História Escândalo Diário - Dramione - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Tags Draco Malfoy, Dramione, Hermione Granger
Visualizações 144
Palavras 2.387
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oiiii voltei feliz dia das crianças pra quem é criança KKKKK xoxo

Capítulo 10 - O Risco


P.O.V Draco

Mansão Malfoy

Acordei dentro do meu quarto, com a cabeça latejando, de repente, senti um leve cheiro de morangos e quando me virei do lado vi Hermione coberta com os meus lençóis brancos. Ela era tão linda. Passei os dedos na bochecha dela e ela sorriu. Comecei a tirar levemente os lençóis de cima dela e quando estava conseguindo, ela acordou e deu um tapa na minha mão.

Draco! – ela gritou com um tom alegre.

Bom dia amor! – eu disse passando as mãos na cintura dela. Ela se levantou, ficando sentada na cama e se desvencilhando dos meus braços.

Bom dia amor nada! Não pense que eu me esqueci do que você aprontou ontem! – ela disse e eu suspirei e coloquei as minhas mãos por debaixo da minha cabeça.

Que coisa bonita hein... Incentivando brigas entre Harry e Blásio... Imagina se a tal da Escândalo Diário vê aquilo? Mais confusão da minha pobre amiga Gina... – ela disse, falando em escândalo diário, me lembrei da edição passada, do ridículo búlgaro Krum.

Falando em Escândalo Diário... Muito bonito aquele babaca aparecendo lá com flores pra você né? – eu disse me levantando e ficando sentado como Mione. Ela ficou vermelha e com raiva.

Argh Draco! Para de tirar conclusões precipitadas daquela coluna idiota! Krum está noivo! – involuntariamente eu olho para a mão dela. Vazia. Graças a Merlin. Ela vê a minha atitude e revira os olhos.

Ele só veio até aqui porque era o local mais perto que tinha as flores preferidas da noiva dele! E eu acabei vendo ele lá no Beco Diagonal! – ela falou como se fosse a coisa mais simples do mundo.

Quer dizer que você ainda foi dar moral pra ele? – eu mais afirmei do que perguntei, furioso.

Eu não “dei moral” Draco! Ele é meu amigo! Deixa de ciúme babaca! Inclusive ele me chamou pra uma das madrinhas e você um dos padrinhos! – ela disse ficando furiosa e se levantando da cama. Me levantei junto com ela e a imprensei em uma das paredes.

Ele só chamou pra você ficar mais perto de você. Você não vê Hermione? Ele ainda te quer! – Quando terminei de falar desesperado, percebi que ambos nós estávamos completamente nus e muito perto um do outro. Eu cheguei mais perto ainda dela e a olhei de cima a baixo. Perfeita. Segurei os braços dela com as minhas mãos. Senti os músculos dela ficarem tensos. Dei um sorriso de escárnio.

Draco... me solta. – ela disse tensa. Afrouxei um pouco meu toque e ela aproveitou a fração de segundo para se desvencilhar. Mas como um reflexo de um gato, eu a puxei pelo braço e a imprensei  de novo.

Porque Hermione? Não posso tocar mais na minha namorada? – dessa vez estava com o corpo colado no dela. Meu corpo já estava sentindo a necessidade do dela. Ela era tentadora demais.

Porque... eu não consigo brigar com você desse jeito. – ela disse, olhando para baixo. Eu puxei delicadamente seu queixo e quando encontrei com aqueles olhos castanhos angustiados, nunca senti tanto dor por machucar alguém. Mandei meu orgulho e meu ciúmes irem se foder. Tudo que importava era Hermione. Comecei a beijar o pescoço dela, mas ela só fechou os olhos.

Hermione, a gente não precisa brigar... – eu disse subindo o beijo para a boca dela.

Me desculpa, vamos esquecer que isso aconteceu tá bom? – eu disse, sem dar a oportunidade de ela responder, cobrindo minha boca com a sua, ela no começo resistiu, como a típica teimosa que era, mas quando eu coloquei minha língua na boca dela, ela cedeu, colocando os braços ao redor do meu pescoço e eu apertei sua cintura trazendo ela ainda mais perto de mim.

Draco... isso não é justo. Você não joga limpo comigo... – ela disse e eu no começo até tentei ignorar o que ela havia dito. Até porque eu era assim mesmo. Fazia e apelava de tudo pra Hermione ser minha.

Nunca te disse que eu era certo... – eu disse, tomando os lábios dela de novo antes que esse diálogo tomasse um rumo que eu não planejava. Desci a mão para a bunda dela e a levantei. Apertei a bunda dela e consegui arrancar um gemido dela. Sorri.

Para de demora Draco... – ela disse desesperada e sem conseguir me encarar.

Apressada né a senhorita Granger? – eu disse, soltando uma das minhas mãos da bunda dela e tirando o cabelo de um lado do pescoço dela. Comecei a beijar ali só para provocá-la.

Eu te odeio. – ela disse e eu levantei minha cabeça para olhar para ela, com um olhar do tipo “Sério Hermione?”. Ela fechou os olhos e fez a sua melhor cara de raiva que ela conseguiria fazer no momento. Birrenta.

Que nada, você me ama. – eu disse sorrindo e ela revirou os olhos e me beijou. Finalmente a conduzi até a cama acabando a tortura que eu estava fazendo, que estava tão ruim para ela quanto para mim. 

Algumas horas depois...

Mione... - eu estava deitado na minha cama, meio sonolento ( estava cansado se é que me entendem) e vi minha morena se levantando.

O que foi Draco? – ela falou, recolhendo suas roupas do chão e as vestindo.

Pra onde você vai? – eu falei, me sentando na cama.

Gina me ligou.  Pelo tom dela no telefone, parecia que era sério. – ela disse se aproximando e subindo na cama, já completamente vestida e me deu um selinho. Depois saiu da cama e foi até o espelho, começando a pentear seus cabelos.

Algo haver com o Blásio? – eu disse me levantando, completamente nu, abraçando-a  por trás . Ela negou. Comecei a cheirar o seu pescoço e desci a mão pela sua coxa, na parte onde a saia não cobria.

Draco... Não me tenta que eu não posso... A Gina precisa de mim, sério. Tipo agora. Não posso me atrasar. – ela disse e a virei pra mim. Dei um beijo de despedida nela, quer dizer, a intenção era essa. Mas passaram-se minutos e eu não ligava. Ela se afastou e disse:

- Tchau Draco.  Obrigada por me fazer atrasar.

- E eu lá tenho culpa se você não resiste a mim?

- Gabola.

- Apenas sincero.

Ela foi e eu resolvi tomar um banho. Frio. Enfim, resolvi me arrumar para sair, dar aquela checada básica de onde estava o tal do búlgaro e de quebra, ver se o Blásio estava livre pra gente tomar umas. Quando peguei meu celular, vi uma mensagem do cara:

Cara cadê você estou com problemas PESADOS. BZ.

Então, desci as escadas e quando abri a porta para sair, encontrei uma pessoa que já tinha virado um fantasma para mim. Narcisa. Minha mãe. Ela havia sumido desde o julgamento. Sumido mas especificamente viajado para bem longe com vergonha. Não a julgava, eu também fugiria por ter alguém como Lucius ao meu lado e eu também já estava bem grandinho. Mas quando vi o estado da minha mãe, a cara dela estava arrasada, os olhos inchados e as mãos tremendo. A abracei e a conduzi até o sofá da nossa sala. Quando ela se acalmou um pouco, ela olhou ao redor da casa.

- Você mudou o estilo daqui.

- Sim mãe, Hermione teria más lembranças se continuasse daquele jeito.

Quando ela ouviu o nome de Mione, ela arregalou os olhos e começou a chorar de novo. Não havia entendido. Apenas a abracei novamente. Ela foi parando e o choro foi passando a soluços. Nunca tinha visto minha mãe tão abatida. Ela pegou uma carta de sua bolsa e me deu. Abri.

Para o bastardo que eu tenho a infelicidade de chamar de filho,

Draco, eu soube que você está namorando a infeliz da sangue-ruim Granger, uma das nossas piores inimigas, uma inferior da nossa sociedade. Queria dizer que não estou decepcionado com você, porque estou acostumado a me decepcionar com você desde o seu primeiro ano em Hogwarts, quando disse para a sua mãe, uma fraca que foi compassiva com você todos esses anos, que tinha achado a infeliz bonita, tentei te endireitar, mas pau que nasceu torto cresce torto mesmo. Foi apenas eu sair de perto de você que você caiu novamente no encanto da sangue-ruim. Mas eu como Malfoy, tenho dever de manter a linhagem pura. Guarde as minhas palavras Draco, ou você termina com a sangue-ruim ou você, ela e sua mãe morrem. Voldemort pode ter morrido, mas ainda existem muitos adeptos do pensamento dele que me ajudariam e que estão fora de Azkaban. Uma coisa eu juro, a linhagem MALFOY não seria corrompida, nem que termine com você, uma decepção, mas ainda sangue-puro. Você tem apenas hoje para terminar com a Granger e de forma pública. E nem ouse engravidar ela.

Não espero um dia a mais,

Seu, infelizmente para mim, pai, Lucius Malfoy.

Estava em choque. Como ele ousava fazer isso comigo e com a minha mãe? Tudo que sentia dele era nojo. Não iria fugir.

- Mãe fique aqui comigo. Eu vou te proteger. 

- Mas filho, eu sei que você gosta de verdade de Hermione, mas você sabe do que Lucius é capaz. Eu tenho medo.

- Eu a amo mãe. Não vou deixar que nada aconteça as pessoas que mais amo no mundo. Eu disse e abracei minha mãe. Eu levei as coisas para um quarto diferente que era o dela na mansão e a ajudei a se acomodar lá. Ela dormiu. Fui para a sala, não iria sair de casa. Não poderia deixar ela aqui sozinha. Pensei em Hermione, ela estava com Gina, provavelmente estava segura, mas mesmo assim resolvi ligar para garantir. Antes que eu pudesse apertar o botão de ligar, recebi uma ligação, quando abri era uma ligação de vídeo.

O pior dos meus pesadelos, Hermione estava amarrada em uma cadeira, estava sedada e de repente, Lucius aparece na filmagem, olhos inchados e com um olhar psicopata. Ele pegou uma faca.

Me diga onde está seu covarde! – eu gritei desesperado. Ele riu e pegou a faca e cortou os lindos cabelos da minha Mione, deixando na altura do ombro. Quando vi uma caixinha chegou ao meu lado e abri e lá estavam os cabelos da minha morena. Comecei a me desesperar o que ele iria fazer com ela?

Draco, não vou mexer com a sangue-ruim, termine com ela hoje. Senão vou fazer pior. – ele passou a faca pelo pescoço de Hermione, deixando um fino arranhão por ele. Engoli em seco. Senti como se fosse em mim mesmo.

SEU COVARDE! - Gritei e a ligação encerrou. Minha vontade era sair correndo para ir atrás de onde ela estava, mas também não podia deixar minha mãe exposta ao perigo ainda mais dormindo. Minutos depois, alguém bateu na porta. Temendo o pior, peguei a minha varinha e colocou no bolso da minha calça. Abri. Era Hermione. Feliz. Olhei para o seu pescoço e não havia nenhum arranhão. Suspirei e a beijei com intensidade, mas quando fui passar a mão no seu pescoço senti uma diferença. O cabelo cortado.

- Hermione, você cortou o cabelo.

- Sim, Gina cortou.

- E agora ela é cabeleireira?

- Deixa de drama Draco. Não ficou bom?

Eu fiquei paranóico. Estava do mesmo jeito que Lucius havia cortado, fui até a sala e deixei Hermione na porta. Peguei meu celular e vi uma mensagem.

Coloquei um feitiço nela, ela não se lembra do que aconteceu. Termine com ela, senão amanhã a esquartejarei.

Enchi meus olhos de lágrimas, o desgraçado estava querendo acabar com a minha vida. Vi Hermione se aproximando.

- O que foi amor?

- Hermione. Não dá mais.

- O que?

- Não te aguento mais, tenho nojo de te tocar, nojo de quem você é. – Sabia aquela fala bem direitinho, Lucius havia me ensinado a repudiar com perfeição. Eram as palavras mais dolorosas da minha vida que estavam saindo. Mas eu não podia arriscar perder minha mãe e Hermione. Elas mereciam ser felizes. E se para Hermione, o futuro comigo seria a morte, preferia ela viva sem mim. Eu iria ter uma vida de merda, como sempre tive até ela chegar, mas pelo menos ela viveria. Continuei.

- Todo esse tempo, eu só estava usando você, JAMAIS AMARIA ALGUÉM COMO VOCÊ!

Os olhos dela lacrimejavam, sentia que ela estava fazendo de tudo para não chorar. Ela me deu um tapa forte.

-  Mas agora vejo que você estava criando esperanças demais, melhor você ir embora. Eu não te amo.

Ela me deu um soco no nariz. Lembrei-me do terceiro ano, do soco que ela havia me dado. Na época pensei: “melhor um nariz quebrado do que um coração partido.” Preferia o ódio dela ao amor, já que não tinha como dar certo nós dois. Agora, eu queria o amor, mas não podia ter de novo. Cai no chão. Quando acordei, vi a minha mãe.

- Cadê a Hermione?

- Foi embora.

Ela disse e eu suspirei. Não havia outro jeito disso terminar.

Semanas depois...

Hermione, me ligou cinco vezes depois de uma semana do término. Três na segunda semana. Duas na terceira. Nenhuma na seguinte. Não atendi nenhuma. Não podia. Pelo menos ela estava segura, assim como a minha mãe. No dia do aniversário dela, acordei bem tarde, não queria sair de casa, mas o Diabo sempre nos persegue, no caso, a Escândalo Diário.

Novos Velhos Ares ressurgem para Granger ao soprar as velinhas.

Depois de um turbulento, badalado e rápido namoro com o herdeiro da fortuna Malfoy que teve um término super escondido, até para a maior fofoqueira desse país, vulgo euzinha, Hermione Granger, foi flagrada em um almoço de aniversário, com nada mais do que seu amorzinho de infância Ronald Weasley, onde ele trouxe um buquê de copos-de-leite para a mesma. Flores, flores, flores. Ronald. Krum. Parece que o segredo é esse, uma pena (só para Hermione mesmo), que Malfoy não aprendeu o segredo. Pensávamos que o ruivo estaria no último lugar na disputa por Granger, mas ao que parece, com a total falta de concorrência ( Krum voltou para a Bulgária e Draco não deu o ar da graça desde o... término dos dois talvez?), Ronald agora está ganhando de disparada. Segue as fotos dos dois no restaurante. Continuem me acompanhando, sinto que algo grande estar por vir.

Rasguei aquela porra de papel com toda a força que eu tinha.


Notas Finais


lucius malfoy cabeleireiro KKKKK
Que tenso esse capítulo né gente? Deus quiser ainda sai capítulo essa semana. Faltam dois capítulos pro tão esperado pedido de casamento. Palpites?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...