História Escola de segredos. (Interativa) - Capítulo 44


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Neo Culture Technology (NCT)
Tags Bts, Exo, Interativa, Nct, Sobrenatural
Visualizações 2
Palavras 3.050
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acho que passei um pouco do habitual, mas espero que gostem, pois não sei se foi exagero.
Alem disso escrevi isso rindo de mais, mas não sei se vão achar alguma graça.
Ah e me desculpem se ficou um pouco ruim, tentei escrever alguma coisa diferente.
Boa leitora.

Capítulo 44 - Dia 28 de Abril ( Manhã-Tarde-Noite)


POV Seelbi On

Há algum tempo o diretor reuniu todos os alunos e falou sobre as aulas estrem sendo canceladas por causa de que um dos eventos principais da Night Sun esta chegando e todos os alunos ficaram encarregados de ajudar com os preparativos. Como sou uma aluna do terceiro horário acabei tendo que ficar responsável por um grupo assim como os outros, mas o problema é que o pessoal do grupo que estou simplesmente me odeia. *Porque eu fui dar aquela sugestão.*

Assim que acordei com o celular tocando, me levantei sem a menor vontade e fui tomar um banho, depois me arrumar pois já estava quase atrasada. Assim que peguei o carro e cheguei na escola dei de cara com o Yuta na frente do lugar, com o pessoal do meu grupo, além disso o mesmo ficou surpreso ao me ver saindo do carro.

- Seelbi, você esta doente ou algo assim? – Se aproximou e colocou a mão sobre minha testa. – Se estiver doente pode voltar para o dormitório. – Falou me olhando serio.

* Olha lá ela outra vez se fingindo de inocente na frente dele.*

* Garota idiota, esta atrasada e ainda fica de papinho com o Yuta.*

* Tenho pena do Yuta por ter que aguentar essa putinha se fingindo de coitadinha na frente dele.*

- Eu não preciso ir para canto nenhum... – Afastei ele quase empurrando o mesmo. * Péssima hora para meu poder se manifestar.* - Agora me da licença, se não sabe tenho muito trabalho hoje. – Os meninos do grupo firam comigo.

* E olha só, ela se acha.*

* Eu quero esgana essa peste, ela ousou tratar meu Yuta daquele jeito.*

- VOCÊS VÃO FICAR PARADAS AI SUAS RETARDADAS, ESTAMOS ATRASADAS. – Falei já com raiva.

- E de quem é a culpa... – Uma das garotas falou debochando.

- Senhoritas, não me entendam mal, mas mesmo atrasada ela esta tentando compensar o atraso, podem cooperar?

- Yuta, não se meta onde não foi chamado, se essas dai não querem ajudar problema delas. – Yuta me olhou confuso.

- Seelbi tem certeza que daremos conta? A sala não esta nem perto de ficar pronta. – O Minhyuk falou chegando porto.

- Vai ficar tudo bem, eu tenho habilidades para isso, sei que você e os outros também então estão em vantagem sem elas de qualquer forma... – Fiz sinal de silencio, depois de falar com ele.

- Ah sim...

- Então garotas, já decidiram? – O Yuta perguntou meio se jeito, mas as garotas ficaram quietas.

- Quer saber, eu sou a líder, não sou? – Olhei para os garotos que concordaram. – Então esta decidido, essas garotas estão liberadas do trabalho, pois já acabaram, então Yuta pode marca isso na lista e garotas estão livres para irem para onde quiserem... – Yuta só deu um aceno rápido e escreveu alguma coisa em um dos papeis, então voltei minha atenção para as garotas com um sorriso vitorioso. - Mas não podem chegar perto da escola ate o evento começar.

- Quem é para dizer isso idiota?

- Ela é a líder de vocês... – Me virei para ver quem era e olha só, era o Park Jimin. – Se ela esta liberando vocês do trabalho significa que pode terminar junto com os garotos, então estejam agradecidas.

- Mas não era iss...

- Ah sim, sobre não chegar perto da escola? Ela esta certa... – Me olhou serio. * Eu realmente estou certa? Eu fiz isso porque estavam me irritando.*

* Eu sei querida, mas você esta certa, eu tenho feito isso com todos os grupos do lado leste da escola.* - Ele fez sinal para ficar em silencio.

- Então podem ir indo para a sala e terminem o serviço... – Falou comigo e os garotos. – Quanto a vocês, podem voltar ao dormitório e voltarem a dormir.

- Sim Park Jimin. – Saíram andando. * Ai é golpe baixo.*

* Quem disse.*

Sai dali com os garotos, fui andando com eles para a sala onde estiramos arrumando um tipo lugar para tirar fotos divertidas, enquanto pensava seriamente no que tinha acontecido. * Poxa não sabia que podia fazer isso... Mas quem mandou virem mexer comigo.*

POV Seelbi Off

POV Ananda Soares On

Depois de um dia cansativo por causa das organizações na tenda que estava preparando junto com o grupo, fui direto para cama, descansar minhas penas antes de ir tomar banho. Enquanto estava lá deitada, a Bruna chegou, estava toda animada e sabe-se lá porque. Pude perceber que ela estava toda coberta de tinta, mas não queria nem saber o que tinha acontecido, só queria descansar um pouco.

- Nanda, você não sebe o que aconteceu hoje... – Ela começou a falar.

- Não sei mesmo, estava muito ocupada. – Falei me virando. * Eu não estou nem ai pra o que você faz ou deixa de fazer.*

- Nossa, já entendi... Mas vou falar mesmo assim. – disse enquanto se sentando na cama dela.

- Aff eu não quero nem sab... – Ela me interrompeu.

- O Kai me beijo...- Me levantei da cama na mesma hora. – Ah é você não quer saber... – Sorriu assim que percebeu meu interesse.

- Não... Agora senta a bunda nessa cama e me conta tudo.

- Tudo bem, você é a única pessoa que eu falaria sobre isso mesmo...- Pulou no meu pescoço, me abraçando. – Eu iria contar de qualquer jeito.

- Ei calma lá garota, eu não te dei essa liberdade toda não. – Falei fazendo ela me soltar. – Agora conta... e com calma.

- Tudo bem, humm... eu estava terminando um dos senários que colocaríamos como parede da tenda, quando aquele cara lá o Seungkwan, mandou eu ir pegar mais algumas latas de tinta no porão da faculdade de artes e perguntou quem me acompanharia...

- Deixa- me, ninguém se prontificou a ajudar. – Perguntei.

- Pelo contrario, muita gente pediu para me acompanhar, mas era porque não aguentava mais ficar ali... Ai o Kai entra na historia, ele estava na tenda ao lado e acabou dizendo que tinha uma tinta em especifico que ele precisava acha e...

- Que tipo de desculpa esfarrapada é essa? – Comecei a rir.

- É bom ver que finalmente arranquei um sorriso seu... Mas não era desculpa nenhuma, ele realmente só foi procurar uma tinta mesmo. – Ficou triste.

- Então como foi que vocês se beijaram porra?

- Olha a boca... – Deu um tampa na minha boca. – O beijo foi só um acidente infelizmente.

- Como assim?

- Quando estávamos no porão, eu consegui encontrar as tintas que o Kwan pediu, mas o Kai não achava a que ele queria então eu me ofereci para ajudar.

- Oxe que tinta é essa que é tão difícil de achar. – A olhei confusa.

- Sei lá, que a cor estava com o nome de nefrita... Mas enfim, enquanto estava procurando, acabei subindo em uma escada para procurar nas prateleiras de cima, infelizmente acabei me desequilibrando...

- Quase caiu, mas o Kai te segurou, o problema é acabaram se beijando com essa queda. – falei revirando os olhos.

- Falando assim ate parece nada de mais... – Ela ficou pensativa. – Mas como você sabia? Você por acaso é vidente?

- Não, mas é o que se espera em ceninhas de filmes românticos. – A garota se levantou e vi a cama dela suja. – Olha melhor ir se limpar ou vai deixar a arte no lençol?

- O que não me diga que desceu? – Falou se virando. – Ufa é só tinta...

- Por falar em tinta... Nenhuma lata caiu em cima de vocês dois, certo?

- Claro que nenhuma lata caiu ou estriamos na enfermaria...

- Então quer explicar o motivo dessa arte toda na sua roupa, cabelos e sei lá mais onde. – Falei maliciosa. * Pela marca que esta na cama aquilo é uma mão.*

- Não sei que cara é essa... – Falou enojada.

- Nada, só estou curiosa para saber de quem foi a mão boba, que melou tua bunda de tinta... nefrita?

- Ah não, aquele idiota, foi por isso que ele veio com aquele papinho todo...

- Eh a situação mudou... – Falei rindo da cara de raiva da mais nova. - Vai conta, estou curiosa.

- Bom foi um pedido estranho do diretor... – Tentou se acalmar antes de prosseguir. – Depois e pegar as tintas e de um clima constrangedor, quando voltamos para as tendas, o Kwan disse que o diretor pediu para que todos depois que terminassem nas tendas saíssem espalhando umas tintas, que ele mesmo levou, no chão perto de onde estávamos... – Olhei confusa. – Sabe o caminho da entrada ate a escola...

- Sei, é o único caminho que tem pra sair daqui.

- Pronto ele disse para espalhar as tintas de maneira aleatória e que ficasse bem colorido... E como meu grupo e mais alguns outros terminamos tudo, o Kwan disse para fazermos isso da maneira mais simples possível...

- Que seriiia?

- Uma guerra de tinta... – Falou saindo do quarto e indo para o banheiro.* Ah se eu tivesse lá.* - Bom depois de toda aquela bagunça, passamos o trabalho para o grupo do Kai e mias alguns que se disponibilizaram a ajudar e foi ai que o peste aprontou. – Fechou a porta.

- Mas como foi que ele fez isso? – Perguntei perto da porta, escutando o chuveiro.

- SIMPLES, ELE ME DISSE QUE TINHA UM BICHO NA MINHA ROUPA E PEDIU PARA NÃO SE MEXER. – Gritou de dentro do banheiro. – DEPOIS VEIO COM AQUELE PAPO DE “SEM RECENTIMENTOS PELO QUE ACONTECEU MAIS CEDO, CERTO?” SE É O QUER SABER.

- Nossa, acho que quero ser amiga desse cara agora. – Fui me afastando da porta.

- O QUE FOI QUE VOCÊ FALOU?

- NADA NÃO BRUNA... – Deitei na minha cama e fui assistir os noticiários.

POV Ananda Soares Off

POV Lee Minhyuk On

A Seelbi tinha razão quando disse que conseguiríamos nos virar sem aquelas meninas, mas comprometeu nosso grupo dizendo depois ao Jimin que terminaríamos tudo ate o final do dia. Felizmente conseguimos terminar, mesmo que todos estivéssemos cansados no fina do dia. Eram umas 22:30 e estarmos descansando para umas coisas e voltar aos dormitórios quando a Seelbi voltou para a sala e me disse que tinha alguém querendo falar comigo e que eu poderia ir embora pois ela terminaria de ajeitar tudo.

- Seelbi, é o meu irmão por acaso? – Perguntei, pois ele seria o único a me procurar pela escola.

- Desculpa, eu não posso dizer a pessoa queria fazer surpresa ou algo assim, mas acho que estraguei metade dela te falando isso. – Falou com um sorriso sem graça.

- De certa forma sim, mas ainda sim vai continuar sendo surpresa porque não tenho a mínima ideia de quem seja. – Falei pegando minhas coisas e sai da sala.

- Olha o que posso dizer é que ficou preocupada com você esta ate tarde na escola... – Falou enquanto estava para entrar na sala, mas voltou. – Me perguntou ate se você tinha feito alguma coisa errada, pelo visto ele esqueceu em que período estamos se é mesmo um aluno daqui.

- Ah entendo, obrigado pelo dia de hoje, foi de certa forma divertido. – Sem pensar, dei um beijo no rosto e sai correndo para a entrada da escola. * Agora eu tenho ideia de quem seja e se for mesmo, eu vou matar ele por me deixar sozinho tanto tempo.*

Assim que desci as escadas dei de cara com a Ana Luiza, a mesma carregava algumas caixas enquanto subia as escadas. * Eu tenho muita sorte mesmo, encontrei quem eu menos queria.* Fingi que nem a reconheci, só desviei da mesma e continuei a descer, pelo menos ate parar do nada.

- Acha que não te reconheci Minhyuk, pode vir aqui e me ajudar com isso. – Assim que falou isso eu fui ate ela e peguei algumas caixas.

- Me explica outra vez que ainda não entendo porque você esta me obrigando a fazer isso. – Falei tentando me livrar do controle.

- Simples porque eu quero, sei que não é lega fazer isso com meu próprio irmão, mas você não me da escolha.

- Sei, mas você nem pergunta se a pessoa esta ocupada ou se esta indo encontra alguém e isso me irrita.

- Ah, meu irmãozinho estava indo encontrar alguém. – Me olhou maliciosa.

- Para com isso sua idiota...

- Tudo bem... Obrigada por trazer as caixas ate a minha sala, pode ir encontrar com seja lá quem for.

E assim que ela me devolveu o controle, a olhei com pouco de raiva mais não tinha tempo a perder discutindo com ela e sai correndo. * Se eu já estava cansado o suficiente para simplesmente me tele-transportar, imagina agora que eu tenho que correr para a frente da escola outra vez.* Assim que cheguei na frente da escola não encontrei ninguém, me deu uma raiva e acabei gritando o nome da minha irmã e a mesma apareceu na janela. Acabei caindo ali de joelhos tentando recuperar o folego e acabei escutando um barulho nas moitas.

- Poxa, você demorou de mais. – Suho saiu de trás de alguns arbustos.

- Suho, porque você sumiu. – Tentei bater nele, mas o mesmo era mais rápido e eu estava cansado então desviou facilmente e evitou de eu dar de cara com o chão.

- O que aquela garota fez você fazer. – Perguntou já me segurando nos braços.

- Nada de mais, agora me solta... – Assim que me largou cai com tudo de joelhos. * O que, como assim? Eu ate agora estava ótimo.*

- Ei Minhyuk, o que aconteceu? – Era a Luiza gritando da janela.

- Essa peste... – Falei baixinho. – Garota, para com isso e me deixa em paz.

- Quem é a garota? E porque esta falando com ela assim? – Suho ficou com raiva.

- Não é ninguém nem se preocupa, mas vou te pedir um favor... – Respirei fundo. – Pode me carregar um pouco, meio que não posso andar agora. – Disse olhando para os lados. * Eu mereço.*

- Tudo bem... – Olhou para a Luiza que ficou acenado para o mesmo. – Mas vê se não chega perto dessa dai nunca mais. – Ele se abaixou e virou de costas para mim e eu contei nele.

- Não acredito,                 Kim Jun-myeon com ciúmes de uma garota... – Falei perto do ouvido dele, pois não queria que minha querida irmã ouvisse, mas o mesmo quase me derrubou. -  Ah qual é Suho acha que eu vou trocar um amigo por uma garota qualquer, principalmente a que mais me irrita?

- Acho não, tenho certeza e... – Virou um pouco a cabeça para o lado. – Quando foi que ficou tão leve.

- Você é muito idiota... ah, eu nunca me envolveria com alguém que eu tenho ligação de sangue e você sabe muito bem.

- Espera, aquela é a sua irmã?

- Sim, mas ela não...

Eu contei ao Suho a historia toda do que a Luiza estava me fazendo passa nos dias que ele não estava na Nigt Sun e o mesmo só ficava rindo de mim, além disso ele se recusou a me largar depois que sai do campo de controle da minha irmã e disse que ia me carregar ate o dormitório, pois precisava se desculpar de alguma forma por ter me deixado, sem dar noticias. Não sei em que momento do trajeto acabei dormindo, mas acabei acordando já dentro do quarto e estava na minha cama. Me levantei e olhei envolta, procurando o Suho e o mesmo estava saindo do banheiro com o celular em mãos. * Ele não para não?*

- ... Sei, eu entendo senhor... Agora? – Ele me olhou um pouco triste. – Não, não, acho que tudo bem... Ok, qual qualquer coisa faço isso... Ate mais tarde. – Suho foi trocar de roupa.

- Hum mais já vai sair? Você não ficou nem... – Olhei para o relógio. – 2 horas livres e já tem que voltar ao trabalho?

- Pois é, mas não é nada de mais o diretor... – Assim que viu como eu estava veio ate mim. – Não fica assim criança ou não vou ter coragem de ir.

- Então não vá... Suho, você é aluno desse lugar, pior esta no mesmo quarto que eu e quase nunca te vejo... – Me deitei de novo e me cobri ate a cabeça. – Poxa cara, você é a pessoa mais próxima que eu tenho aqui, meu irmão só quer saber de cumprir horários, da mais atenção ao Sehun que para mim e depois da Ana Luiza chegar ficou pior.

- Já entendi... Agora preciso fazer uma ligação, tem uma coisa que eu preciso resolver...

- POXA SUHO NEM ASSIM, VOCÊ NÃO ENTENDE QUE EU QUERO SUA ATENÇÃO. – Assim que falei isso escutei passos vindos na minha direção e fiquei surpreso  quando Suho puxou minha coberta.

- Criança, eu tenho mais de 300 anos acha mesmo que eu não sei o que você esta sentindo... – Ele sentou na minha cama. – Eu só preciso ligar para o diretor avisando que vou estar incomunicável por um tempo, pois tenho que resolver outras coisas e dizer para ele mesmo decidir qual roupa for melhor para mim... sabe ele tem um bom gosto.

- Não acredito você vai entrar naquele leilão... – Colocou o dedo na minha boca.

- Fica quieto, isso é uma missão muito sigilosa... – Dessa fez segurou meu queixo e passou o polegar pelos mus lábios.

- Tudo bem, mas o que você ainda tem que resolver que é tão importante. – Pegou o celular  para iniciar uma ligação.

- Nada de mais só uma coisa que estou esperando a 15 anos...

- Tanto tem... – Suho me beijo.

- Você esta falando de mais... – Falou assim que nos separamos. – Eu estou numa ligação.

- Alô? Senhor, me desculpe, mas eu não vou estar ai para escolher as coisas... – Me olhou com um sorriso estranho. – Lembrei que eu tenho que dar carinho a uma criaturinha importante para mim... – Eu fiquei confuso. * Ele esta falando de mim.*- Não se preocupe, é apensas um filhote... entendo, então é só brincar um pouco que fica tudo bem?... Ótimo, obrigado pela dica... Entendi, tenho que cansar ele para ele dormir bem o resto da noite... – Ele ergueu uma das sobrancelhas. * Agora estou preocupado, será que estou em perigo?* - Ok, agora eu tenho que ir, boa sorte... Agora, eu sou todo seu.

POV Lee Minhyuk Off


Notas Finais


Desculpem os erros ou outra coisa.
Então o que achou?
quem tem que aparecer na próxima?
Esta curiosa sobre alguma coisa?
Pode comentar se quiser.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...