História Error - Capítulo 7


Escrita por: e park_geomin

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, Monsta X, Red Velvet, TWICE, VIXX
Personagens Irene, Ki Hyun, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), N, Personagens Originais, Tzuyu
Tags Error, Eternity
Visualizações 12
Palavras 1.908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hi Honeys, Park Geomin aqui, como vocês estão? Demoramos mas chegamos com mais um capítulo fresquinho para vocês!

Pra quem ainda não viu nós fizemos uma playlist no YouTube com as musicas dos capítulos https://www.youtube.com/playlist?list=PLJ8a43aIssOEywM_Rwk9LY9ZD-M3tEDeq. Escuta que só tem hino em.

A música de hoje é Epiphany do nosso rei SeokJin (aliás que hino em, parabéns BTS).

Beijos e tenham uma boa leitura!

Capítulo 7 - Capítulo 07


Fanfic / Fanfiction Error - Capítulo 7 - Capítulo 07

Error - Capítulo 07

"Não posso prometer que vamos andar somente por caminhos floridos, que haverá somente coisas boas daqui para frente, que não se machucará mais. Mesmo que eu queira não posso mentir assim!"

                                                          Joona

 

  Fui para o banheiro me despi e entrei na banheira, e logo a hidromassagem estava ligada fazendo as espumas me cobrirem.

  Depois de algumas massagens e muito óleo no corpo, sai do banho e coloquei minha roupa íntima e um roupão. Me sentei na cadeira da penteadeira e uma mulher loira veio arrumar meus fios, depois de penteado e seco, ela começou a prende-lo em um coque alto, deixando algumas mechas soltas, logo as enrolando com babyliss. Assim que o penteado foi terminado a cabeleireira borrifou laquê em meu cabelo, e colocou um enfeite de flores na lateral do penteado.

– Vamos para a maquiagem. – Uma mulher morena de cabelos negros falou, me fazendo virar. Ela se aproximou com uma cadeira se sentando ao meu lado. Me virei de frente para ela. – Tem algum pedido? 

– Não, faça do jeito que preferir. – Falei um pouco desanimada.

– Está parecendo triste! Aconteceu alguma coisa? – A maquiadora perguntou com um tom de preocupação. 

Sorri forçado. – Estou cansada. – Ela retribuiu o sorriso.

– Casamento é algo tão mágico, e bom de se viver... – Ela começou com famoso "reboco na cara". – Tenho 2 anos de casamento, e posso dizer que não existe nada melhor, brigas e discussões são inevitáveis, mas fora isso, foi uma das melhores coisas que já fiz… – Eu sorri.

– Imagino! Deve ser algo maravilhoso… – Quando é com alguém que amamos de fato.

– Vamos começar! – Fechei os olhos e a maquiagem começou a ser preparada. Demorou cerda de 10 minutos, os dez minutos mais longos de minha vida, não acabava, e eu já estava me irritando com tanta arrumação.

– Joo Hyun…. – Abri meus olhos ao eacutar meu nome. Era a senhora Kim.

– Senhora…. – Assim que levantei, me curvei em sinal de respeito

– Sogra soa bem mais agradável… – Ela sorriu gentil.

– Claro sogra! – Sorri.

– Você está linda! – Senti meu rosto esquentar. – Vim ver se está tudo certo, mas nem precisa me responder…

– Kim está pronto? – Perguntei preocupada.

– Sim, voltou do salão à pouco tempo, já vamos para a igreja, mas não se apresse.

Eu amava minha sogra de todas as formas possíveis, e isso era a única coisa que fazia com que eu não me odiasse cem por cento esse casamento.

– Tudo bem! Obrigada pela preocupação… – Me curvei novamente.

– Não precisa agradecer, esse é meu papel de sogra. – Ela saiu do quarto.

– Agora só falta o vestido. – Uma mulher disse colocando a mão em meu ombro enquanto a outra segurava o espartilho branco, este que era todo trabalhado à mão. Me aproximei e a mulher o passou pelo meu corpo, e começou a aperta-lo para que ele pudesse fechar. Por eu ser magra, não foi muito difícil de colocá-lo. 

  A saia, era enorme, cheia de tecidos e rodada, senti calor só de vê-la.

– Senhor misericordioso! – Falei ao pensar no quão quente ele seria.

 A mulher que me vestia riu. – Eh, casar não é fácil… – Ela disse se aproximando. Eu não conseguia parar de encarar aquele monte de pano.

– Eu sei disso, eu sei... – A saia foi colocada com um pouco de dificuldade, demora e paciência, da parte das moças que me vestiam, pois eu já estava extremamente nervosa.

  Depois de 3 horas de arrumação, me olhei no espelho do meu guarda roupa, o cabelo estava lindo, a maquiagem perfeita, e o vestido simplesmente lindo, ele tinha uma "cauda" que cobria grande parte do chão do quarto. Para finalizar calcei um salto alto preto e sai do quarto.

– Uau. – Foi a primeira reação que escutei de meu pai antes mesmo de descer as escadas. Sorri tímida e nervosa. – Você está incrível.

– Obrigada appa! – Fui gentil e desci as escadas cuidadosamente, segurando no corrimão para evitar alguma queda drástica. Meu pai vestia um terno e um sapato social, e confesso que gostaria de vê-lo vestido daquela forma mais vezes, o terno e a gravata lhe caiam muito bem. 

– Você está atrasada, a limusine está te esperando! Vá! – Minha mãe dizia já estressada. Ela vestia um vestido de renda branco que cobria até dois dedos acima do joelho, sua maquiagem e cabelos estavam impecáveis.

– Não fale assim com ela, hoje é um dia importante para ela...

– Não pai… – O interrompi. – Hoje é um dia importante para vocês!

– Mas é uma menina mal criada mesmo! – Revirei os olhos.

– Chega de brigar, já estou no meu limite com vocês, por sempre fingirem que tudo está certo, e nós sabemos bem que isso não é verdade. 

– Bae Joo Hyun…. Cale-se! Vá para o carro agora! – Não discuti, apenas ergui meu vestido para que eu pudesse andar melhor e cheguei até o carro em passos largos.

– Boa noite senhor. – Desejei ao chofer que sorriu, e fechou a porta assim que entrei.

…..

Depois de alguns minutos de espera, cheguei na igreja, esta que estava toda enfeitada, a escadaria estava coberta por um tapete vermelho, meu pai esperava na porta da igreja, e assim que me viu, foi correndo até mim.

– Está tudo muito bem organizado… – Segurei no braço do mais velho. – Está preparada? – Neguei e ele sorriu forçado. Começamos a subir as escadas, e esperei que tudo estivesse pronto para minha entrada. 

– Podem entrar! – A organizadora disse. Coloquei meu melhor sorriso no rosto, e me posicionei segurando meu pai. A música clichê de casamento começou, e entramos no lugar.

  Kim foi minha primeira visão, me deixando um pouco nervosa. Ele vestia uma camisa branca, a qual o terno cobria. O terno era lindo e o mais provavelmente caro, um sapato social que brilhava de tão bem limpo, e seus cabelos pretos penteados em um topete magnífico. Meu coração começo a acelerar, minhas mãos soavam e meu estômago estava embrulhado devido ao meu nervosismo repentino. Kim sorriu, exibindo suas covinhas, estas que me fizeram corar.

 Por um rápido momento passei meus olhos pela igreja, havia muita gente. Mas não me preocupei em ver se eu conhecia alguém. Quando paramos de frente para o altar, a música parou e Namjoon se aproximou cumprimentado meu pai.

– Obrigado por me conceder à honra, sogro! – Kim sorriu, de duas uma, ou ele estava realmente gostando da ideia de se casar ou a KBS estava perdendo um ator do 'caralho.

– Cuide dela! – Meu pai disse dando minha mão para Kim.

– Pode deixar! – Sorri, e o moreno retribuiu, logo subimos o restante das escadas e nos ajoelhamos de frente para o padre nos conceder a bênção.

  Nunca pensei que aquele falatório fosse demorar tanto. Meus joelhos estavam doendo e meus olhos estavam quase fechando.

– Vai mesmo dormir no nosso casamento. – Kim falou em um tom que somente nós escutassemos.

– Não estou me aguentando, essa roupa e esses sapatos estão me matando… – Falei o encarando.

– Aguente mais um pouco! Ah você está linda… – Ele ficou vermelho assim que falou e eu apertei sua mão.

Sorri. – Obrigada! 

– Façam seus votos. – O padre disse. Eu e Nam nos colocamos de pé, uma menina loira de cabelo curto entrou com as alianças.

Namjoon pegou a minha e sorriu, levando minha mão até a altura de seu rosto.

– Meus votos são os mais simples, mas feitos com amor. – Sorriu. – Nos conhecemos de uma maneira exótica, que a princípio esbanjou muito ódio, mas que logo nasceu um sentimento mais forte! O amor! Em meio a esse tempo, rimos, nos ajudamos, compartilhamos dificuldades, passamos por fases difíceis, mas aqui estamos. E esse matrimônio só fará com que sejamos mais felizes por estarmos unidos em um só amor. – Ele colocou o anel em mei dedo. Confesso que me surpreendi com as palavras ditas. Ele beijou minha mão.

Foi minha vez de apresentar os votos. – Quero você todos os dias enfrentando tudo e todos os problemas que tivermos ao meu lado. Quero te amar todos os dias. E quero que assim como eu, você me prove, mais do que com promessas que nosso amor será sempre recíproco. – Coloquei a aliança na mão de Kim.

– Kim Namjoon, você aceita Bae Joo Hyun como sua legítima esposa, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença até que a morte os separe? – O padre perguntou e Namjoon confirmou.

– Sim! 

– Bae Joo Hyun, você aceita Kim em todas as conduções citadas? – Confirmei. – Eu vós declaro marido e mulher.

  Namjoon se aproximou e selou meus lábios carinhosamente. A igreja foi tomada por assobios e aplausos. Saimos da igreja e assim que atravessamos o portal, foram jogados arroz em nós, simbolizando a felicidade e a fartura. 

– A noiva tem que jogar o buquê….. – Eu conhecia aquela voz de algum lugar. Assim que me virei vi Sana, uma amiga que eu não via a muito tempo. 

– Não acredito! – Meis olhos encheram de lágrimas e corri até ela, abrancado-a.

– Vai! Vamos nos falar com calma. – Sorri ainda com lágrimas nos olhos e peguei o buquê.

– 1… 2… 3… – Contei e joguei o mesmo e quando olhei meu coração parou. Kihyun, segurava meu buquê com um sorriso no rosto. Ele era o meu amor de infância, porém meus pais nunca o aprovaram, por ele não ser "rico", ele era o tipo de pessoa que me ligava sempre, me deixava feliz, comprava presentes e despertava o melhor de mim. Me aproximei dele.

– Não acredito que me esqueceu… – Ele falou assim que me aproximei.

– Nunca! Não diga isso. – Senti uma dor no peito.

– Você está casada! 

– Não é porque e nem com quem eu quero. – Ele sorriu.

– Está tudo bem, conversaremos depois. – Ele me entregou o buquê.

– Você pegou, tem que entregar para alguém que você goste. – Tentei devolvê-lo

– Então ele está com a pessoa certa! Se mudar de ideia, meus braços vão estar abertos pra você. – Eu não esperava aquela resposta, me arrependi amargamente por não ter corrido atrás do que eu queria.

– Quem era? – Namjoom perguntou parando ao meu lado.

– Uma pessoa muito importante pra mim. – Falei olhando Kihyun se afastar.

– Temos que passar em casa, nos trocarmos e ir para o salão. 

Confirmei e senti a mão de Kim em meus braços. 

– Entre! – Ele disse abrindo a porta do carro, e assim fiz.

– Obrigada! – Ele entrou e o carro começou a andar.

– Não gostei daquele cara.

– Que pena porque eu também não gostei daquela tal de Tzuyu, no entanto não disse nada! – Falei tentando parecer indiferente. 

– Como você conhece ela? 

– Trocamos uma ideia hoje mais cedo. Olha Kim, eu não vou te obrigar a me amar! Apenas me respeite como mulher, mas de resto faça o que quiser. – Falei o encarando.

– Te digo o mesmo. – Ele sorriu e abriu uma garrafa de vinho, colocando em um copo e me oferecendo.

– Você era apixonado na Tzuyu não é? – Ele confirmou. – Deve ser parecido com o que eu sinto!

– Porque não se casou com ele? 

– Está falando de Kihyn? Bom, ele não é da nossa classe social, e meu pai se recusou a permitir nosso namoro. E você e Chou?

– Ela nunca foi apaixonada por mim ou pelo menos não demonstrava nada! – Ele ficou sério.

– Não foi o que pareceu. – Ele me encarou.

– Como assim? 

  O carro parou de frente para a casa de Kim.

– Fala! 

– Não é nada. – Desci do carro pisando em meu vestido até chegar à porta.

– Vamos conversar na ida para o salão! Se troque rápido e me espere aqui! – Confirmei e fui para o quarto! 

– Merda! – Falei quando lembrei que precisaria de ajuda com a roupa!

Continua...


Notas Finais


Foi isto fadas, espero que estejam gostando da história, e deem muito amor a ela como eu e a Namjoona damos. Perdoem se tiver deixado passar algum errinho.
Não esqueçam de comentar e favoritar!!!

Bye Bye, até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...