1. Spirit Fanfics >
  2. Era uma vez (Nosh) >
  3. Capítulo 16 - Irmão perverso - 3 Temporada

História Era uma vez (Nosh) - Capítulo 49


Escrita por:


Notas do Autor


Oie😍
Tudo bem? Rsrs
Jacob na capa do capítulo😎

Capítulo 49 - Capítulo 16 - Irmão perverso - 3 Temporada


Fanfic / Fanfiction Era uma vez (Nosh) - Capítulo 49 - Capítulo 16 - Irmão perverso - 3 Temporada

Muitas vezes em nossa vida, especialmente quando somos adolescentes, é comum querer ir embora da casa dos seus pais, ter uma certa "independência". Mas a maioria quando finalmente sai de casa com o passar do tempo vai sentindo saudades daquele lar, de onde cresceu, dos colegas com quem brincava na infância. Isso acontece com boa parte da humanidade.

Ainda naquela noite, Mayson e Noah foram materializados próximo ao poço. O efeito "mágico" ali presente era surpreendente. O céu era cortado por raios de norte a sul, de leste a oeste. Sempre aquela mesma sensação de que algo incomum estava acontecendo. E realmente estava!

Noah foi o primeiro a acordar sentindo o cheiro da grama fresca do jardim que ele conhecia bem, e como conhecia. Estava tudo exatamente como ele viu antes de "partir".

- Tio. - Tratou de chamar seu tio que permanecia desacordado.

- Noah. - Acordou. - Ai. 

- É comum essa dor de cabeça? - O garoto perguntou.

- Deve ser. - Levantou do chão. - Chegamos.

Mayson olhou em volta avistando o imenso jardim.

- Precisamos entrar. Está muito frio aqui fora. - Noah disse.

Os dois seguiram para a entrada do Castelo, imediatamente os guardas abriram a porta principal dando passagem a eles.

De longe, no grande salão real, Marco e Wendy puderam avistar o jovem príncipe. Noah estava radiante, um belo sorriso era sua marca registrada.

- Não acredito. - A rainha Wendy correu ao encontro do filho.

- Noah. - Marco fez o mesmo.

Depois de meses sem notícias do filho amado, aquele abraço era mais do que merecido. Eles aproveitaram cada segundo.

A rainha já estava emocionada e não conseguia conter as lágrimas. O rei também não podia evitar a emoção. Era impossível.

- Noah, meu irmão. - Jacob o abraçou. Um abraço forte ! - Estou tão feliz que você está de volta. - Mentiu em voz alta.

- Estava com tanta saudades de você, meu querido irmão. - Noah o adorava.

Lamar também deu as boas-vindas ao primo.

- Estou tão feliz por estar de volta. É tão bom poder rever todos. - Afirmou o Noah que não saía do lado de sua mãe.

- Quero que conheça minha esposa Isabella. - Jacob os apresentou.

- Princesa. - Noah a reverenciou. - É um prazer.

- Encantada em finalmente conhecer o meu cunhado. Só ouvi boas historias sobre você.

Todos tinham muito o que falar. Certamente ninguém dormiria àquela noite. E não dormiram mesmo.

(...)

O sol estava quase raiando quando Noah bocejou cansado de sono. Ninguém dormiu.

- Vamos te levar até o seu quarto. Está exatamente como você deixou. - Disse sua mãe.

- Nunca perdemos a esperança de reencontrar você. - O rei pôs seu braço ao redor do pescoço do filho.

E juntos caminharam até os aposentos do príncipe, entre sorrisos e conversas.

- Pedi que os criados tirassem toda poeira que ficou. Não se preocupe! - A mulher abraçou o seu amado filho novamente. 

A noite estava repleta de abraços.

- O sol está raiando mas precisamos descansar. - O rei olhou para o garoto que assentiu.

Noah realmente estava exausto. Foram tantas emoções numa só noite, ele precisava repor as energias.

(...)

Lamar e Savannah dormiram ainda na madrugada e por isso já estavam de pé logo cedo.

- Bom dia. - Lamar a abraçou por trás dando-lhe um beijo no pescoço.

- Bom dia, meu amor. - Ela sorriu.

- Muito ocupada?

- Só tenho que terminar de servir o desjejum.

- Savannah, assim que o rei estiver livre conversarei com ele e vou declarar você como minha noiva. - Os olhos do rapaz brilhavam.

- É tudo que eu mais quero: me casar com você. - Ela o abraçou.

- Logo você não será mais uma simples criada, será da família. - Lamar a beijou.

- Vamos ser muito felizes. - Savannah o olhou e resolveu perguntar sobre Fiona. - E sua mãe? O que acha que vai acontecer?

- Sinceramente, o crime que ela cometeu foi tão grave que a lei de GoldGreen diz que ela deve ser enforcada mas meu tio jamais faria isso. Ele irá mantê-la presa na masmorra sem chance de redenção.

- Parece duro demais.

- Ela matou meu pai. Impediu que ele me criasse, impediuno contato que teríamos. - Afirmou Lamar.

- Sim, isso é horrível. Parece que Fiona vive de destruir vidas.

- Como assim?

- Me refiro a tudo isso, a forma como ela tentou matar o Noah jogando-o naquele poço. - Mentiu.

- Minha mãe perdeu o direito ao perdão quando tentou contra sua própria família.

Dizer aquilo entristecia o coração do jovem Lamar, era bastante doloroso descobrir tais coisas terríveis sobre sua própria mãe.

(...)

Era quase meio dia quando o Rei foi incomodado por Jacob na biblioteca do Castelo. Ele estava a olhar as prateleiras amarrotadas de livros.

- Filho, o que deseja? - Perguntou ao avistar o filho se aproximando.

- Ainda quero saber quando faremos a coroação. O reino precisa saudar o seu novo rei.

- Ontem te pedi que tivesse paciência. Estamos todos comemorando o retorno do seu irmão. Qualquer coisa pode esperar.

- Eu sei mas...

- Basta. Não me incomode com isto outra vez, me entendeu? - Marco falou com sua voz firme.

- Sim, pai. Com licença!

Jacob saiu dali espumando.

- Jacob. - Savannah o encontrou no corredor e o seguiu.

O príncipe foi até o salão de festas que é sempre vago, ninguém passa por lá. Savannah o seguiu.

- O que houve?

- O que você acha? Meu pai está cheio de desculpas para não me coroar. Não posso aceitar isso.

- Jacob você casou e ele já te nomeou. A coroação é só um detalhe, você será o novo rei de GoldGreen.

- Não vou sossegar até estar com aquela coroa na cabeça. Você não entende, não cresceu na sombra do Noah, não sabe como ele sempre foi o favorito.

- Relaxa e fique calmo. Noah não vai te roubar a coroa. - Ela tentou acalmá-lo.

- Nunca vou deixar isso acontecer. Nunca.

- Você odeia mesmo seu irmão tanto assim? - Savannah perguntou.

- Não é nada pessoal.

- O Noah é uma ótima pessoa, quando cheguei aqui ele logo se tornou meu amigo, não me tratava como uma simples criada. Só me arrependo de não ter dito a ele antes que eu era da família. E hoje sei que fiz o certo porque se todos souberem jamais poderei me casar com o Lamar.

- Ele quer casar com você?

- Com toda certeza. Hoje mesmo ele reforçou o pedido e disse que logo eu já não seria mais uma criada qualquer.

- Bom pra você.

- Preciso que me ajude a calar a Fiona. Agora que ela está na masmorra condenada não tem mais nada a perder, ela pode abrir a boca e revelar toda verdade ao Lamar. Isso não pode acontecer.

- Savannah, tenho preocupações maiores nesse momento. Cuide de sua mãe você mesma.

Jacob a deixou ali e saiu do salão.

(...)

Durante a tarde o rei organizou uma pequena recepção com seu povo, anunciou que o príncipe Noah havia retornado com saúde, que o reino podia contar também com Mayson seu irmão mais novo. Todo o povo de GoldGreen aplaudiu às bos novas. A multidão vibrou com as boas noticias.

Noah estava ao lado do irmão saudando toda aquela multidão abaixo daquela enorme varanda. Eles ficaram ali por um tempo, contemplando seu povo.

- Não vejo a hora de assumir o trono e poder cuidar dessas pessoas. - Jacob sussurrou para Noah.

- Estou feliz por você, irmão. Será um bom rei.

- Certamente. - O fitou com ira.

Aquilo durou mais de uma hora, todos celebravam nos bares do vilarejo e também no Castelo. Era festa para todos os lados. Todos os criados se curvavam para Noah com um sorriso dando-lhe boas vindas.

Ao cair da noite, Noah foi ao encontro do seu primo Lamar. Eles ainda não tiveram uma oportunidade de conversar sobre Fiona.

- Primo. - Noah bateu na porta dos aposentos de Lamar.

- Entre.

- Soube que pretende se casar. - O príncipe entrou no local.

- Sim, pretendo. Ela é a garota mais incrível que já conheci. Eu a amo, ela me ama, é perfeito. - Se derreteu ao falar de Savannah.

- É maravilhoso. Fico muito feliz por você. - Sentou numa cadeira à direita do quarto. - Na verdade vim aqui saber como está seu coração em relação a tia Fiona.

Lamar olhou para o chão por alguns segundos.

- Não é fácil descobrir que sua mãe foi capaz de matar e mentir durante anos.

- Quero que saiba que se precisar conversar estou aqui.

- Eu sei disso. Obrigado por tudo, primo. Você sempre foi um bom amigo.

- Senti saudades de todos, inclusive das nossas conversas e nossos momentos de diversão. - Noah sorriu ao lembrar.

- Como era lá, no outro mundo? - Lamar ficou curioso. Era uma forma de distrair seus pensamentos que estavam voltados para sua mãe.

- Diferente de tudo que já vi aqui em GoldGreen. As pessoas, as casas, tudo. Eles não são nada educados e nem fazem questão disso. Josh disse esses costumes ficaram para trás.

- Quem é Josh?

- Um garoto que conheci lá. Ele me achou desacordado nas ruas e me levou para sua casa, cuidou de mim, entendeu tudo que estava acontecendo e acabou me explicando do que se tratava.

- Deve ter sido difícil pra ele. Até aqui em GoldGreen tudo que aconteceu parece impossível.

- Sim, de fato é impossível. Mas Josh nunca duvidou de mim. Ele foi muito importante enquanto estive lá.

- Ainda bem que não ficou só, no frio. Ao menos tinha um amigo para conversar.

- Sim. - A cada vez que tocava no nome do Josh os olhos do príncipe brilhavam.

- Depois que você se foi meu tio acabou nomeando Jacob como futuro rei.

- Isso não me cheteia. Muito pelo contrário, acho que Jacob será um bom rei.

- Ele está diferente.

- Jacob?

- Sim. Ele sempre foi um pouco esquentado mas agora parece que tem algo de errado com ele.

- Como assim? - Noah tentava entender.

- Não sei explicar. Não quero te preocupar mas algo nele me deixa inquieto. Suas atitudes comigo mudaram de uma forma surpreendente. Outro dia ele me disse para não me meter na vida dele quando eu só quis ajudar.

- Estranho. Jacob nunca foi assim. - Disse o príncipe.

- Exato. Bem, preciso ir encontrar a Savannah, vou m adiantar e fazer uma surpresa.

- Tudo bem. Se divirtam!

Lamar foi ao encontro da namorada mais cedo que o combinado. Ele a aguardava na cozinha mas ela não apareceu. Ele esperou e nada dela aparecer.

- Ei, onde está a Savannah? - Ele questionou uma criada que a ajudava.

- Acabei de passar por ela no corredor dos fundos, acho que ela ia em direção a lixeira mas suas mãos estavam vazias.

- Obrigado. - Ele disse a garota.

Os criados jogavam o lixo do Castelo numa enorme caixa de madeira que fica nos fundos da cozinha passando pelo corredor dos empregados, esse mesmo corredor dá acesso a masmorra.

- Ei, você. Viu a Savannah?

Lamar percebeu que Savannah não estava no local que os criados jogavam o lixo e avistou um guarda passando.

- Ela desceu o corredor indo em direção a masmorra, senhor. - Disse o homem.

Lamar apressou os passos indo para o final do corredor. Chegando lá ele ouviu vozes. Fiona ficava presa na primeira cela, não a puseram com os outros detentos. Por isso era possível ouvir qualquer barulho vindo de lá.

Ao se aproximar da porta que dava acesso as celas iniciais, ele ouviu a voz de Savannah e Fiona.

- Se não me ajudar a fugir, Lamar saberá toda verdade. Contarei que você é minha filha e que vocês são irmãos. - Ele escutou Fiona ameaçando a namorada.


Notas Finais


Lamar descobriu toda verdade😵


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...