1. Spirit Fanfics >
  2. Era Apenas Um Contrato (Kakasaku) >
  3. Um pedófilo ou pervertido?

História Era Apenas Um Contrato (Kakasaku) - Capítulo 6


Escrita por: Yasmim2712 e Lobinha_Hatake

Notas do Autor


Oi gentiiiiiih

Tô de volta? sim. Porém, sozinha 😭😭

Pra começar quem tá falando é a Yasmim2712, minha amiga teve alguns problemas e parou de escrever. Então tô aqui, dando continuação sozinha.

Antes de ler esse capítulo, quero pedir perdão pela demora. Desculpas? Vou dar só as sinceras, além de estar meio atrapalhada com as minhas tô tendo que dar continuação nas dela tbm. Então, Tá meio complicado.

Mas eu tô me esforçando pra trazer um cap aqui pra vcs ok? Vamos logo pro cap! Boa leitura meus amores 😘❤

Capítulo 6 - Um pedófilo ou pervertido?


Aceitar ou não aceitar?

— Eu — Kakashi esperou a resposta, ansioso, até o que queria finalmente sair da boca de Sakura. — aceito. 


Por baixo da máscara o homem sorriu satisfeito e seu deboche foi notado por a rosada. Como ele ficava sexy sendo um idiota. 


— Eu sabia que ia aceitar, menina. — O Hatake falou convencido, quase jogando sua satisfação na mulher. 


Enquanto Kakashi se via satisfeito e Sakura com raiva dele, Sarada se via contente abraçando a perna do homem. A Haruno não gostou nada daquilo, claro. Mas Kakashi se viu sem jeito, já que não era um dos melhores em demonstrar sentimentos. 


Um sorriso contido foi o que ele pôde dar, mas infelizmente não foi visto pela menor que pulava contente. Sem gostar nada da situação, Sakura suspirou enquanto Kakashi se encontrava desconfortável com o apego da garota. 


— Bem, vamos? — A sua pergunta assustou a rosada, o que ele queria dizer? 


— Vamos pra onde? — Com o seu questionamento, Kakashi riu no óbvio. 


— Para a sua casa, menina. Têm uma hora pra arrumar as malas. — Concluiu o mais velho depois de olhar no seu relógio de pulso. 


— Está brincando comigo né? — Ela perguntou incrédula, mas o Hatake fez questão de afirmar tranquilamente.


— Vamos logo. — Sakura conseguiu sentir a mão pesada tocarem seu ombro, o perfume amadeirado invadindo as suas narinas e por mais que um arrepio gostoso passasse pelo seu corpo ela não se deixou levar. 


— Kakashi, eu ainda nem falei com o senhor Sarutobi. E a escola da Sarada? — Como uma mãe, a preocupação ainda fazia parte da sua vida. Aquilo quase fez Kakashi revirar os olhos. 


— Anda logo, para de desculpas. Eu aviso ele amanhã e eu resolvo isso com a Sarada agora mesmo. 


— Mas Kakashi — Sakura tentou falar sobre como funcionava a quebra do contrato da escola da filha, mas não teve tempo. 


— Mas nada, Sakura. Entra nesse carro e fica quieta. — Ríspido e já sem paciência o homem falou alto, mas Sakura não se intimidou. Nem por ele e nem pelos olhares dos que passavam na rua. 


— Olha como você fala comigo, Kakashi! — O dedo que foi apontado para o seu rosto quase fez ele perder a paciência — que já não era muita. 


A única coisa que fez os dois perder a raiva daquele confronto cara a cara foi a pequena Uchiha que se meteu entre os dois, tentando de forma inocente parar a discussão dos adultos. 


— Não pode brigar com o tio Kashi, mamãe. — Com a voz doce, a menina envergonhada calou os dois e fez Kakashi rir. 


— É mamãe, não briga comigo. — Entrando em uma brincadeira ele falou debochado, fazendo os olhos verdes quase se fecharem num olhar carrancudo. 


Farta de tanto deboche, Sakura pegou a filha e entrou no carro sem querer perder tempo. Para o seu azar, o dinheiro do homem era tanto que ele andava não só com um motorista, mas também grudado em uma secretária e sua agenda. O que tudo isso significava? Ficar sentada do lado dele a viagem toda. 


Talvez pior que estar na companhia dele era lá no fundo gostar disso. Para Sakura Haruno isso não era admissível, claro que não. Uma mãe batalhadora, mas uma mulher extremamente orgulhosa. 


Depois da quebra do contrato da escola de Sarada, o caminho cursou sem discussões, mas também não teve assuntos para se discutir. E Sakura realmente não sabia distinguir se aquilo era bom ou ruim. O silêncio dele era bom por um lado, não deixava ela desnorteada; mas por outro, além dele ser muito mais bonito distraído sabia ser misterioso calado. Tudo isso só deixava a mulher com mais raiva, não gostava nem um pouco da incerteza que estava em tudo relacionado à ele. 


Seus pensamentos foram tão longe que nem percebeu que a filha estava dormindo no seu colo e os olhos negros do Hatake encaravam os seus. Sua atenção foi toda dele por alguns segundos, até a fera indomável fechar o cenho. 


— Tá olhando o que? — Não gostando nem um pouco de ser encarada por ele, perguntou grossa e viu os olhos do homem descendo até Sarada. — Não pense que se fazer de bonzinho pra ela vai adiantar alguma coisa, te quero longe da minha filha. 


Kakashi entendeu aquilo como um aviso de uma leoa cuidando do seu filhote, um pouco sexy talvez? Um sorriso malicioso foi esboçado por baixo da máscara, mas como o homem discreto que era fez questão de não deixar ela notar. 


Desconfortável no colo da mãe, Sarada se esticou pelos bancos do carro, tendo como resultado a cabeça apoiada nas pernas do prateado. 


— Eu só acho que é tarde demais. — A sua observação quase fez Sakura voar em seu pescoço, coisa que já foi pensada muitas vezes. 


Incomodada, Sakura tentou prestar atenção na paisagem que a viagem lhe proporcionava enquanto Kakashi lia seu livro sem pressa nenhuma. O símbolo de restrição de idade chamou mais atenção da mulher do que o tempo que um milionário tinha para ler, graças a sua curiosidade de saber o que tinha ali dentro. 


A noção ela já tinha e talvez fosse óbvio que Kakashi lesse esses conteúdos, com uma vida de rico também teria mulheres aos seus pés e os pensamentos sujos provavelmente dominavam a mente do Hatake. Nada que surpreendesse Sakura, mas tendo em mente a visão daquele homem na cama já deixava seu corpo em chamas. 


Seus pensamentos fizeram a rosada corar sem ao menos perceber, mas Kakashi se fingiu de cego graças a chegada ao destino. Perderia a oportunidade de descobrir o que se passava pela cabeça dela, mesmo já sabendo? Muito difícil, mas Kakashi Hatake não era um homem que gostava de perder tempo. 


Quando viu ela acordar a menina sentiu o receio em deixá-la na sua companhia, mas é claro, há poucos minutos estava lendo um livro erótico. Ele poderia gostar da leitura, mas o que ela pensava? Que era um pedófilo? Para ele era mais fácil ser só mais um homem com sua mente suja. 


Ao ouvir a porta ser fechada pela Haruno, a secretaria se virou e conteve sua risada. 


— Não acho que foi adequado ler na frente dela, Kakashi-sama. — A japonesa afirmou e o patrão relaxou no banco do carro. 


— Eu realmente não me importo. Aliás, ela tem que se acostumar comigo. Porque não vou deixar de ler meus livros pela presença dela. — O prateado argumentou indiferente e viu o motorista sorrir malicioso. 


— Ela tá na sua. Pretende? — A frase indireta fez Kakashi rir por fora, mas por dentro aquela pergunta grudou no seu cérebro. 


Pretendia alguma coisa com ela, mesmo se ela estivesse interessada? Não, mas qual a chance de isso acontecer? 


Enquanto a dúvida permanecia no homem, a pressa se instalava na casa de Sakura. Sarada ainda sonolenta comia seu pão vendo a mãe passar de um lado para o outro, depois de ter guardado seus brinquedos. 


Ao longo da espera Kakashi continuou a ler, tendo quase uma hora inteira ocupada pelas malas da mulher. O porta mala foi devidamente aberto pelo motorista que não deixou de ajudar Sakura antes de voltar ao volante. 


A rosada riu quando veio em sua mente que o funcionário era mais educado que o patrão e sua risada causou curiosidade no Hatake, já dentro do carro. 


— O que é tão engraçado, menina? — Sakura não respondeu depois que viu a filha tombar a cabeça para o ombro dele, enquanto ainda degustava seu pão com margarina. 


Ela bem que tentou puxar a filha para si, mas aquilo só fez Sarada se agarrar ao braço do mais velho e uma risada nasal sair de Kakashi. Irritabilidade, foi o que ela ganhou. Depois de um bom tempo em silêncio — o que foi vantagem para o homem e sua leitura, finalmente chegaram ao seu destino. E que destino, Sakura não gostou nenhum pouco de descer na frente do aeroporto. 


— A gente vai de avião? — A sua pergunta do óbvio fez Kakashi rir enquanto levava a sua mala e ela fazia o mesmo. 


— Sim, senhora. Sabe outro jeito de chegar na França? — Com o sotaque do seu país de origem, Kakashi questionou tentando entender a pergunta da mulher. 


— Idiota. — Sakura reclamou baixo, mas não deixou de ser ouvida por ele. 


— Por acaso tem medo de avião, menina? — Com a pergunta ela abaixou a cabeça sem admitir seu medo. — Oh saquei, orgulhosa. Isso vai ser difícil.  



Notas Finais


Gente, o que acharam dessa escrita? Eu mudei ela com o decorrer do tempo, espero que não tenha ficado ruim pra vocês.

E o que a gente faz com a richa desses dois não? Vamos ver no que vai dar esse medo da Sakura no próximo cap 😏😏

Comentem! Tenho saudades de vocês 😭❤

Aguardo vocês no próximo, sim?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...