1. Spirit Fanfics >
  2. Erfreuliche Folder >
  3. 2 capítulo

História Erfreuliche Folder - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - 2 capítulo


Fanfic / Fanfiction Erfreuliche Folder - Capítulo 2 - 2 capítulo

Harry ficou furioso. "Em que diabos vocês estavam pensando?!" Ele repreendeu quando eles estavam na frente de um arco horrível que produzia vozes estranhas. - Vocês sabem que não somos concorrentes por esses caras, certo?

Hermione fez uma careta com os lábios.

-Nós tivemos que tentar. Aparentemente, conseguimos escapar. Suas palavras foram logo contraditas pelo grupo de Comensais da Morte.

Harry ficou embaçado por alguns segundos. Fumaça negra rodopiou na frente dele, atacando seus amigos. Ele riu um pouco, foi uma cena divertida. Segundos depois, cada Comensal da Morte tinha um refém.

Lucius caminhou em sua direção lentamente. -E você estava certo, Potter: um grupo de crianças bobas nunca será uma competição para nós. Ele sorriu, estendendo a mão.

Dê-me a profecia ou seus queridos amigos morrerão.

"Não dê a ele, Harry!" Neville gritou ao longe. Seu diretor Bellatrix enfiou a varinha no pescoço dele para calá-lo.

Um sorriso imperceptível apareceu nos lábios do garoto que viveu. Faça. - ele murmurou baixinho, para que apenas Lucius o ouvisse.

-Desculpa? O homem mais velho olhou para ele espantado, pensando que talvez ele não tivesse ouvido bem.

Harry repetiu. -Faça. Mate todos.
Não é como se eu realmente me importasse.

A boca de Malfoy se abriu. Nesse momento, luzes brancas inundaram o local; a Ordem da Fênix fazendo sua aparição dramática.

Harry clicou a língua. Novamente eles arruinaram seus planos maravilhosos.

Instantaneamente, a luta começou. Harry, em seu papel como um bom garoto, ajudou Sirius em seu duelo com Lucius. Ele estava começando a ficar entediado, ele só queria ir ao seu Senhor! Por que ninguém o deixou ir ao seu Senhor? Eu ia chorar

O interessante foi quando Bellatrix lançou a maldição da morte contra seu padrinho e ele morreu. Ele mal abafou uma risada no fundo da garganta, tinha sido fodidamente patético e engraçado! No entanto, ele se lembrou de onde estava na frente, então escolheu perseguir a bruxa (talvez se a seguisse, encontraria seu Senhor).

Preguiçoso e um pouco irritado por ele estar correndo, ele apontou para ela com sua varinha.

-Crucio! Ela gritou, tentando testar o azar nela. Não funcionou.

Ela caiu no chão, olhou para ele com um beicinho nos lábios. Harry achou muito divertido vê-la dessa maneira.

Você tem que querer isso, Harry. Alguém sussurrou em sua mente. Os olhos verdes do jovem brilhavam de emoção, ele conhecia aquela voz, era de seu amado Senhor! -Ela o matou, ela merece. Você conhece o feitiço, ela matou, ela merece. Você conhece o feitiço, faça. -Ele sentiu a presença de Voldemort atrás dele, Bellatrix riu. -Faça.

O jovem abaixou a varinha, um sorriso adornando seus lábios. -Ah, não é à toa que não deu certo, tenho que desejar! Pena que não queria te machucar, querida tia. Ele se agacha na frente dela, olhando-a diretamente nos olhos.

-Você tem que me levar com você. Ela sussurrou baixinho, chegando muito mais perto.

Os olhos da bruxa estavam confusos.

Por quê? -Então, Albus Dumbledore chegou. Ela entendeu tudo instantaneamente. - Conte com isso, bebê fofo.

"Foi bobagem você vir hoje à noite, Tom."

-Disse. -Os aurores estão chegando aqui.

-Quando eles chegarem eu vou embora. - o Senhor respondeu calmamente. -E você...

Você estará morto. -Naquele momento, ele lançou um feitiço, iniciando o duelo. Bellatrix rapidamente agarrou o pulso de Harry e o puxou direto para a lareira.

Professor! Ele conseguiu gritar antes de desaparecer. Quando eles chegaram ao seu destino (Mansão Malfoy) e partiram, ela começou a rir fora de controle.

- Assim! Ele gritou vitoriosamente. Narcissa, a única na sala, olhou perplexa para a cena. -No final, tudo correu perfeito.

- Por que diabos você está rindo?

Por que você não queria me machucar? Por que menino bonitinho? Eu matei Sirius Black, seu padrinho imundo traidor de sangue! Você não vai fazer algo sobre isso?

Potter deu de ombros, ainda sorrindo. "Foi muito divertido o que você fez, um programa que vale a pena assistir."

- A mesma coisa que eu disse a Lucius Malfoy, vou lhe dizer: mate todos eles, eu nem me importo. Esses garotos bobos e impulsivos que você viu por lá são apenas uma cobertura ninguém sabe quem eu realmente sou. Suas vidas não significam nada para mim. Eu nem estou interessado neles.

-Você é louco ... - As palavras se afogaram em sua boca. Um sorriso largo apareceu em seus lábios. - Realmente maluco!

- Por que você o trouxe, Bella? A esposa de Lucius finalmente falou. - Nosso Senhor pediu para você trazê-lo?

-Ao contrário. Lestrange respondeu. Ela apontou para Harry, ainda rindo. Foi ele quem me pediu.

Por quê? Narcisa estava cada vez mais confusa.

O garoto deu de ombros. - Porque não?

°•○●•°


O Lorde das Trevas olhou atentamente para o garoto, seu pior inimigo.

Ele não foi incapaz de saber o que estava pensando, e isso o frustrava bastante. - Eu nunca imaginei que nos encontraríamos assim, Harry Potter.

O garoto sorriu docemente para ele. -O destino conspira a meu favor hoje, meu Senhor.

Voldemort riu, quase encantado com as palavras do garoto. - Você está tentando me dizer que queria isso?

Harry assentiu. -Eu queria, é claro.

Por um momento fiquei bastante desapontado, demorou tanto para aparecer! Você me fez pensar que tudo o que estava acontecendo era uma completa perda de tempo.

Pirralho insolente. O Senhor assobiou na língua de cobra. Harry adorava ouvir.

-Eu tenho algo que você vai gostar, meu senhor.

Ele vasculhou os bolsos, puxando a esfera de vidro brilhante.

-Lucius disse que você a amava.

Pela primeira vez em sua vida, Voldemort ficou sem palavras. - como ...?

-Eu queria te dar pessoalmente. Mesmo que eu realmente goste e eu seja um filho da puta egoísta com coisas que me pertencem, posso fazer uma exceção dessa vez. Claro, você me deve um favor e ...

"Crucio!", Gritou o Senhor, incapaz de continuar a suportar sua insolência constante. Todos os Comensais da Morte riram, encantados com o castigo que Potter estava sendo dado. O mesmo quase chorou de empolgação, porque finalmente estava conseguindo o que queria.

Um crucio do seu querido e belo Senhor.

Ele gemeu, em êxtase com a sensação de mil facas perfurando sua pele. Seu corpo começou a reagir, uma ereção subindo entre as pernas. Ele caiu de joelhos, ofegando pesadamente, gemendo e buscando um pouco de ar. Tudo era tão intenso e requintado que ele não acreditou. Seu corpo queimava de excitação, o suor estava começando a encharcar sua pele.

Estava perto, muito perto de seu tão esperado orgasmo, mas o Senhor considerou apropriado parar a maldição ali. "Droga ..." Ele gemeu baixinho, um pouco irritado.

Pirralho insolente. Voldemort repetiu quase sorrindo. Harry olhou para ele com olhos cristalizados, bochechas vermelhas e um pouco de saliva escorrendo pelo queixo.

Em que ponto eu acabei completamente no chão e na posição fetal? Ele não sabia, nem se lembrava, sua mente ainda nublada de prazer.

-Mais ... -Ele consegue formular, falando língua de cobra apenas o seu Senhor o entendeu. Os olhos deste último se arregalaram de surpresa. -Mais por favor.

-Merda .. Saiam fora e deixem o pirralho Potter aqui! -Rapidamente, seus Comensais da Morte deixam o lugar, obedecendo ao seu Senhor. Durante esse momento, Voldemort pensou que Harry Potter era sem dúvida louco.

Autor(a) original: yosscrxp


Notas Finais


;)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...