História ESCOLA DA VIDA - Dramione - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Draco Malfoy, Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger
Tags Dramione, Favela, Hinny, Morro, Superação, Trafico, Traição
Visualizações 24
Palavras 1.270
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Literatura Feminina, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eaaaaaaai meus amores & amoras!
Tudo bem? Espero que esteja ótemoooooo!
Boa leitura!

Capítulo 3 - Two


"Que meu coração seja como o de jó... que tudo suportou e não desistiu"

Decidimos por fim estender a resenha lá em casa. Os meninos foram ao mercado comprar as carnes e o que precisaria para o churrasco.

E eu e a Liz fomos no frigorífico aqui da favela mesmo buscar as bebidas enquanto a Giny ficava em casa de olho no James que agora dormia juntamente do Ulli.

Assim que pegamos as bebidas entramos de volta no ix35 preto que era um dos carros do Viktor.

Quando chegamos em casa já fomos colocando as bebidas no congelador do lado de fora perto da churrasqueira.

Logo em seguida os meninos chegaram e fomos direto pra cozinha preparar o que iria precisar.

Eu fiquei com a parte de fazer o arroz á grega, farofa, maionese e salada.

Liz preparou o salpicão de frango, torta de frango e palmito, macarronese e vinagrete.

Como Gina ia mais pro lado do doce preparou mousse de maracujá e morango, torta de kit kat, gelatina colorida.

Pansy logo chegou e ajudou temperando as carnes e Ulli foi buscar chup-chup gourmet que a sua tia vendia que eram os melhores daqui.

Os meninos ficaram na área da piscina de olho nas carnes na churrasqueira e conversando. Assim que Ulli voltou já foi começar a estralar fazendo as batidas que de acordo com ele não poderia falta jamais numa resenha de respeitooo!

Mione: E o Ron e a Ayane? Não vão vim? - Perguntei pelo o outro ruivo. 

A família Weasley era composta por ruivos. A matriarca Molly e o patriarca Arthur Weasley ao qual sempre levaram uma vida humilde com os seus sete filhos, mas nunca deixaram falta o principalmente o amor e lógico os valores da vida á todos eles.

Gina: Ron foi almoçar com a mamãe e o papai, já que chegaram de Gramados na terça - Lembrou. Molly e Arthur foram passar duas semanas visitando seu primogênito havia pagado todas as despesas necessárias contente de ver os pais já que não pode ausentar-se com muita frequência para vim pra cá - E se não fizesse logo ia se intimidado pela dona Molly que já estava com saudades da Aya, vai entupir eles de comida - Rimos.

Era bem capaz mesmo!

Gina: Miguel dar uma olhadinha no James pra tia, por favor - Pediu e recebeu um aceno de cabeça ao qual saiu correndo.

Liz: Não corre, Miguel! Se não pode acordar o bebê - Pediu ao filho o mesmo andou de passos mais curtos e devagar.

Assim que as comidas ficaram prontas levamos pra mesa quadrada grande na área da piscina, os doces foram colocados no freezer para gelar.

Sentei-me na mesa pra comer antes de começar a beber porque era lei. Ao menos que eu quisesse ficar tribêbada o que não era o fechamento pra hoje.

Mione: Vai comer amor? - Perguntei ele me abraçando por trás fumando.

VK: Agora não, deixa a onda bater que depois só vem a talarica - Falou dando-me um beijo ao qual correspondi.

Ulli: Ô casal vinte, tem pessoas aqui querendo comer e o mel de vocês transbordando por aqui - Zuou, fazendo bico.

Pansy: Como se não fizesse o mesmo ou pior com o seu bofe lá misterioso.

Ulli: Íh, deixa meu bofe de lado que nem presente ele está pra se defender.

Gina: Nunca está né, non viado? - Falou sentando-se depois de verificar o James no quarto - Não sei qual é o k.ô de tanto mistério justo contigo que é tão escrachado pô.

Mione: Verdade! E nem vem com a mesma desculpa de sempre que estão de conhecendo porque já estão juntos desde o baile lá da Chatuba que você foi e isso faz 6 meses! - Complementei.

Pansy: O lance com mais tempo que você teve na vida, Ulli - Falou pegando carne e colocando no seu prato.

Ulli: Sim, eu sei - Deu um suspiro - Mas é complicado, gente! Tem muita coisa e pessoas envolvidas nisso - Falou e logo desconversou mudando de assunto.

Pansy: Agora que já comemos desce gelo né, quengas - Sorrimos.

Do fim da tarde pra noite passamos a beber, conversar e lembrar de momentos passados.

Minha mente trava quando ela me beija

Meu mundo para quando na minha cama deita

Tiro sua roupa e sei que ela deseja

Que hoje a Lua tá cheia

Lua tão bela, sereia

Hoje a noite incendeia

Hoje a noite incendeia

Viktor me tirou pra dançar ao um pagodinho que amava e ele sabia. Sambei enquanto ele fazia graça de rodar mexendo com as mãos parecendo que estava com um tambor nas mãos e eu dei risada junto com os outros que observavam.

Eu tava pensando num tema

Trazendo algo novo pra eu compor

Mas eu só lembro dela plena

Louca me pedindo amor

Puxou-me de novo ao encontro do seu corpo para dançamos colados enquanto o mesmo cantava a música em meus ouvidos.

E eu que tô acostumado a ser indomável

Encontrei com essa mina que é imprevisível

Achei que sabia tudo sobre amar e vida

Mas ela me mostrou que tava em outro nível

E eu vou tirar sua solidão

Mas não vou ser sua companhia

É que eu tenho meu jeito malucão

Não me prendo a nada e a madrugada guia

Mas quando ela passa, tudo muda

Ela me tira o ar e eu fico mudo

Não sei se eu falo algo, paro e penso

Como essa mina me deixa tão maluco?

Mione: Eu te amo seu maluco - Sorri.

Viktor: Eu te amo minha neguinha - apelido carinhoso - Você é minha! Já tá no meu porte até morrer - Se declarou e nos beijamos.

Observando o pessoal se interagindo gritando e dando risada eram esses momentos que eu preservava á base de tudo.

E principalmente era esses momentos que eu agradecia de estamos todos aqui juntos reunidos mais uma vez, pois com a vida no crime era cada vez mais perigoso e tenso.

Eu ficava com o coração na mão toda vez que tinha operação aqui na favela.

Orava pela vida do meu digníssimo e também dos outros meninos.

Até mesmo os aviãozinhos que na grande maioria eram adolescentes ou apenas meninos.

E ainda tinha os moradores que nada tinham com isso só moravam aqui por não terem condições e oportunidades melhores.

E a BOPE quando sobe aqui nessas operações eles vem com sangue nos olhos, com o único objetivo de matar.

Morrer mais do lado de cá do que de lá.

Não importando quem sejam.

Mas se for bandido para eles é mais um bônus.

Pois querem mesmo a cabeça do Viktor por ser o dono da porra toda como o mesmo fala e o Cedrico gerente da boca e braço direito.

Até mesmo do Harry que agora não está mais envolvido, mas já foi.

Então pra eles quando se é envolvido não existe o termo de ex.

É ou não é!

É 8 ou 80.

O bagulho é doido!

É a vida nunca foi fácil, mas sinto dentro de mim que tem algo para acontecer e não será bom.

Sabe quando você sente uma nuvem negra invisível pairando sobre você?

Energia negativa, vibração ruim.

Pois é o que eu sinto já faz dois dias.

Mione: Mas deve ser coisa da minha cabeça - Sussurrei dando de ombros e preparando mais um copão de 20 de Whisky, gelo e água de coco - Não seja boba Mione e curta o momento com os melhores do seu lado! - Me aproximei da mesa sentando de novo e me inteirando rapidamente da conversa da vez.


Notas Finais


O que acharam meu povo? Que tal comentarem pra dar aquela incentiva de leve na escritora aqui?
Vcs não sabem como vcs dizendo o que acham é importante pra mim e ainda mais uma fanfic nova|diferente. Visualizações é bom, mas curto mais saber o que se passa na cabeça de vcs quando ler a cada capítulo do que qualquer coisa.

Enfim...
Até mais |<3
Kiss, kiss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...