História Érase una vez - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias The 100
Personagens Bellamy Blake, Clarke Griffin, Lexa
Tags Clarke, Clexa, Lexa, Linctavia, The 100
Visualizações 147
Palavras 2.213
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hi hi! Chegay
Aproveitem, tudo indica que esse será o penúltimo capítulo...

Capítulo 6 - Culpa e Perdão


Lexa está debruçada de costas em seu carro, um cigarro pendendo entre os dedos e o olhar distante. Ela estava esperando a loira que há alguns minutos havia entrado no banco. A cabeça da morena estava a mil, seus órgãos pareciam estar se revirando e ela só queria gritar, mas como sempre fazia, apenas ignorou tudo que sentia.

Flashback On

-Isso é uma besteira. - Octávia diz com os dois dentes da frente faltando - Até eu que sou a mais nova aqui sei.

-Octávia tem razão, por que faríamos isso? - Lexa diz colocando as mãos na cintura

-Somos irmãos, precisamos de regras, eu não quero ter que brigar com minha irmã por causa de uma garota. - Bellamy diz decidido a concluir seu pacto de sangue - Você sabe que eu gosto da Camila.

-Você sabe que ela gosta de mim. - Lexa diz semicerrando os olhos por conta do sol - Ela tem 15 anos, acha que ia querer um pirralho de 10?

Bellamy num movimento rápido com as mãos empurra sua irmã mais velha que cai sentada na terra fértil da fazenda de seu pai.

-Eu tenho 11! - o garoto diz irritado.

Lexa se levanta do chão e limpa a poeira de sua calça jeans. Octávia os observa de braços cruzados, ela não entende qual a necessidade de tanta discussão por conta de uma garota que eles viam apenas finais de semana, que era quando seu pai os levava para a casa da fazenda.

-Você vai fazer isso. - Bellamy diz e levanta o dedinho o furando com uma agulha - Não podemos ficar com as garotas que o outro gosta. - ele entende o dedo para a irmã e oferece a agulha - Agora fure seu dedo e junte com o meu.

-Eu não vou furar meu dedo, Bellamy! - agora é a vez de Lexa empurrar o irmão, mas ele se equilibra antes que possa cair - Eu beijei ela porque ela quis me beijar. Você só está com inveja. Pirralho.

Lexa se afasta a passos largos, deixando para trás seu irmão que não conseguia segurar suas lágrimas de raiva e decepção. Ele amava aquela garota, não podia abrir mão disso.

Flashback Off

Clarke toca em seu ombro e seus pensamentos voltam ao lugar. A morena se mantém séria e entra no carro seguida pela loira que a encara com um olhar interrogativo.

-Que tal a gente comprar algumas coisas já que estamos aqui? - a loira sugere - Algumas roupas além de camisas de botão?

Lexa assente e dirige, ela costumava passear bastante por aqui com seus irmãos quando criança, eles andavam por toda a vizinhança sozinhos e ela sempre estava no comando por ser a mais velha, "obedeçam sua irmã" seu pai dizia e isso a enchia o ego. Ela dirige até uma rua com várias lojinhas de lembranças. Clarke desce do carro trazendo a morena consigo e se encanta com a quantidade de produtos com detalhes que lembram Porto Rico.

Flashback On

São 19hs e Lexa passa pela cerca que marca o limite da propriedade. Ela acena para o seu pai que está na janela e ele aponta para a direita, a garota segue a direção com o olhar e encontra seu irmão mais novo sentado em frente ao estábulo, com a cabeça baixa e os dedos tamborilando o chão. Ela volta a olhar para o pai e sacode a cabeça em sinal negativo, o mais velho cruza os braços e ela revira os olhos indo em direção a Bellamy. Lexa se senta ao lado do garoto e encara algo em sua frente.

-O que está fazendo aqui? Achei que fosse dormir na casa da Camila. - o garoto diz sem levantar a cabeça.

-Pedi que o pai dela me trouxesse para casa. - a mais velha diz - Eu falei com ela sobre você gostar dela. - o garoto a encara incrédulo e ela suspira - Ela disse que prefere meninas.

-Você não tinha o direito. Ela deve estar me achando um idiota agora. - Bellamy diz zangado - Talvez você tenha até feito de propósito, pra ela ficar com você!

-Bellamy! - a mais velha o repreende - Você é meu irmão, eu nunca faria isso. - o garoto sabia disso, por mais que estivesse com raiva sabia que sua irmã não era desse jeito - Eu pedi pra vir pra casa porque pensei no que você disse. Tinha razão.

O garoto encara Lexa por algum tempo antes de voltar a abaixar a cabeça e tamborilar o chão. A mais velha também não se pronuncia por um bom tempo, Bellamy até pensa em dizer que pensou melhor e o certo seria que Camila ficasse com quem a fizesse feliz, mas a mais velha admitiu antes, então estava tudo certo.

-Como foi beijar ela? - ele pergunta curioso.

-Horrível. - ela mente e sorri abraçando seu irmão de lado.

A verdade era que Lexa havia adorado o beijo da amiga, por mais que tenha sido apenas selinhos (vááários selinhos), sem contar que elas estavam meio que namorando desde a última semana que eles tiveram na fazenda. Claro que não era nada como um namoro de verdade, elas se viam três vezes na semana e trocavam beijos castos. Outra verdade é que Lexa havia voltado pra casa porque a garota disse que nunca teria nada com Bellamy por ele ser um pirralho esquisito. Ninguém pode chamar seu irmão assim, além dela, claro. Mas o menino não precisava saber de nenhuma dessas coisas, apenas que não valia a pena brigar pela garota.

Flashback Off

São 18hs da tarde quando Lexa estaciona em frente à casa da irmã, ajuda Clarke com as sacolas e sobe as escadas. Octávia observa a cena e se aproxima de Clarke.

-Ela está assim o dia todo. - a loira diz e deixa seus ombros caírem.

-Bem vinda à confusão que é a cabeça de Lexa. - Octávia diz pegando em seu ombro e voltando para a cozinha.

O resto do dia se passa sem a morena, Clarke até pensa em chamar ela pra jantar, mas Octávia disse que ela não ia descer, conhecia a irmã o suficiente para saber que ela ficaria no quarto o resto da noite. E sabendo disso, foi até um milagre ela ter saído com a loira mais cedo. Clarke continua na sala mesmo depois que todos dormem e quando ela entra no quarto que divide com Lexa, a morena está com os olhos fechados e o abajur aceso.

-Eu sei que não está dormindo. - Clarke diz revirando os olhos e a morena abre os olhos verdes - Me diz o porquê. Por que tá assim? Ontem a noite foi tão horrível assim que você quer que eu morra? - Lexa franze a testa - Isso foi um "sim"? - Lexa senta na cama e encara a loira - Você não falou comigo o dia inteiro, está distante. Fumou o dia todo pra me manter longe. - ela diz indo até uma das sacolas que trouxe mais cedo - Olha, eu comprei essa camisa legal e você nem experimentou. - ela mostra a camisa preta com o desenho de duas luvas de boxe com a bandeira de Porto Rico e a morena sorri - O primeiro sorriso que você deu hoje. E eu amo tanto seu sorriso.

-Eu também gosto do seu. - ela confessa.

Lexa se levanta e se aproxima tirando a camisa de botões (Clarke não estava brincando quando disse que ela só tinha esse modelo de camisa). Sem pressa a morena tira botão por botão, sempre debaixo do olhar atento de Clarke. Ela finalmente termina de desabotoar e tira completamente o tecido. Pega a camisa que está na mão da loira e veste, passa seus braços na cintura dela e lhe deixa um beijo na ponta do nariz.

-Ontem foi incrível. Eu só… só fiquei com medo de estar decepcionando Bellamy. - ela faz uma pausa - Me desculpe por ser assim.

Clarke sorri largo e envolve o pescoço da morena com os braços.

-Se você acha que me fazer uma mulher feliz é decepcionar Bellamy…

As duas compartilham um beijo lento, como os que compartilharam ontem, só que agora com menos receio, mais segurança e vontade. Lexa levanta a loira que envolve as pernas em sua cintura e as duas vão em direção à cama. Dormiram mais leves, como se um enorme peso as tivesse deixado.

[…]

Na manhã seguinte Clarke acorda nos braços da morena, como já havia feito várias vezes, mas agora era diferente, as duas compartilhavam um sentimento diferente, ou pelo menos assumiam esse sentimento. Em meio a tantos pensamentos a loira sente um desconforto na garganta, sabendo o que vinha pela frente, correu para o banheiro e se inclinou no sanitário. Lexa despertou com o movimento súbito da loira e correu para o banheiro atrás dela. Sem dizer nada ela puxa os fios loiros para trás e acaricia as costas de Clarke.

-Não precisa ficar aqui. - a loira diz com a respiração pesada.

-Eu sei que não preciso. - ela ajuda Clarke a levantar - Você está bem?

A loira assente, mas não convence Lexa que insiste em voltar para San Juan, Clarke insiste que está bem e que ainda falta um lugar na lista delas, mas a morena já está arrumando as malas e colocando no carro.

-Não acha que está sendo dramática? - Octávia pergunta para a irmã enquanto a ajuda com as malas - É só um mal estar.

-Ou um câncer, um tumor, uma doença rara ou incurável…

-Credo. - Octávia diz fazendo uma careta e batendo três vezes na cerca de madeira.

-A questão é que ela não foi no velório de Bell, se algo acontecer ela vai se odiar por não ter prestado a última homenagem. - a morena diz se encostando no carro - Só não quero ser responsável por nada disso. Não quero afastar os dois. 

Octávia assente com um sorriso compreensivo para sua irmã. Ao mesmo tempo Clarke desce as escadas com Éria no colo. A menina se despede das duas mulheres e Lincoln faz o mesmo quando desce as escadas com o rosto pintado, o que tira risadas de todas as mulheres, menos Éria que acredita na beleza de sua maquiagem exótica.

As mulheres seguem viagem parando apenas para comprar alguma coisa para Clarke comer, já que a loira se recusou a tomar café da manhã, e para comprar um buquê de flores, o que causou um leve desentendimento dentro do veículo quando a loira percebe a finalidade daquelas flores. Mas no final Clarke acaba cedendo e tenta se preparar psicologicamente para fazer o que Lexa queria.

-Não vai descer? - a morena diz colocando a cabeça pela janela do carro.

A loira hesita por um tempo, mas acaba descendo do veículo e segura a mão de Lexa antes de caminharem juntas até o túmulo de Bellamy.

Bellamy Blake

★20/12/1990   † 02/07/2017

As pernas da loira tremiam e seus olhos merejaram, ela mal podia respirar, seus pulmões se apertavam e ela não conseguiu olhar aquele túmulo por muito tempo, virou de costas e enxugou as lágrimas. Lexa deu um passo à frente e deixou o buquê antes de começar a falar, Clarke apenas ouvia a voz suave da morena.

-Eu fiz de novo, Bellamy. Eu me fechei pra tudo e todos quando você morreu mesmo depois de ter prometido que não faria no velório de papá. - ela faz uma pausa - E eu quase fiz de novo, mas a Clarke me ajudou. Sabe? Ela é incrível. Obrigada por ter nos unido.

-Obrigada, Bellamy. - a loira diz com a voz embargada, toca o ombro de Lexa e se ajoelha ao seu lado - Eu prometo que tentarei ser a mulher da vida dela. E ela vai cuidar direitinho de mim, né?

-Claro que sim.

[…]

Ao chegar em casa Clarke dá pulinhos de alegria ao perceber que a energia tinha sido ligada, Lexa sorri e abraça a loira por trás, a levando para a sacada.

-Vai me jogar aqui de cima? - Clarke diz sorrindo e se segurando nos ombros da morena.

Lexa apenas fita seus olhos e seu sorriso por um tempo antes de beijar seus lábios e toda a extensão de seu pescoço. Desliza as mãos por dentro de sua blusa e arranha de leve suas costas.

-Sabe? Às vezes eu adoro quando você não fala nada.

Lexa sorri e tira a blusa da loira, depois a sua própria. Clarke num movimento deita a morena no chão da sacada e se deita por cima dela, segura suas mãos em cima da cabeça e se aproxima dos seus ouvidos e sussurra:

-Já que você não fala, não vai fazer nada também. - a loira se move sobre a cintura de Lexa - Hoje eu quero que você me obedeça, pode fazer isso?

-Você nem sabe o que fazer, loira. - ela diz com a voz rouca e Clarke pressiona a coxa em sua intimidade a fazendo soltar um gemido.

-Parece que você não me conhece tanto assim. - a loira diz distribuindo beijos no pescoço de Lexa - Parece que Bellamy não te falou que eu namorava uma diretora de Hollywood quando me conheceu. - a morena vira a cabeça para encarar Clarke com a testa franzida - Surpresa?

-Muito surpresa. - ela diz soltando uma das mãos e arranhando a nuca da loira que geme com o toque - Me mostre o que sabe.

-Aqui? - Clarke questiona com um sorriso - O que pensarão de nós?

-Que somos felizes. - diz com um largo sorriso.


Notas Finais


Tão fofas ❤ A fanfic poderia acabar aqui, né? 🤔


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...