1. Spirit Fanfics >
  2. Epiphany - Bulletproof Love 4 - Jin >
  3. Capítulo XIII - Day off

História Epiphany - Bulletproof Love 4 - Jin - Capítulo 13


Escrita por:


Capítulo 13 - Capítulo XIII - Day off


Fanfic / Fanfiction Epiphany - Bulletproof Love 4 - Jin - Capítulo 13 - Capítulo XIII - Day off

Jin

Nós lançamos o nosso novo álbum Love Yourself: HER e as promoções de DNA começaram. Nós tínhamos uma agenda bastante corrida. Além dos programas de TV, também haviam os ensaios para o os últimos shows da The Wings Tour que aconteceriam em Osaka, Taiwan, Macau e os shows de encerramento em Seoul.

Este comeback estava sendo um sucesso. Inclusive havíamos recebido um convite para nos apresentarmos no American Music Awards no final de novembro.

Nós estávamos experimentando um sucesso sem precedentes não só para nós, mas para qualquer grupo coreano, era inacreditável e assustador.

Eu queria ter mais tempo para ficar com Dawon, mas isso era tudo que eu não tinha. Apesar de nos vermos pouco e apressadamente, meu namoro com ela estava indo muito bem. Nós trocávamos mensagens todos os dias e eu sentia que ela estava confiando mais em mim.

Os meninos haviam ficado bastante surpresos quando nos viram juntos na festa, mas com exceção de Hoseok que ainda estava chateado comigo, nenhum deles tinha se incomodado com o fato de eu não ter cumprido o nosso acordo. Na verdade eles tinham ficado felizes por mim.

Estávamos terminando o ensaio para o show de Osaka que aconteceria daqui a dois dias. O aniversário de Jimin era no dia seguinte. Nós viajaríamos hoje à noite para ter tempo de fazer o último ensaio completo no local do show.

- Vamos encerrar o ensaio agora à uma da tarde. Vocês podem fazer o que quiserem, mas quero todos vocês às oito e meia da noite no dormitório e com as malas prontas para viajar. – O manager Sejin nos informou.

Todos ficaram felizes com a oportunidade de ter uma tarde livre.

- Vou ver se a Suki está por aqui. Eu estou morrendo de saudades dela. Das duas últimas vezes que tivemos uma folga ela estava ocupada. Eu não a vejo desde antes do nosso comeback. – Disse Jungkook.

- Eu também não consegui ver a Manu. Eu li no Naver que ela é a integrante do grupo que é mais abordada por homens. Só de pensar no tanto de homem que está dando em cima dela enquanto eu não posso nem falar sobre o nosso namoro publicamente, isso me deixa furioso. – Falou Jimin.

- Você não precisa se preocupar com ela, a Manu sabe se virar muito bem. A Surah me disse que ela consegue se livrar deles graciosamente e ainda faz com que eles fiquem envergonhados por darem em cima dela. – Hoseok comentou.

- É verdade, Hyung?

- Claro. A Surah me disse que outro dia quando um homem falou que a Manu era bonita e pediu seu número de telefone, ela sorriu para ele e perguntou se ele pediria o telefone dela se ela fosse feia. O cara não soube o que responder e foi embora. E que quando um outro a convidou para jantar, ela disse que estava fazendo jejum para conseguir caber nos figurinos. E que quando outro cara a puxou pela cintura no aeroporto, ela começou a gritar por ajuda e disse que o homem estava passando mal que precisou segurar nela para não cair. O cara ficou tão surpreso que teve que fingir que estava mesmo passando mal. 

- Minha namorada é demais. – Jimin falou com olhos apaixonados.

- Ultimamente todo mundo está namorando. – Disse Taehyung emburrado. – Yoongi, Namjoon e eu somos os únicos sem namoradas. Até o Jungkook perdeu a virgindade primeiro que eu!

- Você pode perder a virgindade quando quiser. Tem um monte de mulheres que não hesitariam se você as chamasse para um encontro. – Argumentou Yoongi.

- Sabe que não quero algo casual como você. Sou tradicional, quero estar apaixonado. Quero alguém que olhe para mim como a Surah olha para Hobi hyung.

- Não se preocupe tanto. Nenhum deles estava procurando uma namorada quando isso aconteceu. O Jungkook teve a sorte de que seu primeiro amor também se apaixonasse por ele e fosse uma garota legal. O destino do Jimin foi traçado desde momento que a Manuela colocou os olhos sobre ele. O Hobi teve a sorte de encontrar alguém que se move no mesmo ritmo que ele. Hora ou outra a sua “miss right” aparece. - Namjoon falou.

- Você acha? - Perguntou Taehyung esperançoso.

- Eu tenho certeza.

- A Suki respondeu! Ela disse que estavam ensaiando sua nova coreografia, mas como a Surah é a coreógrafa, elas conseguiram convencê-la a terminar o ensaio mais cedo! - Jungkook disse animado.

Ele, Jimin e Hoseok logo saíram do salão de ensaio e foram atrás de suas namoradas. Peguei meu telefone e liguei para Dawon. Ela atendeu no terceiro toque.

- Oi, Jin. - Ela não soava tão animada quanto das últimas vezes que havia telefonado.

- Eu tenho a tarde livre, por favor me diga que você está em casa e que eu posso ir até aí fazer amor com você.

- Estou em casa. - Ela respondeu seriamente.

- Está tudo bem? Sua voz está estranha.

- Eu não dormi muito bem na noite passada, deve ser por isso.

- Ok. Eu chego aí em alguns minutos, tá? Quando for embora vou ter a certeza de te deixar bastante cansada para que tenha uma excelente noite de sono.

- Mal posso esperar. - Ela falou um pouco mais animada.

- Até daqui a pouco.

Nós encerramos a ligação e fui até a minha mochila. Namjoon e Taehyung tinham decidido passear de bicicleta juntos. O outono tinha começado há pouco tempo e o clima estava agradável para fazer atividades externas. Yoongi disse que ia para casa dormir. Eu procurei nosso manager e pedi a ele a chave de seu carro. Eu o usava quando queria dar as minhas escapadas e não ser seguido por repórteres. Tomei um banho rápido e cerca de 30 minutos depois da minha ligação eu já estava em frente a porta de Dawon.

Ela estava usando um short curto jeans e uma camiseta branca. Passei pela porta e ela me recebeu de braços abertos. De pronto segurei-a pela cintura e beijei seu lábios. Como tinha sentido falta dela nos últimos dias. Era sempre assim, quanto mais tempo eu passava com ela, mais tempo queria passar.

Ela retribuiu o beijo com urgência. Seus lábios macios e doces contrastavam com a língua vigorosa que explorava minha boca com avidez. Alcancei a barra da sua camisa e a puxei para cima. Dawon ergueu seus braços e tirei a peça de seu corpo e a joguei no sofá. Logo minha camisa também foi jogada longe.

Ela envolveu suas pernas em minha cintura e eu a imprensei contra a parede. Apesar de estar cansado, sempre encontrava energia para fazer amor com ela. Em meio a beijos desesperados levei a nós dois até o quarto. Uma vez que alcançamos sua cama, eu a deitei com cuidado e tirei o seu short.

Tomei alguns segundos para apreciar o quanto ela estava bonita e sexy com a lingerie rosa claro de renda que usava. A calcinha tinha dois laços de fita em cada um dos lados.

- Isso tudo é pra mim? - Ela fez que sim com a cabeça. - Sou mesmo um homem de sorte, minha linda namorada, usando lingerie da minha cor favorita.  

Coloquei cada uma de minhas mãos em um dos lados do seu quadril e desfiz os dois laços simultaneamente. Puxei o tecido expondo sua nudez. Coloquei a calcinha no bolso de trás do meu jeans.

Abri suas coxas e levei meus lábios até o centro do seu prazer. Um gemido alto escapou de seus lábios, enquanto a conduzia com a minha língua. Ela tinha uma sabor tão doce e um cheiro que me deixava desesperado por mais. Suas mãos apertavam os lençóis e seu corpo se contorcia na doce agonia de estar cada vez mais próxima de sua libertação.

Eu parei pouco antes que ela gozasse e ela olhou para mim com um misto de frustração e desejo. Ela estava estranhamente calada e havia um quê de desespero em suas atitudes que não havia se manifestado nas últimas vezes que estivemos juntos. Sua atitude me lembrava da época em que não podia ficar com ela, quando ainda estava preso ao contrato e as minhas vindas até sua casa eram sempre agridoces.

Havia algo estranho, não sabia exatamente o que. Tirei meu jeans e cueca enquanto ela me observava calada. Deitei-me sobre ela encaixando os nossos quadris. Ela enrolou suas pernas ao meu redor. Lentamente a penetrei, sentindo aquele frisson familiar de estar dentro dela.

- Tão quente e apertada! Cada minuto que estou longe de você, só consigo pensar em como eu quero estar dentro de você de novo e novo.

Ela ergueu o quadril fazendo com que eu conseguisse um pouco mais de profundidade.

- Preciso de mais. - Ela disse baixinho.

- Eu vou dar o que você precisa.

Com um pouco mais de velocidade movi meus quadris. Tinha que me controlar para não me deixar levar por completo e gozar prontamente. Queria aproveitar um pouco mais. Ver ela gozando para mim, ouvir seus gemidos de prazer, sentir o ritmo acelerado de sua respiração.

- Quero você de quatro. - Falei em seu ouvido.

Sem nem pensar ela me obedeceu na mesma hora. Ela se pôs de quatro na cama. Seu traseiro parecendo bastante apetitoso. Segurei cada um dos lados de seu quadril e voltei a penetrá-la, desta vez com mais profundidade, favorecido pela posição.

Ela gemeu alto, enquanto eu a levava cada vez mais perto do orgasmo. Sabia que este seria intenso, pois ela já estava muito perto de gozar pela terceira vez. Pus mais velocidade nos meus movimentos, fazendo com que não fosse mais capaz de me controlar. Eu estava perto do ápice quando senti que ela apertava meu membro com força. Uma série de gemidos desconexos e meu nome saíram de seus lábios. Mantive o ritmo até atingir o meu próprio prazer. Deleitando-me na sensação maravilhosa de alcançar o clímax com a mulher que eu amava.

Exaustos e suados nós caímos na cama. Beijei o topo da sua cabeça.

- Eu te amo. - Disse-lhe.

Ela não respondeu. Ao invés disso encarou-me com olhos tristes antes de levantar da cama e ir até o banheiro. Levantei-me para segui-la, mas ela trancou a porta. Definitivamente havia algo errado.

- Amor. Está tudo bem?

- Claro. Só preciso fazer minhas necessidades. Nós ainda não estamos neste nível de intimidade.

Embora sua desculpa fosse convincente, sentia que havia algo estranho em seu comportamento. Alguns minutos depois ouvi o barulho do chuveiro. Logo, ela saiu do banheiro com uma toalha enrolada na altura dos seios. Os cabelos estavam presos em um coque.

Aproximei-me dela e beijei sua testa.

- Como posso já estar excitado se acabei de fazer amor com você?

Beijei sua bochecha e nariz e depois seus lábios. Um beijo profundo, cheio de desejos e promessas.

- Eu estou morrendo de fome. - Ela disse, meio que cortando o clima.

- Você tem ovos e cebolinha?

- Sim.  Fui ao mercado ontem.

- Então vou fazer minha famosa omelete para você.

Fomos para cozinha. Peguei os ingredientes na geladeira e os coloquei sobre o balcão. 

Enquanto eu preparava a omelete  Dawon preparou arroz na panela elétrica e colocou kimchi em uma travessa. Quinze minutos mais tarde já tinha um par de omeletes prontas.  

Arrumamos a comida no balcão e sentamo-nos nos bancos. Cortei as omeletes em pedaços pequenos para que pudéssemos comê-las com os hashis. 

Peguei um pedaço da omelete e coloquei na sua boca.  

- humm... Está delicioso. – Ela disse parecendo surpresa.  

- Por que está surpresa? Eu sou o pacote completo. Você ainda não sabia?! – Falei em meu usual tom brincalhão. 

- É, eu já sabia.  – Ela disse um pouco triste.

- Hey, venha aqui. - Dei-lhe um selinho. – Por que esse desânimo? Você também é o pacote completo.  Nós somos um casal muito sortudo. Eu queria muito poder assumir nosso relacionamento publicamente. Imagina quão lindos nós ficaríamos em um tapete vermelho.  Nós seríamos o casal mais invejado de toda Coreia. 

- Eu com certeza seria a mulher mais invejada...

Ela disse deixando a frase com uma sensação de inacabada.  

Enquanto comíamos, nós conversamos sobre coisas aleatórias.  Eu a atualizei sobre as novidades do grupo e ela me contou sobre o lançamento de sua nova coleção de roupas.  

Depois de comer,  juntos lavamos as louças e arrumamos a cozinha.  Descansamos um pouco e fizemos amor mais uma vez.  Ela deveria estar mesmo cansada,  pois adormeceu em meus braços. Com cuidado tive que levantar da cama.  O mais silenciosamente possível,  recolhi minhas roupas e carteira.  Despedi-me com um beijo em sua testa.  

Às 20:25 já estava pronto para viajar. Jungkook,  Jimin e Hoseok estavam visivelmente mais animados que da última vez que os havia visto.  Assim como eu,  certamente eles tinham aproveitado as últimas horas para liberar toda a energia sexual acumulada. Yoongi estava mais descansado e Taehyung e Namjoon pareciam mais contentes. Nós  andávamos tão atarefados que mesmo umas poucas horas de folga tinham melhorado muito o ânimo do grupo.  

Pontualmente nosso manager veio nos buscar para levar-nos ao aeroporto.  Rapidamente fizemos o check-in e fomos conduzidos para a sala de espera da primeira classe.  

Duas horas mais tarde,  já estávamos caminhando em direção aos nossos quartos de hotel.  Liguei para o serviço de quarto e pedi um bolo de aniversário.  

À meia-noite, conforme combinado,  fomos todos ao quarto do Jimin,  vestidos com nossos pijamas.  Ele estava fazendo uma live para nossos fãs e nós entramos no quarto cantando parabéns e fazendo uma grande algazarra.  

Depois de comermos o bolo e nos despedirmos dos fãs, a live foi encerrada. Ligamos para o serviço de quarto e pedimos cerveja e uns petiscos, então a comemoração começou para valer. Uma hora mais tarde já estávamos todos embriagados. Estávamos rindo à toa e fazendo o ridículo.  Justo nessa hora nosso manager veio encerrar a festa e nos enviou de volta aos nossos respetivos quartos. Eu tinha me divertido bastante.  Acabei dormindo assim que coloquei a cabeça no travesseiro.   

Acordei com uma batida na porta do quarto. Alcancei meu celular na cabeceira da cama e conferi a hora,  8:20 da manhã.  Chequei minhas mensagens, mas não havia nada importante. Deixei uma mensagem de bom dia para Dawon,  mas ela não visualizou. Imaginei que estivesse dormindo ou ocupada com seu trabalho.  

O dia passou como um borrão, além dos ensaios para o show, gravamos uma participação em um programa de TV e tivemos um evento de aperto de mão com nossos fãs. Não tive tempo de ver meu celular até estarmos de volta ao hotel bem tarde da noite.  Havia uma ligação perdida da minha mãe, então lhe enviei uma mensagem para que ela soubesse que estava bem.  Depois fui ler as mensagens de Dawon. 

“Jin, lamento fazer isso por mensagem,  mas infelizmente não podemos mais continuar juntos.” 

“Pensei que pudesse esquecer o passado, mas não consigo perdoá-lo totalmente.”

“Por favor,  não me procure mais. Não quero investir mais tempo neste relacionamento fracassado.”

“Sinto muito.”

Li e reli as mensagens diversas vezes tentando encontrar algum sentido,  porém não foi possível. Disquei seu número e a ligação caiu imediatamente na caixa postal. Se eu pudesse estaria no primeiro voo em direção à Coreia do Sul e iria atrás de Dawon para esclarecer as coisas, mas eu não podia pensar só em mim.  Não podia deixar meus companheiros e fãs na mão.  

Liguei mais algumas vezes sem sucesso.  Estava com raiva e me sentindo perdido e o pior de tudo era que não havia nada que eu pudesse fazer.  Resolvi então escrever uma mensagem.

“Vamos conversar quando eu voltar e você vai me explicar o que está acontecendo.”

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...