1. Spirit Fanfics >
  2. Erro e Fracasso >
  3. Troubled none no sleep

História Erro e Fracasso - Capítulo 2


Escrita por: Laisve

Capítulo 2 - Troubled none no sleep


Fanfic / Fanfiction Erro e Fracasso - Capítulo 2 - Troubled none no sleep

 

Há longas duas semanas estava afundado em trabalho. 

E em turno diferente do seu habitual. Um dos colegas do trabalho tinha sofrido um pequeno acidente e lá estava ele cobrindo a licença saúde. 

Apesar de constantemente reclamar das madrugadas, estar na redação em horário comercial não era algo para o qual estivesse preparado. Vinha dormindo ainda menos do que o habitual. Porém, como todos aqueles que precisam trabalhar, lá estava ele engolindo o que podia em nome de seus boletos. 

Neste meio tempo não teve tempo para falar com Dohko.

Sem um dos funcionários, o supervisor da madrugada também estava trabalhando mais. 

Kanon deixou escapar um suspiro quando retornou a sua casa na sexta feira da segunda semana.

O telefone tremeu avisando a chegada de uma mensagem, ele porém ignorou.

Somente bem mais tarde, depois de se alimentar, tomar banho e ficar de bobeira um tempo ouvindo música que ele foi checar o aparelho e imediatamente se arrependeu pela demora. Finalmente tinha recebido o aguardado print e um link para o filme.

Suas mãos tremeram antes de responder ao colega de trabalho o agradecendo. Na sequência recebeu um emoji de banana descascada, outro de carinha piscando com a língua de fora acompanhados da frase: “Eu tardo, mas não falho! Aproveite!”

Não pode evitar um sorriso enviesado. No decorrer daqueles dias longos de trabalho não pode dedicar muito tempo à imagem que parecia gravada em sua mente, a mesma para a qual voltava agora seus olhos tentando mapear na baixa qualidade oferecida os motivos para estar tão enfeitiçado. 

A sensação de já ter visto antes aquele rosto, o quase sorriso encantador. Aliados a camiseta cinza com o logo de um Marlin estilizado e o nome ESCAMAS impressos em tinta preta de forma bastante simples por cima. Sentiu seu coração acelerando. Não podia ser normal essa sensação. Provavelmente estava carente. Precisava de alguma distração, de qualquer forma veria o filme. 

Respirou fundo antes de clicar no endereço que tinha recebido. Na descrição do vídeo o mesmo enredo mencionado por Dohko dias antes: na festa de recepção dos calouros de uma universidade fictícia alguns alunos se empolgaram e a sacanagem corria solta. 

Não parecia haver grande apego ao roteiro ou a fotografia da obra em questão e apesar de se considerar uma pessoa bastante visual, Kanon não era exatamente um consumidor deste tipo de entretenimento adulto, por assim dizer. 

Pressionou o PLAY para dar início a gravação.

Não conseguia sossegar, acompanhando o desenrolar, no seu entendimento nada sensual da narrativa, então buscava entre os personagens aquele que tinha lhe chamado a atenção dividido entre torcer para ele ser um dos protagonistas da ação mais aguardada do filme, pois assim, eventualmente, seria mais fácil descobrir de quem se tratava ou para ele ser apenas um figurante o que dificultaria a busca. 

Rapidamente ficou claro que era uma película de conteúdo heterossexual e ele quase bufou. Realmente a sinopse fornecida por Dohko era toda a história do filme. Não que esperasse algum grande e intrincado enredo, todavia a tal festa dos calouros aparecia em cortes duvidosos entremeando a cena de sexo explícito. Apesar da festa de pano de fundo estar cheia de pessoas que aparentavam verdadeira animação, o sexo entre os protagonistas ocupavam a maior parte da gravação. 

Percebeu que o objeto de suas atenções era realmente apenas um figurante e concentrou-se em buscar o momento do print que tinha começado toda esta história.

Alguns torturantes minutos passaram até que estava.

Uma cena onde um grupo de jovens realmente com tipo de universitários corria e se jogava na piscina, ao fundo outros, que pareciam apenas dançar ou conversar, se voltavam para acompanhar a confusão e entre eles o rapaz com a camiseta da banda… Era um momento relativamente rápido em que ele aparecia.

A bem da verdade a câmera parecia se demorar um pouco mais na camiseta que no próprio rosto dele. 

Analisou mais uma vez como já tinha feito incontáveis vezes tentando buscar em sua mente reconhecimento.

Estaria imputando uma memória fragmentada a uma imagem quase desbotada?

A questão era profunda e lhe acelerou o coração. 

Assustou-se com o telefone tocando e o sumiço da imagem. Há alguns dias tinha entrado em contato com um dos amigos que tinham com ele formado a banda e é claro que este foi o momento escolhido para retornar sua ligação 

— Alô? — Respondeu à chamada com um sorriso nos lábios. — Quem diria que um homem tão ocupado se daria ao trabalho de me ligar?

— Vejam só o que a maré trouxe… Kanon, quanto tempo! — Era uma voz macia e exigente — Saudades de você meu querido amigo. E só não falamos mais por sua culpa… 

— Muitas saudades Julian! Como você está? — Perguntou se ajeitando no sofá em uma posição sentada e ignorando a última parte do comentário. O amigo não estava errado. 

— Estou bem, Thétis vai ter bebê, você soube? — Questionou sem qualquer sinal de acusação em seu tom. — Ela e Chrysaor vem tentando há um tempo. 

— Não sabia, sua irmã sempre foi a mais afetiva, certamente será uma boa mãe. — Respondeu se lembrando da moça tempos antes — Estão casados já tem uns anos, não é? Eles estão bem?

— Sim, estão bem e casados há 5 anos já Kanon… Ela está imensa, meio irritada, mas com certeza gostaria de receber uma ligação sua… Vocês eram tão amigos...

— Fico até sem jeito de escrever para ela — Kanon comentou quase para si mesmo — Mas, mande meu abraço para eles! 

Do outro lado da linha Julian deixou que o ar passasse entre seus lábios em um quase assobio de significado ambíguo, não se falavam há semanas, ou seriam meses? 

Quanto a Thétis e Kanon a situação sempre foi mais delicada. Preferiu não insistir. Tinha ficado genuinamente feliz com a mensagem recebida inesperadamente durante a semana. E mesmo intuindo que o amigo queria lhe pedir algo não se ofendeu, sentia muito a falta de conviver com ele. Tinham sido companheiros de banda e sendo ele um guitarrista exigente dificilmente encontraria em sua vida outro com quem pudesse dividir tanta afinidade musical. Infelizmente às vezes a vida afasta as pessoas. E a convivência intensa foi curta, já que quando ingressou na Universidade Kanon já estava finalizando seu curso. 

Depois com o fim da banda, pouco se viram.

— Pode deixar. Mas, me diga, em que posso lhe ser útil? — Sentenciou em tom trivial como se estivessem sempre trocando ideias. 

— Assim fico até chateado de pedir qualquer coisa Julian. — Kanon admitiu sentindo as faces suavemente quentes. 

— Mesmo assim você vai pedir! — Sorriu com ternura — E tudo bem, vamos sair para jantar mais tarde e assim matar a saudade com qualidade. Você está na sua casa? — Ao ouvir a concordância do outro calculou a distância e o tempo necessário para estar disponível — Posso passar aí para te buscar em 40 minutos. Combinado? 

Não havia muito como recusar. E Kanon sabia que estava constantemente em falta com seus amigos.  

— Certo! Estou com saudades, Julian. Quero conversar e falar sobre Escamas.

— Mesmo? Quem diria… — Seu sorriso pareceu alargar-se e Kanon sorriu também como se pudesse vê-lo — Muito bem, tentarei chegar em menos tempo, então. Adoro falar sobre a banda… Me espera, Kanon. — E desligou. 

Sabia que Julian era assim, decidido e assertivo. Sentiu naquele momento mais falta do amigo do que poderia supor. Era bom que fossem se encontrar. Observou o teto inclinando a cabeça para trás. Sim, sentia falta do amigo, da banda, da música em geral.

Mesmo que seu trabalho fosse muitas vezes sobre música, tocar era diferente. Sentiu os dedos formigando.

Voltou a olhar o vídeo e o print recebidos.

Sua solidão estaria finalmente lhe pregando alguma peça?

Não. A memória estava quase se formando. Como uma palavra na ponta da língua. Ritmada, antiga.

Certamente conversar com Julian ajudaria de um jeito ou de outro.


Notas Finais


O peixe Marlin dá forma ao logo de Escamas que é uma imagem estilizada do peixe espada.
Quem me trouxe a memória a beleza e a atitude aguerrida do Marlin foi @Northernstar e sua bossa maravilhosa ^^

Obrigada a todos que leram o primeiro capítulo e pelos comentários que tanto me motivam. <3
Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...