1. Spirit Fanfics >
  2. Escolha >
  3. Prólogo

História Escolha - Capítulo 1


Escrita por: e AnimeRKun


Capítulo 1 - Prólogo


• Malu

Dizem que só damos valor quando perdemos, nunca achei que eu veria isso ao vivo.

Agora, encarando as fotos na galeria do meu celular sinto que não faz sentido.

Se todos amavam minha vó porque não visitaram ela? Não ouviram suas histórias? Não tentaram aprender com ela? Não jogaram caça palavras japonesas ou assistiram novela junto dela?

Nesse inferno eu era a única que a visitava todos os dias, até aprendi japonês para rir das pessoas em outra língua com ela.

Quando ela me ensinou sobre mangás eu mostrei os animes.

Agora todos choram e lamentam quando não estavam lá em nenhum momento.

- Filha

Malu: Sim mãe?

- Nós iremos ler o testamento da sua vó agora

Malu: Claro, é disso que se trata essa comoção toda afinal

- Respeite sua família, todos nós amávamos ela

Malu: Ela era a única que prestava nesse inferno

- Malu!

Malu: ELA ERA A ÚNICA QUE SE IMPORTAVA COMIGO ALÉM DO MEU PAI E DA MULHER DELE!

Eu recebo um tapa

- Eu não te trouxe aqui para estragar esse momento!

Malu: Eu não sai como você queria, só me trouxe porque se não eu vinha a pé

Levanto e desço pela escada, atravesso a sala e sento em uma das mesas da cozinha onde todos estavam reunidos.

A cabeceira estava ocupada pelo advogado, tudo bem, minha vó não gostava de sentar ali.

Sempre estava vazio demais, segundo ela, íamos sempre sentar na sala para comer ou conversar na sala.

Advogado: Primeiramente eu dou meus pêsames para todos vocês, perder um ente querido não é fácil. Agora irei direto ao ponto, os últimos desejos de Kagami Ryouka - Ele abre a maleta e tira dele um papel com a assinatura da minha avó no final - Irei direto ao ponto, os móveis ficarão para Anésia, os móveis para Marcos, as decorações para Ana e uma caixa e os objetos dentro que ficam no cofre do quarto para Malu

- Só isso? - Minha mãe fala

- Isso, e uma carta para Malu - Ele estende um envelope - É isso

- Tem certeza? Deve ter mais coisas

Não vejo a reunião acabar, tudo parece desconexo enquanto o tempo passa.

Quando volto a me conectar a realidade os meus tios estão indo em direção à sala para conversar.

Respiro fundo e abro a carta.

"204125.

Tranque a porta."

Subo para o quarto e verifico se está vazio, quando confirmo isso, tranco a porta e tiro o quadro da parede.

Rapidamente coloco a combinação e a porta abre revelando uma caixa pequena de madeira com o desenho de cerejeiras na tampa.

Deslizo isso encontrando apenas um único objeto, um pente no formato de uma pena.

O objeto de prata tinha pedras incrustadas, mesmo que não parecessem com nada do que eu já tivesse visto.

Sinto a necessidade de tocar, mas assim que seguro aquilo na mão, um brilho azul ilumina a sala e dança ao meu redor até parar na minha frente e ir se apagando.

Na minha frente havia uma criatura similar aos kwamis de Miraculous Ladybug.

Um que se parecia em muito com o Duusuu.

Malu: Quem é você?

?: Me chamo Ozoku, sou amigo da sua avó

Malu: O que caralhos você é?!

Ozoku: Eu sou o Deus dos Portais

Malu: E o que um Deus dos Portais está fazendo numa jóia em uma caixa que estava dentro do cofre da minha avó?

Ozoku: Como eu falei, sou um antigo amigo da sua avó

Malu: Pode explicar isso melhor?

Ozoku: Sim - Ele senta na cama - Anos atrás, quando Kagami era só uma adolescente ela me recebeu no aniversário de quinze anos como você receberia dentro de um mês

Malu: Passar sempre pras netas?

Ozoku: Para a que puder lidar com esse poder e com a responsabilidade que ele trás

Malu: É qual seria?

Ozoku: Conservar a harmonia entre todas as dimensões que você puder ir

Malu: Como assim?

Ozoku: Certos tipos de comportamento podem destruir um país ou quebrar uma dimensão, como eu só existo pra defender algo, se meu propósito se perder eu deixo de existir

Malu: Como eu te ajudo?

Ozoku: Se você colocar o pente e se tornará capaz de viajar entre duas dimensões, a sua original e a que foi designada pra você

Malu: Designada?

Ozoku: Sim, será a versão da dimensão que você tem que ir para evitar desastres

Malu: Mais alguma coisa que eu deva saber?

Ozoku: Não por agora

Malu: O que eu devo fazer?

Ozoku: Deve ficar com esse pente sempre à disposição, não deixar que mais ninguém o use e tratar a nossa relação da forma mais sigilosa possível

Malu: De acordo, não preciso que ninguém saiba dessa loucura toda - Seguro a jóia com cuidado e coloco na lateral do cabelo - Entre no bolso do moletom

Ozoku: No moletom? Você é igual a sua avó, acho que isso pode nós tornar amigos

Ele faz o que eu pedi e no segundo seguinte sou chamada no andar de baixo para ir embora.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...