História Eros - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O
Tags Baekyeol, Chanbaek, Chuveiro, Eros
Visualizações 244
Palavras 2.768
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E voltei com uma Oneshot, e já de início peço perdão pelo lemon falho. Gente, sério. Eu não sirvo pra escrever lemon, mas espero que vocês gostem.

Capa por: @winyung

Ps: isso aqui não se encontra betado então qualquer erro me desculpe.

Capítulo 1 - Detenção? Acho que não - Oneshot


Fanfic / Fanfiction Eros - Capítulo 1 - Detenção? Acho que não - Oneshot

Seu corpo formigava de maneira intensa, seus pelos se encontravam arrepiados de uma maneira nunca antes sentida pelo menor. Seu membro pulsava dentro da calça começando a dar sinais de vida, forçando o de cabelos rosados a ajustar o shorts tentando esconder a visível ereção. Maldita hora que o professor tinha decidido juntar as turmas do terceiro ano. Educação física não era suposta a ser tão difícil e sensual assim.


Você pode estar pensando “Nossa Baekhyun. Que coisa feia ficar excitado no meio da aula. Quem fica duro com exercícios?”. Bem, é fácil para vocês falarem. Não é vocês que tem a bunda - e devo dizer, que bunda - de Park Chanyeol virada diretamente para você.


Você não conhece Park Chanyeol? Em que mundo você vive?


Bem, para resumir aqui Park Chanyeol era simplesmente o cara mais popular da escola. Era sorriso pra cá, sorriso pra lá.  Ele era amigos de todos, literalmente, todos. Até hoje não sei como ele sabe o nome até das tias da cantina. Caralho, até do cara que corta a grama do colégio ele sabe e sempre engata num papo com ele quando o vê trabalhando. O cara já até corou uma vez. Mas não o culpo, Chanyeol era uma perfeição de quase 1.80 de altura. Cabelos pintados de cinza que realçava seu rosto, orelhas protuberantes que lhe davam um charme a mais. E minha parte preferida, suas tatuagens que lhe cobriam quase o corpo todo.


Ah, cada sonho delicioso que já tive comigo tendo a chance de explorar cada uma delas. Chega a dar uma euforia. Agora que você já conhece a figura, me diz. Como resistir ? Como não olhar para essa Bundinha redondinha e não desejar ela pra você?


- Se olhar mais a bunda dele murcha. - Kyungsoo falou ao meu lado me fazendo dar um pulo de susto.


- Bate nessa boca kyung. Imagina uma maravilha dessas murchar, que pecado.


Finjo uma cara de desespero o balançando pelos ombros.


- A cada dia você decai mais Baekhyun. - resmunga já irritado comigo e se afasta das minhas mãos. - Melhor começar a alongar logo, o professor já vai mandar a gente começar a correr.


Corrida. Um dos meus maiores pesadelos, logo depois do fim de supernatural e de nunca pegar Park Chanyeol.


- Até hoje não entendo porque ele decidiu que todas as aulas começariam com corrida. - resmungo enquanto começo a me alongar. Se eu já morria correndo alongado, quero nem imaginar as dores de correr sem. - Isso é falta de sexo. É puro tesão reprimido.


- Baekhyun cala a boca. - Kyungsoo fala ao meu lado com certa urgência na voz. Até parece que ele nunca falou mal do professor. Nao vem dar uma de certinho pra cima de mim não querido.


- Ah kyung. Vai dizer que não? A boca dele deve ter até teia de tanta falta de uso. - digo rindo um pouco, distraído pela dor no braço ao esticar ele para trás. - Também quem ia querer sair com um cara que usa tanga. Pelo amor de deus, tanga e ainda com crocs junto. É pedir pra morrer solteiro.


Paro de alongar os braços e olho para meu amigo ao meu lado notando ele levar a mão no rosto com a expressão muito bem conhecida por mim, ele a fazia toda vez que eu fazia alguma burrada. Olho para frente encontrando o olhar de todos os outros alunos em mim, até mesmo o do Park. Que ao ver eu retribuir o olhar me faz um sinal com a cabeça para me virar, e assim que o faço vejo a merda que fiz.


- Olá professor, você por aqui? - sorrio de forma nervosa em direção ao homem que estava postado atrás de mim com uma carranca do tamanho do mundo na cara. - Me desculpa mesmo professor. Mas você tem que combinar que tanga é um horror. Dá pra ver todo o paraíso perdido.


Digo sem pensar fazendo o pessoal ao redor começar a rir, o que só irrita ainda mais o cara na minha frente. Vejo sua cara ir de branco, a vermelho e de vermelho a roxo em poucos segundos. Só o vejo anotar em um papel que logo me entrega. Leio prestando atenção em apenas uma única palavra em destaque.


Detenção.


“Merda” pensei e nem tenho tempo de reclamar porque o professor manda todos começarem a correr, só podendo parar depois de dez voltas. Antes de começar a correr também, sinto uma pessoa me observando. Me viro e lá está meu sonho de consumo - Não que ele seja uma mercadoria, é apenas modo de falar gente - Me encarando com um sorriso na cara, que aumenta ao ver que eu o olhava também. Desvio o olhar sentindo meu rosto ficando levemente vermelho.


Qual é, gente. Tenho uns pensamentos pervertidos, mas ainda tenho timidez no meu corpo. Se o crush olhasse pra você e sorrisse aposto que você faria a mesma coisa, meu coração não aguenta tudo isso.


Término às dez voltas e literalmente me jogo no chão sem fôlego nem pra falar, imagina para respirar. Ouço o sinal bater indicando o final da aula, solto um suspiro aliviado por poder ir embora daquele lugar. Sexta feira como eu te amo.


- Baekhyun, levanta daí logo. - Kyungsoo diz me chutando de leve com pé. - Quero um banho, você sabe que odeio suor.


- Quando tá nos vamos ver com o Jongin você não reclama né ? - levanto lançando um sorriso malicioso na direção dele, levando um tapa no braço. Aviso uma coisa, ele pode ser pequeno, mas tem uma força do cão.


- Aí kyung. Pra que tanta agressão?


- Não me estressa Byun. Minha paciência não é infinita.


- Até hoje me pergunto porque sou seu amigo. - passo a mão no lugar que levei o tapa, “tá doendo filho da mãe” penso com uma careta.


- Porque sou o único que te atura. - fala com seu famoso sorriso de coração nos lábios, mais venenoso que cobra esse meu amigo.


Entramos no vestiário lotado de pessoas, indo para a parte do fundo onde os armários com nossas roupas estavam. Nós dois sempre preferimos tomar banho nos últimos chuveiros, já que eles eram meio isolados. Era uma forma de segurança também, eu morria de vergonha de exibir meu corpo para todos esses homens ali e Kyungsoo só não gostava de pessoas mesmo. Então era algo bom para nós dois.


Pegamos a toalha, cada um se dirigindo ao box de sempre. Só que eu tinha esquecido um detalhe, as turmas estavam juntas, Ou seja, tinha mais gente conosco naquele dia. Quando cheguei perto do chuveiro estanquei no lugar. A minha frente estava Park Chanyeol se banhando de costas pra mim, a água caindo por seu corpo. Meus olhos passeavam por todo seu corpo, seguindo uma gota que foi descendo desde o pescoço até sua bunda.


Eu estava sem saber o que fazer, minha mente estava em pane. E isso só piorou quando eu ainda olhava para a bunda dele, e ele começou a se virar e meus olhos ficaram arregalados ao notar o tamanho do seu...


- Apreciando a vista?


Levanto a cabeça depressa dando de cara com Chanyeol me olhando com a sobrancelha arqueada na minha direção, com um brilho de divertimento em seus olhos.


- Eu não...quer dizer...eu estava...foi mal. - digo com o rosto vermelho e fugindo para outro box mais á frente.


Eu não acredito que vi ele como veio ao mundo. E que visão, mãe do Chanyeol tá de parabéns viu, caprichou. Balanço a cabeça para tentar tirar esses pensamentos da minha mente, começando a me banhar de forma rápida após ter tirado o uniforme. Agora mais do que nunca eu queria ir pra casa e poder, vamos dizer , homenagear o Park.


Estava de olhos fechados deixando a água cair em meu rosto para me livrar do sabão quando sinto mãos em minha cintura, o que me faz dar um pulo e me virar pra trás de forma rápida. Minha boca se abrindo em surpresa ao encontrar o Park na minha frente com as mãos ainda me segurando no lugar.


- Que merda você tá fazendo? - Pergunto depois de uns minutos processando a situação.


- O que você tanto queria que eu fizesse. - disse sorrindo de canto.


- Eu não quero nada. - retruco colando as mãos em seu peito tentando empurra-lo pra longe, só então raciocinando que ele estava nu na minha frente. “Não abaixa a cabeça Baekhyun, não.”


- Não adianta mentir pra mim Baek. - disse aproximando seus lábios do meu ouvido, mordiscando de leve. - Seus olhos te entregam. Ou acha que nunca notei seus olhares?


Essa fala me fez travar, fazendo com o que as mãos que tentavam empurrá-lo parassem de exercer o esforço, ele aproveitou para se aproximar ainda mais colando minhas costas na parede e seu corpo no meu. Fazendo nossos membros se tocarem e me deixando nervoso.


- Eu vi todos eles Baek, cada olhar. No corredor, no refeitório, na quadra de educação física. Porque você acha que fiquei tanto tempo naquela posição? - sussurra passando a boca por meu pescoço mordendo algumas vezes. - Você tinha que ver o desejo que você transmitia quando me olhou no banho, você me comia com os olhos.


Eu já me encontrava com a respiração alterada, os olhos fechados absorvendo cada palavra e mergulhado na sensação de suas mãos passando por meu corpo. Meus dedos começaram a fazer carinho pelo seu abdômen sentindo-o contraindo embaixo deles, um arfar sai de minha boca ao sentir os dentes do outro cravados no meu pescoço.


Quando ele se afasta nossos olhos se encontram, o desejo que vejo nos olhos dele me faz agir e quando menos percebo minha boca se encontra na sua. Nosso beijo é exatamente como eu sempre imaginei que seria, intenso e selvagem. Nossas línguas batalhavam entre si, explorando cada canto da boca um do outro. Mordo seu lábio inferior puxando antes de voltar a beijá-lo. Suas mãos me puxando para perto pela minha cintura, nossos corpos quase que se fundindo.


Infelizmente ainda precisamos respirar, quebrei o beijo com uma mordida leve em seu lábio, minha boca seguiu para seu pescoço deixando marcas nele. Solto um gemido ao sentir sua mão apertar meu membro fazendo movimentos calmos de vai vem, colou nossos lábios novamente para abafar os gemidos que saiam de minha boca. Assim que ele se afasta de novo, começa a fazer uma trilha por meu corpo.


Primeiro por meu pescoço onde deixa alguns chupões e mordidas, descendo para minha barriga brincando com o bico do meu peito. Mordendo e puxando, fazendo os gemidos lutarem para sair. Brincou com um depois com o outro, enquanto ainda bombeava o meu membro.


- Chan - gemeu um tanto mais alto ao sentir a boca do outro deixar um selar na sua glande inchada.


- Por mais que eu queria ouvir cada um dos seus gemidos, vai ter que segurar eles agora Baek. - disse - Não queremos que nos descubram certo?


Só tive tempo de morder meus lábios com força antes de sentir sua boca me envolver. Quando na minha vida eu ia imaginar que Park Chanyeol estaria de joelhos na minha frente em um chuveiro me pagando um boquete? A resposta é NUNCA. O maior o estava levando a loucura, engolindo seu membro até onde conseguia e massageando a parte que restava, não deixando de dar atenção a  suas bolas às chupando. Ele com certeza sabia o que fazia.


Ao olhar para baixo encontrou o outro o encarando intensamente enquanto chupava sua glande, os barulhos de sucção sendo encobertos pela água que ainda caia do chuveiro. Estava sensível demais devido que fazia um tempo que havia tido relações. Poderia gozar naquele momento, mas queria fazer isso dentro do maior. Segurou o cabelo dele puxando-o para longe, tendo seus lábios colados novamente nos meus. Num movimento rápido inverti nossas posições, colando meu abdômen em suas costas e o deixando preso na parede.


- Chan, tem muita coisa que eu quero fazer com você. Mas infelizmente temos que ser rápidos. - minhas mãos vão pra sua bunda as apertando com força ganhamos um arfar do maior. - O que me diz?


- Acho melhor me foder logo então. - O Park solta malicioso, tendo que tampar a boca com uma de suas mãos ao sentir a língua do Byun em sua entrada, empinado sem perceber ao buscar mais do contato.


Sentia a língua do de cabelos rosa o invadindo e lambuzando, tendo em poucos minutos um dedo o invadindo. Não pode conter um gemido mais alto ao sentir o segundo dedo, os movimentos rápidos e certeiros dentro de si. Quando Baekhyun sentiu que já estava bom retirou seus dedos bombeando o próprio membro antes de posicionar ele na entrada do mais alto.


Ambos tiveram que se segurar para não gemer alto ao finalmente o rosado estar dentro do Park. Começou com estocadas lentas e calmas, que faziam ambos suspirarem de prazer.


- Mais rápido Baek. - pede entre arfares, logo sentindo o mais velho aumentar a velocidade de suas estocadas.


Chanyeol deixou sua cabeça cair no ombro de Baekhyun quando o mesmo atingiu um ponto dentro de si que o fez abrir a boca em deleite.


- Chan, eu não aguento mais...


- Goza pra mim Baek.


Após a fala do mais novo o rosado não mostra resistência a ordem e chega ao orgasmo, ainda se mexendo por um tempo para prolongar a sensação. Vira o maior de frente para si e se ajoelha abrigando o pênis dele em sua boca, relaxando a garganta para colocar o máximo possível. Sentindo logo o Park se desfazer em sua boca. Baekhyun se levanta e beija o mais novo, um mais calmo que os outros trocados.


- Só agora notei essa tatuagem. - O Byun diz passando o dedo por cima da palavra Eros que se encontrava perto da clavícula do outro. - O que ela quer dizer?


Antes que Chanyeol pudesse responder ouviram Kyungsoo gritando pelo menor o mandando se apressar se não ia ir embora sem ele. Se limpou rápido no chuveiro, prestes a sair da área, olhando antes para o maior encostado na parede lhe olhando sorrindo.


Devolveu o sorriso e saiu dali com a toalha na cintura, encontrando com Kyungsoo na parte dos armários que brigou com ele pela demora. Se trocou e saiu com o baixinho para a sala de aula com a mente gritando uma única coisa. Ou melhor, um único nome.



(...)



O tempo passou rápido para Baekhyun que não teve a capacidade de prestar atenção nas aulas revivendo a memória do vestiário a todo momento. Quando o sinal tocou para liberar a saída, foi um dos primeiros a deixar a sala com pressa ao lado do baixinho raivoso que chamava de melhor amigo.


- Finalmente liberdade. - levanto os braços pro céu ao me encontrar na porta que levava pra saída.


- Ainda não. Ou se esqueceu que tá de detenção? - kyung faz questão de me lembrar e em segundos minha alegria se transforma em tristeza.


- Tinha esquecido dessa merda.


- Bem, eu vou ir de encontro a liberdade. Curta as horas com o professor numa sala fechada. - Diz indo embora sem mais nem menos.


- Tchau pra você também.


Grito pra ele que levanta o dedo do meio na minha direção poucos segundos antes de atravessar o portão de saída da escola. Rio me virando para entrar de novo no local quando escuto uma voz grossa me chamando e me deparo com ninguém mais ninguém menos que Park Chanyeol, detalhe, Park Chanyeol em cima de uma moto com uma jaqueta de couro.

- Que eu sabia Byun, a saída é desse lado.

- Pode até ser, mas a detenção fica desse. - respondo depois de me aproximar dele, ficando a dois passos.

- Hm, que pena. Eu tinha um convite para fazer á você.

- Ah é? Posso saber qual?

- Tá afim de descobrir o que Eros significa? - Pergunta com seu famoso sorriso me estendendo um dos capacetes. Olho dele para a escola algumas vezes, antes de o encarar e pegar o objeto de sua mão subindo na moto em seguida.

- Espero que eu não me arrependa disso.

- Relaxa Baekhyun. Eros se trata disso. O irresistível.


Foi a última coisa que disse antes de acelerar a moto para longe da escola. Horas mais tarde eu descobri o que Eros era da melhor forma possível.


Era o desejo ardente. O amor selvagem. Chanyeol era meu Eros, e agora me tornei o dele.





Notas Finais


E foi isso gente. Nunca sei oq escrever nas notas finais u.u

Twitter: @biabaozi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...