1. Spirit Fanfics >
  2. Epic Love - Kakasaku >
  3. Capítulo 1

História Epic Love - Kakasaku - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Comentem, pessu!! Ai postarei os próximos capítulos <3

Capítulo 1 - Capítulo 1


Sakura Haruno é uma jovem de 21 anos que perdeu tudo muito cedo. Ela sempre foi apaixonada por pole dance, esporte que praticava desde os 12 anos de idade, e medicina, sua faculdade dos sonhos. Infelizmente, quando Sakura completo 16 anos, perdeu sua família e, isso fez com que ela se afastasse de seus amigos e de todo o resto. A garota se afogou em solidão e gastou toda a herança de seus pais com futilidades, pois no momento, não sabia como administrar nada.

Ao 20 anos de idade recebeu uma proposta de um homem que conhecera por meio de uma antiga colega de pole dance. Tag, o homem que lhe oferecera o emprego, era dono de uma boate de strip-tease/bordel em Amsterdã, ele havia se apaixonado pelo jeito de Sakura e sabia que ela era uma excelente poledancer.

Sakura pensou e repensou mil vezes sobre aceitar o emprego, ela não queria se prostituir e nem dançar sensualmente na frente de diversos homens, mas a jovem precisava do dinheiro para sobreviver e para fazer sua faculdade de medicina. O dinheiro que ela conseguiria em um emprego comum, como uma garçonete, nem se compararia ao dinheiro que ela receberia na boate, Tease on. Por fim, fez um acordo com Tag, ela dançaria, mas não se deitaria com nenhum homem. O empresário concordou, pois sabia do sucesso que a garota faria, mesmo não podendo “vende-la” para satisfazer os prazeres mais obscuros de seus clientes.

 

Sakura Haruno

Faltavam exatamente 9 dias para que minha faculdade começasse. Eu estava tão ansiosa, queria que tudo corresse bem, sonhava em me formar e deixar para trás a vida que eu levava. Apesar de meu emprego ter me dado a oportunidade de fazer a faculdade de medicina, eu odiava dançar sensualmente na frente de homens perversos sedentos por sexo.

“E agora com vocês, nossa Lolita.”

Era a minha deixa. (roupa abaixo)

A música era “Buttons - The Pussycat Dolls”, a mais solicitada por todos, a que eu havia dançado tantas vezes que a coreografia era automática. Eu sempre via os mesmos rostos pervertidos na plateia, mas desta vez algo estava diferente. Um homem que aparentava ter 1,80 de altura, por volta de uns 36 anos de idade estava sentado sozinho nos fundos da boate com um copo de Whisky apoiado a mesa. Ele tinha cabelos platinados e olhos escuros, vestia uma calça social, uma camisa branca com as mangas dobradas e uma gravata. Seus olhos eram fixos em mim.

Eu rebolava, jogava meus cabelos, escalava a barra, fazia giros e empinava a bunda para a plateia, tudo da maneira mais sexy possível. Os homens me olhavam com desejo, como se fossem animais prestes a atacar uma presa, mas o homem platinado, além desse olhar, exalava prepotência. Ele era familiar.

A música acabou e eu me retirei para o camarim.

-Sakura! -Kate correu em minha direção. -Tag está desesperado atrás de você.

-O que ele quer? -Perguntei curiosa.

-Eu não sei, mas vá correndo até ele! – Ela falou eufórica. -Vá, vá, garota!

Coloquei uma roupa mais decente e corri até a sala de Tag. Não precisei nem bater na porta.

-Sakura, eu tenho uma proposta para você. -Ele começou e eu apenas o olhava. -Envolve uma quantidade absurda de dinheiro, que eu sei que você precisa, mas lembre-se, a escolha é sua. -Eu gostava de Tag, de certa forma, ele me respeitava.

-Diga, Tag.

-Um novo cliente quer você. -Eu já sabia onde a conversa terminaria. -Eu disse a ele que você era exclusivamente dançarina e que ele poderia escolher qualquer uma de nossas garotas, mas ele ofereceu 5 mil euros por você.

CINCO MIL EUROS. Eu precisava.

-Eu agradeço, Tag, mas não vou aceitar. -Disse já me retirando da sala, quando a porta praticamente bateu na minha cara.

-Conseguiu a garota para mim? -O homem platinado, novo na plateia, entrou na sala e questionou Tag.

-Desculpe-me senhor, mas não tenho interesse. -Eu mesma me referi a ele.

-Como assim não tem interesse? -Questionou indignado. -Não é este o seu trabalho?

-Não, senhor! O meu trabalho é dançar.

-Mas como uma garota de vida como a sua poderá negar 5 mil euros?

Eu estava furiosa com suas palavras e percebi que até mesmo Tag se incomodou, éramos, de certa forma, amigos.

-Com licença, senhor.

 

...

 

Que audácia daquele homem! Quem ele pensa que é?

Cheguei em casa e só queria tomar um banho para limpar a alma, me livrar do cheiro de cigarro e sexo que emanavam daquele lugar. Durante o banho, pensei e repensei várias vezes sobre a proposta do homem platinado. Eu realmente não estava em posição de recusar aquele dinheiro, mas era uma questão de dignidade e, eu estava me guardando para alguém especial.

Coloquei a cabeça no travesseiro após fazer toda a minha rotina antes de dormir, mas desta vez eu não consegui dormir logo de cara, eu não conseguia parar de pensar sobre o tal homem. Ele era tão arrogante, mas era muito atraente e, eu o conhecia de algum lugar.

De onde eu o conhecia? Só conseguia pensar nisso, então, resolvi ir atrás ao invés de dormir.

“Kakashi Hatake, o maior neurocirurgião da nossa geração”, dizia a revista com a foto do platinado.

Mas é claro que um dos homens mais ricos de Amsterdã seria arrogante e prepotente. É claro que ele acharia que conseguiria o que quisesse e quando quisesse. Eu tinha certeza de que o conhecia de algum lugar, ele era realmente muito famoso.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...