Estou apenas entregando sua comida e novamente escuto sobre esse maldito assunto. E parada na porta, minhas mãos estão tremendo por falarem tão calmamente de meus falecidos pais, e tudo o que realmente desejaram eram suas riquezas.

- "É por isso que estou dizendo, apenas faça o que eu digo e mande a Rin... Apenas queime essa carta e nossos problemas acabarão."

- "Não! Me dê isso querida!"

Ah... Que cena vergonhosa.

- "Tio, eu trouxe o seu café da manhã..."

Eles ainda continuam a se avançar um sobre o outro para tentar pegar a carta, que ao se soltar das mãos de minha tia voa em minha direção e cai em meus pés.

- "Rin me dê isso!"

- "Não Rin queime isso, rápido!"

Não posso negar certa curiosidade, abaixo cuidadosamente para não derrubar os alimentos da bandeja, meus olhos analisam  o emblema luxuoso de um lobo. Essa é uma carta de compromisso fornecida pelo templo.

- "Mesmo se for queimada a promessa ainda permanecerá, e seu poder prejudicial será derrubado sobre todos nós!"

O que diz na carta é:

"William Grey, por dever minha vida ao lorde Taisho das terras dos demônios, eu faço uma promessa sagrada de outra vida que será paga em troca em doze anos. Ao nascer uma filha na casa Grey será entregue ao castelo Taisho, devo manter a honra de minha promessa assinada com sangue."


[...]


- "Se não cumprimos essa promessa o templo irá confiscar todos os nossos bens, e vamos apodrecer na prisão por toda a eternidade."

- "Querido reconsidere..."

- "Pai, pense direito..."

- "Uma promessa de sangue precisa da prova que a garota que será enviada tem o nosso sangue... Espera. Rin!"

Esse olhar... Se parece com um monstro, está tão desesperado em não ser preso, que mesmo que perca todo o direito da herança ao me casar com o lorde daquelas terras.

- "Você... Você também tem meu sangue certo?"

- "Eu... Você irá me enviar para o oeste?

- "E porque o papai não a enviaria? Você só tem sido um estorvo atrás de estorvo nessa casa. Pense que pelo menos será útil em algum lugar."

As primas, sempre me detestaram, não sei se é porque meus pais sempre foram muito mais amorosos do que os delas ou sobre minha aparência. Sempre tentando me mandar para longe na primeira oportunidade.

Então foi assim que o meu desastre começou.

- "Estávamos falando sobre adotar você e em seguida enviá-la para se casar com alguém da familia Taisho. Acho que é essa a melhor opção para sua própria segurança, você não quer retribuir tudo o que fizermos por você nesses dois anos?"

- "Você está brincando não é tia? Mas ainda sou sua sobrinha!"

- "Estou preocupada com sua segurança."

- "Não, você está me enviando para o lugar que meus pais morreram?!"

- "Vou preparar tudo para sua passagem ao oeste imediatamente!"

O olhar dela é o verdadeiro rosto de um demônio...


✿ • ✿ • ✿ • ✿


Sim, não deve ser tão difícil, estou tentando ser bastante otimista! A carruagem já está na estrada a boas horas, e os cocheiros estão muito falantes, por isso que quase não vi o tempo passando. Mesmo que essa terra habite demônios, ainda ah pessoas que vivem por aqui. O lorde... Também é uma pessoa? Não pode ser um demônio certo? Pelo menos isso é melhor do que servi aquelas pessoas que um dia chamei de família...

Sim...

- "Kyaaa!"

A carruagem para bruscamente, quase me arremessando janela afora, desço correndo para perguntar porque paramos. Os cavalos estão muito agitados.

- "O que aconteceu?"

- "Eu não sei, desde o momento em que pisamos no território oeste..."

- "Por que está vindo uma tempestade de areia? Tão derrepente?"

O que é isso? Estamos teoricamente no meio do nada, apenas dentro de uma ravina rochosa, e o que está vindo em nossa direção em uma velocidade desumana parece ser uma carruagem. Ah muita areia, e minha visão está bastante limitada, os cavalos novamente se agitam, e como uma tempestade, avançam em direção contrária ao tornado.

- "Não é uma carruagem! São pequenos demônios! Vamos fugir!"

- "Espera! Me leve também!"

Eles partem imediatamente, e nem si quer olharam para trás, eu tento correr para alcança-los mas esse chão rochoso me faz tropeçar vergonhosamente.

- "Ah!..."

- "É um humano?"

- "Humano?"

- "É uma fêmea."

- "Uma pequena criança fresca?" - Como pequenas chamas, os pequenos demônios tão vermelhos montados em cavalos de fogo, suas vozes esguiniçadas doem meus ouvidos, não são nada para caçadores profissionais, mas para uma garota como eu, é uma morte bem rápida.




oOo

Continua...?

OoO






Notas Finais


Eu realmente preciso da opinião de vocês, para isso der certo. Kk beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...