1. Spirit Fanfics >
  2. Error Sans - A Origem >
  3. A Origem

História Error Sans - A Origem - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Aproveitem! Eu estou de volta

Capítulo 1 - A Origem


Rota Genocida - Último Corredor.

Neste corredor, Sans lutava abrasivamente contra o Frisk Genocida, quando recebeu um golpe fatal, com dano de -999999999. Sangrando ketchup, Sans disse:

- ... então ... acho que é isso, né? ... apenas... não diga que eu não te avisei... eu vou para o grillby's. quer alguma coisa, papyrus?

Sans se deslocou daquele lugar, e finalmente desfaleceu como pó. O Frisk Genocida sabia que sua última opção era terminar de percorrer aquele corredor, matar o Rei Asgore, matar Flowey e o universo acabava. Aquilo o decepcionou, pois o Frisk Genocida era um autentico assassino, um ser que gostava de matar e ver o sofrimento dos outros.

Querendo relembrar os momentos que passou, o Frisk Genocida resolveu voltar. Ele fez o caminho inverso, voltando para trás e percorrendo todo o caminho que ele já havia percorrido, sujando ainda mais seus pés de pó de monstro e relembrando seus antigos assassinatos.

Ele saiu da Capital, percorreu Hotland, percorreu a Cachoeira, percorreu Snowdin, até que chegou na porta das ruínas. Ele tentou abrir esta porta, mas estava trancada. Frisk Genocida se lamentou, pois queria relembrar seus primeiros assassinatos nas Ruínas e relembrar o assassinato de Toriel.

De repente, um bug no jogo ocorreu. O LOVE de Frisk reduziu drasticamente do nada para novamente LV 6. Ele ficou confuso, e quis terminar aquele jogo logo, quando de repente reencontrou Sans, da mesma maneira que no início. O diálogo foi praticamente o mesmo, com Sans contando sobre seu irmão e ordenando que ele se esconda atrás do vaso.

Milagrosamente, Papyrus reapareceu vivo, e repetiu as mesma falas exatamente iguais. Assim, Frisk Genocida descobriu um bug no jogo, no qual quando ele voltava para a porta das Ruínas após ter matado Sans, todos os monstros de Snowdin, Cachoeira, Hotland e Nova Casa ressuscitavam sem lembranças do que havia acontecido anteriormente, e assim ele poderia matar todos novamente quantas vezes quisesse.

Apesar deste bug afetar a maior parte do jogo, ele não afetava as Ruínas. Ou seja, Toriel e os monstros mortos das Ruínas não ressuscitavam, mas continuavam mortos e as Ruínas continuaram inacessíveis. Assim, Frisk Genocida seguiu pela Rota Genocida novamente, e após matar mais uma vez Sans, decidiu voltar de volta para a porta das Ruínas e repetiu o bug, e deu certo!

Rota Genocida número 998 - Último Corredor.

Sans foi morto novamente da mesma forma, e o já acostumado Frisk Genocida retornou para de volta á porta das Ruínas, e reiniciou o ciclo. Ele caminho, esperando encontrar um Sans normal novamente, mas ele não encontrou isto. Quando ele olhou para trás, Sans estava diferente, esta com as cores em negativo, crânio negro, pupilas azuis com amarelo, camisa vermelha com jaquete preta, olhos vermelhos, sorriso amarelo, pantufas negras e mãos e pernas vermelhas.

- viu o que você fez? - Perguntou este novo Sans - você abusou da sorte, repetiu o mesmo bug muitas vezes sem parar.... agora eu sou um bug, agora eu sou um erro por sua causa. agora eu me lembro de tudo, lembro de nossas inúmeras lutas, das mortes, assassinatos, de undyne... e papyrus.

- eu não vou permitir que meu mundo morra de novo, está ouvindo, garoto? eu me tornei um bug, e agora ganhei novas habilidades, como apagar matéria com o toque. interessante, não? bem, este mundo está fadado á morte, está fadado ao ciclo de dor e sofrimento eterno por sua culpa! você nos condenou! sua existência é o que condena este jogo!

- sabe.... eu não posso salvar a velha senhora. eu queria poder salva-la, mas infelizmente é impossível recupera-la, é impossível ela voltar á vida. a esta altura, um simples reset iria destruir o jogo e destruir você junto com todo nós... seria bom ver você morrer, mas isto teria que vir da sua parte e me condenaria junto com todo este mundo á morte....

- de qualquer maneira, ainda á esperança! por mais que eu não possa salvar a velha senhora, eu posso salvar os outros! eu posso salvar snowdin, posso salvar a undyne, posso salvar papyrus! posso impedir que morramos de uma vez por todas! eu posso conter a praga antes que ela se alastre! eu posso impedir que nosso mundo morra de novo apagando você! sim, diga adeus, garoto, você será apagado para sempre, e após isto ninguém mais morrerá neste mundo, ou eu não me chamo error sans!


Notas Finais


Espero que gostem, pessoal. Calma que ainda vai ter continuação.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...