História Era das Trevas - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Mortes, Protagonista Feminina Op
Visualizações 24
Palavras 2.374
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Seinen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Bom, tá ae, eu sei q eu demorei um pouco, mas teve um bom motivo para isso(se chama preguiça+diablo 3+preguiça+Jeanne). Terminei saporta agr, então, bom, aproveitem kkkk

Desculpem pelos erros durante a leitura do capitulo.

A, leiam a fic do Mat(cara gente boa), vou deixar nas notas finais o link

Capítulo 3 - Marcas de sangue jamais serão apagadas


                                                                              3 Anos Atrás

 

Era o reino de Cronus, a cidade imperial, cujo nome era Zernom. Como capital, obviamente ela era a maior cidade do reino de Cronus, povoado por dezenas de milhares de habitantes, sejam humanos ou inumanos.

 

Em uma parte mais afastada da cidade, era possível ver três jovens. Uma garota baixa de cabelos negros e olhos arroxeados, juntamente de uma garota, também baixa, de cabelos ruivos e olhos azuis. Elas eram Raven e Jasmine em uma versão mais nova, aparentemente com seus 17 anos de idade.

O terceiro jovem era um alto rapaz loiro de olhos vermelhos sangue. Ele tinha seus 1,90 de altura, uma jovem alto. Mas o que mais se destacava neste rapaz, eram suas longas e pontudas orelhas, ele era o um Elfo!

 

Os três jovens estavam com armas em suas mãos. Jasmine estava com sua rapiera. Raven com sua espada pesada, a Destiny Breaker. Já o rapaz loiro, ele tinha consigo uma espada longa prateada, e um escudo com um emblema de um pássaro vermelho em. Os três estavam de pé, se encarando, estavam em um tipo de campo de treinamento.

O clima naquele lugar estava tenso. Para acabar de uma vez com toda esta tensão desnecessária, Jasmine decide falar algo:

 

“Então gente...como vai funcionar este treinamento?” A pequena ruiva indagou com curiosidade percorrendo cada célula de seu corpo.

 

Raven rapidamente a responde “Acho que vamos o clássico, porém efetivo, 1x1. Aquele que acertar o primeiro golpe leva a vitória. Não podemos atacar o adversário com Karma, quem fizer isso irá perder automaticamente, estão de acordo?” Ao cair da voz de Raven, Jasmine acende com a cabeça, em resposta.

 

Já o garoto loiro diz “Tudo bem Raven, vamos nós dois primeiro então, o que acha?”

Raven concorda com a cabeça e coloca sua espada em posição, aguardando o primeiro movimento de seu adversário. O garoto loiro faz o mesmo, eles apenas se encaravam no momento.

 

Jasmine olhou para os dois e acabou dando um suspiro pesado, saindo ali do meio do campo enquanto pensava (Porra, fui deixada de lado outra vez, por que não se assumem logo como sendo um casal?)

 

Coloque agora a música nas notas finais

 

O garoto loiro, vendo que Raven não faria nada antes dele, investiu ferozmente com espada e escudo armados.

Ele rapidamente desfere um corte vertical em direção a Raven, que deflete o golpe com sua espada. Aproveitando que a espada foi defletida, Raven lhe desfere um chute, que foi defendido com seu escudo. O loiro empurra seu escudo, fazendo com que Raven se desequilibre um pouco, e aproveitando-se disso lhe desfere um golpe com seu escudo, de cima para baixo.

 

Raven, para não ser acertada, apoia seus braços sobre o chão e se lança para trás, fazendo com que o golpe do garoto acertasse o chão. Ao recuperar o equilíbrio, Raven, que estava sem sua espada, corre em direção ao garoto, que já estava com suas espada e escudo armados novamente. Ao ver que Raven havia se aproximado o suficiente, tenta uma estocada com sua espada, mas Raven joga seu corpo ao chão, fazendo com que ele deslizasse. Raven, ao passar ao lado de sua espada, a agarra com força e tenta uma estocada no garoto, que com um pouco de dificuldades, o bloqueia com o escudo, mas acaba sendo arrastado alguns metros para trás.

 

Raven sem esperar muito, já se levanta e corre novamente em direção ao garoto, iniciando uma rápida troca de golpes entre os dois.

Nisso, Raven percebe que há uma abertura na guarda do garoto loiro, e lhe desfere um chute circular na altura de seu tórax. Mas o que ela não esperava, é que o garoto havia aberto sua guarda propositalmente, esperando que ela caísse em sua armadilha.

Ele bloqueia o golpe com a parte chata de sua espada, fazendo com que a garota se surpreendesse com isso. Ele então lhe desfere uma investida com seu escudo. Raven, vendo que seria acertada por tal golpe, antes mesmo de recuperar totalmente seu equilíbrio, grita “PULO DA SOMBRA LUNAR”

 

Nesse momento, uma grande quantidade de Karma na cor negra foi liberado. Agora, onde antes estava a garota que estava para ser acertada, tinha apenas uma grande quantidade de poeira no ar, e, atrás dessa enorme nuvem de poeira, era possível ver Raven, mas não apenas uma. Haviam cinco de si.

O rapaz loiro fica completamente enfurecido e, enquanto avançava novamente, ele diz “Caralho Raven! Você mesma havia dito que não era pra usar Karma, ai tu me vem e usa essa porra. Vai se foder, caralho”

Raven bloqueia seu ataque e o responde com um largo sorriso em seu rosto “Mas quando foi que eu disse que não podia se usar Karma? Eu apenas tinha dito que não era pra atacar o adversário com Karma” ao cair de suas palavras, um rubor nasce no rosto do garoto por alguns momentos, ele se afasta de Raven em um pulo. Logo ambos recuperam a compostura e continuam sua batalha.

 

Mas, desta vez foi diferente, pois agora quem avançou primeiro foi Raven com sua técnica “Pulo da sombra lunar”. Rapidamente, cinco de si investem em uma estocada em direção ao garoto loiro. Quando as cinco acertam seu alvo, juntas, ela tem uma surpresa, era apenas um clone! Um clone feito a partir de Karma de luz!

Logo, 4 das cinco Raven’s desaparecem, deixando apenas a original. Raven logo percebe algo se aproximando em alta velocidade atrás de si. Ela se vira com sua espada em sua frente para defender-se. E acaba se deparando com o elfo, que estava com alguns raios de luz saindo de seu corpo.

 

Raven então dá um pulo para trás, fazendo com que o loiro faça o mesmo. Eles ficam se encarando por alguns momentos. Mas em um milésimo de segundo ele percebe algo que o assusta profundamente.

Raven havia desaparecido

Até que o garoto elfo percebe algo se aproximando rapidamente por trás de si. Ele se vira rapidamente, armando seu escudo o mais rápido que conseguia em posição de defesa, para então perceber algo. Esse algo que vinha rapidamente se aproximando, era Raven.

Seus escudo e espada se chocam, criando uma grande ventania e um barulho estridente por ali. Eles ficam em uma disputa de força por algum tempo, se um deles vacilasse por menor que seja, poderia leva-los a uma derrota.

 

Raven solta um rugido de fúria e, por um milésimo de segundo, puxa sua espada, mas rapidamente desfere outro golpe na horizontal. Ela usou uma força tão grande, que foi o suficiente para fazer o elfo se desequilibrar, lhe dando assim uma brecha.

Ela desfere um chute, o mais rápido que conseguia, em direção a barriga do garoto. Por ter sido muito rápida, ela não conseguiu controlar sua força, por causa disso, o garoto que estava desequilibrado acaba sendo mandado alguns metros voando, e quando ele parou, cuspiu pequena quantidade de sangue.

 

“Ai meu deus, me desculpa, eu acabei te machucando sem querer” Raven vai correndo de encontro ao garoto, com medo de o ter machucado seriamente.

O garoto dá uma risada e então diz “Que nada lindona, eu estou de boa...mais ou menos. Só me deixa descansar um pouco. Vai treinar com o fosforo ali” terminou a frase com um tom sarcástico

Jasmine, que se mantinha quieta até o presente momento, começou a berrar “QUEM VOCÊ TÁ CHAMANDO DE BAIXINHA PEGANDO FOGO QUE MAIS PARECEU UM COMETA? SEU ORELHA DE PLANETA”

 

O garoto de Raven começaram a rir descontroladamente, coisa que deixou a pequena ruiva ainda mais irritada com tal situação, mas ela logo teve uma ideia e disse enquanto saia correndo dali “E então casal do ano, já deram aquela trepada de hoje ou fica pra mais tarde? A é, se por acaso o orelhudo ai não conseguir ‘jogar pra fora’ e minha amiga de cabelos escuros ai acabar tendo ‘filhotes’, quero ser a madrinha, ok?” Após terminar de dizer isso, Jasmine já estava longe, o que deixou a morena ainda mais irritada, e o loiro ficou com um olhar pensativo.

 

Raven estava exclamando xingamentos, um atrás do outro, até que ela percebe que o elfo estava um tanto quanto pensativo. Ela logo o questiona “O que foi? Também está irritado com o que aquela pequena vadia disse?”

Em resposta a isso, o loiro lhe dá um beijo cheio de desejo e paixão, como se ele precisasse disto, e naquele momento, realmente precisava. Ele acaba descendo sua mão esquerda e agarra com força a bunda da garota, que se assuta com aquilo.

“Você me perguntou o que foi. É simples, eu concordo com o que a ruivinha disse” Responde o loiro, que já havia colocado sua mão esquerda dentro do shorts que Raven usava, enquanto com sua mão direita, acariciava o seio direito da garota. Ele fazia isso enquanto lhe dava leves chupões no pescoço

Raven, já gemendo bastante, diz pausadamente “Como eu sei que...mesmo que eu dissesse que não deveríamos fazer isso agora...você ainda sim continuaria e eu só seria clichê...” Ela não conseguiu terminar por conta dos gemidos. Eles começaram a despir-se

 

                          Atrás de uma arvore ali perto

 

Jasmine observava aquela cena de olhos arregalados enquanto pensava (Porra, eu realmente fiz eles transarem...tomara q o broxa n engravide ela, senão isso seria problemático, mais pra ele que pra ela...acho melhor dar alguma privacidade pra eles...apesar de eles estarem fazendo isso em um campo aberto.)

Jasmine acendeu chamas em suas mãos, as usando como propulsores para voar para longe dali, e no menor tempo o possível.

 

 

                               Algumas horas mais tarde

 

Tanto o elfo loiro quanto Raven estavam deitados naquela grama, ofegantes pelo que havia acabado de ocorrer. Eles sentiam aquela brisa quente do verão esvoaçando seus cabelos, sem preocupação de serem vistos ou escutados por alguém que passasse por aquele lugar.

O loiro se senta, coisa que faz Raven se sentar também, e diz calmamente “Raven...eu te amo”

A garota arregalou seus olhos com as palavras ditas pelo loiro, ela jamais havia pensado que ele gostava de si. Lagrimas começaram a escorrer por seu rosto e ela rapidamente respondeu “Eu também te amo...eu também te amo, Hiro”.

Eles logo se beijam, era um beijo cheio de carinho e amor. Tudo estava bem, se não fosse por uma coisa. Hiro, neste momento, aplica um forte soco na barriga de Raven, a fazendo se curvar sem ar. O garoto cria uma flecha de luz e a crava no meio da testa da garota, a matando instantaneamente.

Por alguns momentos, o garoto começa a encarar o nada. Até que, a cor de seus olhos mudam de vermelho para amarelo, mas isso não dura muito, e novamente volta para o vermelho. E, nessa hora, Hiro encara o corpo de Raven, como se estivesse confuso com o que havia acontecido. Lagrimas logo começam a descer por seus olhos, eram cachoeiras de lagrimas. Ele ficava repetindo para si mesmo “POR QUE? POR QUE EU FIZ ISSO?”. Quando de repente, Raven começa a se levantar naturalmente, como se nada houvesse ocorrido ali.

 

Mas havia uma clara diferença ali. Seus olhos não estavam mais em uma cor arroxeada. Seus olhos agora eram dominados pela cor preta, como se não houvesse nada ali além da mais pura e negra escuridão.

Ela estava completamente inexpressiva. Quando, do nada, um sorriso sádico brota no rosto da garota, isso faz Hiro ter calafrios. Mas ele nem teve tempo para fazer algo, pois Raven cravou sua mão onde ficava o coração do garoto, ela começa a pronunciar as palavras

“Ex eo tempore tuus pertinet ad animam meam et fiet unum, remotionem”

 

Após dizer estas palavras, Raven retirou sua mão lentamente de dentro do peito do garoto, jorrando sangue por todo seu corpo, sujando-a toda.

Dentro de sua mão havia uma pequena e branca esfera. Essa esfera emanava uma quantidade enorme de Karma do atributo luz. Aquilo era a alma do garoto.

 

Raven colocou a pequena esfera em sua boca e a engoliu. Após isso, ela abaixou-se e encarou o cadáver de Hiro. Ela coloca sua mão em seu rosto e o beija.

Após se separar ela diz com uma voz satisfeita “Nós agora somos um só, meu amor”.

Após dizer estas palavras, Raven carrega o cadáver de Hiro e o joga em um rio, fazendo ele ser levado em direção a cidade de Zernon.

 

                                    No outro dia de manhã

 

Raven havia acabado de ser acordada pelos raios de sol que batiam em seu rosto. Ela estava no meio de uma floresta, ainda nua, e sozinha, sem qualquer traço de vida ali por perto.

“Onde é que eu estou? Como eu vim parar aqui? Só me lembro de ter beijado o Hiro e....” Nessa hora, como um baque, a imagem de Hiro tendo seu peitoral sendo perfurado por si veio a sua cabeça “Não, só pode ser um sonho. Isso! É apenas um daqueles sonhos ruins”.

 

Raven tirou um conjunto de roupas de seu bolso dimensional e vestiu-se rapidamente. Após se vestir, ela correu em direção a cidade, com uma velocidade que nem mesmo ela sabia que tinha. Durante este tempo, ela sentiu uma estranha, porém familiar presença, mas o que lhe incomodava, era que isso vinha de dentro de si. Ela sentiu como se pudesse fazer coisas que antes ela não podia.

Mas ela não teve muito tempo para ficar pensando nisso, pois ao chegar na cidade, ela havia visto um aglomerado enorme de pessoas na praça central. Nessa hora, ela já estava sentindo um forte pressentimento ruim ao ver a quantidade de pessoas que ali havia.

Mas ao se aproximar ela vê algo que jamais sairia de sua cabeça. Lá estava Hiro, com seus familiares, que eram os rei e rainha do reino de Cronus, amigos e moradores da cidade. Jasmine que estava perto de onde Raven havia chego, logo ia para amparar a amiga. Mas antes de falar qualquer coisa, Raven desmaia. Ela não aguentou ver o corpo de Hiro deitado ali, com aquele buraco em seu peito.

“Raven” Jasmine corre e pega a amiga, mas fica com uma pergunta em sua cabeça (O que caralhos aconteceu ali?).

 

Algum tempo depois, quando Raven havia despertado, ela não se lembrava de nada, e chorou por dias e noites. Não conseguindo dormir ou comer.


Notas Finais


MUSICA:https://www.youtube.com/watch?v=TQUsnto_3pw&t=112s
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

FIC DO MAT:https://spiritfanfics.com/historia/soul-hunters-10878538

Será q eu trollei alguém achando q teria hentai?KKKKKKKK seria bem engraçado isso, mas enfim. Me digam oq acharam e oq posso melhorar.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...