História Error - Capítulo 11


Escrita por:

Postado
Categorias EXO, Huang Zitao "Z.Tao", Kris Wu
Personagens Kris Wu, Tao
Tags Ehldrianlly, Kris, Kris Wu, Kristao, Tao, Taoris, Taotao, Yaoi, Yezi X Choa, Yifan, Zitao
Visualizações 65
Palavras 1.003
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Spoilers, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - O Primeiro Errado


Fanfic / Fanfiction Error - Capítulo 11 - O Primeiro Errado

Não esperei por Tao na escola, voltei para casa na primeira oportunidade que encontrei. Não estava com ferimentos, apenas sentia uma forte dor no corpo todo.

Voltei a forma humana assim que cheguei, precisei me apoiar nos móveis para não cair. Tudo ao meu redor parecia estar em movimento.

 

✘ Pov. Tao ✘

Após sair da escola, segui com Choa até sua casa.

— Tao, me desculpe por não estar falando muito com você ultimamente. — Disse cabisbaixa ao paramos em frente a seu apartamento.

— Não se preocupe, está tudo bem.

— Como você e Yifan estão? — Olhou-me curiosa. — Já faz algum tempo que não o vejo.

— Estamos bem, por incrível que pareça. — Sorri.

— Você gosta dele, não gosta?

— Sinceramente? — Concordou. — Acredito que nunca me apaixonei por alguém desse jeito antes.

— Ele já sabe disso? — Riu baixo.

— Tive sorte em ser correspondido.

— Está corado! Tao, vocês formam um belo casal. Parabéns por ser correspondido.

— Obrigado. E você e Yezi? Quando irão se assumir?

— Como você sabia?!

— Eu vi vocês duas juntas semana passada.

— Hã, isso... eu...

— Não precisa se explicar. Eu apoio vocês duas.

— Ela virá jantar aqui hoje.... Não sei o que fazer.

— Apenas seja você mesma, não precisa ter vergonha.

— Obrigado por tudo, Tao. — Sorriu sincera. — Você é um grande amigo.

 

✘ ✘ ✘ ✘ ✘

Yifan não estava em casa quando cheguei, continuei minhas atividades diárias normalmente enquanto esperava por ele.

Horas se passaram e nada. Eu já havia terminado de fazer tudo o que precisava em casa, estava de banho tomado e com o jantar pronto quando ouvi a porta se abrir. Corri até a sala, recebendo-o com um abraço. Sua expressão neutra se transformou em uma de dor, perguntei imediatamente se estava tudo bem, mas sua resposta foi como todas as outras.

“Não se preocupe, eu estou bem.”

Optei por não insistir, não queria iniciar uma discussão. Jantamos, nos preparamos para dormir.

Eu não sentia sono, então acabei me levantando no meio da noite. Fui até a sala com meu notebook em mãos, o liguei e procurei por algum jogo online, apenas para passar o tempo. Não senti interesse por nenhum que vi e minhas redes sociais estavam sem qualquer novidade. Entrei em meu e-mail, limpei a caixa de spam e todas as notificações desnecessárias que enfeitavam a tela. Havia um e-mail do hospital, eu me esqueci completamente disso. O abri sem hesitar, li todo o conteúdo.

Meu coração falhou uma batida ao terminar de ler a explicação da médica responsável por mim.

Leucemia aguda.

É uma doença que progride rapidamente onde tem mais células sanguíneas imaturas. Estas células vão até ao local de células de sangue saudáveis ​​e acumulam-se dentro da medula óssea e do baço. Tendem a ir para a corrente sanguínea e para outras partes do corpo.

Não se sabe como desenvolvi isso, mas algo é fato: A anemia que tive quando criança não influenciou em nada. Pelo que está aqui, a origem da leucemia é, na maioria dos casos, desconhecida.

Me levantei, procurei pelo telefone de casa. Eu preciso conversar com alguém, não quero acordar Kalen para isso.

Ele precisa descansar, eu vi as marcas que estavam em suas costas sem que percebesse. Eu me culpo por aquilo, tenho certeza que é ele o gato que estava na escola hoje, mas não entendo o porquê de ele não se transformar novamente lá.

Desisti de procurar o aparelho, voltei para o quarto. Assim que abri a porta senti seus braços ao meu redor, me apertando em um abraço. Cedi a tudo.

— Não chore, está tudo bem.

— Não, não está nada bem!

— O que aconteceu?

Não consegui responder.

— Tao?!

Passei minha mão entre meu nariz e boca, estranhando o líquido que ficou na mesma.

— Tao, você está bem?

Me afastei, corri até o banheiro. Deixei a luz acesa e encarei meu reflexo no espelho.

Meus rosto e mãos estavam manchados de sangue. Kalen surgiu ao meu lado, pedindo para que eu me acalmasse.

E tudo simplesmente passa a dar errado.

Fiz o possível para conter aquele sangramento nasal repentino, Kalen me encheu de perguntas, não consegui responder a maioria. Minutos depois eu já estava bem novamente.

— Tente dormir. — Sentou-se ao meu lado na cama, apoiando as costas na cabeceira.

— Estou sem sono.

— Está evidente de que você precisa.

— Você não está muito diferente. Eu vi as marcas, por que não me disse nada?

— Não tem que se preocupar com isso.

— Sabe que dizer isso não vai mudar nada.

— Me desculpe. Eu precisava ouvir o que aquele tinha a dizer, a forma humana estragaria tudo. Ele esperava que eu me transformasse, tive que faze-lo acreditar que era um gato normal.

— Entendo...

— Ele pagará pelo soco que lhe deu.

— Você falou com Enya? Conseguiu descobrir algo?

— Se lembra daquela noite que saiu de casa a minha procura?

— Lembro.

— Eu encontrei o homem que estava com você.

— Ele é como você? — Concordou com a cabeça.

— Ele pediu desculpas por aquela noite.

— Você pediu perdão pela briga?

— Pedi, já está tudo resolvido.

— Ele é como você.... Ele também é um Felan?

— Não, ele é um Wildren.

— O que é um Wildren?

— Um filho do vento. Parece loucura, mas ele pode controlar o ar.

— Por isso aquela ventania. — Sussurrei para mim mesmo.

— Venha aqui.

Me puxou para perto, deitei-me ao seu lado, apoiei minha cabeça em seu ombro direito. Ele segurou minha mão, entrelacei nossos dedos.

— Você não pode ir à escola amanhã.

— Por que?

— Edgard, o Wildren, e Enya já têm uma ideia do que aquele garoto possa ser.

— O que acham que ele é?

— Um humano descendente de alguém vindo de Ehldrianlly.

— Ele sempre está procurando por você. Já se conheciam?

— Eu o conheci quando vim para este mundo. Ele era um fanático por relatos sobre outros universos, linhas do tempo e seres fantásticos.

— Por que ele quer te matar?

— Eu não sei. Não pense nisso agora, durma um pouco.

— Me acorde amanhã antes de sair, por favor.

— Não irei te deixar sozinho aqui. Durma bem.

— O mesmo. — Sorri fechando os olhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...