História Error - Capítulo 5


Escrita por: e park_geomin

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Monsta X, Red Velvet, TWICE, VIXX
Personagens Irene, Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), N, Personagens Originais, Tzuyu
Tags Error, Eternity
Visualizações 14
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi Honeys, uma atualização pra vocês.... espero que gostem.

Música de hoje, 2U - Jungkook cover.

Boa leitura!!

Capítulo 5 - Capítulo 05


Fanfic / Fanfiction Error - Capítulo 5 - Capítulo 05

Error - Capítulo 05


"A cada segundo que se passa, começo a aceitar a compartilhar meus momentos com você e 'pra você"

Joona 


O encarei, fazendo-o me puxar para dentro do brinquedo. Sorri vendo seu pânico, ao sentarmos no banco.

Sentamos no brinquedo, colocamos o cinto e logo o rapaz começou com as explicações, estas que quando terminaram o brinquedo começou a andar.

Quando olhei para o lado vi a cena mais engraçada da minha vida, Kim estava de olhos fechados, com a cabeça no encosto, respirando fundo e segurando a barra de segurança com toda sua força, ele parecia profundamente concentrado em algo, que depois de analisar bem, cheguei a conclusão que talvez fosse sua morte.

O brinquedo começou a andar, uma subida lenta e agonizante, deu início à nossa aventura, logo depois voltas e voltas em lups foram feitas, eu já sentia meu corpo todo em adrenalina, mas Kim permanecia imóvel com os olhos ainda fechado, então quase num impulso segurei sua mão na tentativa de tentar acalma-lo. Kim me olhou e esboçou um leve sorriso, acho que aquilo era um "obrigado". Retribui o sorriso.

Depois de algumas voltas, o medo dele já havia acabado, fazendo-o aproveitar o brinquedo, mas logo nosso passeio chegou ao fim e nós descemos.

– Chão! Ele gritou. – Eu amo o chão, nunca o amei tanto como agora! – Ele se ajoelhou no chão.

Eu ri escandalosamente. – Meu Deus! – Disse ainda entre risadas, e ele se pôs de pé.

– Você ri porque não foi com você! – Ele diz sério, batendo as mãos no joelho, limpando onde estava sujo. – Desculpa, não sabia que você tinha tanto medo assim... – Digo tentando controlar minha risada.

– Tudo bem, só não vamos mais fazer isso! Onde quer ir agora? Por favor, em algum brinquedo que fique no chão! – Disse suplicante.

– Ah, eu escolhi o primeiro, escolhe você agora! –

Ele esboçou um sorriso maléfico, quase que psicopata.

– Então vamos... na casa do terror!

– É o que? – Disse meio alto. – Nem morta que eu vou lá! – Disse cruzando os braços. Sou corajosa para muitas coisas, mas coisas que envolvem terror, monstros ou algo do tipo, não tenho coragem nenhuma.

– Hora da vingança baby, Hahahaha! – Ele parecia estar se divertindo agora. Droga!

Chegamos na porta do brinquedo, este que tinha uma fila um tanto quanto grande. Nunca entendi porque as pessoas fazem fila para esse tipo de coisa. Um 'bando de gente burra, pagar para se assustar.

– Ah poxa, acho que tem muita gente, que pena! – Digo com minha voz mais triste. – Vamos em outro! – Digo me virando, mas sinto a mão de Kim em meu ombro.

– Não senhorita, nós vamos nesse! –

Ele me puxa para perto.

Eu o encaro, encaro o brinquedo, depois o encaro de volta.

– Eu seguro a sua mão! – Minha cara deve estar muito assustada, para chegar ao ponto de ele ser gentil, ele estende a mão para mim, a qual eu agarro com certa força.

Nossa vez chega, e caminhamos em direção a morte, ops, quero dizer a fila. Depois de longos minutos nossa vez finamente chegou, eu olhei para Nam de novo e nós entramos.

– Pai nosso que estais no céu, santificado seja Vosso nome... – Comecei a rezar, fazendo-o rir.

– Ei, calma! É só pensar que nada aqui é real. – Ele diz me encarando.

Por um milésimo de segundo parei de pensar no quanto estava apavorada e observei o quão bonito Kim estava, e não pude esconder um sorriso tímido. Não! Foco no medo Joo Hyun! Balancei a cabeça.

O carrinho começou a andar, fazendo meu coração acelerar.

– Não vai ter instrução? – Perguntei apavorada.

– A moça já falou… – O brinquedo escureceu de repente, me fazendo gritar.

– E o que ela disse? – Falei fechando os olhos e me aproximando do moreno.

– Onde você tava com a cabeça? – Antes que eu pudesse pensar em responder, um boneco de olhos vermelhos e uma risada demoníaca apareceu em minha frente. Escutei alguns gritos à nossa frente, o que me apavorou mais, me fazendo gritar o mais alto que pude

– Namjoon… – Gritei! Senti sua mão pegar a minha, porém eu não via seu rosto de tão escuro que estava. O carrinho parou de uma vez, olhei para os lados desesperada. – O que é isso? O que houve? Namjoon? – Falei baixo.

– Merda! – Escutei-o resmungar, o que me fez surtar de vez.

– Kim! – Chamei brava.

– Vamos ter que correr! É um labirinto, temos que sair logo. – Escutei o carrinho mexendo, agarrei no ferro do mesmo. Senti uma mão em minha cintura. Gritei e me debati.

– Ei, sou eu! Vem! – A voz de Kim me acalmou. Ele me abraçou. – É só um brinquedo calma. – Ele disse pegando minha mão, começamos a andar.

Sempre me assustava com os bonecos e as risadas que apareciam aleatoriamente. Escutei um choro vindo de longe, e se aproximando aos poucos assim como barulhos de correntes.

– Eles estão pra lá! Vem! – Meu coração parou por um nanosegundo, e minhas pernas travaram.

– Namjoon… – Chamei. – Não consigo sair do lugar.

– O que houve? – O choro e as correntes se aproximavam.

– Eu não consigo.

– Você tem que conseguir, vão pegar a gente! – Ele tentou me puxar.

– Para! Você está me assustando! – Gritei. – Me tira daqui, eu quero sair agora! – Eu gritava desesperadamente.

– Joo Hyun calma! Olha pra mim! – Ele pegou meu rosto, levantando-o. Consegui ver alguns traços de seu rosto.

– Olha só pra mim está bem? Eu vou te proteger, vou sempre te proteger! – Kim profere com uma voz calma e ao mesmo tempo doce, o seu tom era tão verdadeiro que eu acreditei em suas palavras. – A saida tá ali, vamos correr até lá juntos. – Confirmei e ele soltou meu rosto, pegando minha mão. Corremos até chegarmos no final.

Sorri aliviada ao ver o parque e a luz do sol. – Chegamos! Viu! – Ele me abraçou forte, e eu retribui.

Assim que me acalmei, continuamos nosso passeio. Fomos em diversos brinquedos, mas dessa vez um que agradace ambos.

– Vamos a um lugar! – Ele disse me puxando.

– Que lugar? – Perguntei curiosa.

– Você verá! – Ele sorriu.

Nós entramos no carro e depois de uns 5 minutos paramos em uma praça, esta que era linda, bem iluminada, cheia de flores, árvores, havia até algumas barraquinhas de comida, mas o que realmente me chamou a atenção, foram os casais que estavam lá dançando ao som de uma música calma, esta que estava vindo de um rapaz com um violão, em cima do mini palco lá disposto.

– Uau! É incrível! – Disse deslumbrada. – Como achou esse lugar?

– Costumava vir aqui com…. – Ele ficou sério por um segundo.

– Com? – Perguntei curiosa.

– Com a garota que eu gostava… – Ele sorriu e um ciúme, me percorreu por inteira, mas procurei não demonstrar nada.

Ficamos observando o lugar por um tempo até que Namjoon quebrou o silêncio.

– Senhorita Joo Hyun, aceita me acompanhar em uma dança?

– Aceito! – Sorrio e nós nos juntamos aos outros casais.

Dançamos ao som de um cover de 2U do Junstin Bieber. Kim me encarava com um olhar indecifrável, não dava para saber no que ele pensava, era realmente curioso, talvez isso era o que atraia tantas mulheres.

– Sempre tão misterioso... – Digo quase em um sussurro.

– Você quer saber no que eu estou pensando? – Sua voz encorpada soa em meus ouvidos, me fazendo arrepiar. Aceno com a cabeça em confirmação.

Kim se aproxima de mim, colocando uma mão em minha nuca, permintindo com que eu sentisse sua respiração perto da minha, ele cola nossas testas, juntando mais nossos corpos, me fazendo sentir cada músculo de seu peitoral, logo Namjoon quebrou nossa distância com um beijo, este que era calmo e doce. Por nenhum momento pensei em resistir, apenas colaborei com o que eu queria a algum tempo. Por mais que seja difícil de admitir, Namjoon vem me conquistando aos poucos, com nossa difícil relação de amor e ódio. Nos separamos pela ausência de ar.

– Está com fome? – Ele perguntou passado a mão em meus cabelos. Neguei um pouco tímida. – O que foi? – Ele sorriu.

– Como assim? Nada! – Ele sorriu, me deixando ainda mais sem graça.

– Você beija bem! – Arqueei uma sobrancelha.

– Ai Kim! Me poupe! – Revirei os olhos e sorri.

– Okay, você beija muito bem! Feliz agora? – Gargalhei. – Só estou sendo gentil pra recompensar o que fiz você passar hoje!

– Confessa que você quer mais… – Falei brincando.

– Quero mais! – Ele disse sério. Assustei com a resposta, pois não a esperava. Namjoon agarrou meu rosto, me dando um selar demorado. Senti meu rosto queimar. – Vai ficar assim sempre que eu te beijar?

– C-como assim? – Gaguejei.

– Vermelha! – Coloquei a mão nas bochechas. – Se for fala logo, que eu vou beijar mais!

– Namjoon! – Falei me virando de costas. – Aish!

Ele rio nasalado. – Tão fofa! Vem vamos comer.

Fomos até uma barraca de kimchi, e comemos alguns, descobri que esta era a comida favorita dele. Faltava apenas um dia para nosso casamento, e eu estava atordoada com aquilo tudo, era uma mistura de pesadelo com sonho.

– Vamos? – Ele perguntou depois de pagar.

– Eu quero beber! – Falei e ele sorriu.

– Já está tarde.

– Você me leva pra casa! – Falei e ele deu de ombros.

Fomos até uma barraquinha e pedimos três garrafas de souju. Lembro de Namjoon tomar 6 doses, e eu pelo que contei tomei 8. Tentei não apagar ali, mas foi impossível.

{…}

Senti meu corpo pesado, e minha cabeça explodir, como se uma música muito alta tocasse ao meu lado. Me virei para o lado, e passei as costas das mãos em meus olhos, vendo Kim dormindo de braços cruzados. Assustei, mas ele estava tão fofo, que decidi nem me mexer, passei a mão em seus cabelos, logo contornando seu rosto. Ele segurou minha mão, me assustando.

– O que está fazendo? – Perguntou baixo.

– Não queria te acordar!

– Shiii… – Ele colocou o indicador na frente da minha boca, selando nossos lábios rapidamente, e logo se levantando.

– Tome um banho, vista uma roupa minha e desca, vou preparar algo 'pra você comer. – Sorri e ele se levantou, saindo do quarto.

Fiquei por mais alguns minutos na cama, até criar força para me pôr de pé. Assim que o fiz, fui para o banheiro e tomei um banho rápido, minha cabeça ainda doia, porém menos que alguns minutos atrás. Fui até o guarda-roupa de Kim e o abri, pegando uma blusa preta, esta que me cobriu até três palmos acima do joelho.

– Está pronta? – Escutei a voz de Nam fora do quarto.

– Pode entrar.

Assim ele fez, sorrindo ao me ver. – Não aguento isso meu Deus! – Ele se aproximou. Eu estava sem entender nada.

– O que você não aguenta?

– Mulheres vestidas com minhas roupas! – Passo por ele, batendo em seu peito.

– Ridículo! Tem algum remédio pra dor de cabeça? – O moreno confimou.

– Vou prender seu cabelo, senta lá. – Ele aponto para cama, e assim fiz. Namjoon pegou um elástico e se sentou atrás de mim, puxando todos os meus fios para trás. Ele tinha mãos delicadas para tal feitio, o que me fez sorrir. Depois de juntar todas as mechas, ele amarrou-as com o elástico, virando meu rosto para ele.

Ele sorriu, e eu retribui. – Pronto, vamos descer que vou pegar o remédio! – Ele me deu um selinho, saindo correndo do quarto. Coloquei a mão na boca, e olhei para o espelho que tinha na entrada do toalete. Sorri ao ver o serviço mal feito, porém de boa intenção. Sorri e deixei-os como estavam, logo indo para o refeitório, onde um prato de sopa me esperava em cima da mesa.

Continua....


Notas Finais


O capítulo foi esse, espero que tenham gostado! Próxima atualização, terça feira.

Comentem e favoritem!!!

Até o próximo capítulo.
Bjs~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...