História Escolha do destino - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Capitão Killian "Gancho" Jones, Cora (Mills), Daniel, David Nolan (Príncipe Encantado), Emma Swan, Henry Mills, Mary Margaret Blanchard (Branca de Neve), Neal Cassidy (Baelfire), Regina Mills (Rainha Malvada), Robin Hood, Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Amor, Drama, Emma Swan, Killian Jones, Once, Once Upon A Time, Ouat, Regina Mills, Romance, Swan Queen, Swanqueen, Tragedia
Visualizações 139
Palavras 1.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ultimo do dia... se quiserem, podem opinar... boa leitura.

Capítulo 3 - Fotos


Algumas semanas se passaram, Emma e Regina tinham trocado apenas algumas mensagens.

Regina tentava se concentrar nas aulas e pensar menos em Emma. Nas últimas semanas ela se aproximou mais de Kathryn e descobriu que a garota era uma ótima amiga e apesar de saber do interesse que a mesma tinha por ela, esta nunca tinha tocado no assunto, o que deixava Regina mais a vontade quando estava em sua companhia.

No fim de semana, Emma voltou para a casa dos pais como sempre fazia.

Elsa estava sentada no sofá junto com a irmã assistindo um filme quando resolveu perguntar:

- Emma, e a Regina... vocês terminaram mesmo?

- Sim, mais eu acho que não deveria ter feito isso, estou arrependida... – Confessou Emma.

- Também não entendi porque você fez isso mais... porque você não fala com ela?

- Nós nos falamos sempre, mais a decisão de terminar foi minha. Ela insistiu tanto em voltar e eu sempre neguei... agora ela nem toca mais no assunto, ela deve estar me esquecendo... mais foi que eu pedi para ela! – Disse em tom triste.

- Engole o orgulho! Você vai se arrepender mais a cada dia que passa. E se ela te esquecer mesmo e encontrar outra pessoa?

- Não tinha pensado nisso, mais também não posso voltar atrás... vou esperar mais um tempo, as férias já estão chegando e quem sabe eu consiga pedir perdão.

- Eu não esperaria tanto tempo. – Elsa comentou. – Mais você que sabe...

Após as palavras da irmã, Emma ficou pensativa. Pegou o celular, digitou e apagou várias vezes uma mensagem para Regina, não sabia como começar um assunto com a amiga e nem tinha coragem para pedir para voltarem. Sem coragem, abriu a galeria de fotos e entrou no álbum que continha fotos da época em que namoravam, ela nunca teve coragem para deletar. Começou a passar as fotos. Em algumas elas estavam se beijando, em outras abraçadas, em algumas Regina estava dormindo.

Emma sorriu ao relembrar alguns dos momentos que passaram juntas e como estava distraída, não percebeu que o pai estava atrás dela.

- Emma! O que são essas fotos? – David gritou com a filha, que se levantou do sofá rapidamente.

- São... fotos... antigas e... – Não sabia como explicar.

- Me dá o celular! – Emma não queria entregar e o pai arrancou das mãos da jovem. – Essas fotos... a Regina e você? Emma que palhaçada é essa?

Emma continuava muda, Elsa vendo a situação resolveu se pronunciar.

- Pai...

- Não diga nada Elsa. – David a repreendeu – Eu quero que sua irmã fale... – Mary ouvindo a gritaria foi ver o que estava acontecendo.

- É isso o que o Sr. está vendo pai...

- O que está acontecendo aqui? – Perguntou Mary.

- Isso está acontecendo! – David entregou o celular para a esposa. – Nossa filha é lésbica Mary! – David deu uma tapa no rosto de Emma, que começou a chorar logo em seguida. – Você dizia que a Regina era sua melhor amiga, QUEM É VOCÊ EMMA! UMA MENTIROSA, SAFADA!

- Calma David! Deixe a garota falar. – Mary inteferiu. – Elsa, nos dê licença por favor. – Pediu à filha mais nova e a mesma subiu para o quarto. – É verdade o que seu pai está dizendo?

- Não sei...

- COMO ASSIM VOCÊ NÃO SABE! OLHA ESSAS FOTOS! Vou ligar para o Henry, temos que falar sobre isso.

- NÃO! NÃO LIGUE PARA NINGUÉM! – Emma se exautou. – Por favor... – Emma olhou para a mãe. – não conte para os pais dela, ela não tem nada haver com isso!

- Eu deveria falar com ele agora sabia! – Falou David. – Isso é uma pouca vergonha das duas. Mais você vai andar na linha agora Emma, pode ir se preparando! – David saiu irado batendo a porta da sala.

- Porque você nunca me disse nada querida? – Perguntou Mary.

- Porque eu sabia qual seria a reação de vocês... – Falou com a cabeça baixa. – Eu terminei com ela por causa da faculdade, não queria que ela ficasse presa a mim...

- E vocês estão bem com isso? – Mary questionou.

- Não... eu a amo muito, estou arrependida da decisão que tomei, mas como já disse, não temos mais nada.

- Vocês não estão se falando mais?

- Sim, quase todos os dias. Ela insistiu diversas vezes para voltarmos mais eu tive medo que a distância fizesse o nosso relacionamento acabar e eu neguei.

- Emma, eu não entendi o motivo por você terminar o namoro se vocês se amam tanto!

- Relacionamentos a distância não dão certo mãe e ainda mais quando é escondido. Eu morreria de ciúmes de ela me dissesse sobre algum amigo sei lá, ia acabar ficando com raiva dela e ela de mim... eu iria perde-la de qualquer forma então preferi manter a amizade pelo menos. –  Emma dizia ainda chorando. Mary a abraçou.

- Se você tivesse me procurado para conversarmos poderia ser diferente. – Falou olhando para a filha. – Relacionamentos à distância podem funcionar sim filha, se as duas pessoas se amam de verdade isso não é um problema.

- Agora já é tarde demais, eu vou ficar bem. – Tentou sorrir sem obter êxito. – Estou com medo do que o papai vai fazer... só não deixe que ele conte aos pais dela por favor!

- Ele não vai contar, pode ficar tranquila. Porque você não chama sua irmã para dar uma volta no parque? Assim você se distrai um pouco.

- Ok, vou falar com ela...


          ***

 

Naquela tarde David chegou anunciando que teriam um jantar com o seu amigo Gold, a esposa e o filho.

- Emma, Neal vai vir até aqui para jantar conosco, quero que seja gentiu com ele. – David sabia que o rapaz era apaixonado pela filha.

- Eu detesto aquele cara! – Emma resmungou.

- Então sinto em lhe informar, mais de agora em diante você vai aprender a gostar, porque ele será seu namorado.

- O QUE? – Perguntou incrédula.

- David, que ridículo! Nossa filha não vai ser obrigada a namorar quem ela não queira! – Mary protestou.

- Você namora com ele ou eu vou contar para os pais da Regina, o que você prefere filha? – Disse irônico.

- Eu te odeio! – Emma respondeu olhando nos olhos do pai.

- Pode me odiar o quanto quiser. Ah! E a partir de segunda-feira você não irá mais morar com sua amiga Ruby, se é que ela é realmente sua “amiga” não é!

- David! Qual o seu problema! Emma está estudando, ela não vai deixar os estudos!

- Ela não vai deixar querida, ela vai viajar todos os dias, a faculdade nem é tão longe.

- Mais vai ser cansativo para ela, entenda isso.

- Isso já não é problema meu. Você deve pensar antes de agir Emma, agora quem vai sofrer será você. O recado está dado, vou comprar algumas bebidas e espero que vocês, principalmente você – Apontou para a filha mais velha. – estejam prontas assim que nossos convidados chegarem.


Notas Finais


beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...