História Era Uma Vez A Morte - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Visualizações 27
Palavras 490
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Harem, Lemon, Mistério, Musical (Songfic), Poesias, Romance e Novela, Shonen-Ai, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


(Capítulo Reescrito)


Oer, eu comecei a fic do nada e posso sumir do nada tbm e é issae, amém Meanie LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!!!

Boa Leitura!¡ sorry os erros;

Capítulo 1 - Prólogo


Kim Mingyu sempre amou a vida, amava ter seus melhores amigos por perto, amava sua família mesmo que não passassem tanto tempo juntos, amava a escola onde estudava e a lanchonete onde trabalhava.

Mas da mesma forma que amava a vida, odiava a morte, odiava o fim, odiava saber que ficaria sozinho em algum momento de sua vida e naquele dia, depois de ter sentido um mal estar grande e ser – forçadamente – levado por JeongHan e Jisoo, seus melhores amigos, para o hospital e ter feito dezenas de exames odiou ainda mais à morte.

— Senhor Kim, Senhora Kim – disse referindo-se a mãe de Mingyu e a ele próprio já que o pai do garoto havia desaparecido quando se divorciara de sua mãe.

— Sim? – perguntou a mulher que a segundos atrás ria da versão engraçada que seu filho lhe contava de como havia ido parar naquela cama de hospital.

— Tenho uma notícia séria para dar a vocês, peço que tentem manter a calma. – começou o médico e até então o Kim mantinha um sorriso nos lábios. – Mingyu foi diagnosticado com um tumor benigno no cérebro e ifelizmente não há como operar a região.

O silêncio se fez presente no cômodo esbranquiçado até que o menor começou a falar.

— M-mas se é benigno não irá me fazer mal… Não é? – perguntou.

— Tecnicamente falando, sim, não deveria afetar sua saúde, mas o tumor está crescendo lentamente e em breve ele começará a ocupar espaço – fez uma pausa –, isso afetará áreas do cérebro e terá consequências graves.

— Como o que? – perguntou a mãe já preocupada com a saúde do filho.

— Áreas como as que mexem com o humor, a personalidade,  a coordenação motora, entre outras, serão afetadas pelo tumor e tendem a se desestabilizar… Sinto informar que esta não é a pior notícia.

— E-e… Qual é? – Mingyu pediu diversas vezes para que aquilo não fosse o que pensava que era.

— Os exames ainda não estão prontos, nas próximas 2 semanas você terá de retornar ao hospital para fazer alguns exames, bem como, tomografia, ressonância, exames de sangue, etc., para podermos descobrir qual a velocidade de crescimento do tumor e como ele está afetando e afetará seu cérebro e crânio. Mas por ora, sabemos que ele vai se expandir até… – pausou um pouco antes de terminar – leva-lo a óbito.

O médico entregou alguns exames para a mãe de Mingyu e então perguntou sobre o que eles queriam saber.

— N-não há nenhuma forma de tratar isso? – a Kim perguntou já com lágrimas nos olhos.

— Infelizmente não. Não podemos fazer nada além de esperar pelo pior. – falou sem encarar a mulher.

Naquela hora Mingyu sequer prestava atenção no que os dois adultos presentes no quarto falavam. Sua mente focava no que era óbvio, ele iria morrer e talvez pudesse ser daqui um ano ou uma semana.

Está certo de que todos morrem um dia, mas o Kim não queria aceitar aquilo, não quando tudo em sua vida estava dando tão certo.


Notas Finais


Foi isso, já to planejando o próximo cap., to bem empolgado pra essa fic de vdd hshshs bom, enfim, o que acharam? Gostaram? Odiaram? Me digam nos comentários!

Até o próximo cap., bye!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...