História Era muito estranha toda essa coisa de sentir - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O
Tags Baeksoo, Belyka, Chanbaek, Chanbaeksoo, Chansoo, Powergirls!au
Visualizações 173
Palavras 1.280
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: FemmeSlash, Fluffy, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, gente ♡
Eu tô um caco ultimamente pra escrever, mas ontem, por algum milagre, consegui terminar essa ficzinha pros meus amores. O “powergirls!au” é o au criado por mim, pela Becca (Byun_Re) e pela Milka (chanlie), e ele é basicamente o “nosso” universo ♡. Nesse au, a Baekhyun é a Milka, a Kyungsoo é a Becca e eu sou a Chanyeol. Assim, cada fic que formos postar na tag (#powergirls!au) a narrativa vai ser de acordo com quem cada uma é no au.

Essas notinhas são só pra explicar pra vocês do que se trata a fic e o au, e o que eu quero dizer pra elas já é a fic toda rs.
Obs.: a Milka tá postando a fic pra mim porque a minha net tá uma bost*, obrigada miga ♡

— chanlie: eu não ia dizer nada, mas como tu demorou uma vida para me mandar as coisas pra postar eu acabei lendo tudo e tô chorando de soluçar, vagabunda ): te odeio, bintira tchiamo (espirro)


Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Capítulo Único


Ao contrário da maioria das pessoas que ficam irritadas quando precisam arrumar sua bagunça, Chanyeol era toda risinhos e cabelos balançando enquanto dançava pelo apartamento ao som do último álbum daquele grupo que ela gostava tanto. 

Ela não via motivos para estar de mau humor, sabe? Mesmo que a tarde estivesse ótima para um passeio e ela estivesse ali trancada colocando roupa para lavar e varrendo, a altona ficava feliz só por ver o sol brilhando lá fora e por sentir aquele cheirinho de café impregnando todos os cômodos. 

Chanyeol tinha essa mania de andar com uma xícara de café bem forte para lá e para cá ao mesmo tempo em que colocava no lugar peças perdidas de roupas — Baekhyun e seu hábito de sair tirando a roupa pela casa quando chegava cansada. 

Havia chegado mais cedo da faculdade e até poderia ter saído para aproveitar o dia ou para se enfiar na sua cama e dormir. No entanto, quase no mesmo instante em que pôs os pés no apartamento, lembrou que era sexta-feira e que aquele era o dia em que sempre faziam algum programa entre elas para relaxar da semana exaustiva e lotada de responsabilidades — as baladinhas ficavam para o sábado. 

A Park simplesmente adorava ver as duas garotas que tanto amava chegando e dando aqueles sorrisinhos aliviados e gratos, então elas lhe encheriam de beijinhos e cosquinhas e iriam tomar banho. Kyungsoo faria algo gostoso para comerem e ela e Baekhyun dariam conta da louça, depois as três se ajeitariam na sala para uma sessão de filmes ou uma nova maratona de alguma série.

E, enquanto Baekhyun fazia carinho em seu cabelo e Kyungsoo brincava com seus dedos, Chanyeol sentiria que não havia nada que não pudesse fazer ou enfrentar se tivesse as duas ao seu lado. 

Parando para pensar, era estranha toda essa coisa de sentir, né? Chanyeol queria conhecer o mundo e, de alguma forma, quem fazia o seu mundo melhor eram aquelas duas garotas com quem dividia o apartamento e o coração. 

Kyungsoo a acordava quase aos chutes de manhã cedo, e também era ela que se preocupava de ter o café pronto para assim que a maior chegasse na cozinha, toda descabelada e manhosa. Baekhyun viria logo atrás, atirando-se na mesa de modo dramático e resmungando sobre o quanto queria que o seu trabalho explodisse só para não precisar ir. 

Aí a Do iria se escorar no balcão com aquele sorrisinho amoroso nos lábios e diria para as duas pararem de reclamar, em seguida não hesitaria antes de prometer fazer algo bem delicioso para o jantar.

 Chanyeol não podia evitar pensar em como era sortuda ao mesmo tempo em que ia arrumar os quartos, constantemente se pegava perguntando a si mesma o que havia feito de tão bom assim para merecer aquelas duas na sua vida. Considerava-se uma chata emotiva e sensível ao extremo, que só sabia reclamar do frio e dizer que precisava de café, e que amava debater sobre qualquer tipo de assunto, embora não pudesse conter as lágrimas quando chegava a vez de falar sobre as coisas ruins que haviam por aí.

Ela jamais conseguiria entender por que as pessoas destilavam tanto ódio. 

Porque enquanto as pessoas nutriam raiva, Chanyeol regava e cuidava do amor que havia dentro de si, para que ele fosse capaz de florescer e fazer bem àqueles a sua volta. Para que fosse capaz de ser uma pessoa cada vez melhor por si mesma, Baekhyun e Kyungsoo, por quem precisasse.

Amava aquelas duas garotas de um jeito que nunca achou ser possível, porque tudo o que havia passado antes de tê-las em sua vida fazia sentido se parasse para pensar que o destino estava a encaminhando para encontrá-las; todos erros e acertos, as curvas que a fizeram mudar de rumo ou permanecer onde estava. As decepções e os aprendizados serviram para que, quando o momento chegara, soubesse exatamente como lidar com aquele amontoado de sensações incríveis que podiam atordoar facilmente.

Há pessoas que passam a vida toda tentando entender o amor, tentando rotular o que sentem e o porquê de sentirem. Mas Chanyeol havia parado de fazer isso quando percebeu que era impossível delimitar um sentimento tão incrível que fluía entre cada pessoa de um jeito diferente e único. 

Porque sentir não se encaixa nem um pouquinho com rótulos ou regras. 

 

(...) 

 

— Soo! — Baek exclamou quando as duas já haviam saído do banho e Yeol fuçava uns filmes. — Acho que Chan está doente. 

Chanyeol desviou os olhos do notebook, franzindo o cenho para a menor e indagando com o olhar o que ela queria dizer com aquilo. Chanyeol doente? No verão? Baekhyun estava ficando louca? 

Kyungsoo revirou os olhos, já adivinhando o que a mais velha diria. 

— Hm. 

— Ela limpou todo o apê, até o banheiro! — falou dramaticamente. 

A Park atirou uma almofada em Baek, que desviou do objeto enquanto ria.

— Devia era ter limpado o banheiro com a sua língua. 

— Melhor não, Chan. — Kyungsoo sentou ao lado da mais alta no sofá, sorrindo. — Acho que nenhuma de nós se interessa em beijos com gosto de desinfetante. 

— Pois eu não me interesso nos beijos dela quando está tirando com a minha cara assim. 

Baek arqueou as sobrancelhas, as mãos na cintura e aquele sorrisinho de canto. Apenas observou enquanto Yeol se achegava toda cheia de dengo para cima de Kyungsoo e era recebida de braços abertos — e pernas também de vez em quando. Depois, Baekhyun caminhou devagar até o sofá espaçoso, acomodando-se do outro lado de Chanyeol, que estava de costas para si. 

— Ah, Chan, não fica de mal da sua Baek, hm? — falou baixinho, bem pertinho da orelha. 

— Eu nem devia ter limpado seu quarto. — mostrou a língua para a menor que apenas riu. 

— Você sabe que eu estava brincando, né? 

O bico que não saía dos lábios da mais alta fez Baek atacá-la de súbito, abraçando-a apertado e enchendo-a de cócegas até que a risada alta estivesse ecoando pelo apartamento e as duas já estivessem atiradas no chão. Ambas caíram lado a lado no tapete, cansadas, e depois encararam Kyungsoo, que as olhava com um sorrisinho. 

Chanyeol encarou ambas, olhando de uma para outra; Baekhyun vermelha pelas risadas e pela briguinha, e Kyungsoo as mirando daquele jeitinho amoroso que lhe amolecia o coração todinho. Às vezes, quando achava que não podia amá-las mais, ficava surpresa com cada nova enchente de sentimentos bons que brotavam em seu peito. 

Bastava um olhar, um sorriso, uma mensagem, uma piadinha compartilhada, um favorzinho feito sem pedir, um cuidado a mais quando sentiam que a outra precisava; aqueles gestos simples e comuns que diziam nas entrelinhas o quanto se importavam uma com a outra, o quanto apoiavam-se, respeitavam-se e amavam-se mutuamente. 

Mesmo quando discordavam, sempre acabavam dando um jeitinho de entender todos os lados e ficavam bem com isso. Afinal, era uma das coisas que fazia aquela relação tão especial; a forma como conseguiam ser muito parecidas e ainda assim diferentes, transbordando-se naquela avalanche de estilos, gostos e opiniões variadas. Mas que nunca interferiu em nada do que construíram juntas.

Era uma comédia até mesmo quando se provocavam sobre as outras crushes que possuíam, ocasionando uma série de risadas e bochechas vermelhas que demoravam para passar. E ainda podia se esperar um punhado de conselhos estranhos e piadinhas constrangedoras de brinde, nada era absolutamente normal quando se tratava das três juntas. 

Tampouco queriam saber do que era considerado normal, eram felizes daquela forma. 

E se havia uma coisa na qual Chanyeol acreditava fielmente, com certeza era em Kyungsoo e Baekhyun. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, até ♡

https://twitter.com/nnitch_


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...