1. Spirit Fanfics >
  2. Erros da nossa história - Faith Potter >
  3. Poção de Acônito

História Erros da nossa história - Faith Potter - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Hello, meu povo. Boa noite!
Espero que façam uma boa leitura. 💛

Capítulo 8 - Poção de Acônito


Fanfic / Fanfiction Erros da nossa história - Faith Potter - Capítulo 8 - Poção de Acônito

… 

"Estava tudo um pouco escuro, não dava para reconhecer os rostos das pessoas. As vozes estavam embaralhadas e a única coisa que Faith enxergou depois de muito esforço foi Remo conversando com alguém de cabelos pretos. Severo estava desacordado em um canto daquele quarto escuro e alguns naquele quarto pareciam muito assustados.

- O senhor está tentando me dizer que Black fugiu de Azbakan só para pôr as mãos em Perebas? - Era a voz de Rony.

*

Haviam sete pessoas no quarto, no total, agora: Harry, Hermione, Rony, Remo, Severo e mais dois homens que não era possível identificar os rostos. Um era baixinho e outro estava extremamente magro.

*

Agora estava tudo bagunçado ao redor, eles estavam perto do Salgueiro Lutador e o cara baixinho que estava no quarto tinha desaparecido. Todos estavam gritando, menos Severo que ainda estava desacordado. Remo tinha se transformado em lobisomem.

*

Tinha alguém no alto de uma torre de Hogwarts. Essa pessoa, um cara, estava sendo beijado por um dementador. Faith sentiu a dor e a tristeza do homem. E, o curioso, é que no meio de toda as memórias que estavam sendo roubadoas do rapaz, ela sentiu uma imensa saudade. Saudade dela mesma.

O homem sentia saudade de Faith. Mas quem era ele?"

… 

 

Faith não acordou gritando como das outras vezes que já tinha sonhado. Estava chorando desesperadamente. Precisava encontrar Lupin! Ela achava que Snape estava lhe dando a Poção de Acônito e, se ele chegou a ficar agressivo daquela maneira, Remo não tinha tomado ela. 

Ela sempre soube o que Remo era, mas nunca teve medo. Deve ser por isso que Lupin sempre confiou seus segredos e os dos próprios amigos para Faith. Quando ela descobriu o que os Marotos faziam para ajudar o amigo, quis poder fazer o mesmo, porém, se tornar animago era confuso para a garota e ela nunca conseguia completar a transfiguração, mesmo amando estudar esse tipo de coisa com McGonagall.

Faith se levantou e se arrumou como de costume. Olhou para o canto da porta e não havia nenhuma carta com os horários hoje. Preciso encontrar Severo.

Chegou às masmorras do castelo, local onde se encontrava a sala de aula de poções. Bateu à porta e escutou um "entre" extremamente desanimado. Quando entrou na sala percebeu que a aula já havia começado e todos os alunos, da Sonserina e Grifinoria, observaram ela. Droga.

- Srtª. Faith, não a convoquei para a minha aula hoje. - Snape, se estava surpreso, não demonstrou.

- Eu sei, professor. Na verdade, preciso da sua ajuda. Por favor … 

- Estou dando aula agora, volte mais tarde. - Voltou a andar entre os alunos e bateu na cabeça do garoto ruivo que estava ao lado de Harry.

- Certo, ficarei esperando o fim da aula aqui. - Faith se sentou numa cadeira que estava próxima a ela. Snape deu meia volta e foi até ela.

- O que você está fazendo? - Em outras circunstâncias, Faith teria provocado ele com algum tipo de piada por ele estar falando tão baixo e tão próximo dela, mas não queria irrita-lo.

- Severo, por favor… 

- Me siga. - Falou com uma expressão de raiva no rosto - Quando eu voltar, quero que todas essas poções estejam sobre a minha mesa. - Ninguém respondeu e os dois saíram. Faith seguiu Severo e percebeu que ele estava a levando até o Salão Comunal da Sonserina. Ele disse alguma coisa que ela não ouviu direito e a porta se abriu. 

Não tinha ninguém por lá, todos estavam nas aulas.

- Então? Me diga o que quer e o porquê de você não conseguir esperar o fim da minha aula. - Disse com desdém.

- Quero que me ajude a fazer uma Poção de Acônito. Na verdade, só preciso saber o que pre… 

- Para que você precisa de uma Poção dessas? - Faith ficou em silêncio pensando se deveria falar a verdade ou não - Ah, entendi. Não se preocupe com seu coleguinha. Já estou dando a ele todos esses meses, se ele estiver tomando certo… 

- Você sabe se ele está?

- Por favor, Faith, eu só faço o que Dumbledore me manda fazer e ficar de babá para um lobisomem nunca foi uma tarefa me dada.

- Eu posso entregar a ele essa semana ou você já fez isso?

- Não sei se posso te deixar fazer isso. Eu mesmo preciso entregar.

- Por favor, Severo. Você sabe que não quero o mal dele. - Snape refletiu por um momento e falou.

- Nunca mais vá a minha sala sem ser convidada antes. Vamos, a Poção está lá.

- Obrigada, Seve… prof. Snape. - Mesmo o homem estando de costas para Faith, ela percebeu um sorrisinho no rosto dele. - Você não acha que está cedo para voltar para a sala? Não sei se deu tempo de seus alunos… 

- Não me venha com suas gracinhas, srtª. Palladino. - Faith sorriu. 

Eles entraram na sala e a conversa que se ouvia do lado de fora da porta se cessou automaticamente. Faith seguiu Snape até atrás da mesa do professor. Severo se abaixou para pegar alguma coisa e Faith fez o mesmo como se soubesse o que estavam procurando. A visão dos alunos era bloqueada por causa da mesa, sendo assim, nem o professor via eles e vice-versa. 

Severo pegou um vidro com um líquido de cor cinza-chumbo dentro. Ainda "embaixo" da mesa, Snape entregou o frasco nas mãos de Faith e, antes que ele voltasse para cima, ela segurou a mão do professor e olhou nos olhos dele.

- Obrigada por isso, Severo. - Deu um sorriso para ele e se levantou antes dele.

Ao sair de lá, Faith correu para encontrar com Lupin. Ele ia ter que beber na frente dela todos os dias dessa semana - a semana que antecede a lua cheia. Foi complicado convencê-lo no começo, mas, todos os dias Faith estava lá para vê-lo tomar. 

- O gosto é horrível, você nem imagina. Se eu pudesse ao menos colocar um pouco de açúcar… 

- Não se faça de idiota, Remo. Você sabe que o açúcar corta o efeito. - Disse Faith folheando um jornal na frente do amigo.

- E desde quando você sabe alguma coisa de Poções?

- Bom, enquanto vocês estavam zombando de Severo, na época que estudávamos aqui, eu pedia ajuda a ele na matéria. Como você sabe, hoje ele é conhecido como o Mestre das Poções. - Ela olhou para o amigo por cima do jornal.

- Sabe que eu me arrependo por tudo aquilo. A gente… 

- Eu sei, Remo. Eu sei… então, tomou tudo aí?

- Sim, última dose da semana. Ufa! - Faith riu da expressão do amigo. - Você ainda não me disse o porquê da sua preocupação repentina sobre minhas doses da Poção. Snape que pediu para você me entregar ao invés dele?

- Não, eu que pedi para trazer. Eu só quis ter mais tempo com meu amigo já que ele estava me evitando há um tempo, sabe … 

- Não começa, Faith. Não estava te evitando, só estávamos nos desencontrando.

- Ok, ok. Tá certo. Não precisa ficar na defensiva. - Faith disse levantando as mãos para cima. 

- Você tem que voltar para seu quarto, já está escurecendo. À propósito, você ainda tem algumas tangerrinas

- Não, eu te dei a última ontem. 

- Onde que vende? - perguntou Remo fingindo uma cara de desapontamento.

- Lewis que me dava, não sei onde vende. Mas por aqui, com certeza, não vende. Vou indo. Cuidado. 

Faith decidiu que não iria comer no Salão Principal, não estava com fome e seu quarto era longe do Salão. Colocou um pijama que tinha bolinhas verdes: short e blusa regata pois era uma noite um pouco mais quente. Quando se deitou, escutou um Toc. Toc.  já bem conhecido por ela. Era a coruja de Dumbledore. Abriu a carta que a ave lhe entregou e leu:

 

"Preciso que você venha a sala dos professores. Agora. Não demore, por favor".

 

Ela apenas pegou um roupão que estava perto da cama e saiu correndo pelos corredores. Chegou à sala dos professores e lá estavam  eles: todos sentados em volta de uma mesa. Quase todos os professores  estavam com roupas de dormi. Seria engraçado se eu não estivesse preocupada. Deu a volta pela mesa e chegou até a profª. McGonagall que estava próxima de Dumbledore.

- Boa noite, professora. Sabe o que está acontecendo? - Perguntou Faith puxando uma cadeira vazia para ela mas sem se sentar.

- Dumbledore chamou todos os funcionários. Não sei o que ele… 

A porta se abriu num estrondo e seis pessoas passaram pela porta. Enquanto todos os professores se levantaram bruscamente, Faith se sentou com tudo na cadeira. Todos ergueram suas varinhas. Os alunos no lado de fora da sala começavam a gritar e alguns até a tirar algumas fotos. 

Harry, Hermione, Rony levavam Snape desacordado até a sala e colocaram no chão. Mas eles não estavam sozinhos. Entrou na sala, também, Sirius Black segurando o vivíssimo Pedro Pettigrew. Harry gritava alguma coisa sobre Sirius ser inocente e para não se preocuparem. Mas Faith não escutava o sobrinho. Tudo ficou mudo enquanto Sirius e Faith se encararam.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Te vejo no próximo capítulo. 💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...