História Érase una vez - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Lexa
Tags Clarke, Clexa, Lexa, Linctavia, The 100
Visualizações 182
Palavras 2.968
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Bailando


Alexandria acorda e sente uma pontada nas costas, faz uma nota mental de nunca mais dormir no chão da sala com a loira por cima de si. Loira essa que ela não encontra ao acordar. Lexa se levanta e olha em direção à cozinha, encontra Clarke sentada num canto com um livro em uma mão e a caixinha de som.

-O que está fazendo? - ela diz se aproximando.

-Já que você não quer me dizer a letra, eu vou procurar sozinha. - ela diz sem encarar a morena - Bellamy me deu esse dicionário quando nos conhecemos.

-"Te busquei em um milhão de auroras e por nenhuma me apaixono. E no final quando te encontrei estava sozinha." - a loira pela primeira vez naquela encara Lexa - Você tem que sentir a música. Saber sobre o que se trata mesmo não sabendo a letra, esse é o diferencial da música latina, você não precisa saber a letra pra saber do que se trata.

Lexa se abaixa e pega o rádio, oferece a mão para Clarke que aceita e se levanta do chão. A mais velha tira o pendrive da caixa de som e substitui por um em seu bolso. Uma animada música começa a tocar e ela encara a loira que sorri reconhecendo a batida.

-Sente a música, loira.

Ricky Martin começa às primeiras frases da música e Lexa se afasta fazendo alguns passos de dança, Clarke observa incapaz de parar de sorrir com a animação da morena. Os olhos verdes brilhando, o corpo em perfeito ritmo com a música e os fios castanhos se movendo como se também fizessem parte da coreografia.

Te besa y te desnuda con su baile demencial,

Tu cierras los ojitos y te dejas arrastrar,

Tu te dejas arrastrar

O refrão começa e Lexa sem aviso puxa o braço da loira, a fazendo dançar no ritmo, os pés desajeitados de Clarke tentam acompanhar os da morena sem sucesso, Lexa ignora a falta de jeito da loira e a mantém perto de seu corpo, conduzindo a dança. Clarke não para de rir e Lexa a acompanha com o seu mais belo sorriso, aquele que ela sempre tinha no rosto quando dançava com Octávia quando pequenas.

Ella que será

She's livin' la vida loca.

Y te tolera,

Si de verdad te toca.

Ella es tu final,

Vive la vida loca

Ella te dirá

Vive la vida loca

Vive la vida loca

She's livin la vida loca.

A última frase da música é cantada e Clarke se apoia nos ombros da morena para não cair, depois de todas aquelas rodadas durante a dança ela se perguntava como Lexa continuava de pé e com a respiração aparentemente normal.

-Você é um desastre. - a morena diz entre risos.

-Mas você é uma ótima condutora. - Clarke diz com a respiração pesada.

-Eu sei. - elas se encaram durante algum tempo e Lexa se afasta quando percebe o clima ficando estranho - Quanto tempo será que levam para ligar a luz? - ela muda de assunto e estrala os dedos. Clarke repara aquela ação.

-Está nervosa? - ela pergunta ignorando a pergunta anterior e Lexa franze a testa - Bellamy fazia exatamente isso quando estava nervoso.

-Vou tomar um banho.

Lexa se afasta apressada para o banheiro enquanto Clarke volta a se sentar no chão da cozinha. Ela não sabia muito bem o que estava deixando a morena nervosa e não se sentia no direito de perguntar já que elas mal se conheciam. Então ela só espera a morena sair do banho e quando isso acontece Lexa parece mais calma. Ela aboto sua camisa social azul e Clarke se aproxima para ajudar, ela adorava abotoar aquelas camisas, sempre o fazia com Bellamy. A morena estranha aquela interação de Clarke, mas não reclama, apenas espera a loira abotoar todos os botões e arrumar sua gola.

-Preciso ir na empresa. - Lexa diz calçando os sapatos - É rápido, não vou demorar, só preciso assinar alguns papéis.

-Eu vou com você. - a loira diz arrumando seu cabelo num rabo de cavalo - Não vou ficar aqui sozinha… de novo.

Lexa só concorda e termina de calçar os sapatos e colocar os óculos escuros. Elas entram no carro e a morena dirige até a grande empresa que tem o enorme nome "Blake" na frente. Clarke acompanha a morena para fora do carro e para dentro do prédio. Os funcionários as cumprimentam com "Bom dia, meus pêsames" e as duas agradecem mesmo não estando tão agradecidas assim por serem lembradas que perderam alguém.

Assim que Raven vê sua chefe se aproximar se levanta de sua cadeira e a cumprimenta feliz por finalmente ver a mulher depois de vários dias longe da empresa. Ela informa sobre todos os telefonemas de outras empresas e de jornalistas pedindo entrevistas para saber como a família estava lidando com a perda. Lexa revira os olhos e se lembra de como foi exatamente assim quando seu pai morreu, ela e os dois irmãos dormiam e acordavam com repórteres perguntando o que fariam com as ações que herdaram do pai. Clarke que está totalmente alheia à conversa por conta do idioma, resolve fazer uma pergunta a Lexa.

-Ela é a secretária que morou na Noruega? - a loira pergunta e Raven para de falar. Lexa sorri e afirma com a cabeça.

-Raven, essa é Clarke Griffin, ex noiva de Bellamy. Clarke, essa é Raven Reyes, minha secretária.

As duas se cumprimentam e Clarke fica vermelha ao perceber que a garota em sua frente fala seu idioma.

-É que Lexa disse que aprendeu algumas frases em norueguês com você. - ela tenta se explicar e Raven sorri ao saber que a chefe cita em ela em momentos casuais - Eu até me lembro, é… Jeg liker å kysse kvinner.

Lexa segura uma risada e Raven levanta as sobrancelhas.

-Tenho certeza que ela lhe disse o significado da frase. - a secretária diz já conhecendo a chefe.

-Claro, significa que eu gosto de chocolate.

Dessa vez Lexa não consegue segurar a risada e pede desculpas quando Clarke a encara com as sobrancelhas franzidas.

-É exatamente o que significa. - Raven diz sorrindo sabendo que não é bem assim - Os papéis estão na sua mesa, Lexa.

-Obrigada, Raven.

A morena diz e vai até sua sala e Clarke a segue. Enquanto Lexa lê algumas linhas e assina os papéis, a loira anda pela sala observando cada prateleira e os objetos nelas.

-Nunca conheci alguém que deixasse sua coleção de Funkos no escritório. - ela diz ganhando a atenção de Lexa.

-Isso é só parte dela. - a morena diz sorrindo e volta a se atentar nos papéis.

Clarke chega na parte dos livros, vários que ela reconhecia pela capa, outros que ela não fazia ideia do que se tratava e ao menos conseguia ler o nome do autor. Passou analisando vários livros, até que um lhe chamou atenção.

-Elizabeth Bishop? - ela diz se virando para Lexa que sorri.

-Gosta de poesia?

-Adoro. - a loira diz folheando o livro que para sua sorte estava escrito em inglês.

-Pode ficar com ele.

-Sério? - Clarke diz incrédula.

-Sério. Eu nunca li, na verdade. - ela se aproxima da loira e cruza os braços - Uma ex namorada me deu, ela colocou o livro na minha mesa e disse as seguintes palavras: Sabe o que eu e Elizabeth Bishop temos em comum além de adorar poesia? O amor por mulheres latinas.

-Que droga. - a loira diz rindo alto - E o que você fez?

-Transei com ela na minha mesa. - Clarke arquea as sobrancelhas surpresa - Desculpa, eu não deveria ter falado isso.

-Realmente não deveria. Agora eu estou imaginando. - a loira diz fechando os olhos.

-Que droga. - Lexa diz sorrindo.

-É, que droga. - ela sorri de si mesma e encara a morena - Mas eu ainda vou ficar com o livro.

Lexa arquea os braços em sinal de rendição e segue a loira para fora da sala. As duas se despedem de Raven e voltam para o carro.

-Que tal irmos para algum lugar? - Lexa diz quando param no sinal vermelho - O que gosta de fazer?

-Ahn… dormir?

-Quê? - a loira dá de ombros - Okay, então o que gosta de comer?

-Batata frita e hambúrguer?

-Eu não vou deixar você vir a Porto Rico e comer batata frita e hambúrguer. - Lexa diz voltando a dirigir quando o sinal fica verde.

A morena dirige até um lugar que ja conhece a bastante tempo e faz os pedidos, Clarke fica apreensiva já que a outra sequer conhece seu paladar. A estrutura do lugar é feita de madeira rústica, assim como as cadeiras e mesas. Não tem paredes, apenas uma cobertura que impede que o sol castigue os clientes. Enquanto a comida não chega, as duas conversam sobre as primeiras impressões da loira sobre Porto Rico, o que não são tão boas já que seu noivo morreu assim que chegou. Como se ensaiado, o garçom chegou assim que o clima ficou pesado. Trouxe alguns pratos e vinho, que Lexa dispensa por estar dirigindo.

-Gracias. - Clarke agradece ao garçom.

-Quase uma porto riquenha. - a morena diz com uma das sobrancelhas arqueadas - Okay. Isso aqui chama alcapurrias. - diz pegando um dos pratos que o garçom trouxe - É um bolinho frito, de massa de yautía e plátano e recheado com carne.

-Eu não entendi metade das palavras que você falou. - a loira diz pegando um dos bolinhos e experimentando, Lexa aguarda apreensiva enquanto pega uma alcapurria para si - Não é ruim, mas tem muito tempero. Tipo, muito tempero. Se eu colocasse na boca de olhos fechados diria que é um grande bolo de tempero.

-Você está exagerando. - Lexa diz de boa cheia - Mas okay, esses aqui são bacalaítos. É bacalhau seco e desfiado, misturado com temperos e farinha, depois se acrescenta água e frita.

-Vocês fritam tudo por aqui? - a loira diz pegando um dos bacalaítos, Lexa faz o mesmo e faz o mesmo e suspira ao comer, ela adora esses disquinhos de bacalhau - Esse é bom, eu levaria para Los Angeles.

-Yes! Un punto para el Puerto Rico! - Lexa diz animada e ao mesmo tempo o garçom chega com mais dois pratos e a morena agradece - Esse é Arroz con Pollo. Literalmente, arroz com frango. É basicamente arroz e frango, tem cenouras, cebolas, sofrito, ervilhas, azeitonas… se você gostar eu faço pra você em casa.

Clarke estremece com a palavra "casa" o que exatamente significa casa pra ela agora? Sua casa era em Los Angeles até onde se lembrava. A loira afasta os pensamentos e prova o prato sob o olhar apreensivo da morena.

-Muito bom. - ela diz ainda de boca cheia e Lexa abre um sorriso enorme.

Depois do arroz ela pede uma sobremesa, um tipo de massas folhadas com recheio de uma mistura adocicada de cream cheese. Foi de longe o prato preferido de Clarke. Depois do tour pelo paladar porto riquenho, as duas voltaram para o carro risonhas, conversaram sobre assuntos aleatórios e engraçados. No caminho Lexa pergunta se podem passar em sua casa e a loira assente. As duas descem do veículo ao chegar na grande casa e a morena usa sua chave para entrar.

-Você mora aqui sozinha? - Clarke questiona e Lexa assente indo até a cozinha e chamando a loira - Você tem uma fucking adega em casa?

-Era do meu pai. - a loira encara Lexa incrédula - Deixa de drama, têm no máximo oitenta vinhos aqui. Vem, me ajuda a escolher.

-Eu não entendo nada de vinhos.

Lexa sorri e pega duas garrafas de vinho. Fecha a adega e pega seu relógio de pulso em cima da mesa de centro da sala, já que não tem relógios e nem energia no apartamento de Bellamy, é uma boa saber que horas são às vezes.

O relógio marca 23hs03 quando elas finalmente chegam em "casa". As duas têm dificuldade em se locomover no ambiente por conta da escuridão, mas logo seus olhos se acostumam. Lexa abre a porta que dá para a sacada e Clarke pega algumas velas depois de ligar a caixa de som.

-Quer tomar banho primeiro? - Clarke pergunta encontrando a morena na sacada.

-Não, pode ir. Vou queimar alguns cigarros.

A loira assente e pega roupas limpas no quarto, um casaco de Bellamy que é maior do que ela e uma calcinha. Entra no banheiro e amaldiçoa a falta de energia, seu corpo inteiro treme embaixo da água gelada. Quando ela sai é a vez de Lexa, a morena entra no banheiro e Clarke aproveita para escolher alguma música na caixinha de som. Ela passa pela música que ouviu noite passada com a morena e se lembra de quando ela lhe explicou a letra pela manhã. "Te busquei em um milhão de auroras e por nenhuma me apaixono. E no final quando te encontrei estava sozinha", ela havia dito.

Ao sair do banheiro Lexa observa a loira arriscando alguns passos de dança. Seu corpo era iluminado apenas pelas luzes das velas e a morena sorriu com a falta de jeito, o que chamou a atenção de Clarke e a deixou vermelha de vergonha.

-Se vai aprender a dançar, comece com uma música lenta.

Lexa se aproxima da caixinha de som e a desliga, a loira observa seu corpo coberto por uma cueca e uma camiseta branca, a cueca não é de Bellamy, ela não reconhece. "Será que Alexandria não sente frio?"

-Primeiro você precisa soltar essa cintura. - a morena diz animada.

Lexa se posiciona atrás da loira e lhe diz para colocar o peso do corpo em apenas uma das pernas. A morena segura as mãos de Clarke e as posiciona uma em cada coxa da loira, depois lhe diz como movimentar o quadril pra frente e para trás. No início Clarke tem dificuldade, mas logo pega o jeito e morena lhe incentiva a mover os quadris agora para os lados.

-Agora você segue meus passos. - ela diz e a loira assente - Não esqueça de movimentar o quadril.

A morena posiciona uma de suas pernas no meio das de Clarke e ela faz o mesmo. Lexa dá alguns passos em certa direção e a loira a acompanha, elas continuam na mesma posição de antes, só que agora Lexa envolve sua cintura com uma das mãos e a outra segura seu braço. Após alguns movimentos a morena para seus passos e vira Clarke para si, a loira se assusta com o movimento brusco, mas logo se acalma ao encontrar os olhos verdes e o sorriso acolhedor da outra.

-Vamos tentar com uma música agora. Uma que você conheça. - a morena diz e continua com a loira nos braços - Sí, sabes que ya llevo un rato mirándote, tengo que bailar contigo hoy. Vi que tu mirada ya estaba llamándome, muéstrame el camino que yo voy…

Lexa canta a música num ritmo mais lento do que o original para que a loira seja capaz de o seguir e a dança parece fluir por algum tempo e Clarke não consegue tirar o sorriso do rosto, ela nunca havia se imaginando nessa situação.

-Quiero ver bailar tu pelo, quiero ser tu ritmo. Que le enseñes a mi boca, tus lugares favoritos… - por um momento Clarke entende exatamente o que a morena havia lhe falado mais cedo, sobre sentir a música, ela está realmente sentindo. O jeito que Lexa canta, sempre sorrindo, fechando e abrindo os olhos às vezes, às vezes ela podia jurar e garota iria se desfazer ali mesmo - Despacito… Vamos a hacerlo en una playa en Puerto Rico, hasta que las olas griten: ¡Ay, bendito! Para que mi sello se quede contigo…

Toda vez que a morena enrouquecia a voz para cantar o refrão Clarke estremecia, ela não tinha certeza do que Lexa estava falando, mas tinha certeza que estava falando de todo o coração. A morena canta a última frase e as duas trocam alguns olhares antes de se afastarem.

-Você é uma ótima aluna. - Lexa admite apoiando as costas na parede.

A morena não admitia, mas aquilo foi especialmente difícil pra ela, sentir as pernas de Clarke roçar em seu sexo algumas vezes e vice e versa, não propositalmente, mas porque a dança lhe dava essa liberdade. Se enganava dizendo para si mesma que eram apenas desejos da carne, seu sangue quente latino se fervia quando uma mulher bonita a provocava, mas Clarke é diferente, ela nunca a provocou e o pior, era noiva do seu falecido irmão. Se Lexa soubesse que nada disso importava para seu coração.

As duas já estavam deitadas em seu colchão no chão do quarto, algumas roupas servindo a morena de travesseiro enquanto Clarke descansa sua cabeça no peito da morena que acaricia seus fios loiros. Aquilo já havia ficado natural, Clarke até se arriscava a acariciar a barriga da morena algumas vezes, como fazia com Bellamy até dormir.

-Onde aprendeu a dançar? - ela pergunta brincando com círculos na barriga da morena.

-Tinha um programa quando éramos crianças, passava depois das 23hs então papá não nos deixava assistir, mas eu e Octávia sempre descíamos escondidas a escada e ligávamos a tv no volume quase mínimo. - ela sorri ao se lembrar e Clarke não pode deixar de o fazer também - Era um reality de dança, nós sempre tentávamos imitar seus passos. Um dia papá descobriu e eu achei que fosse levar a maior bronca, mas ele só nos matriculou na aula de dança.

-Vocês três? - a loira questiona.

-Não, só eu e Octávia. Bellamy sempre foi um desastre dançando. - ela sorri e a loira concorda, ela sabia exatamente como o falecido noivo era um desastre dançando.

-Acho que voltarei para Los Angeles. - Clarke diz depois de um tempo calada e Lexa para com as carícias em seu cabelo - Não posso ficar aqui a vida toda e esquecer que tenho uma vida em Los Angeles.

-Não pode voltar, não agora. - a morena diz franzindo a testa - Você nem conheceu metade da magia de Porto Rico.

-Lex eu preciso voltar. - ela encara os olhos verdes da morena, agora não mais brilhantes quanto estavam a minutos atrás.


Notas Finais


Bom, as músicas do capítulo nem preciso falar que são extremamente populares. Luis Fonsi - Despacito e Ricky Martin - Livi'n la vida loca (as duas na versão espanhol)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...